História Forbidden Love - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Exibições 3.583
Palavras 2.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá minhas gatonas! Bom, estou postando pq, como eu havia pedido, vcs comentaram! Eu amei cada comentário :D BEM VINDAS LEITORAS NOVAS, E OBRIGADA LEITORAS ANTIGAS! Esse capitulo não está muito bom.
Razões:
1 - Eu fiz correndo.
2 - Eu estou passando mal. Pois é, eu estou ruim hje, mas não podia deixar de postar >.<
Esse capitulo contem uma grande mudança, e se vocês quiserem ver, tem que entrar no link lá embaixo... Como era muita coisa, postei tudo lá, para poupar espaço.
Espero que vcs gostem, mesmo estando ruinzinho =\\

Capítulo 22 - Mudanças e... MORAR COM ELE? WHAT?


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Capítulo 22 - Mudanças e... MORAR COM ELE? WHAT?

 - Hm... - murmurei. - Bom, vou subir. - falei levantando.

  - Anne. - ele chamou, puxando meu braço, e me fazendo cair em seu colo.

Suas mãos prenderam minha cintura, e ele começou a beijar meu pescoço, traçando um caminho quente por meu colo. Eu não pude deixar de arfar. Seus lábios subiram até meu rosto, e ele mordeu meu queixo, de leve.

  - Justin, não. - falei, quando o vi beijar o canto da minha boca. - Eu... Eu acabei de saber que sou corna.

  - Mas você também o traiu, estão quites. - falou, voltando a beijar meu pescoço.

  - É... Mas... Eu acho que estava gostando dele, então... - deixei a frase no ar.

  - Anne, por favor. - pediu e eu neguei.

  - Não dá... Desculpa. - falei, levantado e correndo para o meu quarto. 

 

...

Acordei com a minha cabeça latejando. Rodopiei na cama, tentando voltar a dormir, resmungando de dor, mas estava difícil. Resolvi levantar de uma vez, para tomar algum remédio. Caminhei até o banheiro e parei de na pia, apoiando meus braços um de cada lado, e me olhando no espelho.

  - Horrível e patética. - murmurei com nojo.

Meus olhos estavam fundos, inchados e vermelhos, devido a uma noite mal dormida, e passada inteira chorando, por conta daquele babaca. Sim, eu chorei por ele, as é porque eu, realmente, estava gostando dele. Joguei água gelada no meu rosto, e escovei meus dentes. Depois segui para o meu closet. Vesti um short jeans e uma blusinha azul, calcei meus chinelos, que ganhará da minha mãe, após sua visita ao Brasil, e desci. Como sempre, a casa se encontrava fazia. Sentei-me a mesa, que Leo deixará posta, e peguei uma torrada. Minha fome era zero, mas após meus problemas no passado, não posso ficar sem comer. Comi apenas algumas torradas e tomei um suco.

  - Bom dia menina. - Leo apareceu.

  - Bom dia Leo. - sorri tristonha.

  - Soube do que ouve. - falou acariciando meus cabelos. - Sinto muito, anjo.

  - Não precisa sentir. Estou bem. - forcei meu melhor sorriso.

A vida é assim, certo? Você é derrubada, várias e várias vezes, mas sempre tem que estar com um sorriso no rosto. Foi assim minha vida toda, agora não será diferente.

  - Olha, eu sei que você é forte, mas se mostrar frágil, as vezes, é bom. Deixar-se ser reconfortada. - Beijou o topo de minha cabeça, carinhosamente. - Preciso subir, qualquer coisa é só chamar.

  - Claro. - sorri.

Ela subiu, para arrumar os quartos, e eu segui para a sala. Pleno sábado e eu aqui, me lamentando por ser chifruda. Bufei alto. Peguei meu celular, discando o numero da minha salvadora.

  - Alo. - Jullie murmurou do outro lado.

  - Jú, está ocupada? - perguntei.

  - Triste?

  - Eu, acho que estava, realmente, gostando dele.

  - Se arruma que eu estou passando ai. Sei o que pode te ajudar. - falou e desligou na minha cara, fazendo-me revirar os olhos.

Com certeza ela irá querer ir ao shopping, para ela comprar resolve tudo, e até ajuda, mas não resolve.

...

  - Amiga! - ela gritou, assim que eu entrei no carro.

  - Oi. - sorri. - Para onde vamos?

  - SHOPPING! - gritou, animada, ligando o rádio, e logo em seguida arrancando com o carro.

Durante todo o caminho ela foi tentando me animar, cantando, e me fazendo rir. Jullie é a melhor amiga de todo o mundo!

  - SAPATOS! - Jullie gritou, assim que paramos de frente a loja da Carmen Stéfens, e todos que passavam nos olharam estranhos.

Apenas ri e me deixei levar por ela, para a loja.

  - Olha, precisamos de algo glamouroso, chique e que a faça brilhar. - Jullie disse a moça, que nos oferecerá ajuda. Ato falho dela, pois Jullie parece uma louca comprando sapatos.

  - Jullie, desde quando tem dinheiro para gastar assim? - perguntei, rindo dela tentando carregar vários sapatos de uma vez.

Jullie não é rica, e nem sempre pode comprar, e quando compra é porque sua mãe esta doente, e concorda com tudo que ela pedi.

  - Desde que minha avó, podre de rica, apareceu, e para agradar sua netinha perdida, deu de presente isso... - falou enfiando mão dentro da bolsa, e tirando de lá um cartão platinum, como o meu. - Um cartão, sem limite!

  - Que véia louca! - exclamei, tirando uma com a sua cara.

  - Pois é né? Agora vamos flor, temos muito que fazer hoje! - exclamou, me puxando para perto de um monte de sapatos.

...

  - Jullie do céu! - exclamei, sentando-me em um banquinho, para descansar. - Pausa, please!

  - Qual é? Anda temos que encontrar um vestido, se não perdemos hora no salão! - falou, puxando meu braço.

Segui arrastada por ela para uma loja lá. Nem o nome eu vi, mas tudo bem. Entramos e começamos a experimentar. Eram vestidos longos, vestidos curtos, que pareciam de putas, mais comportados, tops, saias longas, curtas, jeans, blusinhas. Acabou que no final, levei a loja inteira. Ok... Nem tanto. Ela havia marcado hora no salão de beleza de um amigo da mãe dela, que é padrinho dela, e ficava ali no shopping mesmo. Desde pequenas é ele que cuida do nosso cabelo.

  - Robertchay! - Jú gritou, chamando a atenção de todos do salão.

  - OMG! Jú!!! - ele gritou, correndo até nós. - Que lindas vocês.

Rob é uma comédia.

  - Tudo bem? - perguntei, beijando seu rosto, e sorrindo para os outros de lá.

  - Oi pessoas! - Jullie gritou, e todos riram a cumprimentando. - Então, hoje queremos uma mudança radical!

  - Não! - gritei, recusando. - Eu não quero nada, apenas uma hidratação. - falei.

  - Anjo, você mudará, para mostrar praquele filho da puta, que você é melhor que ele. - ela disse.  Olha, que tal colocarmos um aplique? Se bem que seu cabelo cresceu bastante. Vamos repicar. pintar. - sugeriu.

  - Nada muito drástico, ok? - pedi.

  - Você vai ficar diva pequena! - Rob exclamou, puxando-me até uma das cadeiras disponíveis.

Fechei os olhos, suspirando pesadamente e deixei que eles fizessem o que achassem melhor.

...

  - Ahhhh! - escutei um gritinho estridente vindo de Jullie. - OMG! Isso ficou divo!

  - Posso olhar? - perguntei ansiosa.

  - Não amor. Estamos terminando a maquiagem, e suas unhas já vão secar, agora fica quieta ai! - Rob disse, me prendendo na cadeira e colocando meu fone novamente.

Cause your sex takes me to paradise

Porque o seu sexo me leva ao paraíso,

Yeah your sex takes me to paradise

Sim, o seu sexo me leva ao paraíso,

And it shows, yeah, yeah, yeah

E isso transparece, yeah, yeah, yeah

Cause you make feel like, I've been locked out of heaven

Porque você me faz sentir como se eu tivesse sido trancado fora do céu

For too long, for too long

Por muito tempo, por muito tempo

Yeah you make feel like, I've been locked out of heaven

Sim você me faz sentir como se eu tivesse sido trancado fora do céu

For too long, for too long

Por muito tempo, por muito

 

Cantarolei uma parte de Locked Out Of Heaven, que tocava no meu celular. Eu estava com medo do que eles estavam aprontando comigo. Nem o novo visual de Jullie eu pude ver! Sim, a ruivinha, pelo que escutei, não é mais ruivinha. Ahhh! Eu quero ver tudo!

Após uns dez minutos, que pareceram uma eternidade, eles resolveram me liberar a abrir o olho, mas não, a saber, como eu estava. Sim, eles falaram que só depois que eu me vestisse adequadamente, e dignamente, com a roupa que eles escolheram entre as que eu comprei, eu estaria pronta para ver como eu estava. Apenas pude ver minhas unhas, e elas estavam lindas, as das mãos estavam clarinhas, com alguns brilhinhos, e as dos pés nas mesmas cores, mas sem os brilhos. Após vestir a roupa que eles mandaram, sai do provador, e todos estavam a minha espera.

  - Meu Deus! - Jullie gritou.

Sorri vendo-a. Agora seus cabelos estavam castanhos, e menos enrolados que antes, ela vestia um top preto e uma saia rosa clara, que atrás era longa, e na frente curta, calçava um salto preto.

  - E ae? - perguntei girando.

  - Diva demais! - Rob disse.

  - Posso ver? - perguntei.

  - Claro! - ele disse e bateu palmas, e logo três meninas apareceram com um espelho do meu tamanho. - E ae?

Eu estava boquiaberta olhando meu reflexo. Meu cabelo estava perfeito. Tinha algumas luzes claras, e não estavam mais pretos, estavam castanhos, a cor natural deles. Minha maquiagem era clara, bem natural, e meu vestido era bem colado no corpo, fazendo minhas curvas destacarem-se. Sorri abertamente, aprovando totalmente o resultado.

  - Amei! - falei animada.

  - Também! - Jullie veio me abraçar. - Awwn, estamos lindas!

  - Seu cabelo ficou incrível, apesar de não ter mudado muito. - sorri e ela assentiu.

  - Tio, ficou incrível, obrigada mesmo. - ela beijou o rosto de Rob, que sorriu para nós. - Agora, vamos, pois tenho mais uma surpresa! - ela disse animada.

  - Mais? - perguntei rindo.

  - Muito mais! - Sorriu.

Despedimos-nos de todos, após agradecer, e pegamos nossas sacolas. Jullie me puxou para fora do shopping, e ainda estava de tarde. Ainda eram 15h00min. Saímos bem cedo de casa. Adentramos o carro dela, e ela seguiu em direção a algum lugar. Paramos de frente a um Studio de tatuagens, onde havíamos feito as nossas primeiras, juntas.

  - E ae Anne? Topa mais uma? - perguntou, me olhando apreensiva.

  - Claro! - gritei animada.

Ela sorriu abertamente. O bom é que agora já temos 18 anos, e não precisamos mais falsificar a assinatura das nossas mães. Saímos do carro e adentramos o Studio. Logo, Steven, dono do local, e nosso amigo, veio nos atender.

  - Garotas! Que bom recebê-las! - abraçou cada uma de nós. - Tatuagem, piercing? - perguntou.

  - Os dois. - respondi e Jullie me olhou de canto de olho. - Quero por um piercing no nariz, e fazer novas tatuagens.

Eu já tinha algumas tatuagens espalhadas pelo corpo. Eu havia feito uma pena atrás da orelha, aos 15 anos, uma na costela, escrito “you make me beautiful”, que fiz junto a Jullie, que tem uma no mesmo lugar, e “peace” escrito em um dos dedos. Bom, minha mãe nunca aprovou, mas agora já sou maior de idade.

  - E vão fazer o que?

  - Ainda não sei. Respondi, podemos ver algumas imagens? - Jullie perguntou.

Ele nos guiou até uma sala, e nos acomodou lá. Jullie tinha mais tatuagens que eu, e sempre vinha fazer mais.

  - Já sabe? - perguntei.

  - Já. - sorriu. - Vou fazer um coração aqui. - apontou o lugar, era no dedo, um pouco mais a cima. - E uma ancora aqui. - apontou o lado da mão. - E você?

  - Vou escrever “Rock’n Roll” entre os dedos, e fazer uma cruz aqui. - apontei o lado da mão.

  - Eu também vou por piercing. - falou decidida, me fazendo rir.

Após um tempo Steven voltou, e nós falamos o que queríamos fazer. Ele disse que seria rápido, pois estavam com pouco movimento hoje, e que eram coisas pequenas. Cada uma de nós fomos com um dos tatuadores do local, e logo começamos. Ardia um pouco... Não, ardia muito! Porra, que dor insuportável! Principalmente entre os dedos. Era horrível. Não resisti e soltei um resmungo de dor, e logo escutei o de Jullie também, me fazendo rir. Após as tatuagens, que não demoraram nem uma hora direito, fomos por os piercings. Acho que esse não doeria tanto quanto a tatuagem.

...

  - RENOVADAS! - Jullie gritou, enquanto saiamos do local.

Eu me sentia livre, nova, e em paz. Eu estava bem comigo mesma, e isso é ótimo. Eu estava moida, e tudo que queria era um belo banho. Chegar em casa, relaxar, assistindo a uma boa comédia, só para terminar o dia bem, debaixo dos cobertores. Na verdade, ainda eram 18h00min, e estava um sol quente. Peguei meus óculos, que comprara no shopping, e o coloquei. Adentramos o carro, e Jullie tocou para casa. Eu estava quase dormindo, nunca prestei para dia de compras e essas coisas. Chegamos em casa, e Jullie entrou comigo, disse que passaria a noite comigo.

  - Mãe, cheguei! - gritei, assim que passei pela porta. Ela havia me ligado durante o dia todo.

  - Anne! - minha mãe gritou, assim que me viu. - Ohh Meu Deus! Que linda você está. - sorriu para mim. - Amei seu cabelo, sua roupa, tudo. - disse boquiaberta. - Justin, ela não está linda? - perguntou, se direcionando a Justin, que estava no sofá.

  - Sim. - ele disse, com um sorriso lindo estampado nos lábios. - Muito.

  - Obrigada. - sorri, agradecendo aos dois. - Então, o que queria comigo? - perguntei tirando os óculos.

  - Ahh, então... Depois eu te falo. - falou. - Tem que ser particular.

  - Ok, eu vou subir, qualquer coisa me chama. - falei, ela assentiu voltando para junto de Justin, que ainda mantinha seu olhar preso em mim. Sorri para ele, balançando a cabeça negativamente, e subi as escadas, com Jullie em meu encalço.

  - Menina, o Justin nem disfarçou que queria te possuir, ali mesmo. - Jullie disse se jogando na cama, junto as sacolas.

  - Coitado. - ri. - Nunca mais terá meu corpo nu. - zoei e ela revirou os olhos.

  - Mentira, você dá pra ele a hora que ele quiser. - gritou.

  - Isso vagabunda, fala mais alto! - falei entre dentes. - E não, eu e ele nunca mais vamos ter nada! - mostrei a língua.

Troquei-me, e emprestei um pijama para ela, já que a mesma levará todas as suas roupas embora há algumas semanas atrás, e depois descemos para comer algo. Eu estava faminta.

  - Que linda Anne. - Leonor elogiou-me.

  - Obrigada Leo. - sorri, pegando uma latinha de coca, de dentro da geladeira.

  - Obrigada Anne, que quero sim coca. - Jullie disse sarcástica, fazendo-me rir.

Joguei uma para ela e depois fomos para a piscina. Deitamos cada uma em uma espreguiçadeira, e ficamos aproveitando o final de tarde.

  - Anne, posso falar contigo agora? - Minha mãe perguntou, e eu assenti, levantando e a seguindo.

Fomos até seu escritório, e ela fez sinal para que eu me sentasse a sua frente.

  - Então... - começou. - Eu terei que viajar, daqui a alguns dias. - falou e eu assenti.

 - Só? - perguntei confusa.

- Não... E eu queria que você... - parecia relutante. - EuqueriaquevocêficassenacasadoJustin! - falou tudo de uma vez, me fazendo franzir o cenho.

  - Mãe, respira, e fala. - falei, bebericando minha coca.

  - Eu. Quero. Que. Você. Fique. Na. Casa. Do. Justin. - falou calmíssima, e bem devagar, me fazendo cuspir todo o liquido que tinha em minha boca.

  - Você esta louca? EU. NÃO. VOU. MORAR. COM. ELE! - gritei, pausadamente.

  - São só por algumas semanas. - pediu.

  - Não, eu posso muito bem ficar aqui em casa, sozinha.

  - Acontece que eu mandei dedetizar a casa, enquanto eu estiver fora. - ela disse. - Anda aparecendo algumas baratas, e ontem apareceu um rato na garagem.

  - Mas mãe, eu não quero ficar na casa do Justin. - falei manhosa, sempre funciona com ela.

  - Anne, por favor. Eu te imploro, colabora comigo. Vocês nem precisam conversar, só conviver em paz. - pediu.

  - Eu posso ficar em um hotel. - sugeri.

  - Não, não deixarei ficar em um hotel, sendo que tem lugar para ficar. - falou séria. - Por favor. - implorou.

  - Arrrg! Ok! - falei, bufando.

Que droga! Por que eu tenho que ficar na casa daquele ser? Merda! 


Notas Finais


Bom, capitulo postado! Espero que vcs curtam, e por favor, leitoras fantasmas, comentem, mesmo pra falar que está ruim, ou se for para eu melhorar algo, comentem, por favor! Obrigada a todos os favoritos, e comentários, amo cada um ?
O link: http://www.looksfanfictions.blogspot.com.br/2013/03/imagens-forbidden-love-capitulo.html Ai estão as tatuagens, os novos visuais... O da Anne é o da capa lá em cima... BEIJOS SUAS GOSTOSAS, QUALQUER COISA... TWITTER!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...