História Forbidden Love - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Exibições 2.901
Palavras 2.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey pessoas lindas! Eu sei que demorei um século para postar, mas eu estou sem internet novamente. Eu sei que isso é chato e cansativo, mas a culpa não é minha. Agora, uma amiga da minha mãe emprestou o modem dela e eu consegui entrar um pouco, irei atualizar as duas fics, mas infelizmente não sei qnd poderei atualizar novamente, pq eu ficarei sem internet por tempo indeterminado :( Esse capitulo ficou uma merda, me desculpem, eu tentarei postar mais um amanhã, para compensar o tempo que estou longe e ficarei, mas não é promessa, já que não sei qnd minha mãe devolverá o modem. ESSE CAPITULO VAI DEDICADO A UMA DAS MINHAS LEITORAS INCRÍVEIS, E QUE ME MANDOU MSG LINDAS E FOFAS DEMAIS! @MulherDoBieber ESSE CAPITULO É PARA VC MEU AMOR <3 MUITO OBRIGADA A TDS OS COMENTÁRIOS E FAVORITOS!!

Capítulo 31 - Chantagem...


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Capítulo 31 - Chantagem...

^^^ LEIAM AS NOTAS INICIAIS ^^^

Abri meus olhos com dificuldade e me mexi, meio mole. Virei-me para ele e o olhei. Ele estava sem camisa, apenas com uma calça de moletom, e me olhava ternamente. Passei minhas mãos por seu rosto e selei nossos lábios. Me aconcheguei melhor em seus braços, e mais uma vez adormeci. 

....

 

JUSTIN POV.

  - Bom dia bebê. - Tracy me deu um selinho.

Sorri sem graça e voltei e tomar meu café em silêncio. Anne ainda não tinha acordado, por que hoje iria mais tarde para a faculdade.

  - Aonde você foi ontem, depois da nossa brincadeirinha? - perguntou sorrindo maliciosa.

  - Ahh, eu desci para tomar água. - menti.

Imagina se ela descobre que eu fui ficar com a Anne. Eu me senti tão culpado por ter ficado com Tracy, mesmo amando outra pessoa, e pior, sabendo que Anne, com certeza, estava ouvindo os gemidos escandalosos de Tracy. Quando cheguei a seu quarto ela estava encolhida na cama, com o fone de ouvido, acho que tentava parar de escutar, ou não... Às vezes eu não consigo saber o que ela realmente sente. Parece estar com ciúmes, mas ao mesmo tempo parece não ligar, isso me confunde totalmente.

  - Justin, você me escutou? - Tracy perguntou, estalando os dedos de frente ao meu rosto.

  - Desculpe, estava pensando no trabalho. - sorri de lado.

  - Você está tão distante. Desde ontem percebo isso. - comentou e eu engoli em seco.

  - Impressão sua. O que você dizia mesmo? - mudei de assunto.

  - Ahh, verdade! - falou animada. - Agora, no natal, vamos para Paris? Nós sempre passamos o natal com a minha família, que vivem lá. Vamos conosco? - perguntou.

  - Tracy, eu vou para o Canadá. - falei. - Faz tempo que não vejo minha família, vou ficar com eles. - comentei e ela sorriu triste.

  - Bom, eu poderia ir junto né?

  - Err... Não... Quer dizer... - engasguei. - A minha avó. - falei rápido, tentando inventar uma desculpa. - Ela está mal, não acho que esse seja um bom momento. Todos estão estressados, nem sei se vamos comemorar o natal. - menti descaradamente, usando a minha avó.

  - Ai, que pena. - lamentou. - Queria tanto conhecer minha sogrinha e... - foi interrompida por Anne, que chegou toda desgrenhada, falando ao telefone.

  - Não Jazzy, eu não vou mais apresentar aquela dança. - falou rindo fraco, sentando-se a mesa. - Bom dia. - murmurou a nós e voltou a falar. - Ahh, seu irmão, claro, ele está na minha frente. - me olhou e vi Tracy franzir o cenho. - Claro, só um segundo. - falou e logo em seguida tampou o microfone do celular. - Justin, a Jazzy quer falar contigo. - estendeu o telefone para mim e eu o peguei sorrindo.

  - Hey pirralha. - falei animado e escutei-a rir, gritando um bom dia, que me fez afastar o celular do ouvido. - Como andam as coisas por ai?

  - Ótimas! - falou animada. - A mamãe está me enlouquecendo com essas coisas de natal. Booboo você precisa vir logo me salvar. - falou manhosa, como fazia quando era pequena, o que me fez sentir uma saudade louca daquela época.

  - Ohh pequena, logo estarei ai, mais uma semana Ok? - ela assentiu triste.

  - Jazzy, sai desse celular e vem me ajudar a escolher a decoração! - escutei Dona Pattie gritar ao fundo e ri.

  - Você escutou né?! - bufou. - Tchau maninho, até semana que vem! - despediu-se.

  - Até Jazzy, se cuida... Te amo. - falei desligando logo em seguida. - Obrigada. - devolvi o celular a Anne que assentiu rindo fraco.

  - Jus, você em irmã? - Tracy perguntou.

  - Sim, e eu te contei assim que começamos a namorar. Não se lembra? -perguntei e ela sorriu sem graça.

  - Ohh, desculpe, não lembrava. - assenti, dando de ombros. - E como a conhece Anne?

  - Ahh, ela veio passar alguns dias na casa do Justin enquanto eu estava lá. Tornamos-nos amigas. - deu de ombros pegando um pãozinho.

  - É, percebi que têm intimidade. - murmurou e parecia brava ou frustrada. - Bom, acho melhor eu ir indo, preciso ver como andam as coisas.

  - Ahh, o Julian ligou para mim, agora a pouco e pediu para que eu fosse lá, pois um carregamento de tecidos deu PT, mas já que chegou não preciso ir né? - Anne perguntou.

  - Julian te ligou por quê? Eu falei para ele que já tinha chegado. - Tracy disse confusa e Anne deu de ombros. - Bom, não precisa ir não, qualquer coisa te ligo. - minha garota assentiu. - Bom dia meu amor. - selou nossos lábios e puxou minha nuca, aprofundando o beijo.

  - Bom dia. - falei assim que me separei dela.

  - Ahh, mãe! - Anne chamou quando Tracy ia saindo. - É, acho que semana que vem eu embarco para Orlando, irei passar o natal lá. - avisou.

  - Como? Anne, mas nós não vamos para Paris?

  - É que eu terei que me apresentar lá daqui a alguns dias, e aproveitarei para passar o natal com as minhas amigas da faculdade lá.

  - Mas, eu terei que ir sozinha. - lamentou.

  - Sozinha? E a Jennie?

  - Ahh, ela vai passar o natal a família daquele moleque. - falou irritada e eu fiquei com raiva. Odeio vê-la desprezando Ryan só por que ele não é rico.

  - Tracy, não fale assim do Ryan, ele e sua família são ótimos, eu praticamente cresci junto a ele. - esbravejei e ela assentiu revirando os olhos.

  - Tudo bem. Até mais tarde. - falou e saiu correndo.

  - Bom dia amor. - falei me esticando e dando um selinho em Anne. - Dormiu bem?

  - Sim. - sorriu.

  - Acho melhor eu ir indo, estou atrasado para uma reunião. Daqui a pouco Chaz e Ryan começam a ligar. - falei tomando mais um gole de suco.

  - Tenha um bom dia. - falou e eu assenti indo até ela.

  - Te amo. - selei nossos lábios e ela riu durante o beijo.

  - Ham ham. - forçaram a garganta e nós nos separamos assustados, achando que fosse Tracy, mas era apenas a Leo, que nos olhava sorrindo.

  - Leo... Err... - Anne se engasgou e a mulher riu.

  - Eu sabia que algo estava acontecendo. - falou feliz. - Parabéns.

  - Err. Obrigada. - sorri sem graça. - Agora preciso ir.  Tchau.

  - Tchau. - Anne sorriu e me deu um selinho. - Você fica sexy de terno. - sussurrou em meu ouvido, me fazendo rir.

Sai da casa, deixando-as lá, conversando sobre algo. Segui até meu carro que estava estacionado de frente a mansão de Tracy e entrei, dando partida. Minha empresa fica no centro de Nova York, não muito longe daqui, em poucos minutos eu estava lá. Adentrei o prédio e todos me olhavam atentos.

  - Bom dia senhor Bieber. - Chayh, minha secretaria cumprimentou-me.

  - Bom dia Chayh. - sorri.

  - Senhor, um moço está lhe esperando em sua sala. Ele disse que era importante e que o senhor o conhecia. - avisou-me e eu a olhei confuso. - Seu nome é Marco de La Garza.

  - Esse nome não me é estranho. - murmurei. - Pode deixar que eu o atenderei. - falei e ela assentiu.

  - O senhor Somers o espera na sala de reunião, junto ao senhor Butler e os outros sócios. - avisou.

  - Avise-os que entrarei daqui a alguns minutos, apenas verei o que esse senhor quer comigo. - falei seguindo para a minha sala.

Entrei em minha sala, dando de cara com um homem gordo, careca e familiar, que se encontrava sentando em um dos sofás que tinha ali, tomando café e observando a enorme parede de vidro, que dava visão a Times Square.

  - Bieber. - sorriu assim que percebeu minha presença.

  - Seja breve, tenho uma reunião importante e estou atrasado. - falei sério, sentando em minha cadeira.  

  - Ok, olhe. - jogou um envelope em cima da mesa e eu franzi o cenho. - Abra-o. - falou e assim eu fiz.

  - Como... Como você conseguiu isso? - perguntei vendo as fotos.

Eram fotos de diversos momentos de mim e Anne, algumas fotos com Mel e no orfanato, brincando com as crianças, do nosso passeio de ontem, de nós saindo do cinema saindo de lojas, nos beijando, abraçando, rindo, andando. Tudo. Cada passo que demos durante a viajem de Tracy estava ali, fotografado.

  - Caro Justin... - sorriu maldoso. - Eu coloquei vários dos meus fotógrafos arás de vocês. Assim que fiquei sabendo que ficariam sozinhos em uma casa, sabia que isso não daria certo, afinal, quem resiste aquela delicia que é a filha da Tracy? - falou debochado e eu senti meu sangue ferver.

  - Dinheiro? - perguntei.

  - Meio milhão de dólares, ou amanhã mesmo essas fotos estarão por toda a internet, jornais, revistas e Tracy descobrirá tudo o que vocês fizeram durante sua ausência. - falou e eu o olhei indignado.

  - Isso é muito dinheiro, está ficando louco? - perguntei alterando meu tom de voz.

  - É isso ou nada Bieber. - falou calmo.

  - Isso é muita coisa, eu não posso lhe entregar tudo isso, desfalcará minha empresa.

  - Olha, como sou muito bonzinho... - parou para pensar. - Duzentos e trinta mil e elas são suas.

  - Elas e todas as cópias, computadores e maquinas em que elas possam estar. - falei. - Se uma delas vazar eu mesmo irei atrás de você, pode ter certeza.

  - Não acredita em mim Bieber? Dou minha palavra. Duzentos e trinta mil, e ninguém saberá da existência dessas fotos. - falou se levantando e estendendo a mão para mim, que ignorei e juntei as fotos.

Joguei-as todas dentro da minha gaveta, junto a um pen drive que ele me entregou.

  - Chayh, faça um cheque no valor de duzentos e trinta mil dólares a esse senhor. - mandei e ela me olhou com os olhos arregalados, aquela quantia era um absurdo.

  - Senhor, tem certeza?

  - Apenas faça o estou falando. - falei calmo e ela assentiu, pegando o talão de cheques da empresa na primeira gaveta de sua mesa.

  - Foi ótimo fazer negocio com o senhor. - o homem disse debochado e eu fechei meu puno, tentando me controlar, e o ignorei seguindo para a sala de reuniões.

  - Desculpem o atraso. - falei adentrando a mesma e chamando a atenção para mim. - Podemos começar?

  - Claro. - Chaz disse se levantado e indo até a frente da sala, pra apresentar os gráficos feitos para mostrar o desenvolvimento da bolsa de valores.

  - Então fecharemos o primeiro ano da empresa bem. Os lucros estão em alta, temos varias lojas por todo o país, e pelo Canadá... Tudo está em perfeita ordem. - estávamos fazendo os últimos balanceamentos da empresa, para podermos entrar de férias. Mais algumas horas e eu estaria livre de tudo, bom... Quase tudo, já que terei que visitar algumas lojas no Canadá, mas é coisa rápida, que resolverei rapidamente e até poderei levar Jazzy e Jaxon junto, para aproveitarmos e nos divertimos um pouco.

  - Bom senhores, acho que é isso. - falei me levantando, assim como eles. - Todos já poderão entrar de férias, com um bom bônus no bolso. - falei e eles comemoraram. - Boas festas a todos. - desejei e logo a sala começou a ficar fazia. - Ahh, finalmente! - exclamei me jogando na cadeira, assim que apenas eu, Ryan e Chaz ficaram na sala.

  - Nossa dude, você parece tenso. - Ryan comentou, pegando um copo de Whisky que tinha ali no pequeno bar.

  - E estou. - falei fazendo o mesmo. - Um cara acabou saiu daqui agora a pouco, levando uma quantia enorme em dinheiro. - bufei. - Ele tinha varias fotos de mim e Anne durante essa semana.

  - Uau! E você deu quanto? - Chaz perguntou, afrouxando a gravata e colocando as pernas pra cima da mesa.

  - Duzentos e trinta mil. - lamentei.

Ficamos conversando e vagamundeando ali durante o resto do dia, já que estávamos livres.


Notas Finais


Desculpem o capitulo pequeno, espero que tenham gostado, e até o próximo meus anjos > https://twitter.com/BieberSwag_FC_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...