História Forbidden Love - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor Proibido, Justin Bieber, Padrasto, Romance
Visualizações 3.446
Palavras 4.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey gatas! Aqui estou eu de volta! Finalmente minha mãe colocou minha internet de volta! Yes! Enfim, um capitulo grande para poder recompensar a demora... Esse capitulo ficou fofo gente, eu não gosto muito de coisas fofas, mas a fic tem ficado mt fofa ultimamente, mas..... LOGO ISSO ACABA hehehe'
Bom, também tenho uma pergunta para vcs, é importante e espero que vcs me respondam.

ALGUÉM AI QUER 2ª TEMPORADA DE FORBIDDEN LOVE? EU ESTAVA PENSANDO EM ALGUMAS COISAS... ACHO QUE SERIA LEGAL, MAS NÃO SEI SE JÁ ESTÃO CANSADAS DESSA FIC ENTÃO, PRECISO DA RESPOSTA DE VCS!
BOA LEITURA MEUS AMORES!

Capítulo 35 - Reencontro


Fanfic / Fanfiction Forbidden Love - Capítulo 35 - Reencontro

Justin POV.

  - Eu não aguento mais ficar longe dela, Jazzy. - resmunguei novamente e minha irmã revirou os olhos bufando.

  - Então vai atrás dela. - falou e eu levantei a cabeça a olhando interessado.

  - Desenvolva.

  - Ué, vá até ela e a traga aqui para passar o natal conosco. - falou sem desgrudar os olhos da TV.

  - Será que ela vai querer vir?

  - No momento minha bola de cristal está em manutenção, desculpe. - foi sarcástica.

  - Está ajudando muito. - bufei e ela deu de ombros, prestando atenção no filme que passava.

Já se passará uma semana desde que aquilo aconteceu, e eu tenho me sentido cada vez pior. Falta apenas mais uma semana para o natal e eu sinto cada vez mais falta da minha pequena, acho que já faz quase três semanas que não nos vemos ou nos falamos. Já com Tracy, eu falo todo santo dia, a mulher não para de me ligar. Bom, para quem se pergunta sobre Amy, eu não a vejo desde o acontecido, na verdade, eu tenho a evitado desde o dia. A única que sabe sobre o que aconteceu é Jazzy, que tem me tratado grosseira e friamente.

  - Como que eu vou conseguir algum voo livre? - perguntei.

  - Não irá conseguir. - falou simples e eu esperei ela continuar. - Mas, como você é milionário e tem dinheiro para jogar fora, pode contratar um jatinho particular, ou um helicóptero, ou qualquer outra coisa que voe. Ai, você irá encontra-la no hotel e falar que sentiu saudade, e não que sente culpa por ter posto um par de chifres na cabeça dela antes mesmo de começarem algo mais sério... - ela sempre tem que jogar na minha cara. -... Ai ela vai vir e você vai trazê-la para o seu apartamento por que se levar para a casa da mamãe ela pode encontrar com a vadia ruiva, a qual você comeu mesmo estando com a Anne, e tentará fazer com que ela não saiba de nada. Depois as férias acabam e vocês voltam para Nova York. - completou e sorriu falsa.

  - Até que para quem está com a bola de cristal em manutenção, você fez um bom trabalho. - zombei e ela mostrou a língua. - Valeu maninha. - beijei sua testa e sai correndo do meu apartamento atrás de algum jatinho para alugar.

Anne POV.

  - Mas, e se eu admitir e me machucar? - perguntei a Jullie que me aguentava choramingar via Skype.

  - Anne, anjinho, você tem que se arriscar. Você sabe que ama, então, por favor, admita logo. - falou e eu assenti.

  - Ok, assim que voltar para Nova York eu farei isso. - sorri e ela bateu palmas.

  - Muito bem. Mas... Tente fazer algo bonito e especial, um jantar ou algo assim, eu a ajudarei. - sorriu convencida.

  - Tudo bem, obrigada maninha. - mandei um beijo a ela que devolveu.

  - Se cuida menina, vê se tira isso da cabeça, você nem chegou a traí-lo. Ele ainda consegue passar na porta. - zombou e eu ri mostrando a língua. - Eu tenho que ir ajudar minha avó, mais tarde nos falamos. Beijos.

  - Beijos, e manda beijos para todo o pessoal, fale que sinto saudades. - falei e ela assentiu, desligando.

Deixei o note em cima da cama e fui para o banheiro, precisava de um bom banho e de pensar em como falaria aquilo a ele. Pois é, eu me decidi. Na verdade, apenas resolvi assumir uma coisa obvia, mas que eu tentava esconder. Eu o amo e preciso por isso para fora. Nossa, eu estou tão feliz, bem comigo mesma por conseguir finalmente corresponder ao que ele sente. Eu ainda penso na traição que cometi, mas como Jullie falou, eu preciso tirar isso da cabeça e focar em como falarei isso a ele. Justin merece que eu o recompense pela demora e tamanha a indecisão que eu tive para poder admitir, foi ridículo.

Já faz quase três semanas que não nos vemos e eu estou morrendo de saudades. Isso é tão louco, eu com saudades de alguém, ou até mesmo amando alguém, mas é tão bom sentir. É revigorante.

Terminei meu banho rápido e me troquei. Hoje nós íamos ao Kennedy Space Center, quartel general da NASA. Pelo que li o lugar é super legal, fica há uma hora daqui, em uma ilha entre Jacksonville e Miami, e eu estou bem ansiosa para isso, sem contar que amanhã é minha apresentação. Eu não sei como, mas eu irei me apresentar na Disney, de frente as câmeras, para inúmeros visitantes que passam por esse parque todos os dias. Eu estou apreensiva, mas ando ensaiando bastante com o Johnny, ele tem sido bastante atencioso e duro comigo, me fazendo compensar os ensaios perdidos em Nova York. Logan tem achado um luxo que só né?! É hilário ver aquelas duas bibas juntas, dando palpite em tudo. Eu cantarei um clássico de natal, apenas fizemos alguns ajustes na musica, para ficar com a minha cara. Essa apresentação não contará em nada na competição, é apenas algo beneficente, que faz quem quer, e como eu adoro isso. O dinheiro coletado ajudará instituições de caridade, acho isso super bacana da parte deles.

Vesti um short jeans, que Leo me ajudou a escolher, e coloquei uma regatinha, junto a um all star surrado e passei lápis. Eu não ando passando maquiagem, é capaz deu derreter nesse Sol escaldante. Peguei meu celular e dinheiro e coloquei no bolso. Quando saímos todos juntos, como acontecerá hoje, apenas uma leva a mochila, carregando tudo que precisaremos, e dessa vez será o Logan, eu já tive meu dia de burro de carga, e posso afirmar que não é legal nem confortável.

Antes de sair senti meu celular vibrar no meu bolso e o peguei, vendo que era Jazzy, sorri e atendi no segundo toque.

  - Fala loira! - falei alegre e ela riu.

  - Fala cunhadinha gostosa! - rimos. - Anne tenho que ser rápida, me responda, qual é o hotel que você esta?

  - No The Ritz Carlton Orlando Grande Lakes, por quê? - perguntei curiosa.

  - Ahh, nada não, mas obrigada cunhadinha. Beijos. - falou e desligou.

Que menina estranha.

Dei de ombros e sai do quarto, indo em direção ao de Logan.

Justin POV.

  - Conseguiu? - perguntei a Jazzy que voltava da cozinha com o celular em mãos.

  - Obvio. Ela está no The Ritz Carlton Orlando Grande Lakes. - falou e eu sorri abertamente. - Vê se não faz nada errado.

  - Obrigada Jazzy e... Por favor, não fica brava comigo, foi um deslize, eu juro nunca mais acontecerá. Eu amo a Anne. - pedi com cara de cachorrinho que caiu da mudança. - Perdoa o Booboo?

  - Como você é chato. - riu e me abraçou. - Da próxima arranco seu pinto fora. - beijou minha bochecha e eu ri.

  - Não haverá próxima. - ela assentiu e nós saímos.

Ela me ajudaria a encontrar um presente perfeito para Anne.

Anne POV.

  - Preparada? - um carinha perguntou e eu assenti. - Um minuto, se posicione! - mandou e eu assenti seguindo para o meu lugar.

  - Boa sorte amiga. - Logan gritou e eu ri.

Rezei baixinho antes de entrar, pedindo a Deus para que tudo desse certo. Assim que anunciaram meu numero respirei fundo e fiz um ultimo e rápido ensaio vocal. A plataforma na qual eu estava posicionada começou a mover-se e a musica a tocar, minha deixa foi dada e eu soltei as primeiras notas da canção, logo eu estava lá em cima daquele enorme carro, com o Mickey e toda a turma dançando ao meu redor, eu me sentia uma criança de novo. Eu estava tranquila e dava meu melhor na minha apresentação, me sentia confiante. Comecei a andar pelo carro e logo eu estava no chão. Eu sentia aquela energia entrar em meus poros me fazendo sorrir, era incrível como uma criança alegrava qualquer tipo de ambiente e traziam uma carga positiva, sempre. Passei meus olhos pela plateia, sorrindo para alguns baixinho que tinham ali, e por pouquíssimos segundos meus olhos se cruzaram com duas poças de mel que me fizeram sorrir involuntariamente, e parar por curtos segundos, mas não parar de cantar. Pisquei e quando voltei a olhar ali já não tinha mais ninguém. Claro, agora estou tendo alucinações, com certeza batizaram o meu toddynho! Voltei à realidade e terminei a musica sorrindo e sendo aplaudida no final. Todos os bichinhos da Disney vieram ao meu redor e eu soltei um pequeno gritinho de empolgação ao ver o Pluto ao meu lado, ele é o meu ídolo! Ok, melhor eu calar a minha boca, melhor, meus pensamentos.

  - Ai amiga você foi bafônica! - Logan gritou me abraçando.

  - Obrigada. - sorri. - Logan, aconteceu algo muito esquisito durante a apresentação, eu vi o... - me calei antes de falar merda, havia esquecido que ele não sabia sobre mim e Justin. - Deixa quieto. - dei de ombros. - Vamos? Quero trocar de roupa. - falei e ele assentiu.

Despedi-me de todos ali e seguimos em direção ao hotel. Hoje eu tinha tirado o dia para comprar, porque segundo Logan eu não comprei nada. As meninas foram para a Universal Orlando, e eu fiquei morrendo de vontade de ir ao Parque temático do Harry Potter, meu bruxinho favorito, mas eu precisava me apresentar, então ficará para outro dia. Pegamos um taxi até o nosso hotel, que não ficava muito longe do parque e em alguns minutos estávamos lá. Eu entrei correndo, já que Logan me apressava de segundo em segundo, ansioso pelas compras, tanto que ele nem subiu, apenas ficou me esperando no saguão. Peguei o cartão magnético no bolso da minha jaqueta azul e abri a porta o mais rápido possível, estava apertadíssima. Assim que consegui abri-la a bati com certa força e corri para o banheiro, mas voltei, pois algo estava diferente. Franzi o cenho vendo minha cama coberta de flores e chocolates, mas acabei sorrindo, já sabia de quem era a arte.

Caminhei até ela e peguei um dos buques de rosas vermelhas que tinha ali e levei-o para perto do rosto, sentindo aquele aroma delicado e suave. Peguei um pequeno cartão rosa claro no meio das flores e o abri, lendo a letra tremida e cheia dele. “Miss you!” vinha escrito e eu só faltei rasgar meu rosto com o tamanho do meu sorriso. Fiquei por minutos ali sorrindo feito uma boba apaixonada e comendo aqueles chocolates deliciosos. Justin conseguia me surpreender mais a cada segundo.

  - Anne, por que ta... Ai. Meu. Deus! - a biba ficou empolgada. - Que lindo! Quem te mandou?

  - Uma pessoa importante... Muito importante. - sorri.

  - Ai, você está apaixonada! - gritou histérico.

  - Sim, completamente. - suspirei. - Nunca pensei que isso aconteceria comigo. - admiti.

  - Uma hora acontece. - ele sorriu. - Cara, esse homem deve ser perfeito.

  - E é... - falei.

  - Quem é?

  - Uma pessoa importante. Já falei! - ri do seu jeito curioso.

  - Jura que não vai meu contar?

  - Sim, deixa de ser curiosa bicha.

Peguei meu celular e disquei o numero de Justin, para poder agradecer, tentei varias e varias vezes, mas sempre dava fora de área. Desisti na quinta tentativa e resolvi tirar uma foto e posta no Instagram.

“Obrigada, não tem como ser mais perfeito!”

Postei com certeza ele veria.

  - Vou me arrumar. - falei animada.

Hoje eu estava com uma felicidade invejável, e tenho certeza que ninguém a estragaria. Peguei uma calça jeans clara, uma regatinha simples cinza, e um colete jeans claro. Vesti-me e deixei meu cabelo solto. Calcei meu coturno e peguei uma bolsa que ganhei da Mary. Reforcei o lápis em meus olhos, que já estava se apagando, e passei gloss. Antes de sair do quarto peguei meu óculos e mais um bombom, assim como Logan. Eu ria ao vento e não me aguentava de felicidade, agora me responde como não amar esse ser? Eu não posso negar, estou apaixonada, e por mais que eu tenha medo, me entregarei a isso, não importa os empecilhos, dificuldades ou se terei que machucar alguém - mesmo esse alguém sendo minha mãe -, eu irei lutar pelo que me faz bem, pelo que me faz feliz.

...

  - Esse? - perguntei mostrando o sapato a Logan que sorriu aprovando. - Acho chamativo demais. - neguei rindo. O sapato era amarelo, como ele pode gostar de algo assim?

Acabei levando dois pares, um vans preto com taxinhas douradas, mais um para a minha coleção, e um salto azul marinho, quase preto. Já Logan, levou todos os sapa tênis que ele encontrou, junto a alguns vans, e supras de cores vibrantes e escandalosas.

Saímos da loja de sapatos e eu acabei tendo que ajuda Logan com o monte de sacolas que ele tinha. Entramos em uma loja de CDs, e novamente eu me senti sendo observada. Caralho odeio essa sensação! Deixei as sacolas do Logan em um canto, e fiquei apenas com as minhas. Fui direto para a sessão de discos antigos e souvenires, que são minha paixão. Acho que vou estourar o cartão da minha mãe aqui! Comecei a fuçar e acabei achando vários discos antigos, mesmos que eu procurei durante tempos em Nova York, mas sempre estavam em falta. Tinha Elvis, Beatles, Rolling Stones, dentre vários outros. Eu me sentia no paraíso. Separei uns seis ou oito para levar e fui até algumas camisetas que estavam penduradas.

  - Você anda muito gastadeira, Marie. - tamparam meus olhos por trás e sussurraram em meu ouvido. Não pude deixar de sorrir. Senti meu coração palpitar e querer saltar para fora, tudo isso era saudades? Aquele perfume invadiu minhas narinas me trazendo uma sensação de paz, logo suas mãos saíram dos meus olhos e ele me envolveu em um abraço por trás mesmo. Segurança... Era isso que eu sentia. - Que saudades. - beijou minha bochecha demoradamente.

Virei-me de frente a ele, que me encarava com o seu melhor sorriso.

  - Também estava. - o abracei forte.

  - Você não tem noção de como é horrível ficar sem você. - olhou em meus olhos.

Sorri animada, eu estava eufórica. Sem demora colei meus lábios no dele, fazendo com que todas aquelas sensações desconhecidas se manifestassem, e um misto de saudade, paixão, segurança, conforto, tudo, fosse transmitido entre nós. Sua língua explorava minha boca com sagacidade e enroscava-se a minha em sintonia. Separamos-nos ofegantes e sorrimos um para o outro.

  - Estava com saudade do seu beijo. - admiti e ele riu.

  - Também. - me deu mais um selinho.

  - Esta fazendo o que aqui? - perguntei enquanto passava as mãos pelo cabelo.

  - Vim te buscar. - sorriu.

  - Me buscar?

  - Sim. - assentiu sorrindo sapeca. - Você irá comigo para o Canadá.

  - Oi? - perguntei rindo. - Ficou louco?

  - Você vai passar o natal comigo! - exclamou feliz e eu ri.

  - Mais...

  - Sem mais, você vai, já está certo. - assenti ainda meio boba. - E se eu não voltar com você, Jazzy me castra. - falou e eu ri. - Estava com saudade de te ver rindo.

  - Ah claro! Você estava com saudade da minha risada esquisita e escandalosa. - falei descrente e ele riu assentindo. - Tudo bem. - concordei.

  - Já terminou de comprar a loja? - mudou de assunto, referindo-se aos discos separados.

  - Ainda não. - falei e ele riu. - Qual é mais legal? - perguntei mostrando duas camisetas diferentes dos Beatles.

  - Essa. - ele apontou ara uma delas, que era preta.

  - Vou levar as duas. - falei colocando junto aos discos e ele riu.

Depois das camisetas fui até alguns CDs, mais atuais, e escolhi alguns que eu não tinha e alguns de presente.

  - Acho que peguei tudo. - falei parando e me virando para Justin.

  - Só agora? Cara, você ta levando a loja! - ele exclamou olhando tudo o que eu iria levar.

  - Ai Justin, me deixa. - falei manhosa e ele riu assentindo. - Moço, é isso. - falei a um cara que estava me rondando desde a hora que eu cheguei, falando que qualquer coisa era só chama-lo. Ele assentiu e colocou tudo dentro de um cesto, levando tudo ao caixa. Justin veio até mim e apertou minhas bochechas com uma mão, depositando um selinho no bico formado.

  - Eu te amo. - murmurou e deu mais um selinho. - Muito mesmo. - falou selando novamente.

Eu queria dizer que o amava, mas queria que fosse algo especial, que ele nunca se esquecesse, e não em uma loja de discos. Apenas sorri.

  - Padrasto? Ahh claro, eu acredito. - escutei Logan ao fundo e ri. - Anne, já to indo. Bye amore! - falou e escutei seus passos se afastando, nem tinha me virado para falar com ele.

  - Senhora, aqui suas compras, é só passar ali no caixa. - falou e eu assenti, agradecendo com um sorriso e pegando a sacola e o papelzinho com o valor da compra, minha mãe me mataria por estar gastando com discos, mas eu supero.

Seguimos até o caixa, onde eu paguei, e depois fomos andar pelo shopping.

  - Como passou essas duas semanas longe de mim? - perguntei a Justin.

  - Ahh, muito bem. - deu de ombros. - Até que foi bom fiar sem um ser chato atrás de mim. - falou e eu encarei-o incrédula.

  - Nossa, deixa você! - ri e ele me acompanhou. - Pois fique sabendo que eu também fiquei muito bem.

  - Deve ter ficado chorando no quarto, pedindo para que eu voltasse. - debochou e eu ri sem humor, mostrado a língua. - Ahh, afinal, sua apresentação foi muito boa. - comentou.

  - Então você realmente estava lá? - perguntei aliviada em saber que eu não havia imaginado nada.

  - Sim, por quê?

  - Ahh, nada não. - dei de ombros. - Vem Justin, vamos ali, quero comprar algo para Mellanie. - falei o puxando em direção a uma loja de brinquedos.

Aquilo seria o paraíso para qualquer criança que entrasse ali, eu mesma estava deslumbrada. Eram uns sete corredores, com prateleiras que iam até o teto, cheias de brinquedos, tanto eletrônicos como de pelúcia. Mellanie ficaria louquinha.

  - Hey, o aniversario dela será agora em Janeiro, não é? - Justin perguntou e eu assenti. - Tenho que procurar o que ela pediu. O que era mesmo?

  - Um cachorro que dança e uma boneca gigante. - falei me lembrando das milhares de vezes que ela me falou sobre aquilo.

  - Me lembro de ter prometido leva-la á loja para escolher o que quisesse. - fez careta. - Acho que não devia ter feito isso, ela me levará a falência. - eu ri concordando.

  - Você ainda não viu nada, Bieber. - falei enquanto caminhava pelos enormes corredores olhando tudo atentamente. - Awwn que macaquinho fofo. - falei pegando um macaco marrom claro, fofinho.

  - A Mellanie não me parece criança que gosta de bichos de pelúcia, e sim de brinquedos que façam algo. - Justin comentou.

  - Ahh é ela não gosta, mas esse aqui é para mim. - sorri e ele me olhou incrédulo. - Que foi? Eu tenho uma coleção. - admiti e ele riu. - Aff, para de ser infantil.

  - Eu, infantil? Olha quem fala menina que tem uma coleção de bichinhos de pelúcia. - falou e eu ri do modo criança dele.

Acabei deixando meu macaquinho, culpa daquele idiota, e levei uma boneca que pisca e faz aquelas coisas todas, até parece humana, o que me assustou um pouco, mas acho que Mel gostará. Saímos daquela loja e fomos para a praça de alimentação, Justin como sempre estava preocupado com a minha alimentação e tudo mais. Comemos no Burger King e depois votamos ao meu hotel para guardar as coisas. Justin não quis me contar como conseguiu deixar meu quarto cheio de flores, mas eu suponho que a atendente safada que piscou para ele tenha tido algo a ver com isso, apenas suponho. Acabamos indo visitar a Universal Orlando e eu fui ao parque temático do Harry Potter! Eu só faltei enfartar de tão empolgada que eu fiquei. Cara, aquilo era meu sonho se tornando realidade. Eu comi os feijões de vários sabores - sim o de meleca-, e bebi a cerveja amanteigada, sem falar que Justin comprou uma varinha e varias outras coisas para mim. Eu acho que estava me comportando como uma criança, mas qual é, meu sonho é ir para Hogwarts!

Depois, eu e Justin fomos dar uma volta em uma das praias, a qual ele já havia visitado. Nosso dia foi incrível, eu amei passar um dia sem ter que me esconder de todos, estávamos apenas eu e ele, sozinhos, agindo como um casal normal. Isso era perfeito. Para terminar o dia, jantamos em um restaurante excelente, segundo Justin, e que realmente era ótimo. Eu estava morta de tanto andar e precisava de um banho demorado e uma boa massagem.

  - Vamos para a minha suíte, ok?! - Justin perguntou e eu assenti, não estava com pique para rebater, discutir ou protestar.

Entramos no elevador e eu passei antes no meu quarto para pegar uma troca de roupa limpa, depois viria fazer minhas malas, que eu nem desfiz. Voltamos ao elevador e dessa vez Justin apertou um botão único, que ficava bem no topo.

  - Suíte presidencial. - sorriu assim que o elevador abriu direto no quarto.

Ele abriu o tipo de jaulinha que tinha ali, para proteger o quarto, com a chave magnética e nós entramos.

  - Isso é enorme. - eu murmurei deslumbrada com o tamanho daquilo, dava uns cinco quartos meu.

  - Eu sei. - murmurou alegre. - Banho?

  - Por favor. - ri.

  - Vou preparar a banheira. - me deu um selinho seguindo para uma enorme porta dourada.

Joguei minha bolsa em um sofá que tinha ali, e tirei meu colete. Peguei um controle que tinha ali e liguei o radio que começou a tocar uma musica lenta e romântica, eu não conhecia a cantora, mas gostei da batida então deixei. Logo Justin me chamou e eu segui até o banheiro, onde ele já se encontrava dentro da banheira.

  - Eu não te chamei para tomar banho junto comigo. - falei e ele sorriu de lado.

  - Eu me convidei.

Dei de ombros e comecei a me despir, enquanto Justin brincava com a espuma da enorme banheira. Assim que fiquei completamente nua prendi meu cabeço em um coque e entrei na mesma, sentando de frente á Justin, que sorria fofo. Ele me puxou, me fazendo ficar de costas e começou a me fazer uma massagem gostosa nos ombros, que fez meu corpo todo se relaxar, e meu corpo todo ouriçar-se, devido à água quentinha, que também me causava uma sensação boa. Aquilo estava perfeito. Mexi o pescoço me sentindo em paz. Acho que se o mundo desmoronasse lá fora eu não perceberia, aquele momento estava sendo perfeito. Ao fundo, agora, tocava Because Of You, da Kelly Clarkson, a musica não tinha a letra romântica, mas a sua melodia era gostosa. Encostei-me mais a Justin, apoiando meu corpo no seu, e ele me abraçou beijando meu pescoço. Fechei os olhos e respirei fundo, apenas apreciando aquelas sensações, sentindo minha pele na sua, suas caricias. O silencio entre nós não era constrangedor e sim bom. Não precisávamos de palavras para descrever o que sentíamos apenas as caricias e gestos demonstravam tudo.

Eu não podia negar, eu sou dele, por mais errado que seja eu sou dele, inteiramente dele.

  - Baby, you have become my addiction. - Murmurou com a voz rouca a parte da musica que tocava no momento, Because of you do Ne-Yo, e eu sorri. - I’m so strung out on you I can barely move. But I like it. - acariciou meu braço com o polegar, causando um leve arrepio. - So then it’s all because of you. - sussurrou e beijou meu pescoço carinhosamente. Nada ali tinha malicia, era apenas carinho, sem ouras intenções.

Abri meus olhos lentamente e levantei um pouco minha cabeça, que estava encostada em seu ombro, sorrindo de lado á ele, antes que ele falasse algo selei nossos lábios em um selinho carinhoso e suguei seus lábios levemente, puxando-os para mim. Eu podia passar horas ali, daquele jeito, apenas o observando, sentindo o sabor único de seus lábios.

  - Obrigada por me fazer feliz. - murmurei olhando em seus olhos.

  - Eu te amo. - selou nossos lábios.

Nossos beijos logo começaram a se intensificar. Eu sentia falta dele. Justin se levantou, e saiu de dentro da banheira, me ajudando a levantar e assim que nós dois estávamos fora dali ele voltou a me beijar, sempre carinhosamente. Suas mãos me ajudaram dando impulso, me fazendo enroscar as pernas ao redor de sua cintura e logo ele começou a caminhar comigo pela suíte. Demorou um pouco, mas logo senti minhas costas baterem em algo fofo. Justin ajeitou-me na cama, com a minha ajuda, e começou a descer beijos pelo meu pescoço e colo, até chegar aos meus seios. Sua língua quente e áspera rodeou um de meus bicos enrijecidos, enquanto sua mão trabalhava no outro, massageando e beliscando ás vezes. Fechei os olhos sentindo melhor aquela sensação e deixei alguns gemidos baixos escaparem por meus lábios. Justin fazia tudo lentamente, sem pressa, como se só nós existíssemos ali. Após se saciar ali, Justin desceu beijos quentes pela minha barriga e ventre, até chegar a minha intimidade extremamente úmida. Ele depositou um beijo em cada coxa minha, chegando à virilha e logo ao ponto critico. Senti sua língua passar por ali me fazendo se arrepiar e contorcer-se com os movimentos, ora lentos ora rápidos, que ela fazia. Senti que estava chegando perto do meu clímax, quando Justin parou e eu o olhei feio, reprovando tal ato.

  - Calma. - murmurou rindo.

Ele subiu e beijou meu queixo, seguido de meus lábios e logo dois de seus dedos estavam dentro de mim. Seus movimentos lentos e giratórios estavam me enlouquecendo. Meu ventre se contorceu e meu corpo arrepiou-se, seguidos de gemidos mais altos da minha parte, e eu me derreti em seus dedos. Justin os retirou de mim e lambeu.

  - Você é deliciosa. - murmurou sexy e eu ri fraco, trocando nossas posições.

Comecei os beijos por seu tórax e logo estava na sua virilha. Proporcionei prazer a ele, que deixava gemidos altos escaparem de seus lábios, me deixando satisfeita e logo ele tomou as rédeas, invertendo as posições, colocando uma camisinha que tinha ali na cômoda, e me penetrando lentamente, sem quebrar nosso contato visual. Gemi manhosa ao senti-lo escorregar-se para dentro e para fora de mim, com movimentos alternados, e fechei meus olhos, o sentindo aumentar as entocadas. Seus lábios encontraram os meus em um beijo terno e cheio de desejo e saudade, abafando meus gemidos. Meus cabelos estavam colados em minha testa suada e eu sentia que estava próxima de atingir o meu clímax novamente, e via que Justin também não conseguiria segurar por muito tempo. Com mais algumas entocadas Justin gozou, mas continuou entocando até eu finalmente chegar ao meu segundo orgasmo na noite. Ele parou com os movimentos lentamente e saiu de mim, se jogando ao meu lado na enorme cama king size.

Aquilo tinha realmente sido a melhor transa que já tivemos, pois não foi apenas desejo, tinha tudo envolto no meio.

Ajeitei-me em seus braços e ele puxou o lençol da cama para cobrir nossos corpos nus e febris. Enquanto o sentia acariciar meus cabelos, peguei no sono.


Notas Finais


E ae pessoas? Bom, eu espero que tenham gostado do capitulo melosos.... Bom, eu estou planejando algo legal para a Anne admitir qe ama o Bieber, por isso não aconteceu agr, mas eu espero que seja algo especial, afinal ele esperou bastante... Bom acho que é isso, amanhã de noite tem mais um capitulo para vcs... Comentem, ok?!
Roupa da Anne no capitulo anterior, que eu esqueci de postar: http://www.polyvore.com/heart_attack/set?id=81351126
Roupa desse capitulo, no shopping: http://www.polyvore.com/cgi/set?id=80821802


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...