História Forbidden love (Park Jimin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais
Tags Amor Proibido, Hentai, Jimin, Romance De Época
Exibições 79
Palavras 1.914
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiee
To demorando com as fic's pq to corrida mesmo, estou tentando me dedicar a todas, mas essa é minha preferida então .....sorry
Boa leitura !♥♡
Sorry os errinhos

Capítulo 2 - Sofrendo Silenciosamente


Fanfic / Fanfiction Forbidden love (Park Jimin) - Capítulo 2 - Sofrendo Silenciosamente

     A menina dormia lindamente em sua cama, toda encolhida, até que sua bá abre as cortinas de cetim do seu quarto, fazendo com que a garota acordasse com a claridade a seus olhos.
   - Oh bá, já eres manhã ? - A menina perguntou se sentando e coçando seus olhos freneticamente
   - Sim minha sinhá, seu pai e Emma foram a fazendo do Sr.Park resolver o dote de sua irmã   - Falou a bá se sentando ao lado de Anne
   - Bá, quero lhes dizer algo  - Disse a jovem com um olhar preocupante
   - Diga, minha menina  - Falou a bá aflita com a expressão da garota
   - Senhor Jimin virá me ver hoje, bá  - Falou deixando a escrava em sua frente boquiaberta  - Ontem dançamos e olhamos a estrelas.... Ohh, foi tudo tão lindo  - Falou ela suspirando e sorrindo largamente
   - Minha sinhá, eres proibido, sabes que se seu pai descobrir, ele te forçará à se casar com um desconhecido e ainda irás lhe castigar, você conhecer o quão rígido seu pai és, minha ingênua menina  - Falou bá preocupada com a situação
   - Quero vê-ló mesmo assim, me sinto tão presa e sozinha, estou tão triste e ele és o único que me fazes me sentir viva e feliz, me ajude bá, me ajude a me sentir feliz novamente  - Suplicou a garota com o cenho franzido
   - Sabes que me custará a cabeça lhes ajudar não é ? - Ela falou levantando uma sobrancelha
   - Não vão descobrir bá, mas estás bem, não irei vê-ló  - Falou ela abaixando a cabeça com o olhar de tristeza
   - Tenhas cuidado com os encantos do Sr. Park, ele és muito belo e sua reputação não és a melhor  - Falou a bá deixando a menina do seu lado confusa
   - Me explique, bá   - Pediu a garota completamente curiosa
   - Somente não se enganes
   - Percebes a maneira que ele me olha, bá ? - perguntou com um sorriso radiante e suas mãos a seu rosto
   - Os senhores estão apaixonados, oh queria Anne, eres sua primeira de muitas paixões  - A escrava disse pela primeira vez sorrindo
   - Me ajudasse vê-ló novamente ? - A menina disse sendo, persuasiva
   - Ajudarei, mas não demores tanto no passeio  - Falou inclinando seu dedo para o rosto da garota sorridente
   - Não demorarei mama  - Falou a garoto olhando nos fundos olhos da escreva a sua frente  - Eu te amo, bá  - Abraçou a escrava fortemente e logo foi retribuída
   - Eu também minha querida  - A negra falou
   - Posso cavalgar um pouco, já que meu pai não estás  - Falou se libertando dos braços da amável bá
   - Venha se banhar primeiro, sinhá  - A negra pegou as mãos de Anne a guiando até a bacia de banho no centro de seu quarto a mesma já cheia de água.
     Já devidamente vestida com uma calça de algodão azul, botas pretas e uma blusa branca que mostrava seus fartos seios, a menina foi se até o celeiro onde seu querido e amado cavalo Chloe se encontrava.
   - Oi Chloe  - Disse a doce menina acariciando o cavalo e o mesmo relincha parecendo entender  - Vamos um pouquinho longe tá, meu amor ? - Outro relinchar partiu de Chloe retirando um lindo e sincero sorriso da menina.
     A garota saiu da fazenda do Sr. Garcês, seu pai, e foi se a cavalgar no seu cavalo até um campo verde propício pra isso, ela ia rapidamente e seus fartos seios pulavam para cima e para baixo, junto aos seus fios de cabelo lindo, longo e negro. A menina estava de olhos fechados com um sorriso lindo nos lábios rosados e bem desenhados. Ela pensava em Jimin aquele momento, pensava no beijo e no quão lindo foi a noite de ontem, até que ela abre os olhos percebendo que seu cavalo havia parado e percebeu Jimin montando seu cavalo branco e com seu traje impecável e seu peitoral amostra, seus cabelos negros estavam bagunçados e alguns fios encontravam-se em seu rosto.
   - Senhorita Anne, vendes sempre aqui ? - Perguntou Jimin descendo de seu cavalo, o amarrando a uma árvore que tinha ao lado e indo de encontro a garota
   - Não senhor
   - Venha, lhe ajudarei  - Disse Jimin esticando os braços a garota e pegou lhe pela cintura fina a deixando no chão  - Não irá prender Chloe ? - Falou arquiando a sobrancelha
   - Ele ficarás aqui, senhor  - Falou se afastando do garoto a poucos centímetros se si
   - Quero lhes mostrar algo um pouco longe, confias em minha, senhorita Anne ? - Falou lhe curvando com uma de suas mãos estendidas e logo Anne a pegou  - Interpretarei isso com um sim  - Falou sorrindo de lado a guiando para um campo de árvores e flores murchas sem vida  - Disseste que queria liberdade não ?
   - Meu senhor, não estou lhe entendendo  - Falou a moça sendo puxada
     O garoto passou com ela entre árvores e um mural verde escuro e sem vida, dando vista ao local mais lindo que já vires, deixando a jovem boquiaberta e feliz com o lugar lindo. O chão era somente areia branca e a água da cachoeira cobria a metade da mesma, o topo da cachoeira jorrava fortemente, que ao entrar em contato com a superfície, a água azul britânica ficava com um tom lindo de branco, e o som era algo reconfortante e relaxante.
   - Quando quero pensar, ou me sentir bem eu venho aqui  - Falou tirando sua camisa fazendo a menina corar  - Aqui és meu refugiou, ninguém nunca vem aqui, isso és minha liberdade e querias que a senhorita fosse a primeira e a única a se sentir assim como eu
   - És lindo, meu senhor, mas não pensares de modo egoísta ? - A menina falou e o garoto se aproximou de seu corpo
   - Não me importas, esse agora és nosso lugar, somente nosso, onde poderemos nos encontrar sem que ninguém nos incomode e assim poredereis lhe fazer minha  - O Homem falou acariciando o rosto da menina vermelha que ruborisava cada vez mais
   - Meu senhor, não quero ser mais uma dentre as muitas que lhes tendes  - A garota fala se afastando
   - Oh doce Anne, não sabes o poder que exerce sobres mim  - Respirou  - Sei que não sou digno de sua pureza, mas não quero ficar longe de ti
   - Não fiquei
   - És tudo que eu quero  - Falou se aproximando novamente
   - Meu senhor, não sei como me comportar diante a ti 
   - Quero que sejas você, somente você me faz me sentir bem  - Suspirou e a pegou no colo vendo a mesma sorrir  - Vamos entrar na água, Anne  - Disse rindo 
    - Eu vou molhar minhas roupas....... Eu não sei nadar  - Falou a garota toda alegre e risonha
   - Eu lhe ensino  - O garoto apressado falou e se jogou na água fazendo a garota gritar
   - Me solte  - Falou fingindo estar brava e o garoto se afastou
   - O que foi, Anne ? - Falou o rapaz preocupado
   - Estás muito seco  - Falou a menina sorrindo e jogando água no rosto e peitoral do moço fazendo ele a pegar novamente
   - Não me assuste assim, menina  - Disse ele em meio as gargalhadas
   - Senhor ? - Perguntou ela enroscando os braços no pescoço do homem sem camisa
   - Diga, Anne  - Falou sorrindo
   - Como chegarei em casa com as roupas molhadas ?
   - Tire-às, e deixe secar  - Falou ele com uma expressão indecifrável
   - Co...como ? - Ela falou e o moço caminhou até a areia deitando a mesma lá e ficando por cima
   - Eu quero você  - O moço falou mordendo e puxando o lábio inferior da garota  colando suas testas e roçando seu nariz com o da mesma fazendo ela fechar os olhos
   - Perderemos a cabeça por isso sabias ? - Indagou ela ainda com os olhos fechados
   - Fugimos então, não deixares ninguém lhe encostar 
   - Eres loucura, meu senhor
   - Então sou e serei completamente louco por ti
   - Senhor ? - Disse ela
   - Jimin  - Falou o moço ainda encima da moça
   - O sol  - Falou apontando o pôr do sol alaranjado e lindo vendo o garoto se jogar ao seu lado  - Tenho que ir, já eres tarde  - Falou se levantando
   - Te levarei
   - Não Jimin, meu pai....
   - Entendo  - Suspirou e se levantou  - Ainda estares molhada, minha doce Anne
   - Meu pai Jimin, ele me matará  - Falou a jovem desesperada
   - Não estás a exagerar ?
   - Vamos, meu senhor  - Falou mudando se assunto
    - Antes quero seus lábios 
     Jimin tomou a jovem molhada em seu colo segurando sua fina cintura com forca indo até a coxa a apertando breviamente, e com voracidade adentrou a língua na boca da menina, ele passava suas grandes mãos agora nas costas e apertava a cintura da mesma fazendo ela se mover no colo do homem e gemer baixo, ela puxava seus cabelos delicadamente para trás, ele a colocou na areia novamente e puxou a mesma para si.
     Jimin levou Anne até seu cavalo Chloe que permanecia no mesmo local onde deixado, ele a colocou montada em seu cavalo e lhe deu um selar rápido. Anne cavalgou para fora do campo verde e limpo e o olhar do garoto a perseguia. A menina estava ainda mais bela que antes, seus fios de cabelo jorravam gotas de água e seus seios molhados balançavam freneticamente. A menina passou por um vilarejo onde todos a olhavam e ela apenas seguiu seu rumo temendo Sr. Garcês, seu pai.
     Chegando a fazenda, a garota deixou seu cavalo no celeiro, beijando sua cabeça dizendo-lhes um "até" . Adentrou a casa trêmula e avistou seu pai sentado na poltrona de couro caro, com uma garrafa de bebida alcoólica na mão. A garota estremece.
   - Onde estavas ? Eu lhe autorizei sair ?  - Ele gritou as palavras se levantando e caminhando até a pequena Anne que dava passos para trás e foi encurralada na parede, o velho agarrou seu pescoço com força a fazendo tossir e gritou cuspindo na mesma  - Responda-me vadia
   - E...eu ca....cavalgava, meu pai  - A menina inocente disse e o velho gargalhou já pensando outra coisa
   - Estás molhada sua imunda  - Disse ele apertando e levantando Anne pelo pescoço a jogando no chão  - Vou lhe chibatear para aprender a ser gente 
     A menina só sabia chorar e pensar no que está preste a acontecer. Seu pai já lhe bateu outras vezes, mas nunca a bateu bêbado como estás agora. Ele não gosta de Anne como gosta de Emma, nunca bateu em Emma, enquanto já deixares Anne a dias sem comer, a doce garota só lhes tinha o amor de sua bá Lee Ok-Seon e só era feliz lendo seus livros e agora quando estavas com Jimin.
     O velho chegou com uma correia de couro usada para castigar escravos que não lhes obedeciam ou que tentaram fugir, a menina arregala os olhos já temendo o pior.
   - Vai aprender o que és dor, irás aprender a não ser puta  - Disse o velho alto sorrindo e se aproximando da garota que fechou seus olhos fortemente esperando seu castigo silenciosamente.

          "O sofrimento é menor quando se ama."


Notas Finais


O que acharam ?
Divulguem a fic se vcs gostarem pfv ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...