História Forbidden Paradise - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~FifthzeyCabeyo

Postado
Categorias Ariana Grande, Avan Jogia, Camila Cabello, Demi Lovato, Diplo, Fifth Harmony, Justin Bieber, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Avan Jogia, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Diplo, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Camren
Visualizações 54
Palavras 2.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTAMOOOS UHUUL!!
Eu e a Jess pedimos mil desculpas pelo atraso desse capítulo. Vou dar uma leve explicação. A culpa do atraso foi toda minha confesso, mas eu estava com bloqueio criativo e alguns problemas na minha vida.
Espero que gostem do capítulo.

[Leiam o capítulo todo escutando Feel It do Jacquees.]

Boa leitura meus amores.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Lauren Jauregui point of view.

Sua mão apertou o botão do último andar e seus cabelos voaram no movimento que ela fez para se virar para mim. Tínhamos chegado rápido de mais em seu apartamento, seu bairro era calmo e não tinha muita policia, o prédio era um dos mais luxuosos do bairro. Não havia porteiro, Camila apenas acionava o botão da garagem e ela se abria.

O elevador era grande rodeado por espelhos. E pelos meus cálculos tínhamos três ou cinco minutos até chegar ao seu andar. Sem muito esforço peguei sua cintura e apertei enquanto levava suas costas contra um dos espelhos. Não me importava se havia câmeras e talvez algum segurança batesse uma olhando as cenas que eu imaginava fazer com ela naquele elevador.

Beijei seus lábios com voracidade. Camila despertou um lado meu adormecido a muito tempo. Eu sentia vontade de domina-la, de ter ela para mim. Eu queria Camila.

- Eu quero você - Falei entre o beijo.

- Eu também.

Ela me puxou mais para si e envolveu seus braços em meu pescoço e tomou impulso para subir em meu colo e entrelaçar suas pernas em minha cintura. Meu pau pulsa em expectativa.
Voltamos a nos beijar, sua língua passando sensualmente sobre a minha. Meu corpo estava todo arrepiado. Segurei sua bunda com minhas duas mãos e empurrei minha cintura em direção da sua.

Eu queria que ela visse o quanto eu desejava ela. Camila gemeu roucamente em meu ouvido. Ela levou suas mãos até meus cabelos e puxou conforme avançava o beijo. Eu sorri maldosa e puxei seus lábios mordendo e chupando.

Distribui beijos/mordidas por seu pescoço e Camila gargalhou.

- Com certeza serei expulsa do prédio por isso! - Eu ri também concentrada em fazer Camila sentir o quão excitada eu estava. - Espero valer a pena.

- Valerá, eu te garanto!

Dei um tapa em sua bunda e ela sorriu olhando em meus olhos. Ela passou suas unhas grandes sobre meu ombro e arranhou mordendo seu lábio e rebolando em meu colo.

O barulho de portar se abrindo me tirou do transe que entrei e Camila saiu do meu colo rebolando enquanto ia em direção a primeira porta. O andar tinha duas portas. O apartamento dela deveria ser grande.

- Bem-vinda ao meu paraíso Lauren Jauregui.

Ela abriu a porta e eu entrei. Seu apartamento era realmente maior do que imaginei. Ele era moderno e tinha as cores em preto e branco. Os móveis de cor cinza. Enormes janelas de três metros que iam do chão até o teto. Ouvi a porta atrás de mim ser fechada e me virei para a mulher que tinha um brilho no olhar.

Sem mais delongas empurrei suas costas contra a madeira fria da porta e ataque seus lábios. Nossas línguas dançavam de forma sensual em nossas bocas. Toquei a cintura apertando e me permitir sentir a satisfação de seu gemido em minha boca mandando vibrações para o meu pau.

Segurei uma de suas coxas e puxei para cima me encaixando perfeitamente nela.

- Meu Deus você está tão molhada - Sussurrei em seu ouvido. - Isso tudo por mim?

Ela não respondeu simplesmente gemeu.

- Eu não quero gemidos, não agora. Quero que me diga: está molhada por mim? - Comecei a simular uma foda. Indo pra trás e pra frente.

- Oh... Caralho sim! - Empurrei minha cintura mais ainda contra seu íntimo. - Estou completamente molhada por você Jauregui!

Ela mergulhou seus dedos em meus cabelos e me fez beijá-la. Aquela mulher tinha uma áurea tão excitante e dominadora e eu só tinha vontade de me enterrar dentro dela e não sair mais.

- Pra qual direção é o seu quarto? - Murmurei sobre sua boca. Ela me puxou pela camisa. Entramos em um corredor com algumas portas e entramos na última do corredor. Eu não queria saber de nada apenas segurei suas costelas e fiz impulso para ela entrelaçar suas pernas em minha cintura.

Toquei sua bunda e a prensei contra a parede. Seu vestido fez um barulho como se estivesse rasgando. Eu também não me importei e muito menos Camila. Desci meus beijos para a clavícula deliciosa da mulher e deixei vários chupões ali. Camila apertava meus cabelos enquanto eu massageava seus seios por cima do pano fino de seu vestido.

Pequenos e deliciosos. Ideais para mim. Perfeitos para mim. Abaixei o pano e seu seio direito saiu para fora eu não aguentei e suguei ele com vontade.

- Aah isso... - Ela gemeu e apertou ainda mais suas pernas em minha cintura. Com minha mão massageei o outro enquanto chupava e sugava seu seio direito. Camila puxou meu cabelo depois de um gemido rouco em meu ouvido e beijo meus lábios. Passei minha língua em seu lábio inferior e mordi.

- Pra cama agora! - Ordenando, tirei ela do meu colo.

Camila com um sorrisinho demoníaco no rosto caminhou lentamente até à beira da cama. Ela se virou e, porra! eu estava fascinada naquela mulher. Seus seios estavam para fora do vestido. O mesmo tinha um rasgo na lateral. Ela sorriu e o tirou revelando sua nudez, seu íntimo protegido somente por uma calcinha, eu não saberia dizer se aquilo poderia ser considerado uma calcinha ou um pedaço de pano luxuoso. Era tão pequeno que com um toque poderia ser rasgado.

- Vai continuar a me comer somente com os olhos ou vai me fuder de verdade? - Eu saí do transe e olhei seus olhos castanhos que queimavam como o inferno. Eu não conseguia formular uma frase. Eu vi ela revirar os olhos e se sentar na cama. Ela abriu suas pernas e meu pau pulsou em expectativa.

Ela queria me matar.

Camila se virou ficando com sua enorme bunda pra mim e engatou até o centro da cama me olhando por cima dos ombros. Eu retirei minha blusa. Ela voltou a ficar de frente pra mim com um sorriso triunfante. Me abaixei para tirar minha calça por completo e subi o exato momento que ela mordia os lábios e olhava para minha cueca. Foi minha vez de sorrir. Ela voltou a abrir as pernas e não, não, ela não ia fazer aquilo! Porra! Camila estava se tocando.

Pra mim!

Uma tensão sensual caiu sobre todo o quarto. Eu sentia o sangue correr por minhas veias. O suor começar a se formar em minha pele. Meu pau endurecido como uma pedra. Aquela porra chegava a doer. Em minha mente só passava um coisa: foder Camila até o sol nascer e foder mais ainda de manhã.

Eu havia transado com várias mulheres em toda minha vida. E nenhuma delas se comparavam à Camila Cabello. Eu nem tinha começado a transar com ela e para mim as minhas transas nem tinham sido transas de verdade. Camila era uma verdadeira mulher, uma deusa. Quem era aquela mulher? Meu deus.

Caminhei até a cama e retirei meu sutiã. Camila lambeu seus lábios.

- Você é a perdição em forma de gente Jauregui - Sua fala foi como um gemido. Eu não olhava para ela. Meus olhos estavam somente concentrados em sua mão lhe alto fodendo.

- Você é o inferno Camila - Toquei sua perna e puxei para mim. Ela continuou com os movimentos e eu comecei a distribuir beijos por todo seu corpo. Quando cheguei em sua cintura toquei com as pontas de meus dedos o pequeno e único pano que lhe cobria. Eu queria foder Camila com aquela peça, mas meus instintos pensavam ao contrário e me fizeram rasgar, Camila gritou meu nome e eu não me controlei.

Retirei minha cueca e segurei a base do meu pênis e passei sobre a sua entrada molhada. Caralho! Camila sem aviso escorregou contra meu pau e eu fui fundo dentro dela. Camila era apertada e totalmente molhada. Céus...

- Oh caralho, Lo!

Colei nossos lábios e segurei sua cintura estocando lentamente em sua entrada. Eu queria começar lentamente, conhecer mais sobre o corpo de Camila, seus pontos fracos, seus segredos. Ela entrelaçou suas mãos em meu pescoço e se encaixou ainda mais em mim movendo seu quadril comigo.

- Você é tão apertada, merda! - Beijei seus lábios e comecei a descer distribuindo beijos e mordidas por seu pescoço.

Senti suas unhas arranhar forte minha barriga e subir com desespero para meus seios. Ela começou a massagear meus seios com força e meus gemidos começaram a sair mais alto.

Sem mais delongas comecei a aumentar meus movimentos no quadril e Camila se agarrou ainda mais a mim. Movi minha boca para seus seios eu queria ver aquela mulher se entregar totalmente para mim ouvir seu gemido sentir seu ápice chegar com voracidade.

Eu queria Camila sentindo prazer. E então eu teria meu prazer.

Brinquei com minha língua sobre seus pequenos, porém ideais e perfeitos, mamilos rosados. Camila levou suas mãos para o meu cabelo e puxou procurando minha boca. Nos beijamos com desejo e luxúria. Eu estava ficando louca. Seu quadril se batendo contra o meu; nossos corpos colados; suas paredes internas mastigando meu pau com vontade; suas mãos em meus cabelos e em meus seios; nossos gemidos unidos em uníssono. Tudo isso me deixa fora de si.

Camila separou nossos lábios e jogou a cabeça para trás quando aumentei meus movimentos e fui fundo dentro dela.

- Porra - Ela mordeu os lábios. - Assim... Isso mais rápido...

Com uma mão segurei sua cintura e com a outra segurei seus cabelos e rodei na cama. Agora ela estava por cima. Observei seu olhar castanho transbordar de prazer com o meu ato e eu sorri. Camila adorava comandar.

Deitei minhas costas na cama e me apoiei sobre meus cotovelos e toquei com uma mão o seio pulante da morena. Ela quicava com vontade em cima do meu pau. Gememos em sincronia quando ela desceu com vontade engolindo meu pau por inteiro e ficando ali.

Nossa troca de olhares foi forte e intensa o suficiente eu diria para incendiar um prédio. Toquei seu rosto e sorri embriagada de prazer.

Aquela mulher não podia ser desse mundo.

- Você é linda - Sussurrei. Me sentei na cama com ela em meu colo e beijei seus ombros e mordi logo em seguida seu ponto de pulso. Ela gemeu manhosa e voltou a cavalgar sobre mim.

Ajudei Camila com os movimentos, eu estava perto e podia jurar que Camila também. Minhas mãos que estavam em sua cintura desceram para sua bunda e apertaram com vontade e logo depois deixei um tapa.

- Porra!

Gargalhei maldosa e distribui outro tapa agora do outro lado. Camila afundou seu rosto em meu pescoço e gemeu contra. Senti todos os meus pelos do corpo se arrepiarem com o ato.

E com uma única estocada senti Camila se desmanchar em meus braços com um orgasmo forte e intenso. Gemendo meu nome como um mantra em sua voz totalmente sensual e rouca, aquilo foi de mais para mim e eu também gozei e Caralho tinha sido o orgasmo mais intenso de toda minha vida. Eu parecia uma virgem perdendo a virgindade.

Toquei o rosto de Camila e fiz um carinho em sua bochecha e sem perceber meu polegar já estava em sua boca e ela sugava com um sorrisinho demoníaco no rosto. Eu queria mais dela, queria saber até onde era o limite de Camila Cabello. Eu queria vê-la desmoronar para mim.

[...]

Eu não me lembrava de quando nem como, mas Camila estava sobre a madeira gelada da pia do seu banheiro enquanto eu lhe chupava com tanta vontade que Camila se contorcia em minha boca.

- Isso Lo... hmmm, caralho sua boca é tão gostosa - Olhei para cima e vi ela mordendo seu lábio inferior. Tão quente. Já devia ser o terceiro ou quarto orgasmo da noite que eu iria proporcionar para a morena.

Camila tinha vários chupões pelos seios e pescoço. E meus olhos brilhavam pois tinha sido eu que tinha deixado aquelas marcas. Sua pele bronzeada brilhava com uma camada fina de suor e seus gemidos já tinham se tornado minha música favorita.

Camila me puxou para cima e atacou meus lábios, levei dois de meus dedos em sua entrada e com poucas estocadas ela gozou preguiçosamente sobre eles. Com cuidado peguei Camila em meu colo e a levei para dentro do Box. Abri o chuveiro e ficamos ali no meio olhando uma para outra e trocando alguns beijos.

[...]

- Você vai dormir aqui? - Camila disse assim que saiu do seu closet de camiseta vermelha e uma calcinha preta.

- Você quer que eu durma aqui? - Fui até ela e agarrei sua cintura. Ela estava com um cheirinho de amêndoas.

- Hmmm não seria uma má ideia... - Ela sussurrou e eu sorri.

- Isso foi um sim? - Ergui uma sobrancelha para ela. Camila mordeu os lábios e sorriu. Ela parecia pensativa.

- Isso foi um sim - Ela disse. Eu apenas concordei e selei nossos lábios. - Vou pegar alguma coisa pra você vestir.

Dois minutos depois ela voltou com uma camiseta preta grande escrita "The 1975" e uma calcinha Box da Calvin Klein branca. Ela me entregou e eu vesti em sua frente mesmo, sobre o olhar faminto dela.

- Você se incômoda se eu fumar lá fora? - Perguntei procurando meu maço de cigarros na calça. Ela negou e entrou no banheiro. Fui até a varanda e acendi o cigarro dando uma tragada forte no mesmo sentindo meus músculos relaxarem.

Me sentei na poltrona marrom que ali tinha e fiquei olhando os prédios a minha frente. Eu tinha meus olhos fechados e as imagens de Camila vieram em minha mente como um furacão.

Sua pele. Seus gemidos. Seus toques. Tudo estava em minha mente.

- Você fica ainda mais gostosa fumando e com minha camisa da minha banda favorita. - Sorri tragando a fumaça pra longe e abrindo meus olhos para encará-la. Bati em minha coxa num sinal de "vem cá" e ela sentou em meu colo.

- E você fica ainda mais gostosa sentada no meu colo - Toquei sua coxa e fiz uma massagem. Ela tomou o cigarro da minha boca e tragou soltando a fumaça. Minha cabeça recriou aquela cena novamente só que agora em câmera lenta. - Você não se parece nem um pouco com o Diplo.

- Diplo não é meu pai de sangue. Ele me criou apenas. Você é alguma sócia dele?

- Meu chefe, mas eu não quero falar nisso agora. - Ela assentiu tragando novamente. Tirei o cigarro de sua mão e joguei no chão. Segurei sua nuca e selei nossos lábios em um beijo lento. Seu beijo tinha gosto de pasta de hortelã e cigarro. 


Notas Finais


Woow que intenso isso foi.
Espero que tenham gostado.
E até a próxima!
Bjbj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...