História Forbiden Love - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adriana Lima, Justin Bieber, Sara Sampaio
Personagens Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais
Tags Ambição, Amor, Ciumes, Inveja, Triângulo Amoroso
Exibições 46
Palavras 1.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


voltei

Capítulo 7 - Lacrosse


Fanfic / Fanfiction Forbiden Love - Capítulo 7 - Lacrosse

Eu não estou tentando arruinar sua felicidade

Mas querida, você não sabe que

Eu sou o único pra você? — Shawn Mendes, Ruin

 

 

Hoje fazia três dias que eu não via Justin, mas ontem eu sei que ele saiu com a minha mãe, pois ela voltou tarde, e toda sorridente. O que me deixou um pouco incomodada, talvez ela estivesse começando a gostar dele de verdade

 

Era quinta a noite,estava na escola assistindo um jogo de lacrosse, junto com Emily e demais pessoas. Bom nosso time estava ganhando, o que era bom. Emily de 5 em 5 segundos gritava, Ethan jogava, e era mais um dos motivos de estar assistindo o jogo. Eu acho lacrosse um esporte muito violento, alguém pode morrer jogando isso, se já não morreu. E uma coisa que eu amava no lacrosse, era os jogadores, merda. São todos lindos e sarados.

 

O barulho do apito, e o jogo terminou. Essa era a melhor parte.

 

 

Os garotos saiam tudo do campo em câmera lenta, tirando o capacete, o colete e as camisas. Era tanto abdômen sarado suado, que acho que estou no paraíso.

 

— Acho que vou passar mal, amiga — Disse Emily vidrada.

 

— Se for um sonho não me acorde. — Falei e soltei uma gargalhada.

 

Jason Whittemore, a sensação do colégio, o capitão do time de lacrosse. Sarado, loiro, olhos azuis. Um pedaço de mal caminho, onde ele passava arrancava suspiro das garotas, ele é um puto de um gostoso.

 

Eu tinha uma ótima visão dele, da onde eu estava, ele estava com o maxilar travado, muito sexy. E discutiu algo com o treinador. Bom, eu não estava entendo, eles ganharam, e ele estava irritado com alguma coisa.

Vi ele bufar, e tirar a camisa e em seguida jogando ela no chão, e indo em direção ao vestiário.

— Aquela é a porta para o paraíso. — Disse Emily apontando pro vestiário, apenas concordei com a cabeça, e segui Jason com os olhos ate ele entrar no vestiário.

 

— Para de secar o Whittemore — Disse e socou meu braço — Ta parecendo aquelas putas que persegue ele — Falou

 

— Qual é, ele é muito gato. — Falei

 

— Quem é muito gato? — Perguntou Ethan vindo até nos, com uma toalha em volta do pescoço, e sem camisa. Muito gostoso também, pena que é meu amigo, e é gay.

 

— Jason Whittemore — Falou Emily

 

— Olivia chamando algum garoto de gato, assim do nada ? — Riu, e se sentou do nosso lado.

 

— Eu to morto. Um filho da puta pisou encima da  minha costela, espero que não tenha fraturado nada dessa vez. — Falou olhando pra sua costela que estava um pouco vermelha.

 

— É so tomar um banho, vesti uma roupa confortável, passar um remédio e dormi. Tenho certeza que melhora, ainda mais que seu corpo já é acostumado com isso tudo — Falei, ele concordou.

 

— Olha se não é seu gato saindo do vestiário, já de banho tomado, e vestido. — Falou Emily. Era verdade mesmo, ele estava com uma mochila de lado, e já estava pronto pra ir embora.

 

— Estranho, ele sempre fica pra comemorar a vitoria com os amigos — Falei

 

— Ele esta tendo nota ruim em química avançada, o treinador disse que se ele não melhorar, ira perde o titulo de capitão. — Falou Ethan todo largado no banco.

 

— Olivia é ótima em essas coisas de nerd, poderia ajudar o pobre garoto. — Disse Emily com um sorrisinho no rosto. A fuzilei com os olhos

 

— Nem vem, Emily. So acho ele bonito. E também não tenho cara de professora de ninguém. — Falei

 

— Irei falar com ele pra te procurar. — Falou Ethan se levantando. — Olha so quem esta me esperando, minha carona. Tchau meninas, até amanhã. — Falou e acenou para Danny

 

— Nem pensar Ethan. — Falei irada. Ele já estava uma boa distancia de nos

 

— Se te consola, ele já falou que quis te pegar. — Falou, ele chegou e falou alguma coisa  com Danny que não deu pra escutar por causa da distancia. — Agora me deixa ir pra casa dormi. — Falou  e saiu do campo.

 

— Até parece que vai dormi com você e o Danny sozinho na sua casa, safado. — Gritou Emily, e ele apenas mostrou o dedo do meio pra ela, que gargalhou auto.

 

{...}

 

Abri a porta, e entrei pra dentro. A primeira coisa que vi, foi Justin e a minha mãe se beijando no sofá. Senti meu corpo gelar. Era horrível ver isso, so de lembrar que alguns dias atrás ele me beijou, e disse gostar de mim. Talvez eu seja so uma idiota caindo no seu papinho.

 

— Vocês bem que podiam ir pra um quarto. — Falei indiferente.

 

Minha mãe se levantou arrumando sua postura, e me encarou de braços cruzados.

 

— Já passou das dez, por onde você andou? — Perguntou, não aguentei e tive que ri.

 

— Mãe, não vem querer da uma de mãe responsável porque não é bem sua cara. — Falei — Como não sou uma menina má. Eu respondo sua pergunta. Estava assistindo um jogo de lacrosse da escola. — Falei

— Lacrosse? Eu jogava lacrosse na minha escola. Eu era o capitão — Falou Justin se pronunciando pela primeira vez.

 

— Que bom, não é mesmo ? —Forcei um sorriso falso, e ele percebeu. Eu não estava com vontade de conversar com ele, eu estava com raiva dele. Ele me beija, fala que gosta de mim, some por três dia, e quando volta esta aos beijos com a minha mãe.

 

Sai da sala e fui direto pro meu quarto. Eu estava com raiva, eu sentia inveja. Eu queria esta com ele nesse momento, eu queria esta beijando ele.

 

Escutei alguém bater na porta, e abri a mesma. Não deu tempo nem de ver, quando vi Justin já estava dentro do meu quarto, e fechou a porta, e me imprensou na parede.

 

— Eu estou com tantas saudades do seus lábios, amor — Ele me beijou. Empurrei ele de perto de mim, e ele me olhou sem entender.

 

— Qual é a sua hein ? — Perguntei irritada. — Some por dias, e quando volta está aos beijos com a minha mãe. — Falei

 

— Eu tentei vim te ver ontem, mas sua mãe me fez leva-la a um restaurante. —Revirou os olhos. — Eu queria ter vindo ficar com você ontem, babe — Falou e me puxou novamente pros seus braços.

 

— Se você não gosta da minha mãe, porque ainda fica com ela ? — Perguntei —Termina logo isso, já que diz gosta tanto de mim.

 

— Acha mesmo que sua mãe aceitaria ? Eu termino com ela, pra poder ficar com a filha. — Falou — Claro que não Olivia, se estou ainda com ela, é por você meu amor, pra poder ficar mais perto de você. —  Falou, e chegou mais perto, e deu um beijo no canto da minha boca, e foi descendo os beijos até meu pescoço.

 

— Oh doce Olivia, você me deixa louco — Sussurrou no meu ouvido, senti meu corpo arrepiar. — Desde o dia que eu te vi sentada naquela mesa, não consegui tirar você da minha cabeça. — Falou e apertou minha cintura com força

 

Senti seu lábios aos meus, uma das suas mãos seguravam meu cabelo o puxando, e a outra minha cintura.Ele me puxava cada vez mais pra ele, senti uma das suas mãos entrar por dentro da minha blusa, e aperta meio seio esquerdo, soltei um gemido entre o beijo, o fazendo me virar com tudo de costa, e me fazer bater na parede, gemi de dor. E senti ele puxar meu cabelo, fazendo minha cabeça curva pra trás, e beijar meu pescoço. Senti sua erosão na minha bunda, que homem é esse Jesus.

 

— Você não sabe a vontade que estou de te colocar de quatro nesse momento, e te foder toda, até você pedir pra parar. — Sussurrou no meu ouvido com a voz completamente rouba. Eu sentia minha calcinha completamente molhada.

Ele apertou minha bunda com força, e me virou novamente pra ele, e selou nossos lábios, agora com um beijo mais calmo. E terminou com vários selinhos.

 

— Você não sabe o quanto eu to excitado, e to me segurando pra não transar com você nesse estante. — Falou e eu corei na mesma hora, não era acostumada a ouvir isso direto.

 

— Eu não conhecia esse seu lado. — Falei baixo

 

Você não me conhece, babe — E  selou nossos lábios mais uma vez

 

— Sabado vou te levar pra sair. — Falou

 

— Mas, e a minha mãe ? — Gaguejei

 

— Eu falei que tenho uma reunião — Falou  — E você vai fazer o mesmo, quero você as duas da tarde, naquela praça que fomos aquele dia. — Falou e olhou no seu relógio

 

— Tenho que ir, meu amor — Deu um beijo na minha testa, e eu apenas fechei os olhos sorrindo com seu ato.

 

— Até amanhã, Justin — Falei, e o beijei fazendo ele se assusta um pouco com a minha reação.

 

— Até amanhã, babe. — Ele já ia abrindo a porta, e me encarou novamente. — Não falte, Olivia. Eu desmarquei varias coisas pra ficar com você, faça valer a pena. — Falou e passou pela porta.

“Ai esta você, aonde esteve ? “ Escutei a voz da minha mãe de longe

 

“Estava no banheiro.” Disse Justin “ Tenho que ir querida, amanhã tenho que ir cedo pra empresa, porque sem mim aquilo não anda” Falou

 

Fechei  a porta do meu quarto,  e me joguei na cama. Passei a mão nos lábios e sorri, eu não posso esta me apaixonando por ele, não mesmo. Ele é um filho da puta, um filho da puta bonito e cheiroso.

 

Eu sou uma vadia, uma completa e descarada vadia.

 

 

Justin Bieber

 

 

Estava dirigindo em direção a minha casa, já era quase meia-noite, eu precisava dormi.

O real motivo de eu não ter ido ver Olivia nos últimos dias foi por estar confuso. Eu estou muito confuso com os meus sentimentos. Olivia me atrai de um jeito incrivelmente entranho, eu sinto que tenho que ficar com ela, cuidar dela, eu sinto que ela é minha, só minha.Toda vez que eu a vejo meu coração dispara, eu quero sempre estar perfeito, eu quero impressioná-la. Eu sempre fui muito com tranquilo no assunto mulher, nunca foi um desafio, as mulheres sempre caiam aos meus pés. Posso ter qualquer mulher aos meus pés a qualquer momento. Mas com Olivia é diferente, eu sinto desconfortável, e tentando ser perfeito o tempo.

 Mas também tem Amy, eu sei que o que eu sinto por ela não é tão forte quanto por Olivia, mas eu sei que eu tenho algum sentimento, bem la no fundo. Quando eu comecei a sair com Amy, era so por diversão, eu sabia que ela era mais velha, mas com aquele corpo, eu comeria até se tivesse cinquenta anos. Amy é uma puta de uma gostosa, acho que foi uns dos motivos dele ter me chamado atenção.

Achei que meu lance com Amy seria apenas uma coisa passageira, mas tudo mudou quando eu conheci ela.

A garota que me tira o sono, a garoto que me acalma com apenas um sorriso, seus olhos verdes que me prendem cada vez mais nela.

 

Foi ai então que tive a ideia de namorar com Amy. Eu sei que posso estar parecendo um cretino agora. Por namorar a mãe, quando, se deseja a filha.

 

Mas eu não me importo com que os outros vão pensar, no momento eu so me importo com ela.

 

Mas nos ultimos dia eu me sinto confuso, eu quero estar com Olivia, mas também tem Amy. Eu estou muito confuso com tudo isso, eu não quero perde as duas.

 

Eu desejo estar com as duas.

 


Notas Finais


escrevi esse capitulo tem um bom tempo, so que deu um problema no meu notebook ai não deu pra postar. Mas agora estou de volta amoras.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...