História Forbidden love - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Amigos, Amor, Atração, Brigas, Cameron Dallas, Colegial, Desejo, Família, Irmãos, Lucy Hale, Meio-irmãos, Namoro, Proibido, Revelaçoes, Romance, Sexo, Shawn, Shawn Mendes
Visualizações 178
Palavras 7.762
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!! Passei muito tempo fora mas agora eu tô de volta. Espero que vocês gostem desse capítulo, ele não tem quase nada do Shawn mas é fundamental pra história. No próximo capítulo eu prometo que terá muito Shawn ok?
Boa leitura pra vocês, me desculpem por qualquer erro de português e até as notas finais 😘

Capítulo 11 - Dois amores?


Fanfic / Fanfiction Forbidden love - Capítulo 11 - Dois amores?

POV ALANA

Me encontro parada ao topo da escada  perdida em pensamentos quando viro novamente pra onde Shawn estava e encontro um sorriso de tirar o fôlego estampado em seu rosto, sem saber o que fazer ou falar eu simplesmente me viro novamente para a escada e começo a descer a mesma com uma certa dificuldade por conta das malas. Até que um ser humano que eu estava querendo esganar a minutos atrás, se coloca em minha frente.

- Quer ajuda? - Caroline diz com um sorriso irônico nos lábios.

- Vou perguntar a mesa coisa a você quando te jogar dessa escada. - Falo descendo os últimos degraus e indo colocar as minhas malas ao lado das de Caroline que estavam perto da porta.

- Que grosseria. - Diz Caroline, ignoro completamente e vou me sentar no sofá da sala aonde meu pai e Karen também estavam.

- Seu Pai já está chegando? - Papai pergunta a Caroline.

- Sim ele me ligou a alguns minutos atrás falando que em 20 minutos estava aqui. - Diz Caroline sorrindo.

Fiquemos na sala conversando, ou melhor, eles ficaram conversando e eu apenas escutando. Não parava de pensar em Shawn, sobre como ele reagiu e a cena me vem a cabeça novamente

~Flash Back On~

- Você não pode ir embora.

- E eu posso saber porque não?

- Porque você tem que ficar aqui comigo... Quer dizer, com o seu pai, quando você está aqui eles se preocupam mais com você e não ficam pegando no meu pé.

~ Flash Back Off ~

"Você tem que ficar aqui comigo." Essa frase não saia da minha cabeça. Será que ele me queria por perto e apenas não queria admitir? Mas isso não tinha fundamento nenhum, porque aliás a gente já estava se entendendo, estávamos bem e do nada ele voltou a ser o idiota de sempre, mas aí da mesma forma repentina ele vem com esses papos estranhos.

Eu preciso tirar esse garoto da minha cabaça. Katherine ja disse ser apaixonada por ele, e eu não posso magoar ela. E ao contrário dela, eu pelo menos consigo perceber o completo idiota que ele é.

Então um barulho de buzina do lado de fora me tira dos meus pensamentos.

- Chegou. - Diz Caroline toda animada se levantando do sofá e indo pegar uma de suas malas.

Papai e Karen nos ajudam com as malas até o lado de fora, ao sair pela porta já vejo tio Steven parado ao lado do caro e que logo vem até nós.

- Oi Tio. - Falo dando um abraço nele.

- Oi querida, já estamos todos com saudades de você lá em casa. - Diz me retribuindo o Abraço. Depois Steven vai até meu pai e Karen os cumprimentando e iniciando uma conversa, enquanto isso eu e Caroline vamos levando as malas para perto do porta malas. Tio Steven se despede deles e enquanto ele guarda as malas eu e Caroline vamos nos despedir de papai e Karen.

- Tchau pai, em pouco dias já estou de volta. Se cuida, te amo. -Fala abraçando meu pai.

- se cuida você também minha filha. E qualquer coisa pode me ligar Okay?  Te amo - Diz me abraçando forte. Me solto do meu pai e vou até Karen que tinha acabado de se despedir da Carol.

- Muito obrigada por convencer meu pai a me deixar ir. - Falo a agradecendo novamente. - Se cuida.

-Ah querida não foi nada, de qualquer jeito ele deixaria você ir. Se cuida você também.

Após nos despedirmos vamos em direção ao carro aonde o pai de Carol já estava no banco do motorista. Caroline prefere ir atrás comigo para irmos conversando melhor. Logo depois de entrarmos, tio Steven já dá a partida no carro e vamos a estrada.

- Vamos tirar uma foto para por no Instagram. - Falo a Caroline já procurando a câmera no celular.

- Okay. Tiremos com o meu também. - Ela concorda 

Depois da foto nós duas postamos as fotos. Fiquemos um tempo apenas mexendo em redes sociais até que Caroline me pergunta.

- Você avisou o Shawn que estava indo?

- E porque eu deveria ter avisado ? -Pergunto.

-Aí Alana vocês moram debaixo do mesmo teto não custava nada você avisar ele que estava indo passar uma semana fora né? - Fala.

- Okay Okay, eu não iria avisar mas ele me viu saindo do meu quarto com as minhas malas e ficou me enchendo de perguntas. Aliás ele agiu de uma forma muita estranha. - Falo lembrando da cena.

-Estranha? - Pergunta confusa. - Estranha como?

- Quando me viu com as malas pensou que fossem suas daí quando disse que eram minhas ele já começou com um papo de "você não pode ir embora, você tem que ficar aqui e tal" - Digo imitando o Shawn falando.

- Ele pensou que você estava indo embora?  - pergunta rindo. - E porque ele disse que você não poderia ir?

- Disse que meu pai e Karen pegavam muito no pé dele e quando eu me mudei pra lá eles começaram a se preocupar mais comigo e deixaram ele em paz. - É só o que falo. Decidi deixar a parte do "você tem que ficar aqui comigo" porque com certeza ela iria surtar e dizer que isso tem um significado e eu não quero pensar que realmente tenha algo mesmo. Já estou surtando sozinha, não preciso de outra pessoa histérica.

- É, uma boa desculpa. - Ela fala tão baixo que quase não a entendo.

- Desculpa? Como assim uma desculpa? - Pergunto.

- Eu disse desculpa ? Eu quis dizer que realmente pode ser verdade né, você foi pra casa do seu pai praticamente agora, eles querem ter certeza que você sempre estará bem. Deve ser isso né - Ela termina de falar e já pega o celular novamente. Penso em falar mais algo mas o som de mensagem vindo de seu celular faz com que eu permaneça quieta. - Ah, olha aqui. Mateus viu a foto e já mandou mensagem. Ele está louco para te ver. - Diz rindo.

- Também estou com saudades dele.

- Ah é? Quer relembrar os velhos tempos durante uma semana?  - Diz baixo o suficiente para que o pai dela não escute.

- Caroline. - A repreendo. - Não é desse jeito que você está pensando não. Eu gosto muito dele, ele é um ótimo amigo. Você tem que parar de querer colocar lenha na fogueira.

- Tudo bem então se é assim que você deseja. - Diz rindo. Essa garota não tem jeito. A dias atrás queria de qualquer maneira que eu ficasse com o Shawn agora quer novamente me empurrar para cima do Mateus.

[...]

Realmente Tio Steven calculou o tempo certo quando disse para Caroline que estariamos no hotel em 2 horas. Saímos de casa por volta das 17:30 e agora era 19:15.

Pedimos dois quartos, eu e Caroline ficaríamos no mesmo, até porque não teria porque pedirmos quartos separados.

Enquanto o carregador levava as nossas malas para o quarto aonde ficaríamos, eu e Caroline decidimos dar uma volta ao redor do hotel. Depois de uma meia hora voltemos para se prepararmos para jantar junto com o tio Steven que disse para estarmos no restaurante do hotel as 20:30. Passemos na recepção peguemos a chave do nosso quarto e fomos de escada mesmo, até porque o nosso andar era o terceiro e o elevador pelo jeito estava ocupado e iria demorar um pouco. Apenas troquei de blusa e peguei meu celular que tinha deixado dentro da bolsa a qual o carregador também tinha trazido para o quarto junto com a mala. Enquanto Caroline travada de roupa eu checava meu celular que tinha algumas mensagens. Uma de Jos perguntando se já teríamos saído porque queria passar lá em casa antes de eu ir. Respondi rapidamente que já estávamos no hotel mas que assim que voltasse avisaria ele e Katherine.
Tinha também uma de minha mãe perguntando que horas mais ou menos iríamos chegar. Respondi que a hora que estivesse saindo do hotel no outro dia mandaria uma mensagem avisando.
O mais estranho foi ver uma mensagem de Shawn que tinha chegado as 18:47 e apenas o que dizia era "Se cuida." De repente e involuntariamente meu coração disparou, uma sensação desconhecida por mim, parecia ser alegria mas era algo mais forte ainda. Minhas mãos suavam segurando o celular. Li várias vezes para ter certeza de que estava vendo realmente aquilo. Se já tinha sido estranho o comportamento dele ao me ver com as malas, essa mensagem era mais estranha ainda sem dúvidas nenhuma.

Minhas mãos tremiam e eu não sabia o que responder, não sabia se deveria responder. Não sei nem quanto tempo perdi olhando para a tela do celular, mas a voz de Caroline me acorda do transe que eu estava.

- Vamos descer?  Já estou pronta. - Diz Caroline saindo do banheiro. Jogo o celular pra dentro da bolsa e me levanto da cama.

- Caroline você sabe que só vamos jantar né?  E vai ser aqui no hotel mesmo. Pra que toda essa produção?  - Falo saindo do quarto e a esperando do lado de fora.

- Meu amor eu tenho que estar linda em qualquer lugar, vai que alguém me fotógrafa. - Diz fazendo pose.

- Ah sim, claro. Porque você é muito famosa mesmo né?  - Falo rindo. Assim que Caroline sai do quarto eu tranco a porta.

- Vamos descer de elevador? Tô de salto. - Diz Caroline mais uma vez.

- Deus. Eu mereço isso né?! - falo parando na frente da porta do elevador que por sorte estava vazio, pois chegou rápido ao nosso andar.

Assim que entramos no restaurante do hotel já avistamos tio Steven, vamos até a sua mesa e nos sentamos, Caroline ao seu lado e eu na frente dela.

- Estão atrasadas meninas. - Steven diz, checo a hora e era 20:37. Eu não chamaria isso de um atraso muito grande não.

- Pai, cinco minutos. - Diz Caroline com cara de tédio.

- Sete minutos na verdade. - Digo rindo e Tio Steven me acompanha.

- Ai ai tá bom. Vamos pedir o cardápio de uma vez né?

- Tudo bem. - Dito isso Steven já levanta o braça para chamar o garçom.

O nosso jantar foi tranquilo. Mas a minha cabeça só estava em um ponto da noite, aquela mensagem. Eu não sei como apenas duas palavras conseguiram me deixar assim, sem reação a ponto de não saber o que responder, mas o que mais eu quero saber é, porque ele mandou aquela mensagem ? E essa pergunta ficou me rodeando o jantar inteiro.

[...]

- Ai meu pé tá moído dentro desse sapato. - Caroline reclama.

- É - Respondo sem nem prestar atenção no que ela fala.

- O jantar estava bom né?  - pergunta Caroline.

- Aham. - Falo sentando no sofá que tinha no quarto ao lado da janela.

- Te achei meio distante. - Diz Caroline.

- Claro. - Falo olhando para o lado de fora da janela.

- E daí os elefantes azuis tocaram flauta. - Diz se levantando e colocando as mãos na cintura.

- Sim... - continuo olhando para o lado de fora. - quê? - desvio o olhar da janela e encaro Caroline.

- Você não está prestando atenção em nenhuma palavra que eu tô dizendo Alana.

- Ah me desculpa Caroline. Não estava prestando atenção mesmo.

- O que tá te deixando assim pensativa?  - Pergunta Caroline.

- Ah é... - Penso eu falar realmente o motivo de eu estar assim, falar que Shawn me mandou uma mensagem e eu com toda a minha maturidade é claro que fiquei nervosa e tento um mini ataque internamente, mas pensei melhor e decidi inventar uma desculpa qualquer mesmo. Caroline estava estranha quando o assunto era Shawn, então achei melhor deixar isso pra lá e não falar nada pra ela. - É... Eu só estava pensando na minha mãe. Estou com saudades dela. - Falo torcendo que Carolina acredite na minha resposta.

- Ah fica tranquila, em algumas horas você já estará em casa e vai poder matar essa saudade okay? - E sem nenhum sinal de desconfiança sobre o que eu disse, então eu relaxo e apenas concordo com ela. Passando assim depois a prestar atenção em cada palavra que ela disse ali em diante.

Depois de um longo tempo escutando Caroline a falar sobre vários assuntos desnecessários. Nos arrumamos para dormir, olho meu celular e já eram 23:45 da noite. Vejo mais uma vez aquela mensagem que me deixou dispersa desde a hora que a li pela primeira vez, novamente sem ter coragem de responder, apenas bloqueio o celular e vou dormir.

[...]

-ALANAAAA. ACORDA. - Acordo escutando uma Caroline histérica andando de um lado para o outro.

- Ai o que foi? - Pergunto esfregando os olhos que estavam se acostumando com a claridade aos poucos.

- Estamos atrasadas. Agora são 9:15. E que horas que era pra gente sair daqui? 9 horas. Isso mesmo. - Caroline  continua correndo de um lado para o outro pegando coisas que estavam jogadas pelo quarto e colocando dentro da mala dela.

- Sério?  - Levanto em um pulo da cama já pegando a primeira roupa que achei dentro da minha mala, que era uma calça jeans clara e uma blusinha preta larguinha - Vou usar o banheiro. - Falo já saindo correndo para dentro do mesmo, fazendo minhas higienes  matinais sem nem tomar banho mesmo e me vestido logo em seguida.

Ao sair do banheiro vejo que Caroline já está com tudo pronto, pego algumas coisas minhas que estavam fora da mala e as guardo, ficando assim tudo pronto também.

- Okay, podemos tomar café antes de ir ? - Pergunto pra Caroline.

- Claro. Vamos lá que papai já está nos esperando a um tempão. Ele teve que ligar para o nosso quarto para nos acordar. esquecemos de colocar despertador ontem a noite. - Droga. Como eu esqueci disso.

- Realmente nem me lembrei disso mesmo. - Falo acompanhando Caroline para fora do quarto.

Pego meu celular e escrevo uma mensagem para minha mãe falando que iríamos nos atrasar um pouquinho porque perdemos a hora e estávamos indo fazer um lanche agora, sem nem esperar por uma resposta dela eu guardo o celular novamente na minha bolsa e descemos de escada mesmo, as malas voltaríamos para pegar depois do café.

Durante o café tivemos que escutar novamente de tio Steven que estávamos atrasados. Terminemos em menos de 15 minutos e já fomos no quarto pegarmos novamente as nossas malas. Descemos os três e enquanto tio Steven acertava os gastos do hotel eu e Caroline esperávamos do lado de fora. Guardemos as poucas bagagens que tínhamos levado para dentro do hotel e assim começamos a viagem as 10:25.

Logo depois de começarmos a viajem mandei uma mensagem para mim mãe falando que chegaríamos por volta das 16:30 ou 17:00. Depois disso não olhei mais o celular.

[...]

Durante toda a viajem fomos conversando e escutando música, paremos por uns 20 minutos no meio do caminho para comermos algo e já logo voltamos a estrada para chegarmos dentro do horário que havia avisado minha mãe. E dito e feito, tio Steven estava parando em frente a minha casa as 16:55. Antes do carro parar totalmente já vejo minha mãe saindo na porta correndo e gritando que nem uma maluca e assim que coloco os pés para fora do carro ela literalmente pula em cima de mim.

- AAAAAAAH. Você chegou. Que saudades que eu estava de você. - Diz me abraçando tão forte que juro que eu estava com sérios problemas para respirar.

- An... Tudo bem mãe, te acalma que eu já cheguei tá. - Falo tentando me soltar daquele abraço que já estava me sufocando.

-Então é assim? Eu estava aqui morrendo de saudades de você, olhando de 10 em 10 minutos o relógio e é assim que você me recebe? - Diz minha mãe fazendo drama como sempre né.

- Mãe. - Falo rindo e logo me viro para o caro que ainda estava parado em frente a minha casa. Tio Steven já tinha ido até o porta malas e tiramos as minhas malas. - Vejo você amanhã? - Pergunto para Caroline.

- Claro, aparece lá em casa amanhã tá bom ? Tchau tia Adriana. - Caroline acena para minha mãe enquanto sai da parte de trás do carro e entra no lado do carona.

- Tchau Carol. - Diz minha mãe me abraçando pela cintura. Sendo assim, Caroline e Tio Steven vão embora e minha mãe me ajuda com as malas. Levo até meu quarto e depois volto pra cozinha para comer o bolo que ela disse que tinha feito para mim. Passei o dia inteiro conversando com minha mãe e contando para ela como era a escola, os amigos e como estava sendo morar com meu pai, ela também me perguntou como era minha relação com o filho de Karen, e eu apenas respondi que a gente era "de boa" logo depois já mudando de assunto. Perguntei como estava o trabalho dela e como era os dias dela sem ter a mim por perto.

Depois de um longo papo por horas, fomos a cozinha preparar o jantar.

[...]

- Bom mãe eu vou subir pra tomar um banho e dormir tá?  Estou muito cansada. - Falo guardando o último talher na gaveta. Ela responde com um simples okay e um beijo na testa. Então lhe dou as costas e vou para o meu quarto.

Não tinha parado para olhar meu quarto ainda, tudo está perfeitamente como eu deixei. Cada coisa em seu devido lugar. E só então percebi o quanto tudo ali me fazia falta, comecei a pensar se talvez morar com o meu pai estava sendo a melhor poção. E a resposta pra isso foi que mesmo não sendo a melhor opção era isso que eu queria, pelo menos por enquanto.

Peguei meu celular e abri mais uma vez naquela mensagem que desde a hora que a li não sosseguei por um segundo. Bloqueei a tela do celular sem enviar nada mais uma vez, afinal depois de tantas horas não faria nem sentido eu responder aquilo. Abri minha mala e peguei um pijama confortável e me direcionei ao banheiro.

De baixo do chuveiro. Aquela água morna escorrendo sobre o meu corpo e o vapor subindo. Enquanto me ensaboava mais uma vez aquela lembrança me veio a mente. Aquela que eu tanto queria esquecer. Mas não conseguia.

"Você acha que o seu corpo não te entrega ? Você não consegue nem manter a respiração normal quando está perto de mim, quando eu te toco, nem que seja só por um segundo, sinto o seu corpo todo estremecer ...
A merda disso tudo, é que você faz a mesma coisa comigo."

As suas palavras eram algo que não saiam da minha mente, ele admitiu que me desejava.

Lembro do momento em que segurou na minha nuca me fazendo arrepiar por inteira, a sensação estranha que se instalou em meu corpo, algo que nunca tinha sentido na vida e a lembrança trazendo o gosto do seus lábios junto aos meus, que por mais que eu quisesse negar, eu queria muito aquilo, tanto na hora do Beijo, quanto agora. Eu o queria de novo, eu o desejava e talvez queria muito mais além de um beijo

Bati com o punho fechado na parede molhada do banheiro. E gruni de dor. Me culpando por ter certos pensamentos que não deveria ter, principalmente com ele que era como se fosse meu irmão

Porque aquele rapaz tinha que me perseguir até em pensamentos?

Desliguei o registro e sai de dentro do box sentindo o ar gelado contra a minha face. Terminei de me arrumar para dormir em alguns minutos e sai do banheiro. Deitei na cama ainda pensando naquele maldito par de olhos castanhos e lembrando de uma de suas últimas palavras antes de eu sair de lá "Você não pode ir embora... Porque você tem que ficar aqui comigo."

Espantei todos aqueles pensamentos da minha mente me forçando a pensar em alguma coisa que não envolvesse Shawn. E aí percebi que talvez a festinha que a Caroline estava pensando em irmos, não seria assim de todo mal.

[...]

Acordo com o barulho irritante do meu celular tocando. Ignoro até que ele para, mas logo depois volta a tocar e assim foi mais três vezes, pego o bendito celular em cima do criado mudo ao lado da cama e atendo sem nem ver quem era.

~ Ligação On ~
 
-Quem é o imbecil que está me ligando a essa hora da madrugada? - Falo com uma certa presença de raiva na minha voz.

- Que isso Alana. Isso é jeito de tratar a sua melhor amiga é? - Depois disso não precisa nem falar o nome para eu saber quem era.

- Caroline você não tinha aula? Porque está me encomodando?

- Estava cansada, então convenci mamãe a deixar eu ficar em casa.

- Estava cansada e resolveu faltar aula pra me atormentar? Porque não vai dormir?

- Que mau humor. Quero que você venha aqui em casa.

- Agora Caroline? Você já viu a hora? - Falo olhando para o relógio de ursinho que tinha ao lado da minha cama, pois nem eu tinha visto as horas ainda, e... - Porra Caroline você está me acordado as 8 da manhã pra que raios garota? - Eu não acredito que não teria paz nem para poder dormir no mínimo até as 10 horas.

- Alana Torres para de falar assim comigo. Estou com crise de ansiedade e não consigo dormir, estou elétrica e preciso conversar, vem aqui.

- Crise de ansiedade porque? - pergunto sem entender nada.

- Preciso conversar, vem logo. - diz histérica. Reação que não era muito estranha vindo de Caroline.

- Eu não acredito nisso. - Reclamo mais uma vez. - Estou aí em meia hora.

- MEIA HORA? - Pergunta gritando.

- Caroline eu estou na cama ainda, você quer o que? ... 15 minutos, já prepara o café que eu e tô chegando.

- Tudo bem amiga, Te amo. - Diz e logo desliga o telefone.

~ Ligação Off ~

-Eu não tô acreditando que ela vai me tirar da cama a essa hora... - Resmungo me levantando da cama e indo até o banheiro fazer minha higienes matinais e logo depois indo até minha mala, vasculho ela a deixando completamente bagunçada e escolho uma calça jeans e uma blusinha básica.

Pego meu celular que havia deixado em cima da cama, saio do meu quarto e enquanto estava descendo as escadas escuto minha mãe falar comigo.

-Já acordou filha?

-Sim mãe, a peste da Carol me tirou da cama a essa hora porque está tento um chilique de nervos na casa dela. Eu estou indo pra lá ok? Não sei se volto para almoçar.

- Alana você acabou de chegar.

- Eu sei mãe, desculpa, volto cedo e fico com você ok? - Vou até ela lhe dando um beijo no rosto - Eu te amo.

- Também te amo meu amor, vê se não demora então tá?

- Pode deixar. - Dito isso já vou saindo de casa e andando rapidamente até a casa de Caroline que ficava apenas a algumas casas de distância da minha.

Chegando em frente a porta, assim que eu ia tocar a campainha, a porta se abre e da lugar a um ser maravilhoso, com um lindo par de olhos azuis e que ao me ver abre um sorriso.

-Alana? Esta de volta? - Felipe diz me abraçando. Ao lhe sentir tao perto por pouco que não fico sem fala. Sempre tive uma quedinha pelo irmão de Caroline.

- Ah, Oi Fill, aproveitei que Caroline veio pra casa e vim com ela, mas foi apenas para passar uns dias com minha mãe, daqui uns dias já volto pra casa. - Falo sorrindo e dando fim ao Abraço.

- Que pena, pensei que iríamos nos esbarrar mais vezes. - diz abrindo mais ainda o sorriso, me fazendo quase derreter aos seus pés. Como ele conseguia fazer aquilo? - Não vá embora tão cedo, estou saindo mas logo no início da tarde estou de volta e se você estiver aqui nós podemos conversar um pouco.

- Felipe, ela não está aqui para visitar você, então por favor a deixe em paz. - Ouço a voz de Caroline vindo de dentro de casa. Sempre atrapalhando.

- A gente se vê depois. - Diz me dando um beijo na bochecha e saindo de casa assim dando espaço para que eu entrasse.

- Alana fecha a boca que a baba vai escorrer. - diz Caroline de braços cruzados atrás de mim.

- Como ele pode ser tão perfeito? - Falo vendo ele se distanciar mais a cada passo dado.

- Querida, perfeito é o ser que convive com você de baixo do mesmo teto, isso aí é só o idiota do meu irmão. - Diz fazendo careta ao terminar de falar.

- Vamos trocar? - Falo ainda olhando para fora da casa e só depois encarando Caroline.

-Oo minha filha, mas pra ontem já. - Diz rindo - Vem, vamos lá no meu quarto. - Diz me puxando mas eu a faço parar logo depois do segundo passo.

- Querida. Você me tirou de casa e me prometeu um café da manhã, eu quero comer primeiro. - Falo colocando as mãos na cintura.

- Tá bom sua esfomeada, vem. - diz ela dessa vez me puxando para a cozinha.

[...]

- Vamos recapitular, você me acordou as 8 da manhã histérica, só porque o Tyler te chamou pra sair? É isso mesmo. - Pergunto incrédula.

- Alana, para de focar no horário que você acordou e foca em mim faz favor? O Tyler foi tipo a minha paixão platônica desde a infância. E ele me convidou pra sair hoje a noite. HOJE A NOITE ALANA, VOCÊ TA ENTENDENDO A GRAVIDADE DO ASSUNTO ? - Diz mais histérica do que quando falou comigo pelo telefone.

- Ai aí, para de drama. - Falo, mas já logo continuo pra nem dar tempo dela reclamar. - Aonde vocês vão? - Pergunto enquanto preparo meu segundo sanduíche.

- Então, ele me disse que tem uma festinha hoje a noite aqui perto, e me chamou pra ir. - diz sentando na cadeira a minha frente.

- Beleza. Não tem estresse nenhum, você já está acostumada com festinhas, nada fora da sua realidade.

- Mas vai ele e um amigo, e ele queria que eu conseguisse uma amiga para acompanhar o amigo dele. - Ela fala por fim. Ok, Agora entendi o seu estresse.

- Ah, e essa "Amiga" no caso sou eu? - pergunto apontando o dedo pro meu peito.

- Sim. - Diz sorrindo.

- Mas nem ferrando Caroline. - Falo querendo por um ponto final naquele assunto.

- Ai Alana por favor, não custa nada fazer isso por mim né. É só uma festa, você não precisa ficar o tempo todo com o garoto, só conversar um pouco.

- Nao, não não e não. - Falo balançando a cabeça.

- Por favor!!! - diz juntando as mãos e fazendo a carinha do gatinho do shrek

- Eu mereço. - Falo já sabendo aonde tudo aquilo iria acabar.

- Diz que sim. - Fala piscando os alhos freneticamente.

- Eu conheço esse garoto?

- Ele é legal, juro.

- Caroline se você me meter em uma roubada eu te mato, ouviu? - Falo tentando fazer cara de seria para a ameaça ficar mais convincente, mas pelo jeito não deu muito certo, porque após o final da minha frase, Caroline levantou da cadeira dando pulinhos.

- Não é roubada, você vai gostar dele.  Diz já pegando o celular na mãe e digitando algo que eu deduzo ser uma mensagem para Tyler.

- Só quero ver. - Falo esperando que no fundo ela esteja certa. Não queria passar a noite do lado de algum rapaz abusado.

Termino de tomar o meu café e coloco as coisas na pia, enquanto isso a Caroline não parava de sorrir para o celular. Gente apaixonada é um saco. Não sei como isso dura tanto tempo, ela sempre foi completamente apaixonada por ele desde a terceira seria, e desde então ele sempre caia na nossa sala todo ano. Ou seja, isso só ajudava ela a ficar cada dia mas bobinha por ele.

- Vem, vou te mostrar os vestidos que eu estava estava provando. - Diz já saindo da cozinha e me fazendo a acompanhar.

- Que você estava provando? Pera aí, você já contava como que eu fosse aceitar isso?  - Falo parando no meio da escada.

- Eu sabia que iria te convencer, nem vem fazer doce agora e querer voltar atrás porque não vai dar certo okay? - Fala terminando de subir a escada.

[...]

- E o que você acha dessa? - Pergunta Caroline parando em minha frente.

- Tá legal.

- Alana, é a quinta vez que você me diz isso. - Fala pondo as mãos na cintura.

- Claro, porque você já provou umas 10 roupas diferentes. Carol, é apenas uma festa, pelo amor de Deus. Para com todo esse drama... Vai com esse ó - Falo catando o primeiro vestido que vi em cima da cama ao meu lado.

- Você acha que esse é bom?

- É ótimo. Aliás, tira esse vestido aí que hoje vou usar ele. - Falo a fazendo rir.

Ela vai ao banheiro e troca de roupa, logo em seguida volta para o quarto guardando todas as roupas que ainda estavam jogadas em cima da cama deixado do lado de fora do armário apenas os dois vestidos escolhidos para usarmos essa noite.

- Almoça aqui ? - Fala fechado a porta do guarda roupa e sentando ao meu lado.

- Minha mãe vai ficar uma fera se eu não for pra casa ficar um pouco com ela.

- Ah você fica com ela amanhã. - Diz fazendo biquinho

- Realmente não dá mesmo carol - Falo fazendo uma careta

Escuto a porta da entrada bater e logo depois a voz de Felipe vindo do andar de baixo chamando por Caroline.

"CAROL?"

- OI GURI, TÔ NO QUARTO. - Grita Caroline jogada na cama ao meu lado.

- Papai e mamãe vão almoçar fora, então decidi vir mais cedo pra casa, passei no restaurante e peguei comida pra gente. - Diz aparecendo na porta e sorrindo logo após terminar a frase. - Ah, comprei pra você também Lana. - SENHOR DO CÉU, ALANA VAI IR TE VISITAR MAIS CEDO.

- Não precisava, Alana não vai al... - Antes que Caroline conseguisse terminar a frase eu a interrompi.

- Claro, Obrigada. - Digo sorrindo e vendo pelo canto do olho o jeito de Caroline me encarava.

- Vamos descer então. - Ele sorri e sai da minha visão provavelmente indo para a cozinha.

Olho pra Caroline que ainda me encarava esperando uma explicação eu deduzo.

- O que foi ? - Pergunto

- Você não tinha que ir ficar com a sua mãe não?

- Tinha né, mas como você disse, eu posso ficar com ela amanhã. Você é minha amiga né, e está tão preocupada com essa noite, então eu tenho que ficar aqui com você. Aliás, vou ligar pra dona Adriana e avisar que irei ficar aqui - Falo levantando da cama e pegando meu celular em cima da escrivaninha.

- Ficar comigo né? Sei, bem comigo que você quer ficar. Tá bom então, te espero lá em baixo. - Diz saindo do quarto enquanto eu ligava para minha mãe. Avisei ela que iria almoçar aqui e que iria em uma festa essa noite e que provavelmente iria dormir aqui também, mas que amanhã ficaria o dia inteiro com ela.

[...]

- Lipe nós vamos em uma festa hoje a noite, você não quer ir também? - Pergunto.

- NÃO. - diz Caroline antes que ele pudesse responder.

- Caroline - A repreendo.

- Acho que não sou muito bem vindo nesse role não. - Diz rindo.

- É claro que você é bem vindo, né Caroline? - Falo a fuzilando com os olhos.

- É que nós vamos em quatro, quase como se fosse casais né? - Diz Caroline. É O QUE?  CASAIS? CAROLINE TÁ FICANDO LOUCA.

-Que casais garota? Nem conheço esse rapaz. É até melhor o Lipe ir porque assim eu tenho com quem conversar. - digo sorrindo pra ele.

- Alana você vai ter o Ma... -Ela para antes de terminar o nome

- Ma?

- Você vai ter o amigo do Tyler, não precisa do Felipe. - Enquanto eu e Caroline discutíamos ele apenas ria. E meu Deus que sorriso maravilhoso.

-Tenho uma idéia. - Diz Felipe

- Qual? - Eu e Caroline perguntamos ao mesmo tempo.

-Eu levo alguém então. - Felipe diz como se aquilo fosse uma bela solução.

- Pode ser. - responde Caroline

- Não. - Falo sem pensar

- Não por que? - Caroline pergunta com um olhar divertido no rosto.

- Não... Não tem problema, uma ótima idéia viu, pode ser. - Falo me levantando da mesa. - Já terminaram né? - Começo a recolher a mesa.

Que ótimo. Além de eu ir me encontrar com alguém que nem sei quem é, ainda vou ter que ver Felipe de pegação com uma qualquer. Que raiva da Caroline

- Que horas vamos sair ? - Felipe pergunta me fazendo sair de meus pensamentos.

- As sete. Aliás, como agora você vai, você poderia dar uma carona pra gente né. Ficamos de nos encontrar na porta da boate. - Diz Caroline.

- Pode ser, vou ligar pra Luana e chamar ela pra ir. - Diz Felipe saindo da cozinha. "Luana" já sei até o nome da periguete agora.

- Quem diabos é Luana? - Pergunto para Caroline.

- Uma peguete dele. - Fala rindo e eu reviro os olhos. - Tô zuando eu nem conheço. - Ela dá uma gargalhada
 - Você tá afim dele Alana? Não acredito. - Diz rindo mais ainda, se é que isso era possível.

- Cala a boca Caroline, fala baixo. Não tô afim de ninguém.

- Ah não, sou eu que tô então. - diz sendo irônica.

- E tá mesmo, ou então não estaria saindo hoje com o Tyler. - Falo terminando de lavar a louça.

- Quem tá afim de quem? - Pergunta Felipe entrando na cozinha novamente e me dando um belo de um susto.

- Caralho Felipe, quer me infartar? - Falo pondo a mão ainda molhada sobre o meu peito, vendo Felipe rir

- Calma, porque tão assustada? Estavam falando algo que eu não poderia escutar?

- A gente estava falando sobre...

- Sobre o Tyler. Caroline tá apaixonada, pra variar. - Respondo por Caroline

- Não desencanou dele ainda? - Diz ele rindo. Todo mundo sabia que ela sempre foi louca pelo Tyler, acho que ele era o único tanso que não sabia.

- Vai a merda Felipe. Chamou a garota ou não? - Pergunta Caroline.

- Chamei sim, tudo confirmado. As sete a gente sai daqui e passemos na casa dela antes de irmos.

- Que beleza. - Falo com ironia. -Vamos subir Caroline ? - Pergunto já saindo da cozinha. Escuto Caroline sussurrar algo como "Ela tá de mau humor"

Chegando no quarto de Caroline olho meu celular que tinha deixado lá. Vejo se tem mensagens novas e até agora nada. Não sei bem o que eu estava esperando, sei lá. Talvez alguma do Shawn.

- Porque ele te mandaria alguma mensagem Alana, para de ser idiota. - Falo com meus próprios pensamentos. E realmente era verdade, não sei porque estava esperando por algo que sei que não iria acontecer. Não teria porque ele me mandar. Aquela mensagem de antes foi porque ele estava se sentindo culpado ou sei lá. Queria me agradar pra não correr o risco de eu comentar com meu pai que a gente briga, porque a Karen fica no pé dele daí. Sei lá, só podia ser isso.

Porque eu tô pensando nele mesmo? Não sei, porque ele é um idiota que não sai da minha cabeça.

[...]

- Caroline, já está na hora. Vamos. - Falo pela terceira vez. Caroline já voltou pra dentro do quarto umas vinte vezes. Pra conferir a Maquiagem, a roupa, ver se não esqueceu nada e por aí vai.

- Já vou.

- Ah deu, vou te esperar lá em baixo. Assim que termino de descer as escadas escuto a voz de Felipe vindo do andar de cima.

- Uau - sorrio - você tá perfeita. - Diz e vem descendo as escadas.

- Ah que exagero. - Falo rindo sem nem saber como reagir aquele elogio.

- Sorte do rapaz que vai te acompanhar. - diz ao passar por mim me fazendo sentir um perfume maravilhoso.

- Eu nem sei quem é esse rapaz que a Caroline chamou pra ir com a gente.

- Se eu soubesse disso antes, poderíamos estar indo apenas em quatro. - É hoje que eu tenho um treco

-Tô pronta. - Diz Caroline chegando perto de nós e eu a agradeço mentalmente porque não é saudável ficar sozinha com o Felipe ainda mais ele falando essas coisas.

- Vamos estão? Luana já tá esperando.

E assim estão saímos de casa, eu e Caroline vamos no banco de trás, o que me dá um certo incomodo porque eu sabia que então a garota sentaria no banco do caroneiro.

A casa dessa tal de Luana não era muito longe. E quando ela entrou no  carro pra minha tristeza, ela não era nem um pouco nojenta, chegou conversando e rindo, já estava até gostando dela.
 
[...]

Já era 19:25 e estamos encostando na porta da boate. Os dois garotos ainda não tinham chegando então convencemos Caroline a entrar.

- Vou pegar algo pra beber. Você quer? - Diz Felipe falando no meu ouvido me causando arrepios.

- Você não deveria estar perguntando isso pra sua acompanhante? - Falo sorrindo.

- Trouxe ela pra disfarçar a Caroline, meu interesse aqui é outro. - Porra, alguém me ajuda que eu não tô respirando.

- Disfarçar? Como assim? - perguntado sem focar na parte do interesse.

- Ela não queria que eu viesse. Então disse que iria trazer alguém, aí ela relaxou. Ela quer te deixar sozinha com esse rapaz que ela chamou.

- Não, na verdade o Tyler pediu pra ela trazer alguém pra fazer companhia pra esse rapaz. - Explico

- Conhecendo bem a Caroline, você acha que ela não tá tramando nada? - diz apontando pra Caroline que revezava o olhar entre o celular e a porta de entrada. E então vejo um sorriso no rosto dela e olho pra porta também então vejo Tyler entrando. Tyler e... Mateus?

- Não,não não não. Caroline não fez isso. Me recuso a acreditar nisso. - falo indignada, como ela pode armar pra mim encontrar o Mateus?

- O que?  - Pergunta Felipe sem entender.

- Aquele é meu ex namorado. Lembra dele não? - Falo virado as costas para onde eles estavam, ficando assim de frente pro Felipe de novo.

- Ah tô lembrando dele sim. Acho que agora a disputa ficou maior. - Diz ele olhando pro Mateus.

- Disputa? Que disputa? - Pergunto mas antes que ele pudesse me responder, Caroline chega me chamando.

- Vem Alana.

- Caroline você ficou maluca? O Mateus? Sério?  Porque você não me disse antes.

- Porque você não iria vir. - Fala como se fosse óbvio

- Caroline, a gente terminou, aceita isso. Parece que o namoro era seu. Meu Deus.

Viro as costas e vou até os dois que estavam ao lado do bar. Comprimento os dois com um beijo no rosto. E Mateus vem falar comigo

- Oi, quanto tempo né? - diz sorrindo.

- Oi, pois é. Morando com meu pai, vou vir pouco pra cá. - Falo pedido um refrigerante, porque da última vez que eu bebi as coisas não acabaram bem.

- Você está linda. - Diz ignorando o que eu falei.

- Obrigada. - Falo olhando para a pista de dança e vejo Felipe e a tal Luana dançando.

Conversamos por mais um tempo mas eu realmente nao queria ficar sentada a festa inteira. Quer saber, não vou ficar fazendo banco com o Mateus não. - Vou ir pra pista, quer ir também? - pergunto

- Não não, você sabe que eu sou péssimo na dança, pode ir que eu fico aqui. - diz sorrindo.

Me junto a Felipe e Luana na pista de dança. Ficamos dançando por uns 10 minutos até Luana sair dizendo que iria buscar mais bebida. E assim deixando apenas nos dois.

Já estava até estranhando a demora da Luana que ainda não tinha aparecido de volta ali com a gente, até que olho para o bar e ela e Mateus estão conversando. Isso me deixar mais tranquila por saber que Matt não estava sozinho.

A música animada se vai e da lugar a uma música calma, as luzes dão mais uma apagada fazendo o ambiente ficar mais tranquilo ainda. Já estava pronta pra sair da pista quando sinto as mãos de Felipe na minha cintura.

- Aonde você pensa que vai? - Pergunta com aquele sorriso que me fazia faltas as pernas.

- O ritmo mudou, eu iria sentar.

- Nada disso, dança comigo. - Diz me puxando para perto dele.

- Luana está conversando com o Matt. - falo fazendo Felipe olhar para o bar também.

- Eu vi, ficou com ciúmes foi?

- Iria te perguntar isso agora. - falo rindo.

- Já te disse o porque chamei ela.

- Voltado a esse assunto. De que disputa você estava falando aquela hora?

- Bom, Caroline chamou o seu ex pra vir, se fosse qualquer outro cara, estava de boa, mas com o ex é meio difícil de competir né.

- Competir? - Sorrio

- Sim, ou será que não tem competição?  Pergunta sorrindo também. Meu Deus do céu, juntei toda coragem que tinha e respondi.

- Quando se trata de você nunca tem competição. - continuo sorrindo pra disfarçar o nervosismo, senti meu rosto queimar, era certo que eu estava vermelha a essa hora.

- Sério? Olha que eu fico confiado viu.

Felipe vai se aproximando cada vez mais, eu já sentia o seu hálito perto da minha boca até que sinto alguém me puxar e nos separar.

- Ela ja volta. - Diz Caroline olhando pro Fill. - Alana o que você tá fazendo? - pergunta me levando pra longe dele.

- Eu nada, e você o que cê quer dessa vez?

- Era pra você estar com o Mateus. - Diz me fazendo olhar pra ele.

- Oooou, acho que o seu planinho de nos juntar não deu muito certo, olha lá, Mateus tá bem ocupado não acha? - Falo rindo vendo Mateus e Luana se beijando

- Não acredito nisso. - Caroline diz e eu não consigo segurar o riso.

- Volta lá pro Tyler que eu vou voltar para o... -Falo apontando para ontem Tyler estava e ... - Shawn ?

- Que Shawn garota? Aonde você tá vendo Shawn?  - Pergunta sem entender

Uma pessoa passa na minha frente tampando a minha visão e quando sai vejo Felipe. Estou ficando louca, estava vendo o Shawn no Felipe? Como assim ?

- Alana? Ei? - Carol fala balançando sua mão em frente ao meu rosto. - O que deu em você?

- Não sei. - respondo sem entender o que foi que eu tinha visto. - Eu olhei para o Felipe e vi o Shawn, não sei o que aconteceu.

- Tá dividida amiga? - Diz rindo.

- Para com isso Caroline, que sisma em falar que eu sou afim do Shawn.

- Eu não disse nada, quem disse foi você. Eu nem toquei no nome dele, quem tá tendo alucinação com o Shawn é você.

- Vai atormentar o Tyler, Caroline. - Falo saindo e deixo Caroline sozinha.

Puxo Felipe para um canto mais afastado deles.

- Desculpa. Caroline tá meia sem noção mesmo, ela me chamou na intenção de me fazer ficar com o Mateus mesmo. Ela não consegue superar o fim - Digo rindo 

- E você já conseguiu superar o fim? 

- Foi eu quem terminou, o que tinha pra acontecer já aconteceu, não fazia mais sentido a gente continuar juntos, Caroline que não consegue aceitar isso.


- Esquece a Caroline e olha pra mim. - diz me puxando pra perto dele. - Eu... Eu não aguento mais.

- Não aguenta mais o que? - assim que eu terminei de falar sinto os seus lábios contra os meus, iniciamos um beijo rápido e com vontade. Eu sempre fui afim dele, era como estar nas nuvens mas eu não sentia nenhum vestígio de borboletas no estômago, como eu senti aquele dia com Shawn. Aliás não tinha nem como querer comparar o Beijo dele com o de Shawn. Porque eu tô pensando nele de novo? Me reprepreendo mentalmente.

Felipe apertava a minha cintura com força me trazendo para mais perto dele se é que isso ainda era possível, e eu arranhava sua nuca e puxava levemente o seu cabelo, em nenhum momento deixando sua boca se distanciar da minha.

Após o beijo fomos mais um pouco para a pista de dança, mas voltamos para um canto aonde não tinha quase ninguém para ficarmos mais sozinhos e aproveitar pra conversar.

[...]

- Eu vou ir pegar algo pra beber, você quer ? - Diz Felipe já se preparando para ir ao bar

- Um refrigerante. - Sorrio e ele vai. Pego meu celular na mão para ver as horas e assim que desbloqueio e vejo o que está na tela, minha mão começa a suar, sensação de borboletas no estômago e toda aquela sensação está de volta novamente. Tão longe e como pode causa essas reações em mim.
Leio mais uma vez para ter certeza de que não estou vendo coisas e continuava lá.

"1 Chamada perdida de Shawn"

Sim, era isso mesmo que estava escrito, não era coisa da minha imaginação. Shawn tinha me ligado.


Notas Finais


Será que vai ter alguém dividida aqui ? Hahahaha
Bom, espero que tenham gostado do capitulo, como eu disse não teve muito Shawn mas no próximo eu irei compensar.
Até o próximo capítulo então, beijooos 😘😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...