História Force Of Nature - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Backstreet Boys
Personagens AJ MacLean, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter
Tags Aj Mclean, Backstreet Boys, Brian Littrell, Howie D, Kevin Richardson, Nick Carter
Exibições 20
Palavras 2.115
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - As Long As You Love Me


Fanfic / Fanfiction Force Of Nature - Capítulo 25 - As Long As You Love Me

Estava de volta, finalmente!  Adorava viajar com Alex, mas gostava ainda mais de voltar à minha casa. Quando chegamos, avisei às meninas e combinamos o horário que elas chegariam a nossa casa para a noite de Ano Novo. Eu mal podia esperar para ter uma festa de verdade com os meus amigos e as pessoas que eu sabia que realmente gostavam de mim. Alex percebeu que eu estava satisfeita - e aliviada - com o nosso retorno e prometeu me ajudar com os preparativos da festa, que ocupou toda a nossa semana, já que ele insistiu em fazê-la no outro apartamento, que era mais amplo e ficaríamos mais confortáveis. Concordei e passamos a semana inteira entre compras, arrumações e limpeza, mas combinamos de nos mudar definitivamente após o Réveillon. 

No dia 31 acordamos no apartamento para resolver os últimos detalhes. Narlla, Anita, Flávia e Bya já estavam no Rio e somente Bya não ficaria na casa de Carla, pois estava na casa de Rodrigo. Todas foram para o apartamento para nos ajudar com a decoração e os últimos preparativos e passamos o dia trabalhando, além de nos divertimos muito, pois todas as vezes em que estávamos juntas era uma farra. No final da tarde, fomos para o quarto separar as roupas para a noite. E como manda a tradição, todas escolheram branco. Alex entrou no quarto enquanto separávamos nossas coisas e disse que pegaria Kevin no aeroporto, despedindo-se de mim com um beijo.

- O BFF vem?

- Sim, ele ficará aqui conosco.

- Hum...

- Anita...

- Ah, ele é gatinho! E é bom passar a virada do ano pegando alguém. Traz sorte!

Todas riram da fala de Anita, que nunca perdia uma oportunidade. Eu previa uma longa noite pela frente...

Além das meninas, Kevin e Rodrigo, teríamos mais alguns amigos nossos da fundação.  Nossa casa estaria cheia durante toda a virada do ano, exatamente como eu e Alex gostávamos. Enquanto separávamos as roupas, as meninas me perguntaram por que voltamos para o antigo apartamento.

- Alex comprou o apê novamente e me deu de presente de Natal.

- Nossa... Queria um presente desses...

- Esse homem é perfeito! Gato, simpático, cavalheiro, tesudo...

- Narlla!

- Ué! Eu vi esse homem nu, esqueceram? Então... É gostoso e ainda te dá um apartamento desses de presente? Ah, não larga esse homem não, minha filha, por que igual a esse aí você não encontra outro nem de vela acesa!

- Nisso eu concordo com ela! Segura esse homem!

Eu sorria das brincadeiras e concordava. Alex era perfeito! Ele sempre me surpreendia de alguma forma e isso era o que mais me encantava nele. Quando eu o conheci, jamais imaginei que por trás daquela máscara de homem sexy que ele coloca quando está nos palcos, tinha um homem sensível, carinhoso, gentil, cavalheiro e amoroso. E eu o amava por isso.

As meninas instalaram-se em um dos quartos para se arrumar e Kevin ficou com o outro. Eu e Alex fomos para o nosso, pois já havia anoitecido, e começamos a nos arrumar. Alex tomou banho primeiro e eu fui em seguida. Quando saí do banheiro enrolada na toalha tive uma das visões mais lindas dos últimos dias: Alex estava descalço, com uma calça branca e uma bata também branca que ia até a sua cintura, aberta no peito, que deixava partes de suas tatuagens à mostra. Ele arrumava os cabelos em frente ao espelho e não viu quando eu saí do banheiro.

- Amor, você está maravilhoso!

Ele me olhou através do espelho e sorriu, ainda ajeitando seus cabelos e colocando seus óculos de grau. Sua barba estava perfeitamente aparada e seus cabelos recém-cortados, ainda com o desenho bem feito em sua nuca, que me deixava completamente excitada. Caminhei em sua direção e o abracei pelas costas, beijando o seu pescoço que já estava perfumado, misturado ao seu próprio cheiro. 

- Tell me what you want, baby?

- You...

Alex virou-se e eu imediatamente soltei minha toalha, ficando nua em sua frente. Ele me olhou, sorrindo com muita malícia, me levantou em seu colo e me beijou. Eu prendi minhas pernas em sua cintura e segurei-o pelo pescoço enquanto ele me apoiava na parede do quarto. Alex soltou uma das mãos e abriu a calça, que caiu sobre os seus pés. Abaixou a cueca e senti quando ele libertou seu pau, que estava latente a minha espera. Ele me olhou e meteu-o dentro de mim, me levantando contra a parede. Meu corpo rastejava para cima e para baixo a cada metida dele e eu cravava minhas unhas em seus ombros, fazendo com que ele me penetrasse ainda mais fundo. Ele metia cada vez mais forte e mais intenso e alternava momentos em que me olhava nos olhos e os fechava quando percebia que estava próximo de gozar. Ele dizia em meu ouvido que eu era uma puta, que ele já estava arrumado, mas que não resistia a mim, enquanto me fodia cada vez mais forte. Eu sentia que não conseguiria mais segurar e o avisei que iria gozar, enquanto ele aumentava o ritmo dizendo que gozaria junto comigo...

Alex me soltou e eu deslizei pela parede até o chão, sem fôlego. Ele, de pé, me olhou e sorriu, fechando a calça e andando em direção ao banheiro.

- A última do ano, baby? - Gritei.

- Yes! - Ele respondeu do banheiro.

Quando ele saiu de lá, fui até o armário e peguei uma caixa, entregando em suas mãos e Alex me olhou assustado.

- Esse é o seu presente de Natal. Não quis te dar em Orlando, preferi entregá-lo quando estivéssemos a sós.

Ele sorriu e sentou-se na cama, abrindo a caixa. Fiquei em pé esperando a sua reação.

- Handcuffs? - Ele disse, levantando as algemas com a ponta dos dedos e sorrindo.

Eu balancei a cabeça afirmativamente e ele continuou olhando para a caixa. Ele foi tirando cada item e colocando sobre a cama. Além das algemas, havia uma gravata preta, velas e uma mini garrafa de champanhe. Alex me olhou e sorria muito, talvez idealizando a minha fantasia. Cheguei próximo de sua boca e lhe disse:

- Usaremos mais tarde. Agora saia, que quero me trocar. - E beijei-lhe.

Ele guardou todos os pertences na caixa e saiu, com um sorriso bobo no rosto.

Terminei de me arrumar, saí do quarto e fui para a sala falar com as meninas.

- Uau!

- Tá pro crime, hein!

- Esse vestido não está muito curto, não?

- Está e essa é a intenção. Rs

- Você está muito safada hoje, dona Elaine. Está aprontando?

- Estou... - E sorri com timidez.

- Coitado do Alex... Essa mulher tá atacada hoje.

- Estou mesmo. Aliás, onde ele está?

- Na varanda, conversando com o pessoal da fundação.

Fui até à varanda, onde estava Alex, Rodrigo e mais alguns amigos da fundação. Alex estava de costas e Rodrigo foi o primeiro a me ver.

- Nossa! Que linda!

- Obrigada! - Respondi a Rodrigo, cumprimentando-o com um beijo no rosto e um abraço. Cumprimentei os outros convidados enquanto Alex me olhava, sem dizer uma palavra. Meu vestido era curto, mas não era vulgar, porém era extremamente sexy no corpo. Era branco e tinha alguns poucos detalhes em prata. Alex me abraçou pela cintura, me puxando para perto dele e aproximou-se do meu ouvido.

- Você está linda.

Enquanto ele bebia um gole de seu suco, eu respondi em seu ouvido.

- Thanks, sweet. I'm no panties.

Alex engasgou-se com o líquido, o que me fez rir de sua reação. Ele me olhou assustado e eu sorri naturalmente, continuando a conversa com os demais convidados.

Eu andava pelo apartamento e quando percebia, Alex estava próximo a mim. Eu estava atingindo o meu objetivo! Queria deixá-lo louco de desejo, nesse joguinho sexy. Eu realmente estava sem calcinha e ele, sempre que tinha uma oportunidade, tentava colocar as mãos sobre o meu vestido, na tentativa de achar - ou não - alguma parte que fosse da calcinha. Com a casa cheia, ele não podia demonstrar qualquer reação à minha confissão, mas todas as vezes em que eu o olhava, Alex estava me encarando, com um olhar de desejo, como se quisesse me foder ali, na frente de todos. Enquanto conversava com Carla, recebi uma mensagem no celular.

- No panties? I need to see it. Go to the room. Now!

Eu ri e imediatamente respondi:

- No way, baby! Later. Please, keep calm.

- I can't! Damn! I'm so excited. It's your fault!

- It's not my fault if you can't control your instincts.

E encerrei o assunto, sorrindo. Quando levantei o rosto, Carla me olhava, de braços cruzados.

- Que susto! Esqueci que você estava aqui.

- Percebi... Fui totalmente ignorada.

- Desculpa.  Era Alex, me distraindo...

- Vocês são terríveis, sabia?

- Ele é terrível, você quer dizer.

- Você também gosta que eu sei. Ele está vindo pra cá.

Continuei de costas, disfarçando, e Alex parou ao meu lado, colocando a mão acima da minha bunda, procurando a calcinha. Eu fechei os olhos e ri, nervosa, enquanto ele perguntava para Carla se ela estava gostando da festa. Ela respondeu que sim, que estava tudo lindo e uma delícia. Ele conversava com ela e apalpava o topo da minha bunda e a minha cintura, procurando a linha da calcinha. Então ele me deu um beijo no pescoço e disse rápido em meu ouvido. "No panties. Damn it!" e saiu apressado em direção ao corredor onde ficavam os quartos.  Eu ri e Carla me olhou, curiosa.

- Deixa pra lá. Vamos beber!

Fomos até a cozinha pegar champanhe e Flávia veio logo atrás de nós.

- Quero também! Vocês já viram onde Anita está?

- Não. Onde?

- Ela está sentada com Kevin lá no cantinho da piscina.

- Gente! Será que vai rolar?

- Parece que sim. Quando eu passei, ele estava passando a mão nos cabelos dela.

- Hum... - Todas fizemos o mesmo som e rimos, pegando nossas taças e andando em direção à sala.

Já era quase meia noite e todos fomos para a área externa, esperando a queima de fogos. Alex chegou em seguida e parou ao meu lado, me segurando pela cintura.

- Onde você estava?

Ele sorriu e eu percebi no mesmo instante.

- Alex, eu não acredito! Que doente!

Ele gargalhava enquanto eu falava, chocada!  Alex nunca se saciava!

A contagem regressiva se iniciou e enfim era Ano Novo. Abracei Alex, beijando-o, dizendo que o amava muito e que estava feliz por estarmos juntos mais um ano. Fomos interrompidos pelas meninas, que me deram um abraço coletivo de Ano Novo. Depois, cumprimentei os demais convidados e Alex também. Quando terminamos, nos abraçamos novamente, assistindo a queima de fogos, que estava linda!  Quando os fogos finalmente cessaram, Alex me olhou nos olhos e disse que este novo ano seria de coisas boas, que ele queria mudar muitas coisas na sua vida e tomar algumas decisões.

- I love you, baby, and I want to spend the rest of my life with you.

Depois de uma pausa, Alex continuou.

- Will you marry me?

Olhei para ele, boquiaberta e incrédula. Ri de sua pergunta, mas Alex estava sério, então eu percebi que ele falava pra valer. Dei-lhe um beijo e respondi que pensaria com muito carinho na proposta, tentando mudar o assunto. Ele me olhou, desapontado e concordou. Narlla aproximou-se, interrompendo o clima tenso, dizendo que queria ir para a praia. Sugeri que ela fosse quando estivesse mais próximo de amanhecer porque estaria mais vazia e ela concordou, convidando as outras meninas.

Os primeiros raios já apontavam no céu quando o pessoal da fundação se despediu de nós e partiu. Narlla então se animou, chamando todos nós para irmos à praia. Todos se animaram, mas Alex não quis ir e eu respondi que ficaria com ele. Despedimo-nos de todos, que de lá iriam embora. Narlla, Carla, Bya, Rodrigo, Anita, Flávia e Kevin desceram empolgados. Alex estava sentado na sala e eu perguntei se ele gostaria de usar o seu presente de Natal, enquanto eu andava em direção ao quarto. Alex sorriu e veio correndo em minha direção, trancando a porta, pegando a caixa e perguntando por onde deveria começar.

- Primeiro, tire a sua roupa. Quero que fique totalmente nu.

Ele me olhou, estranhando a minha ordem, mas obedeceu-me prontamente.

- Very good, Alex. Now, lie on bed.

Alex continuava me olhando, desconfiado, quando eu expliquei-lhe minhas intenções.

- I'm going to use their presents in you, honey. Raise your fists, I will arrest you. Tonight you will do as I say...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...