História Forced marriage - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 10
Palavras 781
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Cap fresquinho, espero que gostem amores .

Capítulo 2 - Não acredito nisso, foi tudo ilusão.


Fanfic / Fanfiction Forced marriage - Capítulo 2 - Não acredito nisso, foi tudo ilusão.

Finalmente as aulas acabaram, procurei por Martin na saída más nada dele, então resolvi manda uma mensagem. Mensagem on: Eu: Cadê você momo? Martin: Tivi que sair para resolver umas coisas, te vejo de noite, meu celular vai descarrega, tchau! Estranhei a frieza dele comigo, e resolvi ir para a casa dele, se ele não estivesse lá o Justin estaria e posso fica conversando com ele até Martin chegar. Chego na casa de Martin e encontro seu irmão na porta com uma garota e assim que ele me vê fica todo atrapalhado, eu estranho isso e pergunto Eu: Cunhadinho você está bem? Justin: Estou sim, vamo comigo no starbucks? Eu: Desculpas não da, hoje faço três anos de namoro com seu irmão e tenho uma supresa pra ele. Justin: Talvez não seja uma boa hora – ele disse se colocando a frente da porta- ele está com dor de cabeça- disse coçando a nuca. Estranhei e empurrei ele entrando dentro da casa, meu coração estava na boca, não queria acreditar na minha intuição, quando subo as escadas que da acesso para o quarto ouço alguns gemidos, não queria acreditar que vinham do quarto de Martin, abri a porta aos prantos e vi ele chupando a vadia da minha arque inimiga, fechei a porta silenciosamente e desci as escadas correndo e aos pratos com as mãos na cabeça, quando Justin me segura pelo braço. Justin:  Espera, você não pode sair assim daqui -o olhei com ódio e soltei o meu braço. Saí correndo pelas ruas, ouvi Martin me grita e tentar correr atraz de mim, más peguei um taxi, pedi para para em uma  praça, eu não acredito que ele fez isso comigo, não acredito que ele fez isso, cheguei na praça e vi alguns skatistas fazendo manobras e outros enchendo a cara, eu não conhecia ninguém ali, más tratei de me enturmar e enchi a cara com eles, já eram 02:00 H da manhã quando recebo uma ligação de número privado: Eu: Alô Desconhecido- Você saiu de casa as 07:00 H da manhã e não voltou até agora, se você não estiver em casa em meia hora será punida Stra Melanie Collins! – era um homem, ele disse isso em um tom ameaçador e desligou na minha cara. Ainda chapada e com medo por não saber quem era eu peguei um taxi e fui para casa, chegando lá minha mãe e meu padrasto estavam me esperando junto com um rapaz, muito bonito por sinal. Mãe: Onde você tava Melanie Collins? – Disse brava e gritando. Eu: Mãe eu to chapada, amanhã conversamos!- Disse vendo tudo gira Padrasto – Nada disso mocinha, você vai fala agora onde estava. Depois disso eu apaguei e não me lembro de nada que houve depois. Acordei no dia seguinte com uma enorme dor de cabeça, levantei e fiz minha higiene matinal, no banho me lembrando de tudo aquilo, comecei a chorar sem parar, depois de um tempo consegui me recompor. Hoje é sábado e todo sábado tenho almoço com o meu pai, meu pai sempre foi contra esse namoro, então tenho que me recompor e fingir que não aconteceu nada, caso contrario ele vai fazer de hoje um dia pra fala “eu te avisei”. Me visto para ir até a casa do Martin, coloquei um croppd preto com uma saia longa preta com rasgo lateral até a coxa e uma melissa preta estilo rasteirinha, enquanto olhei no espelho pensei comigo mesma,isso eu realmente ia na casa dele, queria terminar tudo com ele e conversa de uma vez por todas, odeio coisas mal resolvidas, então vou ir colocar todos os pingos nos I. Sou despertada de todos meus pensamentos quando minha mãe entra no quarto. Mãe: O que aconteceu ontem? Eu: Mãe ontem eu fiz trêz anos de papel de trouxa com o Martin, fui até sua casa fazer uma surpresa e o encontrei com a minha arque inimiga na cama, saí de lá aos prantos, ele tentou me impedir más peguei um táxi e fiquei em uma pracinha bem louca com uma turma enchendo a cara, assim eu esquecia um pouco do que vi naquele quarto. Mãe: Não acredito que aquele cretino fez isso com você filha, bem que seu pai falou que ele não era homem o suficiente pra você Eu: É mãe ele falou e eu não dei ouvidos, como sempre... Bom vou dar uma saída para acaba com tudo de uma só vez, não vou fica sofrendo por um cretino, e depois que resolver tudo vou para a casa do papai. Mãe: Tudo bem filha, qualquer coisa me liga. Eu: Tudo bem.   Dou um beijo nela e vou resolver tudo de uma vez por todas com Martin.


Notas Finais


Oque estão achando ? Me falem pra mim saber se está bom .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...