História Forced marriage... with a vampire - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Xiumin
Tags Bdsm, Bts, Jikook, Namjin, Vampire, Vampiro, Vhope
Exibições 1.152
Palavras 4.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Dessa vez não é trolagem ^-^

Capítulo 6 - O sangue derramado


Após o encerramento do baile, todos se dirigiram para os seus quartos. O dia havia sido bem cansativo e eu estava exausto. Aguentar conversas maçantes e exauridas, um tanto formais, e perseguições de vampiras taradas não era fácil. Eu só queria a minha cama, mas algo ainda era pertinente em minha mente, na verdade não era algo, e sim alguém. Jeon Jungkook, o vampiro de cabelos negros e de voz suave. Não sei ao certo porque me pegara pensando nele, mas o seu olhar penetrante e vazio não saia de minha mente, muito menos as suas palavras. Eu havia ficado intrigado, e perguntaria mais para o Xiumin sobre ele, porém o vampiro não estava nos esperando no quarto como o combinado. Imagino que deve ter acontecido algum imprevisto. Enfim, só espero que ele esteja bem. Vou me deitar assim como o Taehyung, mas não sem antes perguntar para o mais novo como havia sido no baile. Ele apenas responde com um sorriso e um ‘’Foi bom, hyung’’ antes de se cobrir e fechar os seus pequenos olhinhos para dormir e eu fiz o mesmo. Perguntaria com mais detalhes amanhã.

Acordei por volta das 10 da manhã. Droga! Eu havia perdido o café, mas não teria problema, afinal eu compensaria toda a minha fome no horário do almoço. Vi que Taehyung não se encontrava em sua cama. Ele havia ido sozinho?! E quando eu estava prestes a levantar a sua procura suspiro aliviado ao ver que o mesmo acabara de sair do banheiro com uma toalha em seu pescoço.

—Bom dia, Taehyung. —Falei enquanto coçava os meus olhos, ainda um pouco sonolento.

—Bom dia, hyung. —Respondeu com um sorriso e jogou a sua toalha em cima da mesinha, sentando-se na cama a minha frente.

—O Xiumin não veio novamente? —Perguntei apreensivo e um tanto preocupado até, já que o vampiro não dava as caras desde ontem. Ficava me perguntando se teria acontecido algo.

—Na verdade ele veio sim. —Afirmou com a cabeça enquanto falava. —Ele deixou um recado em cima da cômoda dizendo que ele veio nos chamar para o café, mas que nós parecíamos tão cansados que ele ficou com pena de nos acordar. Ele disse que voltaria mais tarde e que tentaria trazer algumas frutas para não morrermos de fome até a horário do almoço, que seria um pouco mais tarde desta vez.

—Oh, obrigado por me avisar TaeTae. —Agradeci, e acariciei de leve os seus fios enquanto me levantava indo até o banheiro para fazer as minhas higienes matinais. Me senti aliviado ao saber que o Xiumin estava bem, pois apesar do maior ser um vampiro, ele tem nos apoiado constantemente e posso dizer que até o considero um grande amigo.

Fiz o que eu tinha que fazer e ao sair do banheiro, vendo que o Xiumin já havia voltado e que o mesmo conversava animadamente com o Taehyung, sentado em uma das camas com uma cesta de frutas ao seu lado.

—Bom dia, Park. —Falou ao notar a minha presença.

—Bom dia, Xiumin. E não precisa mais me chamar de Park, pode me chamar apenas de Jimin. —Respondi fazendo o meu típico eye smile, mostrando que estava tudo tranquilo e que aquela formalidade não era mais necessária.

—Oh, está bem! —Disse com um sorriso. —Jimin, venha cá, tenho uma notícia para vocês.—Bateu no lugar ao seu lado me convidando para sentar. E eu o obedeci prontamente, pegando uma maçã em sua cesta antes ao me sentar. Mordi a mesma enquanto apreensivamente via ele tirar um envelope bege com um selo em bronze, desses que eram feitos de cera com um símbolo feito por um marcador, de seu blazer. Ele o segurou em mãos e nos fitou sério.

—Os resultados da noite anterior já saíram e aqui estão os nomes dos vampiros que marcaram interesse em vocês. —Disse o que soou orgulhoso ao meu ver.

—ME DÁ ISSO AQUI! —Berrou Taehyung, arrancando o envelope de suas mãos e ambos nos entreolhamos assustados com a atitude do mais novo. Ele desembrulha o envelope de maneira ansiosa e desajeitada, até finalmente pegar a folha e passar rapidamente os seus olhos em cada linha. E ao terminar ele solta um suspiro pesado e largando o papel ao seu lado e desmanchando a sua face que outrora estava totalmente animada.

—O que houve Taehyung? —Pergunto preocupado ouvindo apenas o seu silêncio como resposta. —Algum vampiro mal se interessou por você?

—Não é isso, hyung. —Respondeu meio tristonho. —É só que... parece que quem eu mais queria não gostou de mim. —Levantou um pouco a cabeça mostrando os seus olhinhos marejados. Agora, alguém me explica por favor. QUEM FOI O DEONTE MENTAL QUE RECUSOU ESTÁ CRIANÇA?! Porque sinceramente eu não consigo entender.

—Oh, não fique assim pequeno. —Disse, já me levantando sentando ao seu lado. O abraçando deixando-o apoiar a sua cabeça em meu peito. —Vai ficar tudo bem, ok? —Disse enquanto acariciava os seus fios, e por fim levantei o seu rosto delicadamente e beijei a sua testa, o que pareceu acalmá-lo.

—Será que ele não gostou de mim, hyung? —Perguntou com uma voz chorosa me olhando fixamente nos olhos. Dava pena... dava muita pena.

—Calma, Taehyung. Não precisa ficar assim. Vai ver foi só porque vocês tiveram pouco tempo para se conhecerem, não É Xiumin? —Instiguei o outro a concordar fazendo uma discreta careta para o mesmo confirmar.

—É...Claro Taehyung! Com o tempo esse vampiro pode o nomeá-lo com um interessado. —Respondeu meio hesitante. E o menor voltou a se acalmar, mostrando novamente um sorriso, mas desta vez meio murcho enquanto limpava uma lágrima no canto de seu olho. —E quem é o vampiro que você gostou, hein TaeTae?—Perguntou.

—Jung Hoseok. —Respondeu. E eu vi rapidamente o Xiumin abrir um sorriso.

—Ah, o Hope! Ele é uma ótima escolha Taehyung. É um vampiro muito animado e gentil, chego até arriscar a dizer que ele combina contigo.

—É sério, hyung?!—Perguntou animadamente com os olhinhos brilhando e com as mãos apoiadas no queixo de maneira fofa. Tá, eu não sei o que esse cara fez para deixar o meu dongsaeng assim todo apaixonadinho, mas acho melhor ele corresponder logo.

—Sim. —Respondeu com um sorriso e um afirmar de cabeça. —O Hope, como é chamado, é um político muito respeitável, apesar de não parecer. Ele ganhou esse apelido por ser considerado a ”esperança”, sempre apoiando projetos de leis de igualdade e de ajuda ao próximo.

—Eu sei, hyung. —Falou dando pulinhos. —Ele me contou sobre isso. Ficamos conversando sobre as crianças que eu cuidava e o departamento médico e ele me disse que adorava crianças e que um dia me levaria para conhecer os primos dele para brincar e... —Dizia tudo seguidamente e animado quase como se não fosse parar mais.

—Calma, Taehyung. —Riu baixinho da cara emburrada do menor ao ser interrompido. —Você... não se interessou por mais nenhum? —Perguntou.

—NÃO! —Respondeu forte cruzando os braços.

—Ok, ok. Me dê a folha, sim? —Pediu e o Tae imediatamente entregou o pedaço de papel ao vampiro que a folheou com os olhos, provavelmente analisando os nomes dos interessados em Taehyung e ao terminar, uma cara nada satisfatória e preocupada se fez presente em seu rosto, e então ele direcionou o seu olhar para mim. E eu gelei ao entender o seu sentido.

Aquela troca de olhares em mudo significava apenas uma coisa, que nenhum dos candidatos interessados no Taehyung teriam uma boa índole e não o tratariam com o devido carinho que ele de fato merecia. E como nem eu e nem o Xiumin queríamos que isso acontecesse, convencer esse tal de Hoseok acabou se tornando a única escolha. Após aquela troca de olhares cessar, Xiumin voltou a fitar o papel desta vez olhando a segunda folha, foi o mesmo processo. Seus olhos passando tranquilamente sobre o papel até que inesperadamente ele os arregalou e começou a tossir como se estivesse se engasgado com o próprio ar que respirava. E eu o Taehyung ficamos desesperados e estávamos prestes a levantar para ajudá-lo, porém o próprio ergueu a sua mão na nossa direção enquanto tossia sinalizando que era para nós continuarmos sentados. E assim fizemos quando ele retomou o controle de sua respiração, ele me olhou e me olhou MUITO ele parecia bem surpreso e cuspiu as seguintes palavras:

—O Comandante se interessou por você! —Exclamou.

—É O QUÊ?!!—Imediatamente arranquei a folha de sua mão vendo o nome que eu tanto temia escrita em seu verso, Jeon Jungkook. Aquele vampiro maldito realmente insistiria.

—Quem é ele? —Perguntou Taehyung meio abstorvo do assunto.

—Ele é só o comandante de todos os sete exércitos, líder dos sete generais e o responsável por toda defesa e ataque do reino. Sem falar da proximidade que ele tem com os três reis e o renome da família Jeon!

—Owww! Ele parece ser bastante importante. —Comentou Taehyung.

—E é.—Respondeu Xiumin.

—Que seja, eu não vou escolhê-lo.—Respondi indiferentemente e peguei a folha, fitando o primeiro nome que eu avistei. —Min Seong, vai ser essa. —Nem fazia ideia de quem era essa vampira, mas a essa altura qualquer um era melhor que o psicopata do Jeon.

—VOCÊ FICOU MALUCO, PARK?! —Tacou um travesseiro em mim.

—Ei, não precisa agredir! E eu já disse para você me chamar de Jimin, Xiumin. —Bufei.

—Não fuja do assunto! O Jeon Jungkook é muito influente. Ele é tipo uma das autoridades máximas daqui! Ele manda até no meu mestre que é o general do exército do relâmpago. Todos o obedecem.

—Como a minha mãe já me dizia, eu não sou todo mundo. —Respondi seco e ri um pouco ao lembrar das birras da Sra. Park.

—Alôoo, ele tem o exército aos seus pés. —Ironizou enquanto estalava seus dedos na minha frente, me despertando de minhas lembranças. —Se ele quiser ele pode fazer qualquer um desses seus candidatos sumir do mapa, ou melhor, só dele ordenar para pessoa se matar ela se mata! —Falou um tanto exasperado se descabelando para me convencer.

—Ótimo, é bom que esses vampiros ficam se matando e eu nem preciso fazer nada. —Rebati.

—JIMIN!! —Gritou.

—Que foi? —Perguntei.

—Me escuta quando eu digo que o Jeon não é do tipo que se desacata! Ou você quer que a sua cabeça vá a prêmio? —Indagou.

—Não quero escolher ele, hyung!

—Por que não? Ele não é um vampiro tão ruim assim, ele é politicamente correto. E também por ele ser amigo de meu mestre creio que ele não seja uma má pessoa, e das vezes que eu o encontrei, ele nunca me destratou.

—Não quero porque eu sou hétero. —Afirmei.

—Essa coisa de hétero não existe, Jimin. Você se apaixona pelo que se apaixona e nessa hora o sexo não importa.

—Ei, e quem disse que eu estou apaixonado por ele? — O QUE ELE ESTAVA INSUNUANDO?!! XIUMIN! Virei para si com uma das sobrancelhas arqueadas um tanto revoltado.

—Não foi isso que eu quis dizer, Jimin. —Escorregou a sua mão pela sua face em total descrença. —Eu só quero que você entenda que essa desculpa de hétero não cola. Seja mais flexível.

—Com o Jeon? Nunca! —Indaguei.

—Para que tanta teimosia? Ele te disse alguma coisa ou fez algo de errado? —Após a sua pergunta, uma imagem veio em minha mente, como se fosse um flashback, e esta era de Jeon Jungkook. O vampiro estava a pouco centímetros de meu rosto e me encarava com os seus olhos negros que pareciam me desvendar por inteiro, eu sentia um arrepio e então veio aquela frase sussurrante e rouca ‘’Você vai ser o meu menino desobediente, Park?’’. Não sei como, mas aquela simples lembrança fazia o meu rosto queimar e um calor sobrenatural atingir o meu corpo.

—Jimin? —Indagou Taehyung, me despertando do meu inconsciente, vi que ele e Xiumin me encaravam com curiosidade. Provavelmente eu havia ficado alguns minutos vagando em meus pensamentos. —Você está bem? —Perguntou preocupado.

—Estou sim, TaeTae. —Respondi rapidamente, virando um pouco o meu rosto para o lado, tentando disfarçar a minha face avermelhada.

—Enfim...—Suspirou Xiumin. —Só não recuse um convite do Jeon para um encontro, não quero que role sangue no recinto. —Afirmou.

—Encontro? Como assim, Xiumin? —Perguntei.

—Agora que vocês já conheceram os seus candidatos, eles podem solicitar uma noite ou até mesmo um encontro com um de vocês. É claro, que vocês podem recusar alguns, mas um pedido de Jeon Jungkook é uma ordem. Então trate de não desrespeitar, Park!

—E eu, hyung? —Perguntou Taehyung, fazendo Xiumin pegar a folha relendo seus nomes.

—Você não pode recusar os pedidos do Lee Jaewook e do Gok Shinwon, eles são políticos importantes e não gostam de recusas, um desacato em um desses dois pode gerar grandes problemas. —Disse enquanto fitava a folha.

—Mas eu não quero sair com nenhum deles, hyung! Ainda mais com o Jaewook. Ele é um velho! —Indagou birrento cruzando os braços com um bico fofo nos lábios o que me fez rir um pouco da atitude do menor, porém eu também desgostava da ideia dele sair com um velho.

—Eu sei Taehyung, e te entendo, mas infelizmente vai ter que ser assim. Não quero que algo de ruim aconteça com você e esses dois não são brincadeira.

—Está bem. —Respondeu desanimado.

—Enfim, o almoço será realizado as às duas e meia devido a um atraso com as fichas e a recolocações de lugares. E desta vez eu não poderei acompanhá-los, então vocês terão de se virar sozinhos. Apenas não andem por corredores vazios ou se percam. Você se lembram do caminho, não lembram? —Concordamos com a cabeça.

Não fiquei chateado por Xiumin não poder nos acompanhar desta vez, afinal o vampiro cuidava de nós muito mais que os outros responsáveis, que uma hora ou outra abandonavam os seus escolhidos a mercê dos vampiros. Eu sabia que Xiumin tinha as suas responsabilidades e que ele fazia o máximo para ficar de olho em nós e nos dar as devidas instruções, porém uma hora ou outra teríamos que nos virar sozinhos.

+++++++++++

Adentrei o grande salão de jantar com o Taehyung, dando por falta de duas pessoas. Seus lugares estavam vazios e eu sabia que nunca mais seriam preenchidos. Eu sabia exatamente o que havia acontecido com elas, e mesmo com aquela sensação de se embrulhar o estômago, eu me sentei no mesmo lugar de antes ao lado de Taehyung. Tendo como visão novamente o Sion sentado naquele mesmo sofá vermelho, só que desta vez ele se encontrara totalmente concentrado, foleando diversos papéis com um par de óculos de correntes douradas apoiado em seu rosto. O seu assistente o Yoongi o ajudava, grampeando alguns papéis e os organizando conforme era instruído. Eu nunca o vi assim tão sério e sinceramente ele parecia outra pessoa.

Sou interrompido de meus pensamentos quando sinto uma mão tocar em meu ombro e ao olhar um pouco para trás, vejo que se tratava de Yoora, e a mesma parecia extremamente irritada, com uma cara tão horrenda que parecia ter saído de algum filme de terror. E ao perguntar o que ela queria comigo, ela intensifica o seu aperto em meu ombro de uma maneira tão forte, mas tão forte, que eu pude sentir o meu osso estalar, mais um pouco e ela poderia tê-lo quebrado. Fiz uma careta devido a dor do momento mais ela não cessou, apenas se inclinou um pouco, ficando na altura de minha cadeira e então colocou a sua boca bem ao pé de meu ouvido, sussurrando:

—O que o Comandante Jeon viu em alguém como você?!—Perguntou em um tom baixo, porém extremamente raivoso, quase como se a sua voz engrossasse, apertando um pouco mais o meu ombro ao final.

Aquilo foi a gota d´água, quem aquela vampira acha que é para vir me ameaçar só porque foi rejeitada por um homem? Querida, sinto muito lhe informar, mas eu não tenho culpa se o cara tem bom gosto. Afastei delicadamente a sua mão de meu ombro enquanto eu via ela dar tremeliques de raiva com os punhos cerrados. Acariciei a área dolorida com a outra mão enquanto ela ainda me encarava aguardando uma resposta. Eu sabia que aquela não era a atitude correta a ser tomada, mas eu já estava de saco cheio da Yoora me diminuindo e me destratando. Eu não estou aqui para aturar gente metida e nem tenho paciência para tal. A olhei com desdém e disse com toda a arrogância que possuía:

—Talvez ele tenha visto em mim o que ele não encontrou em você! —Imediatamente eu vi os seus olhos encherem de fúria e em um reflexo sobre humano, eu vi ela pegar a faca que estava ao meu lado, avançando em cima de mim sem piedade e eu só pude ouvi o Taehyung gritar.

—JIMIN!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao abrir meus olhos, que outrora eu havia fechado com o susto, pondo as mãos na frente de meu corpo, vi que Taehyung havia segurado o seu pulso. Ele empurrou o seu corpo contra o da vampira, o que fez ela se desequilibrar de seu salto alto e cair, mas não sem antes soltar a faca que escorregou pela sua mão a cortando de uma extensão a outra de sua palma. E ao ver o seu sangue escorrer pela mão do mais novo e a sua carinha de dor, eu me desesperei. Estávamos numa sala com quatro vampiros e eu não sabia qual seria a reação deles ao sangue de meu amigo, sem falar da minha preocupação por ele estar ferido, ainda mais por minha causa. Fui ao seu encontro o abraçando e segurando a sua mão e vendo a profundidade de seu corte, a sua carinha de dor e o desespero em seu rosto.

—YOORA!!—Um grito alto e grosso ecoou por toda a sala e este vinha de Sion. E ao olhar em sua direção, eu limpei um resto de lágrima que residia em meus olhos e que teimava a sair. O vampiro deu a volta na mesa vindo ao nosso encontro com uma postura feroz e imponente.

A Yoora se levantou, dando leves batidinhas em sua saia, limpando a sujeira do chão. A mesma possuía uma feição amedrontada e preocupada, talvez ela já sabia o que estaria por vir. O Sion parou bem na sua frente com uma distância de centímetros de seu rosto e gritou:

—SAIA DAQUI A-G-O-R-A! —Vociferou enquanto apontava brutamente na direção da porta. O seu tom era tão forte e ameaçador que faria os gritos de meu pai parecerem leves broncas. Não sei ao certo como a Yoora ainda não havia chorado. Ela abaixou a sua cabeça efoi na direção da porta, mas não sem antes que Sion soltasse mais uma frase. Uma frase que eu pude sentir de longe os pelos da vampira se arrepiarem de medo. —Eu me resolvo com você depois.

Assim que ela saiu, o Sion direcionou o seu olhar para nós e eu pude sentir o Taehyung levemente se encolher em meus braços. Me pus um pouco a sua frente pois estava meio receoso com a atitude do vampiro. Ele se aproximou de nós com calma e cautela e proferiu firme as seguintes palavras ao parar a nossa frente:

—Me deixe ver.—Nós entreolhamos naquela pergunta muda se deixávamos ou não, afinal aquilo era sangue fresco e o Sion era um vampiro, e nós sabemos muito bem o que os vampiros fazem. De saco cheio da espera ele soltou um suspiro pesado e puxou agressivamente o pulso de Taehyung para si, fitando a sua ferida. —É, o corte foi profundo.—Disse enquanto a olhava e ao terminar ele soltou o pulso do menor, que acariciou o mesmo devido ao seu aperto. Ele desviou o olhar de nós e gritou: —Yoongi!

—Sim, mestre. —Respondeu o vampiro ao outro lado da mesa enquanto curvava levemente a sua cabeça.

—Chame o Xiumin e diga para ele trazer o kit de primeiros socorros. —Ordenou.

—Sim, meu senhor. —Se curvou mais uma vez antes de sair da sala.

—E vocês dois. —Voltou a olhar para nós e rapidamente erguemos a nossa cabeça. —Voltem para o quarto, lavem essa ferida e aguardem o Xiumin chegar. Não quero vocês dois aqui, o seu cheiro está muito forte. —Falou firme e deu as costas para nós..

Imediatamente saímos do recinto, retornando para o quarto com o Taehyung em meus braços em um abraço de lado. Ao chegarmos, fomos direto para o banheiro para lavar a sua ferida, vendo o seu sangue se misturar com a água da pia enquanto ele se segurava para não gritar devido a ardência do choque da água gelada em sua pele. Enrolei a sua mão em uma toalha para estancar o sangramento enquanto esperávamos o Xiumin chegar, o que não demorou para acontecer. Logo o mais velho estava batendo em nossa porta e assim que eu a abri, vi o seu olhar desesperado e preocupado.

—Taehyung, você está bem? Ela te machucou muito? —Correu na direção do mais novo que sorriu com o seu ato. É, realmente o Xiumin é como uma mãe.

—Eu estou bem, hyung. Foi só um corte de nada. —Respondeu, enquanto o Xiumin desembrulhava a toalha de sua mão e o mesmo arregalou os seus olhos a ver o corte.

—Um corte de nada?! Ela abriu um talho na sua mão!!—Gritou.

—Poderia ter sido pior. —O olhou. —Poderia ter sido um talho na garganta do Jimin.

E nesse instante o meu olhar desceu e todo o ar em meu peito foi expelido por um único suspiro frustrado. Eu me sentia horrível, ver ele naquele estado era demais para mim e aquelas soaram como um tapa na cara. Quero dizer ele, ele... havia me protegido. Era eu que deeria tomar conta dele e agora ele estava ferido e por minha causa. É claro, que não era um corte muito sério, mas só na possibilidade de que algo pior poderia ter acontecido com ele ou comigo. E resumo eu me sentia péssimo. Sentei em uma cadeira enquanto via Xiumin passar um remédio e limpando o seu corte para seguidamente enfaixá-lo, até que ouvimos a barriga do mais novo roncar e uma feição constrangida surgir em seu rosto e não conseguimos nos impedir de rir.

—Ei, Parem com isso! —Esbravejou. —Eu não pude comer quase nada hoje.

—Se quiser eu posso voltar para a sala de jantar e trazer algo, acho que o Sion não vai se importar.—Sugeri.

—Quero as tortinhas de limão, hyung. —Ditou empolgado de uma maneira absurdamente fofa. Como se fosse uma criança pedido por um doce.

—Está bem. Eu trago para você. —Respondi com um sorriso que tornou os meus olhos pequenas fendas.

—Eu posso ir com você, Jimin. Deixa eu só terminar de fazer o curativo no Tae.—Falou Xiumin.

—Não precisa, hyung. Eu posso me virar sozinho, além do mais, eu não quero deixar o Taehyung esperando por muito tempo.

—Está bem, mas tome cuidado. —Aconselhou.

Caminhei pelos corredores a passos fúnebres, deprimido com os últimos acontecimentos, mas eu faria o meu melhor para melhorar toda aquela a situação eu não cometeria mais aquele erro eu definitivamente cuidaria de Taehyung. Na verdade, se pudesse eu traria toda a mesa de jantar para o quarto só para alegrar o menino e mimá-lo como ele merecia. Passei por vários vampiros durante o caminho, mas ao quando eu estava prestes a virar no último corredor, um vampiro de fios acastanhados segurou em meu pulso com força me fazendo parar e olhar para si.

—Esse cheiro vem de você? —Perguntou em um tom sério, mas eu pude sentir as suas segundas intenções de longe e a sua fome também. E foi ai que eu parei para refletir e reparei que a minha manga estava machada com um pouco do sangue de Taehyung. Droga!

—Não, agora com licença. —Respondi firmemente, mas ainda mantendo a compostura. Eu só queria sair logo dali. E então me soltei de seu aperto me virando e indo em direção a saída, mas...

—Oh, oh, oh. Calma ai princesa. Para que tanta pressa? —Segurou novamente em meu pulso, mas dessa vez o puxando fortemente contra seu rosto, cheirando a minha manga com uma face deleitosa e entorpecida. E aquilo me deu nojo, muito nojo! Afinal aquele era o sangue de meu amigo. E foi ai que eu perdi o meu controle.

—Yah, Me solte! —Puxei o meu pulso de volta tendo que aturar o seu olhar repreendedor contra mim. Mas quando eu achava que já estava livre, em uma fração de segundos ele chocou o meu corpo contra a parede, posicionando a sua mão em volta da minha garganta.

—Quem você acha que é para me tratar assim?! —Vociferou, intensificando o seu aperto em minha garganta. Os seus olhos tomaram um tom avermelhado e um sorriso perverso e pontiagudo adornou os seus lábios, resultando em uma risada baixa e maléfica. Dava para ver o prazer estampado em seu rosto ao ver o meu desespero.

Eu... estava sufocando.


Notas Finais


KYAAAAAAAAA! Mais um cap ^-^
Espero que eu não tenha exagerado nesse.
Enfim, espero que gostem porque sinceramente eu não gostei USHUAHUSHUA >.<
Não liguem para mim, eu sou pessimista.
Bjus e até a próxima o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...