História Foreign Beauty (Interativa) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, F(x), Girls' Generation, Got7, Miss A, NCT 127, NCT Dream, NCT U, SHINee, Super Junior, VIXX
Personagens Amber Liu, Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, Chenle, Cho Kyuhyun, Choi Siwon, D.O, Doyoung, Fei, Haechan, Han Geng, Hansol, Heechul, Henry Lau, Hongbin, Hyoyeon, Hyuk, Jackson, Jaehyun, Jaemin, JB, Jeno, Jessica, J-hope, Jia, Jimin, Jin, Jinki Lee (Onew), Jisung, Johnny, Jonghyun Kim, JR, Jungkook, Kai, Kangin, Ken, KiBum "Key" Kim, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Kibum, Kim Ryeowook, Kim Youngwoon, Kris Wu, Krystal Jung, Kun, Lay, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Leo, Lu Han, Luna Parker, Mark, Mark, Min, Minho Choi, N, Park Jungsu, Rap Monster, RenJun, Sehun, Seohyun, Shin Donghee, Shindong, Sooyoung, Suga, Suho, Sulli Choi, Sunny, Suzy, Taeil, Taemin Lee, Taeyeon, Taeyong, Tao, Ten, Tiffany, V, Victoria Song, Winwin, Xiumin, Yesung, Yoona, Youngjae, Yugyeom, Yuri, Yuta, Zhou Mi
Tags Bangtan Boys (bts) got7 vagas
Exibições 93
Palavras 3.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


A última integrante 🎶
CALMA, PERA! ÚLTIMA?!
O tempo passou voando, povinho do meu kokoro. Como vai ser o dia do debut?? Eu estou muito ansiosa para esse dia, unnies saengs!

Capítulo 24 - Última Integrante


Fanfic / Fanfiction Foreign Beauty (Interativa) - Capítulo 24 - Última Integrante

Nome: Dhon Do Hyeon

Idade: 20

Nacionalidade: Coreana

Par: JR

Sub-líder, vocalista

Akame P.O.V On
     Eu nunca mais convido as garotas para cuidarem do jardim junto comigo. Nós todas ficamos sujas de terra, foi uma guerra para entrar na empresa sem ninguém ver e a Sakura e a Min-Ah ficaram limpando nossas pegadas de terra, como castigo. Eu já tomei um banho e já são 22:30 da noite, só de pensar que a gente mal vai conseguir dormir quando debutarmos, dá um cansaço.
    Me jogo na minha cama e não demoro a adormecer.

(...)

    Acordo no meio da noite, sem sono. Resmungo e me espreguiço na cama, saindo do quarto sem me importar se estou de pijama ou não. Tropeço em alguma coisa e vejo que é o pé da Sakura, Sakura e Min-Ah devem ter pegado no sono e agora estão dormindo, encostadas na parede, uma encostada na outra
- Aish - murmuro. - Sakura, Min-Ah - faço carinho no cabelo das duas já que cutucar é um horrível jeito de acordar os outros - Acordem, saengs - sussurro. Min-Ah murmura, abrindo os olhos lentamente.
- Unnie? - Pergunta, coçando os olhos. Ela me olha, sonolenta e vai pendendo a cabeça pro lado, voltando a dormir
- Não dorme aqui, Min-Ah - digo, voltando a mecher com ela. Min-Ah acorda novamente, despertando aos poucos
- Aonde eu tô? - diz, olhando ao redor - Ah, já notei
- Vem cá, me ajuda a levar a Sakura - peço, ajeitando a outra no meu colo que não acordava por nada. Min-Ah me ajuda, pondo a rosada nas minhas costas e me ajudando a levantar. - Obrigada
- Por nada - se levanta em seguida, não sei o caminho do quarto da Sakura então vou leva-lá pro meu quarto. Sakura tem 1.47 de altura então ela é bem leve já que eu sou alta. - Onde a.... Uaahh - boceja, se apoiando na parede
- Min-Ah, não dorme - Repreendo, puxando a sonolenta comigo
- Unnies - Sakura chama, com sua voz rouca - Tô com sono... Zzz - volta a dormir. Rio anasalado, essa garota é muito dorminhoca. Mando Min-Ah abrir a porta do meu quarto, a mesma abre e eu levo a Sakura para a minha cama. Volto pra fechar a porta, vendo Min-Ah e Sakura na minha cama, dormindo.
- Ah, meu Deus - resmungo.
Ananda P.O.V On
      Acordo com os raios solares no meu rosto, retiro as cobertas que estavam em cima de mim
- Sakura, acorda - digo, a cama de Sakura está vazia. Qual foi o milagre que fez ela acordar cedo? Ela chega a ser mais dorminhoca do que o Suga. Dou de ombros, indo ao banheiro fazer minha higiene matinal pra depois eu ir à Cafeteria da SM, acho que agora o local deve estar com um pouco movimento já que é de manhã. Ponho uma roupa normal e uma blusa, o tempo está mudando e eu não quero ficar resfriada. Saio do meu quarto e vou em direção do elevador, entro nele e vejo a Min-Ah
- Ananda! - Põe as mãos no meu ombro - Você viu a Akame?
- Não - digo, semicerro os olhos - Por quê?
- Eu acordei no quarto dela e ela não estava lá - responde, pondo as mãos no rosto - A Sakura estava lá mas isso não vem ao caso
- O que vocês estavam fazendo no quarto da Akame? - Pergunto, pelo o que eu sei, as duas estavam limpando o corredor ontem
- Eu e a Sakura pegamos no sono enquanto limpamos as pegadas, a Akame nos levou pro quarto dela já que não sabia onde era o nosso - Explica. A porta do elevador se abre no térreo, dou tchau para a Min-Ah e saio do elevador. Ponho o meu capuz que peguei, indo para o estabelecimento da SM, tem algumas fãs aqui, todas estão com cartazes como: "Minho Oppa, Saranghe", "Im Joongin, namora comigo" etc. Isso faz eu rir. Peço um café com leite para o gerente e me apoio no balcão, batucando meus dados. Olho as mesas que estão ocupadas e só tem uma que tem uma garota apoiada na mesa, com os cabelos tampando seu rosto, eu conheço ela...
- Akame? - Cutuco suas costas, a garota não responde. Pego o meu café, tomo um gole e me sento em frente da tal "garota" - Akame, você tá bem? - Insisto, Akame levanta o rosto com a cara inchada e seus olhos vermelhos de sono - JESUS!
- Eu pareço estar bem?! - Pergunta exaltada - Está vendo o meu estado?! Eu tive que ficar sem dormir na minha cama para deixar a Min-Ah e a Sakura dormirem lá! Minhas costas estão doendo, muito, porque eu fiquei nessa posição a noite toda! - Grita, arregalo os olhos já que a Akame sempre foi a "calma" do grupo, olho ao redor vendo as pessoas a olharem como se fosse uma louca, Akame as olha mortalmente e elas voltam a fazer seus afazeres
- Unnie - ela me olha mortalmente - Calma Akame, você teve uma noite puxada então é melhor você ir ao seu quarto e voltar a dormir, ok? - Proponho, Akame faz um bico como se fosse chorar
- O que eu fiz pra merecer isso?! - Choraminga tampando o rosto. Passo a mão pelo meu cabelo, o que está acontecendo?
Akane P.O.V On
      Vou em direção da sala de treino das garotas, ver como tudo está indo. Abro a porta, vendo que as únicas que estão praticando é a Beatrice, Gabriela e a Yang Mi
- Como está indo? - Pergunto, chamando a atenção de todas pra mim
- Bem, elas só tem que se cansar menos - Yang Mi responde, apontando para as mais velhas
- Isso é injustiça, Akane unnie. Elas ficam dançando e a gente dança junto e depois fala que a gente se cansa rápido. Ah, vai procurar o que fazer - Esther diz. - Estou cansada mesmo
- Alguém está estressada - Midori provoca - A gente se esforçou e vai ter que se esforçar mais ainda quando debutarmos
- Tem razão - digo me sentando do seu lado - Algumas de vocês sabem alguém para ser parte da equipe de preparação?
- Como?! - Yang Mi diz, parando na minha frente - Eu conheço, a minha irmã é ótima quando se trata de beleza
- Sério?! - Pergunto, ela assente - Você pode ligar pra ela?
- Claro, só deixa eu procurar o meu celular... Achei - diz mechendo na sua mochila. Yang Mi digita algum número e liga pro mesmo. Ela começa a conversar com uma garota que se chama "Sook"
- Se é irmã da Sook então é uma louca - Mi-Chan diz
- Shiu! - Yang Mi diz - Oi Sook... - Yang Mi é interrompida por um grito de raiva
- KIM NAMJOON! - Parecia ser a voz do Jin, Jin abre fortemente a porta da sala fazendo um estrondo ecoar
- O que foi que ele quebrou dessa vez? - Midori pergunta
- ELE É UM SER MORTO! Aquela pessou horrível! Eu vou matar ele! - Puxa os próprios cabelos -... O meu Mário - ergue o boneco que está com a cabeça do lado e ao contrário - Ele quebrou o MEU Mário! Eu vou quebrar a cabeça dele com isso! - sai da sala bufando, pisando fortemente no chão. - RAP MONSTER, VOLTA AQUI. Você vai ficar sem comida hoje! - Grita no corredor, cadê o manager dessas crianças?!
- O Rap Monster tá ferrado - Esther conclui - Ele vai pedir pra você cozinhar, Midori
- Vocês já estão me fazendo de escrava-cozinheira - diz emburrada, nós rimos - Pedem pra Akane!
- Querida, eu já tenho que cuidar de um bebê em casa, vou ter que cuidar de um monstrinho agora? Eu não - Nego. Yang Mi volta dando pequenos pulinhos
- Daqui a pouco ela chega - conta animada.
- Quantos anos ela tem? - Questiono
- 20 anos - responde. Balanço os ombros, pelo menos já é adulta, não aguentaria ter de cuidar de mais uma criança se eu já tenho 14 crianças pra cuidar. Batidas na porta são ouvidas, Yang Mi vai abrir a porta - Mana!
- Peste! - a garota diz, Yang Mi entorta a boca - Você sabe que eu te amo, maninha.
- Aham, sei. - Yang Mi revira os olhos - Vem cá, essas aqui são as minhas colegas de grupo e essa - aponta pra mim - É uma das managers
- Prazer, meu nome é Sook, irmã dessa criança aqui - Sook diz, provocando a Yang Mi que cruza os braços - Por que você me ligou, Yang?
- Ah...Sobre isso, lembra que você queria achar um trabalho? - MiMi pergunta, Sook assente - Então, estamos precisando de uma staff...
- Menina, você caiu do céu! - Sook diz abraçando a irmã
Taeyang P.O.V On
     BtoB está na sala do CEO, tratando de assuntos que eu desconheço. Eu estou sozinho na minha sala observando um forte temporal que estava tendo lá fora. Uma garota deixa a porta entreaberta, levanto o olhar, a encarando.
- Porta errada, me desculpa - diz
Dohyen P.O.V On
- Ya, Sungjae! - Chamo meu amigo k-idol que está na frente, correndo pelos corredores da SM enquanto seus hyungs estão conversando com o CEO - Pabo, me espera
- Ninguém mandou ser lerda - revida, se virando para olhar pra mim. Reviro os olhos - Não reviro os olhos, Amorzinho
- Idiota - rosno. Ele só me chama de "Amorzinho" para me lembrar do tempo que eu me "declarei" pra ele por causa que eu era uma fã, louca pelo BtoB e o Sungjae era o meu bias. Quem, em sã consciência não se declararia para seu "oppa k-idol" que conheceu e gostou?! - Para de correr, quando você tropeçar e cair eu quero ver seu estado.
- Você vai me ajudar, não vai? - Pergunta, voltando aonde eu estou e me abraçando de lado
- Espera sentado - digo, Sungjae abaixa a minha cabeça. Maknae maldito
- D-Do-hyeon - gagueja tocando nos bolsos de sua calça.
- Desembuja - respondo já prevendo do que era
- Eu esqueci a minha carteira... - diz, o encaro desacreditada. Mesmo com seus 20 anos de idade, Sungjae não deixa de ser esquecido
- Aonde você esqueceu? - Pergunto, o maknae encolhe os ombros, sorrindo sem jeito. - Sung-Jae... Eu sou abençoada por ter você como amigo
- Aigoo, Do. Assim você me emociona - Finge limpar uma lágrima, eu queria dar um peteleco na sua testa agora. Volto o caminho que nós fizemos ouvindo um "Não precisa procurar, Minhyuk hyung compra outra", e mais um milhão de desculpas esfarrapadas. Abro uma porta qualquer, esperando que seja a porta da sala do CEO.
- Porta errada, desculpa - peço assim que vejo que não era o CEO que estava na sala e sim um homem, que eu não conheço, que estava me encarando nesse exato momento. - Érrr... Oi?
- Quem é, Do? - Sungjae abre a porta, sorrindo assim que vê o homem - É o Taeyang!
- Oi, Maknae - o chamado Taeyang diz, se levantando para ir procurar o mais novo
- Vocês se conhecem?... Quer saber, a gente tem que procurar a sua carteira, Sungjae. Tchau Taeyang - digo, empurrando o maior que volta e me empurra pra frente do Taeyang
- Ele é um manager - Sungjae sussurra no meu ouvido
- E daí? - Sussurro de volta, Sungjae sorri...peste!
- Taeyang, meu amigo. Você ainda está precisando de uma garota para o seu girl group? - Diz, apoiando no mais velho que concorda - Essa daqui é a Dohyen, minha amiga trainee da SM a tempos. - Conta, voltando pra trás de mim, ponho minha mão na testa, prevendo merda. - Ela pode cantar qualquer coisa, quando você quiser.
- Ah é? - Taeyang pergunta, Sungjae assente - Faça o que você quiser - diz pra mim. É pra mim cantar? Sério isso?
- Eu nunca mais procuro nenhuma carteira pra você - murmuro pra Sungjae que ri, achando graça. Sempre gostei de Big Bang então, nada mais junto de cantar Bang Bang Bang. Né? - Nan kkaeeona kkaman bamgwa hamkke
Da deureowa damen nugu charye
Han chi apdo bol su eopsneun makjang gerilla
Gyeongbaehara mokcheongi teojige

Jjijilhan bunwigireul jeonhwanhae
Gwanggireul gamchuji moshage hae
Namjadeurui pumwi yeojadeurui gasik
Iyu moreul jasingami bolmanhae
Nan boran deusi neomunado ppeonppeonhi
Ni momsoge pagodeuneun alleoji
Isanghan jeongsinui sulleongineun cheonji
Oneul yeogi mubeopji

Nan bureul jilleo
Simjangeul taewo
Neol michige hago sipeo
B I G yea we bang like this
Modu da gati

(Chong majeun geoscheoreom)
Bang bang bang
Bang bang bang
Ppangya ppangya ppangya
Bang bang bang
Bang bang bang
Bang bang bang

Da kkomjjak mara da kkomjjak ma
Da kkomjjak mara da kkomjjak ma
Oneul bam kkeutjang boja da kkeutjang bwa
Oneul bam kkeutjang boja
Bang bang bang

Neol deryeoga jigeum I sungane
Saeppalgan jeo haneuri chumchul ttae
Dolgo dora neowa na igoseun valhalla
Chanyanghara deo ullyeo peojige

We go hard bulchimbeon
Bamsae dallyeo chukjibeop
I noraeneun kkokjijeom
Sinina bulleora sinjeom
Keun bimyeongsorineun maseongui mellodi
Geomeun dokgiui yeongyeol gori
Sabang palbang obang gaseo puneun goppi whoo

Nan bureul jilleo
Ne simjangeul taewo
Neol michige hago sipeo
B I g yea we bang like this
Modu da gati

(Chong majeun geoscheoreom)
Bang bang bang
Bang bang bang
Ppangya ppangya ppangya
Bang bang bang
Bang bang bang
Ppangya ppangya ppangya

Da kkomjjak mara da kkomjjak ma
Da kkomjjak mara da kkomjjak ma
Oneul bam kkeutjang boja da kkeutjang bwa
Oneul bam kkeutjang boja
Bang bang bang

Ready or not
Yea we don’t give a what
Ready or not
Yea we don’t give a what
Let’s go namjadeureun wiro
Yeojadeureun get low
Danggyeora bang bang bang
Let the bass drum go
Namjadeureun wiro
Yeojadeureun get low
Danggyeora bang bang bang
Let the bass drum go
Let the bass drum go
Let the bass drum go
(Bang bang bang)
(Bang bang bang)
Let the bass drum go
(Bang bang bang)
(Bang bang bang)
Let the bass drum go

Acordo em uma noite escura
Todo mundo está me olhando, quem será o próximo?
Sou um guerrilheiro, louco e imprevisível
Então, paguem seus tributos, até a voz explodir

Mude esta atmosfera entediante
Então, a loucura não poderá se esconder
A dignidade dos homens e a pretensão das mulheres
É divertido ver de onde vem esta confiança desconhecida
Para mostrar a todos, penetrarei seu corpo
Sem pudores como uma alergia
O céu a e terra se agitam, com esta estranha mentalidade
Hoje não haverá lei

Colocarei fogo neste lugar
Queimando seu coração
Quero te fazer perder a cabeça
B I G yeah nós explodimos (bang!) deste jeito
Todos, juntos

(Como se tivesse levado um tiro)
Bang bang bang
Bang bang bang
Bang bang bang
Bang bang bang
Bang bang bang
Bang bang bang

     Antes que o Taeyang diga alguma coisa, eu penso na minha vida. Não é nem tão interessante, na minha opinião, como novela mexicana mas tem um significado. Nasci em 13 de agosto de 1996 em Busan na Coreia do Sul. Eu sou a mais nova entre um casal de irmãos mais velhos. Nunca passei dificuldades financeiras na vida, minha família pode ser considerada de classe média alta. Porém o meu pai de sempre ensinou as crianças a serem humildes, eles estavam sempre participando de projetos sociais ajudando os necessitados. Meu irmão e minha irmã mais velha foram adotados de um dos orfanatos que a família ajudava. A minha mãe não queria ter filhos dela, só aceitou adotar por insistência do marido. E de novo após muita insistência ela aceitou que tivessem um filho com o seu sangue.Após o meu nascimento a minha mãe (Im Ha) entrou em profunda depressão, ela claramente rejeitava a criança. O pai não entendia o motivo, achava a filha perfeita, os irmãos também, desde os primeiros anos de vida eu era sempre vibrante e carinhosa como um ursinho (isso gerou meu apelido: Gom Dohye), eu era a joia da família, cativava a todos com seus encantos e com seu charme. Meu pai estava sempre dizendo que eu lembrava a mãe quando era mais nova. Esses comentários fizeram com que Im Ha criasse sentimentos ruins dentro de si, ela tinha ódio da garota, mesmo sendo sua própria filha ela não aceitava que não era mais o centro da família. Eu fui crescendo feliz, mesmo com a indiferença da minha mãe que estava sempre apontando defeitos em mim “Por que você anda assim Do Hyeon? Anda igual gente” ou “Essa postura! Dhon Do Hyeon quantas vezes eu tenho que te lembrar de sentar direito?”. Era sempre muito dura com a caçula. Eu fazia aulas de balé e teatro junto com a irmã mais velha, piano e canto com o irmão. Eu sempre esteve muito ligada a arte fosse dançando, tocando, atuando ou cantando. Mesmo eu sendo muito amada pelo pai e pelos irmãos, eu sentia falta da mãe elogiando em alguma coisa, sentia falta do amor. Quando eu fiz 8 anos, In Ha estava cada vez pior, ela apertava e me empurrava. Quando o marido a via fazer isso repreendia a esposa, ela devia ser uma boa mãe. In Ha achava que eu era uma adversária e que estava ali pra roubar sua família. “Essa menina é uma peste! Por que ninguém vê isso?” In Ha pensava.Um dia eu estava muito doente, era uma gripe daquelas muito fortes, estava sozinha com a mãe em casa. Os meus irmãos tinham ido para a escola normalmente, e o meu pai tinha ido se encontrar com o terapeuta de In Ha. As notícias não eram boas, a mulher seria encaminhada para um psiquiatra, seus pensamentos durante as consultas não era naturais, sua saúde mental estava realmente afetada. O terapeuta e o meu pai discutiam o que deveria ser feito, ambos preocupados com a minha saúde que corria perigo se ficasse perto da mãe. No momento em que o médico informou o estado mental da esposa, o meu pai entrou em pânico, ele me deixou sozinha com In Ha, nunca imaginaria que o estado dela era tão grave. “In Ha sente que a filha de vocês é um demônio, uma criatura realmente ruim. Que foi colocada na família por alguém que quer destruir vocês . E que ela, somente ela é quem deve impedir esse ser de fazer mal para a família". Disse o médico. Nesse momento o meu pai saiu apressado do consultório. Em casa In Ha preparava uma sopa para a filha. Eu tossia no sofá, estava com febre alta de novo, uma parte dentro de In Ha quis “amolecer” e não colocar seu plano em prática. Ela colocou um porção de remédios na sopa da menina, vários tipos de calmantes fortes indicados só para adultos, alguns tarja preta e até alguns que não deveriam ser digeridos os de uso externo. Percebi que a sopa estava com um gosto estranho, mas não disse nada pois a minha mãe estava sendo muito carinhosa comigo desde que fiquei doente. Eu adormeci. Quando o meu pai chegou em casa encontrou as embalagens de medicamentos vazias. Chamou a ambulância, fez todo um drama chorando e berrando com In Ha, que só ria dizendo que ele deveria agradecer. Eu fui levada para o pronto socorro, fizeram uma lavagem estomacal e fiquei bem. Quanto a minha mãe foi levada direto para um clínica. A minha vida e de e meus irmãos, mudou depois desse acontecimento, os vizinhos ficaram sabendo da verdade, que a família perfeita não era nada perfeita. A gente teve que mudar de Busan , o meu pai escolheu mandar os filhos para um internato em Queenstown na Nova Zelândia, ele não poderia morar em qualquer outro lugar a não ser Busan Por isso mandou apenas as crianças que aprenderiam um novo idioma e uma nova cultura. Eu me sentia estranha sobre o que acontecerá com a minha mãe, os meus irmãos não falavam sobre isso comigo, na verdade eles evitavam o assunto. Os primeiros anos em Queenstown foram estranhos, eles eram os únicos asiáticos na escola. Eu estava sempre explicando que não era Japonesa, e sempre ouvia “E qual a diferença?” eu ficava desapontada com isso, sentia saudade de casa. Eu continuei com as aulas de canto, dança e teatro, largei o piano pois não tinha paciência para ler partituras. Era sempre elogiada pelas professoras de atuação, minhas expressões eram sempre muito verdadeiras, eu conseguia passar os sentimentos de maneira “orgânica”. O que me levou a participar de alguns musicais e seriados de TV na Nova Zelândia, porém meus papéis eram sempre secundários, por mim ser asiática, eles não escreviam protagonistas para quem não tinha aparência ocidental. Eu e os irmãos decidimos que ali não era meu lugar, por mais que tivessem talento nunca seriam aceitos, eu sempre faria o papel da estrangeira em qualquer série que tentasse, estava cansada de atuar assim, era chato fazer sempre o mesmo personagem com sotaque forçado já que seu inglês era excelente. Eles decidiram voltar para Coreia, o pai agora morava em Seul, o que era perfeito pois não conheciam ninguém e não seria questionados sobre o incidente com a minha mãe. Com 16 anos dei adeus a Queenstown, me sentia feliz por ser capaz de recomeçar na Coreia, eu seguiria na carreira de atriz ou cantora. Ou talvez os dois. Com 16 anos (logo após da minha volta para Seul), fez uma audição para entrar na SM fui aprovada como atriz, ficou cerca de 3 meses no treinamento teatro. Um dia eu precisei substituir uma das trainees que fariam a dança de fundo para a BoA eu me apaixonei por aquele tipo de trabalho no palco por ser realmente boa dançando e com possibilidade de crescimento, consegui convencer todas a me trocarem para o treinamento de Idol, apesar muito "verde" ainda meu vocal era impressionante, eu trabalhei duro, chegando a treinar 9h por dia, meu principal foco era manter o controle vocal enquanto dançava. Sabia que se quisesse debutar logo teria que trabalhar o dobro, ou até o triplo do que as outros trabalhavam, já que nunca tinha pensando em ser uma cantora antes. No tempo em que eu e a outras meninas ficaram na geladeira da SM sabia que se quisesse debutar logo teria que trabalhar o dobro, ou até o triplo do que as outros trabalhavam, já que nunca tinha eu pensando em ser uma cantora antes. No tempo em que eu e as outras meninas ficaram na geladeira eu me dediquei a crescer musicalmente e também ao meu segundo sonho que era ter diploma universitáio com 17 anos ela entrou para Ciências Biológicas na universidade de Seul, ela deseja ensinar no futuro.
- Ya! Dohyeon - Taeyang me chama, me tirando dos meus devaneios - Como eu não gosto de injustiça, você foi aceita


Notas Finais


Eu vou postar o próximo capítulo mostrando a segunda coreógrafa
Até algum dia, mores e amoras 😘


Sook: https://goo.gl/images/BTPYHX


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...