História Forever - EduKof( Am3nIc) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 28
Palavras 939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Voltei beeem rapidinho, muito obrigada pelos comentários anteriores e #EduMereceUmaCategoria

Capítulo 4 - Deixar rolar


Fanfic / Fanfiction Forever - EduKof( Am3nIc) - Capítulo 4 - Deixar rolar


31/ 04 / 2016 Londrina


            Lia P.O.V ON

 

Uma semana, faz uma semana que eu não vejo o Dudu, eu sentia até saudade daquele gordinho.

Sai dos meus devaneios quando o sinal tocou, avisando que eu finalmente poderia ir embora.

Peguei minhas coisas e fui embora, finalmente. Perto de casa eu vi que tinha um carro me seguindo o que era muito estranho, dava até medo, apressei os passos e vi que o carro acelerou também, comecei a correr quando eu vi que o carro estava próximo, e quando eu estava chegando na minha rua o carro me fechou fazendo eu cair de joelhos, por puro cansaço. Meu Deus. 

 - LIA, 'CÊ' TÁ BEM? - Aí minha nossa senhora, eu reconhecia aquela voz de longe era do Dudu.

Assenti respirando bem devagar,eu sentia minha cabeça girando e ouvia alguma voz só que bem longe. 

- LIA, LIA FALA COMIGO POR FAVOR, FICA ACORDADA LIA - E apaguei


    Eduardo Fernando P.O.V ON


              Uma hora antes   


Depois de uma semana inteira cansativa, pelas inúmeras viagens, eu finalmente iria ver a Lia. 

Passei com o Boquinha e com o Dê na casa da mãe dela, pra saber onde ela estuda e se ela poderia almoçar conosco e até mesmo dar uma volta no shopping, e ela deixou, ainda bem, dessa vez a Lia não teria desculpa e eu poderia sair com ela sem nenhum problema.

Comemos um bolo delicioso que a mãe da Lia, tinha feito e conversamos um pouquinho quando deu o horário nós fomos sequestrar a Lia, só que o Dê levou isso a sério demais. Encontramos ela, e ele quis dar um susto nela, agora estamos no meu quarto esperando a mesma acordar. 

- Edu, 'cê' me desculpa? Eu não fiz por mal eu só queria fazer uma brincadeirinha com ela. - Encarei o Dê mortalmente e balancei a cabeça negativamente. Com a Lia não. 

- Eu não esperava isso de você, do Boquinha quem sabe, mas logo de você, que sabe do quanto eu gosto da garota e do quando eu quero conquistar ela? Não precisava disso. - Ele assentiu de cabeça baixa e saiu do quarto.

- Mãe? Pai? - Lia dizia baixinho.

- Lia? Tá tudo bem meu amor? - A mesma me encarava confusa. 

- Edu? O que você tá fazendo aqui, quer dizer aonde é que eu tô? Eu preciso ir, minha mãe deve tá me esperando pro almoço. - Ela tentou levantar da cama mas sentou novamente. 

-Calma, tá tudo bem, depois eu te explico melhor, vamos almoçar que eu te explico tudo com calma -A mesma assentiu desconfiada e eu a levei a cozinha. 

- Meninos quero que vocês conheçam uma amiga minha, a Lia, Lia esses são meus "filhos" Ravanha, Aruan, Afrem, Portuga, Inê e Maycon. - Ela deu um "Oi tímido e os meninos riram. 

- Amiga né Edu, sei - Portuga disse deixando a menina mais envergonhada ainda. 

- Deixa de falar besteira, agora a gente vai sair pra almoçar, daqui a pouquinho eu volto - Peguei minha câmera, meu celular, a bolsa da Lia e finalmente fomos. 

             * Dentro do carro*


- Você mora com todos eles? - Lia perguntou. 

- Sim, mas alguns estão planejando morar em São Paulo - Ela assentiu e ligou o rádio. 

- Eu posso ligar o rádio né? - A mesma perguntou envergonhada.

- Você pode fazer o que você quiser, mi carro, su carro - Lia gargalhou, e eu nunca tinha ouvido uma gargalhada tão gostosa como a dela. 

- Não seria coche Dudu? - Me perdi literalmente naqueles lábios carnudos quando eu vi já estávamos passando vergonha de tantas buzinas. 

- Aonde vamos? - Estacionei no Shopping e a mesma revirou os olhos. 

- Porque não me disse antes? Eu não trouxe dinheiro suficiente.

- Não se preocupe, eu te convidei, eu pago - Ela balançou a cabeça negativamente e cruzou os braços. 

- Só se você deixar pagar um sorvete do Mc - Assenti e a mesma deu um sorriso. 

- Vamos lá Dudu - Corremos até a entrada do shopping já que chovia, mais bipolar que a Lia, só Londrina mesmo. 

Fomos até a praça de alimentação e decidimos comer no Subway. 

                                 ***

- Lia, eu nunca te perguntei mas você namora - Ela negou e suspirou. 

- E você Dudu, namora? Tenho certezas que você deve ser aquele verdadeiro comedor de pepekas - Rimos. 

                     

                Lia P. O. V ON


- Sabe as meninas sempre preferem o mais magro, o mais bombado, por isso eu não tenho uma namorada. - Dudu disse envergonhado. 

- Eu gosto de você do jeito que você é Edu, por que você é meu travesseiro gigante- Rimos, e logo após eu termino de comer meu subway. 

- Eu também gosto de você Lia, do jeito que você é, mesmo que esteja toda suja de molho barbecue -Edu se aproximou e limpou aonde estava sujo. De perto Edu tinha os olhos mais lindos que eu já vi, por que é uma mistura de verde com castanho, abaixei a cabeça envergonhada, e senti um carinho gostoso na minha cabeça. 

- Lia? - Senti seus doces lábios nos meus, os movimentos eram lentos, mais precisos e gostosos, meus braços já se encontravam em sua nuca, talvez mamãe estava certa eu deveria esquecer Caio, deveria esquecer que eu não devia ninguém e que ninguém pagava as minhas contas, eu deveria me entregar pra Dudu, talvez seja cedo demais, quem sabe? E não, não era como se nós estivéssemos namorando, mas, eu sentia algo por ele, algo muito especial. E talvez aquela passada no supermercado tenha sido a melhor coisa a melhor coisa que eu tenha feito na vida.



Notas Finais


Espero que gostem, mandem idéias construtivas, amo-lhes💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...