História Forever - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Jungyeon, Nayeon
Tags 2yeon
Visualizações 41
Palavras 1.672
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Esporte, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Never Forget Me


Fanfic / Fanfiction Forever - Capítulo 1 - Never Forget Me


Alguns anos atrás...

Finalmente a professor liberou a turma pra sair pro recreio, eu peguei minha lancheira das Meninas Super-poderosas e me sentei em uma mesa de mármore que estava em um local mais afastado de onde os outros alunos estavam.

Peguei minha maçã e logo senti alguém sentar ao meu lado. Olho para a pessoa e percebo que era a Jeong com sua lancheira das Winx. Eu e ela estudávamos na mesma sala, nós faziamos o 5° ano.

Jeong: Que pressa foi aquela? Você nem me esperou. - Depois de ter comido meu lanche eu fechei minha lancheira e fui em direção ao parquinho sendo seguida pela mesma.

Nayeon: Eu não estava mais aguentando ficar dentro daquela sala, por isso sai logo além de estar morrendo de fome. - Me sentei em uma balanço e logo a outra veio pra trás de mim e começou a me empurrar. Quando começamos a fazer o 1° ano nós fizemos um acordo de que uma podia ir no balanço e cada uma tinha direito a 50 balanços contados.

Nós éramos amigas desde os 4 anos, nossas famílias ficaram muito próximas e então eu a conheci, e desde então não conseguíamos mais ficar longe uma da outra. Viramos melhores amigas depois de passarmos 30 minutos juntas.

Jeong: Você ainda vai continuar estudando nessa escola? - Ela perguntou e me empurrou de novo me fazendo ir mais alto do que antes. A cada balanço eu sentia que poderia tocar as nuvens e ver se elas eram feitas de algodão-doce que nem os outros diziam.

Bunny: Claro, por que? - Falei e desci do brinquedo e logo a outra subiu nele. Eu comecei a empurrá-la com um pouco de dificuldade, já que eu não tinha tanta força assim.

Jeong: Eu tenho algo pra te dizer, mas agora não. - Eu fiquei bastante curiosa e insisti bastante pra ela me dizer o que era, mas quando vi que ela não iria contar nada no momento eu desisti de convênce-la e a chamei pra ir até a biblioteca, eu teria que devolver um livro que aluguei já que hoje é o nosso último dia de aula.

Eu devolvi o livro e já que não tinha nada pra fazer, eu e a Jeong decidimos passear pelo jardim da escola. O local estava muito silêncioso, demonstrando que não tinha uma alma viva ali.

Jeong: Eu queria te dar uma coisa. - Falou quebrando o silêncio que antes estava instalado ali. Eu me sentei num banco e fiz um sinal pra que a mesma me sentasse.

Nayeon: O que você quer me dar? - Perguntei e ela retirou do bolso duas correntinhas douradas, cada uma com uma letra.

Jeong: Isso daqui é pra você nunca esquecer de mim, da mesma forma que nunca irei esquecer você. - Ela pegou a corrente com a letra J e botou no meu pulso. E depois pegou a outra com a letra N e colocou no pulso dela. - Essas duas letras são as inciais do nossos nomes. Eu queria te dar algo especial antes de partir.

Nayeon: Como assim partir? - Falei e encarei os olhos delas que demonstravam tristeza, eu sabia que ela estava querendo chorar porém estava se segurando.

Jeong: Meus pais me disseram que terão que se mudar por causa do emprego, e eu terei que ir junto. Eu ouvi eles falando disso a uns dias atrás, porém eu não quis acreditar. - Quando ela falou aquilo as lágrimas começaram a cair descontroladamente dos meu olhos. - Quando a aula terminar eles viram me buscar pra gente ir pra nossa nova casa em outro país.

As lágrimas não paravam de cair, meu coração já estava em pedaços. Como eu iria ficar sem minha melhor amiga perto de mim? Com quem eu iria passar todos os recreios juntos? E todos os nossos planos para nosso futuro, como iria ser agora?

Senti os braços delas me envolverem e a mesma depositou um beijo na ninha cabeça, ficamos daquele jeito por alguns minutos até que nosso choro cessou por um tempo.

Nayeon: Por favor, me promete que nunca irá se esquecer de mim?

Jeong: Nem se você quisesse. - Falou e nós duas cruzamos nossos dedos mindinhos. Depois ela me deu um selinho, e por alguns segundos eu senti toda a dor e tristeza que ela estavam sentindo naquele momento.

Eu desenvolvi um laço de amizade muito forte com ela. Todos esses anos que nunca quis admitir, mas lá no fundo eu sabia que ela era a dona do meu coração, a razão por que eu passei noites acordadas. O destino resolveu nos juntou e depois nos separou, porém eu sei que algum dia ela vai voltar...

Dias atuais...

Depois de anos eu ainda me encontro usando a correntinha que ela me deu, todo mundo sempre me disse que ela não irá voltar mas eu sei que isso não é verdade.

A corrente é a única coisa que deixa meu braço esquerdo bonito no meio de tantos cortes que já fiz nele, a maioria já está cicatrizado. Sofro de depressão desde o dia que ela foi embora, e isso se agravou ainda mais quando minha mãe morreu, ela estava dirigindo normal quando um carro desgovernado se choca contra ela. Desde então eu me corto pra tirar um pouco do meu sofrimento já que a dor que a lâmina causa é bem menos do que minha alma sente.

Eu conclui o ensino fundamental e o médio, e hoje estou fazendo faculdade de direito com 23 anos. Foi meu sonho desde sempre se formar nessa área, e o dela também...

Ainda guardo comigo todas as nossas fotos juntas, e esses dias achei um caderno que nós fizemos aonde continha todos os nossos planos pro futuro. Isso só fez eu chorar ainda mais.

Nesses anos eu fui capaz de ver o tanto de maldade que tem no ser humano. Já fui estrupada, violentada, e até sofri bullying por causa dos cortes nos meus braços. Sempre fui zoada pelos alunos da minha antiga escola, alguns deles até pregavam peças em mim como no dia que eu estava saindo do banheiro e jogaram um balde de tinta em mim, e ainda tiraram foto pra compartilhar com os outros alunos.

Minha vida mudou completamente desde que a Jeong foi embora, depois dela não fiz nenhuma amiga, eu ficava sempre isolada na hora do intervalo. Até parei de andar no balanço já que ele trazia de volta todas as memórias daquele maldito dia quando ela me disse que iria embora.

Tomei um banho e vesti a primeira roupa que estava na minha frente. Peguei meu casaco e sai de casa pela primeira vez em duas semanas, tirando os dias que eu ia pra faculdade. Entrei numa lanchonete que ficava perto da minha casa e fiz meu pedido pra garçonete. Me sentei numa mesa que ficava ao lado da janela vendo as pessoas andarem de lá para cá cheios de coisas pra fazer. Estava tudo calmo até ouvir a voz de alguém ao meu lado perguntando se poderia sentar e eu disse um sim sem nem tirar minha visão da rua. A garçonete trouxe meu pedido e eu começei a comer até que a mesma pessoa me faz outra pergunta.

Garota: Aonde você achou essa pulseira? - A encarei e pude ver a garota na minha frente, ela era morena e seus olhos eram castanhos.

Nayeon: Foi presente de uma amiga minha, ela me deu isso alguns anos atrás.

Garota: Por acaso você se chama Nayeon? - Perguntou e fiquei surpresa com aquela pergunta. Como ela sabia meu nome?

Conversei um pouco com ela e descobri que a mesma era amiga da Jeong e que ela estava em um hospital da cidade. Quando ouvi isso eu quase engasguei com meu próprio lanche.

Ela se chamava Jade, e conheci um pouco sobre ela enquanto a gente ia em direção a esse hospital. Segundo ela a Jeong tinha sofrido um acidente de carro e estava correndo o risco de morrer.

Chegamos no local e eu sai em disparada ao quarto dela.

Quando a vi não sabia se chorava de tristeza, por causa do seu estado, ou de felicidade, por ter a reencontrado.

Ela estava com várias máquinas ao lado da sua cama e cheia de cicatrizes e hematomas.

Nayeon: Jeong? - A chamei e a mesma olhou pra mim e não me reconheceu, ela estava tão diferente. - Você não se lembra de mim? Eu sou a Nayeon, sua melhor amiga, a pessoa que você prometeu nunca se esquecer.

Ela ficou um pouco surpresa ao me ver e me abraçou, porém eu tomei o maior cuidado pra não machucá-la. Conversamos por um bom tempo, falamos o que aconteceu desde o dia que a gente se separou.

Estava tudo normal até que os aparelhos começaram a apitar e a mesma foi ficando com dificuldade de respirar. Eu chamei o médico e voltei minha atenção a ela.

Jeong: Eu não tenho muito tempo de vida Nayeon, eu sei disso. Só por favor, nunca esqueça que eu te amo minha coelhinha. - Falou e logo fechou os olhos e os aparelhos pararam de apitar.

Eu comecei a chorar, eu esperava inundar aquele quarto apenas com minhas lágrimas. Eu mal reencontrei minha amiga e já a perdi de novo.

Mais que merda universo. Por que você faz isso comigo?

Logo eu comecei a escutar una gritaria e não deu tempo nem olhar direito o que estava acontecendo, só vi um moço apontar a arma pra mim e logo disparou a mesma.

Minha vida passou diante dos meus olhos em apenas 0.5s. Eu fechei meus olhos e logo senti minhas costas se chocarem contra o chão e a última coisa que vi foi o teto branco daquele quarto de hospital.

Abri meus olhos e vi uma garota na minha frente, foquei minha visão nela e pude perceber que se tratava da Jeong, da minha Jeong. Mas, se ela está aqui, quer dizer que eu estou morta também?

Jeong: Venha logo coelhinha, lá dentro tem um monte de balanços só para nós.

A segui e vi que estávamos com as mesmas roupas e aparência que tinhamos no dia que a Jeong foi embora. Segurei sua mão e entramos no paraíso aonde iríamos ficar a eternidade juntas.

Para sempre...



Notas Finais


Bom espero que tenham gostado.
Beijos de luz no ❤ de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...