História .Forever - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bts, Imagine Jungkook, Jungkook, Kallyendres2, Kook
Visualizações 20
Palavras 2.438
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Fluffy, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom, está é minha primeira oneshot e estava à um bom tempo guardada na gaveta. E eis a pergunta, por que não postar?.

Enfim, eu postei mas acho que vai flopar. Mas espero quê não. Mas seje o que Deus quiser!

Desculpe-me os erros!
Boa leitura, ^^

Capítulo 1 - Capítulo único;


Fanfic / Fanfiction .Forever - Capítulo 1 - Capítulo único;

Sobrevivi ao décimo mês pós Jeon. Depois termos brigado por um motivo bobo — ciúmes —,resolvi que não dariamos mais certo, já que as brigas marcava presença todo dia em nosso relacionamento.

Acabo de me arrumar e vou para o trabalho, ultimamente é o que tem sido uma boa distração [...] O tempo passa numa névoa de rostos já conhecidos e muito trabalho à fazer.

— Tchau pessoal — murmuro e saio.

Caminho de cabeça baixa até um ponto de táxi próximo,pego um e falo meu endereço ao motorista. Dez minutos depois, chegamos ao meu respectivo lar. Pago o indivíduo e saio do carro. Ao adentrar o apartamento me jogo no sofá e acabo caindo no sono de tão cansada que estava [...] Acordo em um sobressalto com meu celular tocando,olhei quem é: Suzie. Atendo:

— Oi
— Tava dormindo?
— Sim,o que você quer?
— Acordou com o pé esquerdo né.
— Fala logo..
— 10 minutos para você se arrumar,vamos pra nigth hoje. E não aceito um "não" como resposta.
—Ah,não tô disposta hoje Su. Depois a gente marca pra sair.
— Chego na sua casa em três minutos. — Nem encerro a chamada direito e já ouço um ser entrando em minha casa sem permissão. Mas também, ela já é de casa.


— Levanta desse sofá e vai tomar um banho — diz empurrando-me do sofá —, rápido (s/n),não tô por sua conta não menina!


— Aigoo — digo saindo do chão e indo em direção ao banheiro. Sei que se continuar ‘discutindo’ com Kim Suzie será o mesmo.que falar  sozinha — Para onde vamos?

— Naquela casa noturna que íamos antes de você resolver hibernar por cinco meses.

— Ah! — Espero que o Jeon não esteja lá,já que ele e seus amigos iam naquele ugar quase todo fim de semana.

[...]

— Miga tu tá maravilhosa! —  Trajo um cropped listrado (branco e preto) e uma saia (preta) que vem até a metade da coxa, juntamente com um salto preto aveludado. 

— Vamos?

— Vamos! — Saímos de casa e fomos em direção a boate, que era perto de casa e não era necessário ir de carro [...]  

 *Jungkook On*


— Quantas vezes terei que dizer que ele e meu amigo? A.M.I.G.O. — soletro cada letra da última palavra

— Tanto faz. Ele sendo ou não seu amigo não significa que ele tenha o direito de beijar-te na boca!

— Ele não me beijou, ele me abraçou, é muito diferente uma coisa da outra.


— Não é a primeira vez que eu vejo ele tentando te beijar , abraçar, ou sei lá como você chama. 

— Se você não sabe ou esqueceu também não é a primeira vez que eu vejo você e aquela tal de Lisa se esfregando um no outro, dançando é como chamas.

— Ela não tem nada haver com essa conversa,estamos falando do Joo Hyun .

— Agora está defendendo ela. Okay,tudo bem. Pra mim já deu,cansei dos seus ataques de ciúmes. Acabou Jeongguk!

— Acho que também prefiro assim. Pelo menos pouparei minha voz com você um bom tempo.

— Ótimo. Tchau, vai lá procurar a Lisa,porque pra mim já deu.


Relembro novamente da briga entre mim e (s/n) semana passada. Mas também não foi minha culpa termos dado um fim no relacionamento e sim daquele ser que ela chama de amigo,será que ela não enxerga que ele a ama e quer fazer de tudo para nos separar? E pelo visto ele



"Preciso reconquistá—la!"— penso.



Tenho uma ideia,mas preciso da ajuda da (s/a) para poder funcionar. Ligo para (s/a) e imploro para ela até ela aceitar me ajudar. Depois dela concordar em me ajudar,explico pra ela o que tenho em mente. Pedi para ela levar (s/n) até aquela boate perto da casa da mesma, e que dez horas em.ponto ela teria que estar lá sem falta e como eu sei que a (s/a) tem o poder do convencimento,sei que (s/n) vai estar lá. 

[Chat]


Jk: Preciso de todos vocês naquela boate perto da casa da (S/n) às nove em ponto.



Jn: Pra quê?!



Rm: Okay!



Jm: Vou estar lá!



Tae: Okay!



Jh: Tá bom



Sg: Só vou porque eu não tenho nada pra fazer mesmo

*Chat Off*

Me arrumo e espero dar o horário para poder ir [...]


Já fazia uma hora que estava na boate com os garotos e nada da (s/n) e da (s/a), comecei a ficar preocupado. Alguns minutos depois olhando ao redor avistou elas entrando e meus olhos se encontram com o da (s/n) , ela desvia o olhar.



Jn: O Jungkook!



— Ah.. Oi!



Jm: Ainda?



— O quê?



Jh: Uma palavra: (s/n).. Eu vi ela e vou lá conversar com a mesma e o Jimin vem comigo — eles sai da mesa e vai até as garotas.



Rm: Assim não está muita coincidência vocês dois estarem no mesmo lugar não?



— Cala a boca,hyung. Obg! — Deixo eles falando sozinho e vou atrás dos garotos que foram conversar com as meninas.



— Posso conversar com você (s/n)?



— Infelizmente, não. — (S/a)  a dá uma cutucada e olha a mesma séria— cinco minutos e nada mais.— Saímos da boate e fomos até um parque ao lado.



~~

— O que você quer? — Diz friamente



— Me desculpa,eu não imaginava que você iria fazer tanta falta como está fazendo. Volta comigo,por favor?



— Te desculpar eu até posso,mas não prometo que voltaremos. Não podemos continuar tendo um relacionamento com suas crises de ciúmes bobos.



— Você não sentiu minha falta?



— E claro que eu senti, mas...— ela não acaba de falar e vejo uma lágrima escorrer de seu rosto.



— Eu gosto muito de você. Por favor,me  da outra chance?



— Então prova que você ainda me ama.— murmura. 



— Quer que eu prove?



— Aham..— Me ajoelho em sua frente e começo a me declarar para ela — Minha linda (s/n),eu Te amo,não consigo viver sem você e desde quando a gente se separou eu sei lá...fiquei sem chão. Sua determinação e beleza são únicas e você com esse jeitinho marrento acabou me conquistando. E eu quero que você passe o resto da minha vida comigo. Então (s/n),aceita casar comigo? —  Tiro uma caixinha Vermelha do bolso e abri deixando ela ver o anel, Espero pela resposta dela e vejo uma lágrima escorrer do seu Belo rosto,me levanto e enxuto Sua lágrima.



— É sério?!



—Sim,então aceita?



— E claro...— Vejo um sorriso surgir nos seus lábios,me aproximo e deposito um beijo calmo em seus lábios e do escutamos sons de pessoas batendo palmas.

(S/n) On

— Então (S/n) você aceita casar comigo?



"Eu te mato (S/a)!"



— E claro...— a única coisa que consigo dizer.. Depois ele sela nossos lábios em um beijo calmo e só o que  consigo ouvir são sons de pessoas batendo palmas.

“Como eu tive saudades desse beijo”

[Dois anos depois]

Dois anos se passaram em um piscar de olhos. Eu e Jungkook nos casamos no final do ano retrasado e hoje moramos em uma casa só nossa,como ele diz nosso cantinho. Hoje nós dois juntos temos um casal de gêmeos fraternos: A mais nova Kim Eun—Kyung e o mais velho Jeon Dae—Sun. Dois pestinhas de um ano e nove meses. 

Estamos agora no quintal de casa. Eu, as crianças e a babá, estamos brincando, quando de repente sinto uma pontada no peito e uma voz falar na minha cabeça o nome de Jungkook... 

— Sehee,olhe as crianças por favor. Preciso fazer uma ligação — saio e deixo as crianças com Sehee. Pego meu Telefone e ligo para Kook,só que o número está...


?: Este número encontra indisponível ou fora da área de cobertura. Por favor, tente mais tarde...piiii piiii — Ele não atende, então decidi ligar para Jin, já que trabalham juntos.— Alô! Jin — Falo desesperada

Jn: Sim! Aconteceu algo?! — pergunta aflito


— O Jungkook está aí com vocês?

Jn: Não, Ele acabou de sair. Por que?

— Nada. Obrigado — encerro a chamada antes mesmo dele dizer tchau.

*Jungkook On*

Jk: Por hoje é só! Tchau turma! — Falo e pego minhas coisas para ir embora. Tiro o carro do estacionamento e vou embora pra casa. 


— Não vejo a hora de encontrar a (S/n) e minhas crianças..— vou dirigindo calmamente pelas ruas agitadas de Seul. Após as quatro da tarde o trânsito fica agitadíssimo, se não tomar cuidado pode até acontecer um acidente. Enquanto dirijo, uma música suave toca pela rádio do carro e eu no grande transe do momento começo a cantar junto com a voz transmitida do aparelho. 

§
Ele cantarolava docemente Enquanto guiava o volante. Perdido totalmente no ritmo da música, Jeon não viu que estava vindo em sua direção um caminhão em alta velocidade e quando o maior se deu conta do veículo, até tentou desviar, mas sua tentativa foi em vão, os carros acabou se chocando um contra o outro...

§

*(S/n) On*

A sensação de angústia e que algo iria acontecer só ficava mais forte em meu peito e quanto mais eu ligava para Jungkook sempre dava fora da área.


*Jungkook On*

Estava tão concentrado na música, que não vi que havia um vinha um caminhão em alta velocidade vindo em minha direção. Tentou desviar, mas minha tentativa foi em vão,acabamos por se chocar um contra o outro e é só o que me lembro,pois tudo ficou negro depois e não pude ver mas nada que acontecia..

*(S/n)On*

— Mamãe...mamãe...— corre Eun—Kyung em minha direção aos prantos

— O que aconteceu pequetita? — pergunto a menor e quanto mais ela me tentava explicar o que estava acontecendo,suas palavras saiam mais emboladas do que já eram. Ainda com Kyung em meus braços, ouço meu celular tocar. É o número de Jungkook.Atendo rápido:


Desconhecido: Alô?


— Sim? — respondo ao notar que não é kook que está falando

Desconhecido: Você é algum parente próximo de Jeon Jungkook?!

— Sim,sou esposa dele! O que aconteceu?! — pergunto tremendo e quase deixando Eun-Kyung cair no chão. Sehee vendo minha situação, a pega no colo


Desconhecido: Infelizmente seu marido senhora, sofreu um grave acidente e está a caminho do hospital XXX no Centro de Seul — meu mundo desaba por inteiro e Caio de joelhos no chão, soluçando e tentando me comunicar com o ser do outro lado da linha

Desconhecido: Senhora?

— Estou a caminho. Me espera kook — falo gaguejando e encerro a chamada. Falo para Sehee a situação e logo depois ligo para Jin e o mesmo já sabe da notícia e falou pra mim não sair de casa sozinha e sim espera por ele e os garotos...

Jn: (s/n)! — me abraça


— J-Jin, ele não pode nos deixar. Eun-Kyung e Dae-Sun precisa muito dele ainda — Falo chorando e recebo um abraço em grupo de todos

Rm: Venha. Vamos no hospital contigo — entramos no carro, e seguimos para o hospital, Sehee dormiu la em casa junto com as crianças,passarei a noite fora. Chegamos no hospital, e vejo uma maca sair às pressas de uma ambulância,reparo e vejo que é kook. Tento sair correndo atrás deles só que sou impedida com Yoongi me puxando e me segurando em seu braços.

Sg: Ele vai ficar bem...— entramos dentro do edifício com cheiro de álcool em gel e várias pessoas trajadas de branco transitando no local. Me sento acompanhada de todos menos Jhope e Taehyung que foram perguntar  na recepção alguma notícia sobre a entrada de kook no hospital...

Esperamos horas sentados naquela poltrona desconfortável. Um homem de Branco e a passos largos bem em nossa direção,nos levantamos rapidamente.



Jm: Como ele está?

Médico: Tivemos que fazer uma cirurgia de urgência,mas felizmente ele está bem,e descansando no quarto e já pode receber visitas. Receberá alta neste fim de semana — um sorriso surge em meu lábios e mesmo sem a permissão do médico saio andando até o quarto em que kook Estava,mesmo não sabendo qual.

Passo em frente de várias portas todas brancas,até que parou em frente de uma que estava aberta. Vejo pela gretinha um homem deitado na cama e com um aparelho apitando...(parecia seus batimentos cardíacos). Espero os garotos se aproximar e entramos no quarto e kook está dormindo e fala do algo..

Jk: _____ — diz e abre os olhos


— Sim meu amor,sou eu — deixo uma lágrima cair...

Jk: O que aconteceu?

Sg: Você sofreu um acidente e agora está mofando em um hospital. Foi se empolgar por causa de uma música e quase morreu

Jn: Dá pra ser menos Suga agora Yoongi!


Jk: Cadê Eun—Kyung e Dae—Sun

— Está com Sehee. Passarei a noite contigo

— E quem te disse que eu vou ficar aqui?! Uhm?! 

— Você só receberá alta depois de amanhã

Jn: E se reclamar _____ fazer greve quando voltar pra casa — risos de todos

Jh: Já vamos embora. Boa noite pra tus! 

[Meses Depois]


Jk: Eun—Kyung volta aqui com meu celular menina! — sai correndo atrás da menor que estava com seu celular em mãos..

Ek: Não. — fala, e começa a gargalhar, quando Jungkook a pega e começa a fazer cócegas na mesma...
— Mamãe! — chama Dae com uma voz "autoritária"
— O que foi miniatura de Jungkook?
Ds: O papai só blica com a chata da kyung e me deixa de lado — faz biquinho
— Vem cá meu homenzinho... E Jeon Jungkook,pode brincar com o seu outro filho também — chamo atenção do ser que está quase matando  minha filha de tantas gargalhadas e cócegas


Jk: Então quer dizer que você também quer cócegas — diz se aproximando de mim e tirando Dae—Sun de meus braços e deitando—o no tapete felpudo da sala e começa a fazer cócegas nele, enquanto Kyung com muita dificuldade sobe nas suas costas... Dae consegue se livrar do ataque de cócegas do pai e sobe em cima das costas do mesmo e ele junto da irmã joga o pai no chão e começa a fazer cócegas nele.


Jk: M—me aju—ajuda jagiya — diz entre risos e eu vou até ele e ajudo as cópias de Jungkook a fazer cócegas no mesmo...


[...]


Já de banho tomado e bem alimentados ou amamentados (sim,eles ainda estão sendo amamentados), Dae e Kyung dormem tranquilamente no seus quartos. Agora estou deitada em minha cama enquanto Gukkie toma seu demorado banho...



— Jagiya — chama—me se deitando ao meu lado nu e com alguns fios de cabelo caindo sobre a testa devido ao banho que acabara de tomar.

— O que foi? — me aconchego em seu peitoral...

— Sentiu minha falta...?


— Cara tu nunca mais vai ir pro trabalho com o carro. A Kyung quase caiu do meu colo e eu quase quebrei o joelho com a pancada que sei quando cai no chão...


— Tá. Vou prestar mais atenção no trânsito. Mas agora eu quero prestar atenção em outra coisa — diz com malícia e sobe em cima de mim...

*Choro de bebês*

— Nossos filhos, não querem, não — saio do quarto e o homem me segue, pegando nossos pequenos no colo, Gukkie começa a cantar para eles até os mesmos voltarem a dormir profundamente.


Notas Finais


Espero que gostem!
Dêem suas opiniões.

Bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...