História Forever. ||AOMG|| - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias GRAY, Jay Park, LOCO, Simon D.
Personagens GRAY, Jay Park, LOCO, Personagens Originais, Simon Dominic
Tags Aomg, Gray, Jay Park, Loco, Simon Dominic
Visualizações 139
Palavras 1.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lêem as notas finais e boa leitura.

Capítulo 17 - XVII - Kwon Hyukwoo.


Despertei quando braços se apertaram a minha cintura e uma mão descansou em minhas costas. Fechei meus olhos com um pouco mais de força e suspirei antes de estender meus braços abraçando o corpo de Hayeon ao meu lado.

Abri os olhos encarando ela toda serena e com alguns fios de cabelo grudados em seu rosto. Passei meus dedos delicadamente por suas bochechas coradas e sorri quando a mesma se aproximou mais do meu corpo.

Era tão maravilhoso ter ela aqui comigo novamente.

Beijei sua testa e comecei a tirar seus braços da minha volta com delicadeza. Hay resmungou se esparramando na cama.

Encarei sua barriga vendo o pequeno volume, me sentei e inclinei meu corpo em sua direção deitando minha cabeça com delicadeza ali.

"Bom dia, filhos!" Beijei ainda por cima da fina camisola. "Está tudo bem aí dentro? Vocês não estão brigando por espaço? Estou achando a barriga da mamãe tão pequena, que deve ser difícil ficar aí dentro!" Sorri começando a realizar carícias com as pontas dos meus dedos.

"Amor, deixa eles dormirem..." Hayeon sussurrou me pegando de surpresa.

"Eles dormem muito. Li em um livro que eles devem se mexer..." Retruquei virando meu rosto em sua direção e a vendo ainda de olhos fechados.

"Acho que isso só acontece depois do quarto mês... Eles ainda são pequenos. Não sai nem do primeiro trimestre!" Sorri levando sua mão até minha bochecha.

"Desse ângulo, seus peitos estão enormes... Já tem leite aí?" Perguntei brincalhão fazendo ela abrir os olhos.

"Para com isso!" Puxou o edredom cobrindo até seu pescoço.

"Não, anjo. Estava ótima a visão!" Brinquei levando um tapa.

"Para, Hyukwoo!" Seus lábios se juntaram em um bico.

Soltei uma risada alta e beijei sua barriga novamente antes de endireitar meu corpo.

"Vai querer almoçar comigo?" Perguntou começando a se sentar na cama.

"Se o Jay não ficar enrolando, acho que dá pra te encontrar no restaurante perto da clínica..." Suspirei voltando a me deitar.

Mesmo querendo ficar guardado nela durante minha folga, tive que aceitar em ir com Jaebeom ver um imóvel para sua gravadora independente.

"Depois do almoço tenho que fazer algumas compras para nossos bebês. Quer ir comigo?"

Estava nítido o quão animada Hayeon estava quando me questionou isso.

"Claro... Vou apresar o Jay ao máximo!" Sorri.

Depois de vencer a preguiça, nos arrumamos e Hay me forçou a tomar um café super reforçado.

"Meio dia venho te buscar?" Questionei antes que ela saísse do carro.

Hayeon sorriu e balançou a cabeça concordando.

"Tchau, amor!" Mandou um beijo.

"Tchau, anjo!" Me pronunciei antes que ela fechasse a porta e se afastava.

Liguei o carro novamente e apertei o botão do rádio fazendo um pop qualquer começar a ocoar. O edifício escolhido por meu amigo não era muito longe do centro comercial, mas com o trânsito caótico de Seoul, demorei mais do que o normal.

Mesmo assim quando estacionei meu carro, o de Jay ainda não se encontrava ali. Me inclinei no banco do passageiro vendo o edifício de tamanho médio em minha frente. Não era um lugar muito movimentado mas também não era totalmente escondido.

Me assustei um pouco quando batidas foram distribuídas pelo vidro ao meu lado. Ergui o tronco vendo Jay com seus óculos escuros e um sorriso em seus lábios. Tirei a chave da ignição e abri a porta saindo.

"Bom dia..." Cumprimentei meu amigo que aparentava estar bem animado.

"Bom dia. Viu como a faixada é acolhedora?" Perguntou colocando as mãos nos bolsos e encarando o prédio.

É. Ele estava realmente muito animado.

"É um lugar legal." Dei de ombros.

"O corretor falou que podemos assinar o contrato hoje mesmo..." Comentou começando a caminhar para entrar.

"Acho que Kiseok e Sunghwa também vão querer assinar, já que estamos fazendo isso juntos." Fui atrás dele.

"Sim. Claro!" Me olhou por cima de seu ombro e sorriu.

Depois que olhamos tudo, e mandarmos fotos no grupo que temos com todos os homens da nossa "turminha", resolvemos que aquele seria um ótimo lugar para a nova empresa que até o momento não contém um nome, mas de acordo com Jaebeom, ele já está pensando em um.

"Já posso ir ou você quer me mostrar mais alguma coisa?" Perguntei depois de ver o horário no meu celular.

"Não... Amanhã vou falar com o corretor e mando no grupo." Sorriu satisfeito.

"Okay. Estou indo!"

Erguemos nossas mãos fazendo um toque que havíamos inventado semanas atrás.

...


"Quero comer frango..." Escutei Hayeon exclamar enquanto eu estava lendo o menu. "Não creio." Minha mulher sussurrou me fazendo abaixar o cardápio e lhe olhar confuso.

"O que foi? Está tudo bem?" Perguntei preocupado.

Hayeon olhou por cima dos meus ombros e suspirou pesadamente antes de escorregar na cadeira colocando o cardápio na frente do seu rosto.

"O que houve?" Perguntei novamente achando tudo aquilo um pouco confuso.

Virei minha cabeça vendo um casal, onde o cara estava olhando diretamente para nossa mesa. Ele falou algo para sua companheira e se levantou vindo em nossa direção todo sorridente.

Mas que merda é essa?

"Oh, meu Deus!" Ele exclamou totalmente animado quando parou perto da mesa.

Cruzei meus braços intercalando meu olhar entre minha esposa e seu possível amiguinho.

Hay ergueu a cabeça por falta de opção e sorriu fraco.

"Quanto tempo, Hayeon! Não sabia que iriamos nos encontrar novamente... Que destino doido!" Soltou uma gargalhada.

"Muito doido esse destino." Hay tentou soar simpática. "Himchan, esse é o meu marido. Hyukwoo, esse é um amigo!" Apontou em minha direção e esbocei um fraco sorriso. 

"E aí, cara?" Me olhou. "E você é realmente casada..." Brincou com minha esposa que ficou um pouco sem graça.

"Da onde vocês se conhecem?" Questionei tentando não deixar meu ciúmes transparecer.

"Em Busan... Pedi o número dela e levei um fora!" Himchan respondeu dando de ombros.

Me senti um pouco mais aliviado por saber disso.

"Bom... Preciso voltar para a mesa, espero que você e seu bebê estejam bem!" Se despediu me fazendo erguer uma sobrancelha olhando para Hayeon.

Como ele sabe dos meus filhos?

Depois que ele se afastou continuei encarando minha esposa querendo mais do que aquela básica explicação do telefone.

"Porque está com essa cara? Está se sentindo ameaçado? Coagido?" Seu tom de voz saiu divertido.

Mas meu ciúmes não estava me deixando achar nada divertido.

"Devo considerar ele um inimigo?" Perguntei sério.

"Você realmente está com ciúmes do cara que me ajudou quando passei mal e que me levou para o hospital? Sério, Hyukwoo?" Largou o cardápio sobre a mesa e cruzou os braços.

"Você pode ficar com ciúmes até da sombra e eu não posso ter de um cara que apareceu do nada falando que o destino é doido?"

"Exatamente. Você não pode. Até porque não dou ousadia como você dá!" Exclamou de forma rude.

"Eu que dou ousadia? É sério isso?"

"Aish, chega... Chega dessa sua crise de ciúmes desnecessária e chama o garçom para que eu possa pedir meu frango e um sorvete!" Gesticulou fazendo o assunto chegar ao seu fim.

E como sempre, Hay ganha mais uma das nossas discussões.

Comemos em silêncio, até quis questiona-la quando a mesma deu uma colherada de sorvete e mordeu o frango logo depois, mas preferi ficar quieto.

"Vamos para casa!" Sua voz acabou com o enorme silêncio.

"Não íamos fazer compras?" Questionei erguendo minha mão para chamar o garçom.

"Estou estressada. Não quero mais!" Reclamou se esparramando na cadeira e colocando sua mão direita na barriga.

Pedi e paguei a conta. Hayeon se levantou pegando sua bolsa e começou a sair do restaurante na minha frente.

"Anjo... Me desculpa por ter ficado com ciúmes!" Elevei um pouco minha voz antes que chegassemos no carro.

"Conversamos em casa..." Deu de ombros continuando andar.

"Anjo, te pago mais um sorvete... Me desculpa?!" Exclamei e comemorei quando a mesma parou virando o rosto em minha direção.

"Isso foi longe demais... Mas, vai ser o maior que tiver na sorveteria!" Exclamou caminhando até mim e envolvendo seus braços na minha cintura.

"O maior e o seu favorito!" Sorri retribuindo o abraço e selando o topo de sua cabeça. 


Notas Finais


Depois de quase mil anos, estou aqui novamente... Devo pedir desculpas pela demora mas tenho os meus motivos.

Como no último final de semana foi a competição de dança, fiquei com a minha vida super corrida e tudo piorou quando tive que começar a resolver algumas coisas da faculdade que comecei essa semana.
Peço que você compreendem que daqui pra frente será um pouco mais complicado para acontecer novas atualizações e que foi tentar ao máximo combinar minhas responsabilidades escolares com a história. E que nem que seja ano que vem a gente termina a série.

Não vou falar muito até porque já está enorme só esse recado. Então, por hoje é só.

Obrigada por ler e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...