História Forever By Your Side - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizades, Drama, Magia, Mistério, Romance, Sobrenatural, Suspense
Exibições 9
Palavras 1.413
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá!

Boa leitura. 😘

Capítulo 4 - ● 0.3


Fanfic / Fanfiction Forever By Your Side - Capítulo 4 - ● 0.3

             (Valerie)

               

Kathryn

  Aula de matemática, nada melhor para começar meu dia. E para melhorar ainda mais, estou atrasada para a aula. Essa sou eu, não importa se eu acordo cedo ou me arrumo cedo, eu sempre vou chegar atrasada. Ainda bem que o Sr. Dolan já está acostumado com meus "pequenos" atrasos.

  _ Posso entrar? - Perguntei ao bater na porta.

  _ Entre, Shuester. - Ele e sua mania de chamar todos pelo sobrenome.

  Adentrei a sala de aula sobre os olhares de algumas pessoas. Percebi que Victória, irmã do Enzo, me encarava, até eu sentar em minha cadeira.

  _ Porquê chegou atrasada? - Valerie perguntou entre sussurros.

  _ Eu não preciso de motivos para chegar atrasada, eu apenas me atraso. - Respondi.

  _ Será que estou atrapalhando a conversa, senhorita Shuester? - Sr. Dolan perguntou.

  _ Um pouco. - Respondi baixo, mas acho que ele escutou, pois...

  _ Que tal as duas irem terminar a conversa na sala da diretora, uh? - Perguntou e a classe riu.

  _ Okay. - Levantei e seguimos até a sala da diretora.

  _ Eu preciso ir ao banheiro. - Reclamou Valerie.

  Ela sempre que fica nervosa pede para ir ao banheiro. Vai entender essa garota. Dei de ombros e fui até a sala da diretora.

  Olhei pelo pequeno espaço de vidro na porta, um garoto discutia algo com a diretora. Até que ela levanta, sorri e abraça o garoto.

Assim que o garoto vira para a porta, arregalei os olhos. Era o Enzo, o garoto dos olhos bonitos.

  _ Licença. - Pediu, aí que me liguei que estava em frente à porta, impossibilitando-o de passar.

  _ Desculpe. - Dei passagem para ele, depois entrei na sala a espera de Valerie, que depois de alguns minutos, voltou com uma pequena sacola de bolacha nas mãos.

  _ Onde pegou isso? - Perguntei.

  _ A moça da lanchonete me deu. - Respondeu com a boca cheia.

 

  • • •

  _ Eu não acredito que fez isso! - Falou Vale, depois de eu ter contado a vergonha que passei diante do Enzo na diretoria.

  _ Você quer parar? Está rindo da mesma coisa à cinco minutos. - A repreendi. - E ele não é tão bonito assim.

  _ Não? Cá entre nós, o cara é um deus grego. - Falou me dando um tapa no braço.

  Já era intervalo. Valerie e eu sempre ficávamos no mesmo lugar, em baixo de uma árvore no campus da escola.

  Depois de alguns minutos conversando, o sinal que indicava a próxima aula tocou.

Valerie puxou meu braço até a sala de aula.

   • • •

    E finalmente, hora de ir para casa.

Como a casa da Vale era duas ruas antes da minha, iria com ela até lá.

Caminhávamos devagar, pois somos duas sedentárias que não aguenta andar rápido.

  Assim que cheguei em casa, avistei meu pai fazendo o almoço. Essa foi a melhor cena do meu dia. Depois do Enzo, claro. Ke?

  Enfim, almoçamos e eu segui caminho para o meu quarto, que hoje estava um pouco mais bagunçado que o normal. Vai continuar, pois não estou com paciência para arrumar quartos.

Até que chega uma mensagem da Valerie. Essa menina me ama, não consegue ficar longe de mim.

  Mensagem On

  Vale ☆

Festival de arte hoje, topa?

                                           15:23

                                  Gosto de festivais

                                               Que horas?

                                                   15:23✔✔

Às 16:00

Te quero pronta em 15 minutos.

                                                  15:24

                 E tu vem me avisar agora?

                                                15:24 ✔✔

         Depois reclama que me atraso

                                                 15:24 ✔✔

                                            Sua piranha

                                                 15:24 ✔✔

     Mensagem Off

  Levantei da cama e fui até o banheiro, me despindo e entrando em baixo do chuveiro. Aquela água gelada me fez querer ficar ali para sempre, mas percebi que tem uma Valerie furiosa dentro do meu quarto. Decidi não irritá-la ainda mais, pois como conheço Valerie, ela arrancaria meu fígado.

  _ Pensei que tinha morrido aí dentro. - Valerie me olhou entediada.

  _ Não, ainda não morri. Você ainda vai ter que me aturar por muito tempo, senhorita Carter. - Falei já dentro do meu closet.

  

   • • •

  _ Valerie, já vimos aquele quadro trezentas e trinta e cinco vezes. - Falei enquanto Valerie me puxava em direção a um dos quadros em exposição. - O que você acha tão interessando em um quadro que só tem um cara sentado?

  _ Querida, isso é arte. - Respondeu.

  Depois de um tempo "admirando" as artes ali, fomos até um restaurante japonês, que por algum acaso é meu preferido. A Valerie não aprecia muito a comida japonesa, mas de tanto eu obrigá-la a comer, ela até acostumou.

 

   • • •

  Ao ouvir o som do despertador, quis me matar por ter dormido tarde ontem, mesmo sabendo que hoje acordaria cedo. E pra variar, hoje seria mais um dia entediante de aula. Minha empolgação está em um nível tão elevado, sintam a ironia.

  Enfim, depois de completar a minha higiene matinal, desci a procura de Matt.

  _ Bom dia, Pai. - Dei um leve beijo em sua bochecha. - Viu o Matt?

  Meu pai apontou com a cabeça em direção a escada, onde Matt verificava se havia esquecido algo.

  _ Podemos ir? - Perguntou, eu apenas assenti.

  Fomos em direção ao seu carro. Aí vem a parte que alguém pergunta "Porque seu irmão mais novo tem um carro e você não?", e eu te respondo, Da última vez que tentei dirigir um carro, quase destruí um poste. Por isso meu pai não me acha tão responsável a ponto de me dar outro carro. Mesmo já explicando a ele que sou uma ótima motorista, ele pensa que meu próximo alvo é uma loja de sorvete aqui perto. Como se eu fosse tão desastrada assim.

  _ Chegamos. - Avisou Matt.

  _ Obrigada, querido. - Beijei sua bochecha e fui em direção ao portão de entrada, onde Valerie me esperava com uma feição esquisita.

  _ O que aconteceu? - Perguntei enquanto caminhávamos devagar até o corredor de armários.

  _ Apenas não dormi direito.- Respondeu.

  _ Percebe-se. Sua maquiagem não está adiantando muita coisa.

  Ela apenas deu de ombros, fechou o armário e me olhou.

  _ Nos vemos no intervalo? - Perguntou, já que não íamos ter as mesmas aulas.

  _ Sim. - Respondi, e assim como ela, segui para a sala onde teria a primeira aula.

 

   • • •

 

  Finalmente o intervalo. Já não aguentava mais a voz da professora de história.

Dirigi-me até o refeitório, onde encontrei uma Valerie sonolenta, com a cabeça encostada na mesa.

Cutuquei sua cabeça e ela me olhou ainda meio sonolenta.

  _ Ainda com sono? - Perguntei.

  _ Sim. - Respondeu simplesmente. - Me responde uma coisa, porque estava conversando com a Sophie?

  _ Ciúmes? - Perguntei sorrindo. - Não precisa, você é minha pandinha preferida.

  Enquanto conversávamos, sentia uma sensação de estar sendo observada. Ao levantar um pouco a cabeça, avistei Enzo à duas mesas da minha, ao seu lado, Victória também me olhava finamente enquanto conversavam entre si. Reparei que Enzo olhava fixamente para o colar em meu pescoço, enquanto tinha os olhos levemente arregalados.

No momento seguinte, Enzo puxa Victória pela mão, saindo com uma certa rapidez do refeitório.

  _ Você tá me escutando?

   

Enzo 


Aula de matemática, minha vontade era de sair correndo dessa sala.

Enquanto a professora maluca falava, eu observava o jardim, que neste momento era bem mais interessante que a aula.

_ Clark, por acaso sabe me dizer o valor de X? - Perguntou a professora.

_ 35. - Respondi, ela me olhou com os olhos semicerrados.

E enfim o sinal tocou.

Encontrei Victória no refeitório, com uma bandeja intocada em sua frente.

_ Pensei que não iria vir. - Falou Victória, após me sentar no banco ao seu lado.

_ Bem exagerada, você. - Falei.

Depois de alguns segundos em silêncio, sinto Victória cutucar meu braço, em seguida apontando para a mesa à frente, onde a garota da biblioteca sentava.

Desde que contei a Victória sobre o acontecido na biblioteca ela não para de me tirar sarro.

Percebi que fiquei tempo demais a olhá-la quando Victória soltou uma risada ao meu lado.

_ É impressão minha ou ela está usando um colar igual o da Darcy? - Perguntou Victória, fazendo a minha atenção focar no colar que a garota usava no pescoço.

Arregalei um pouco os olhos ao observar melhor o mesmo.

Aquele era um colar bem parecido com o que dei a Darcy dias depois da minha transformação, quando a pedi em namoro.

_ Precisamos ir. - Falei, em seguida puxando Victória pela mão até a sala de aula.

  Estava um pouco atordoado com alguns pensamentos que insistiam em surgir em minha cabeça.


Notas Finais


Oiin Maravilindas!

Como tá do lado daí?

Eaí, o que acharam do capítulo?
Espero que tenham gostado, mesmo que não esteja tão bom.

Então, beijinhos e até o próximo. ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...