História Forever Together - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Himuro Tatsuya, Hyuga Junpei, Izuki Shun, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kiyoshi Teppei, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Momoi Satsuki, Murasakibara Atsushi, Personagens Originais, Riko Aida
Tags Anime, Comedia, Esportes, Kagami, Kagamixkuroko, Kuroko, Kuroko No Basket, Lemon, Mangá, Yaoi
Exibições 68
Palavras 3.049
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 19 - Eu quero tentar!


Fanfic / Fanfiction Forever Together - Capítulo 19 - Eu quero tentar!


~ Kuroko on ~

  Notei uma mensagem em meu celular, era de Drake-kun.

" Oi Kuroko-kun, tá tudo bem? Você demorou para ficar online "

Decidi responder.

" Mais ou menos, acabei discutindo com o Kagami-kun no caminho para casa :( "

Não demorou muito e ele mandou outra mensagem:

" Sério? Ele tá sendo muito trouxa com você (¬_¬)ノ "

Ele parece se interessar bastante em minha relação com o Kagami...continuei a conversa mesmo assim.

" Pois é, não estou  legal hoje "

Ele me respondeu preocupado:

"Posso ajudar? Vai ter uma festa aqui em casa daqui a pouco...eu gostaria que você viesse, pelo menos podemos conversar e você não vai estar sozinho"

Eu particularmente gostei da ideia, faz tempo que não vou em uma festa.

" Pode ser. É social ou coisa assim? "

Ele respondeu rápido:

" É sim, mas nada muito especial, só coisa de família mesmo. "

Eu gosto de festas sociais, as pessoas são muito educadas e com bom gosto.

" OK, que horas eu vou aí ?

Ele me respondeu incrivelmente rápido.

" Eu te busco em 30 minutos se quiser. Pode ser? "

Eu sorri e respondi.

" Pode, vou me arrumar aqui, até depois "

Então ele me mandou uma última mensagem:

" Mal posso esperar. ( abraço apertado) ヽ(*≧ω≦)ノ "

  Essa última mensagem...por algum motivo me fez sorrir...eu estava bravo até então, mas agora eu estou me sentindo animado.
  Fui para o banho, passei um perfume de meu pai, coloquei a toalha em minha cintura e quando fui para o quarto me vestir fiquei confuso...

— E agora...o quê eu coloco? — resmunguei.

— Festa social, filho? — perguntou meu pai.

— Uhum...não sei o quê vestir, embora eu tenha roupas para esse tipo de festa...— respondi.

— Aqui, coloque meu terno azul marinho — ele me mostrou um terno muito bonito que ele guardava.

— Mas é seu, pai...— respondi surpreso.

— Não tem problema, quanto a camisa pode colocar alguma branca de botões que você tem...ah e a calça pode ser preta — ele falou animado.

— Obrigado...mas e os sapatos? — perguntei.

— Aqui, esses eu usava na sua idade — ele me entregou um par se sapatos sociais pretos.

— Obrigado mesmo....mas por quê está fazendo tudo isso por mim? — disse confuso.

— Kuroko! Você é meu filho! É claro que eu vou te ajudar, ainda mais com as roupas sociais, afinal é meu estilo favorito. Tenho orgulho de ver você usa-las.

Eu peguei as roupas e meu pai saiu do quarto para eu me vestir, admito que me achei bonito usando terno.

— E então o que achou? — perguntei abrindo a porta.

— Perfeito! O que acha querida? — ele chamou minha mãe.

— Oh! Kuroko! Como você está elegante! Meu bebê está crescendo! — ela falava sorrindo.

— Obrigado...mesmo eu sendo baixinho...— brinquei.

Nós rimos um pouco e eu escutei o som de uma busina.

— Ah! deve ser o Drake-kun! — disse animado.

— Não é o Kagami-kun que vai na festa com você? — perguntou minha mãe.

— Não, eu e ele demos um tempo, acho que vai ser melhor assim. — disse firme.

— Entendo...saiba que sempre vamos apoiar você Kuroko — falou meu pai.

— Certo...Obrigado, vejo vocês depois — me despedi e sai de casa.

Quando olhei para a rua, Drake-kun me esperava no portão de casa, acompanhado de um carro.

— Boa noite Sr. Kuroko — o moreno me cumprimentou sorrindo.

Ele usava um terno cinza escuro, uma camisa social cor de vinho e uma calça preta, acompanhado de sapatos sociais pretos. Ele certamente tinha estilo e estava....lindo

— Boa noite! — disse animado.

— Então...entre aqui por favor — ele abriu a porta do carro para mim.

— Obrigado — agradeci e entrei.

— Mas espera Drake-kun...você tem idade para dirigir? — perguntei curioso, eu sequer sabia a idade dele.

—  Sou dois anos mais velho que você, ou seja tenho dezoito anos. E Kuroko, pode me chamar só de Drake? — ele falou enquanto manobrava o carro.

— Posso sim, não sabia que o "kun" no final do nome te incomodava — disse meio envergonhado.

— Não, nada disso! É que não precisa me tratar com tanta educação assim, acho que fica mais confortável para nós dois. O que acha? — ele falava enquanto dirigia calmamente, mesmo conversando seus olhos não saiam da rua, atentos a cada movimento.

— É, fica mais fácil de conversarmos — falei rindo.

— Kuroko? — ele falou.

— O que foi? — perguntei curioso.

— Você passou perfume? O cheiro é ótimo! — Ele me elogiou.

— Sim...obrigado — disse tímido.

— Você...está mesmo confortável indo na festa? Sabe, não quero te forçar a nada...— ele falou com a voz firme.

— Estou sim, não quero ficar me remoendo por causa do Kagami-kun — disse olhando para a janela.

— Vocês estão dando um tempo ? — ele perguntou.

— Sim, mas estou pensando em terminar — falei sério.

— Terminar? — ele desviou o olhar em minha direção.

— É...estou pensando em por a minha vontade em primeiro lugar, já perdoei Kagami-kun uma vez, e o que ele está fazendo atualmente...é algo natural dele...não é por alguém, não é por ser obrigado...é algo que ele fez por ser assim. — Expliquei.

— Entendi...você quer espaço para a sua vida, além da que vocês compartilhavam? — ele disse.

— Exatamente — respondi.

Ele suspirou profundamente.

— Sei como é...minha ex era assim também — ele disse.

— Sério? — perguntei curioso.

— Sim, nossa ela era super mandona, eu nem podia falar com meus amigos. Mas já terminamos e eu mudei de time — ele explicou.

— Mas você disse que não praticava esportes... — falei confuso.

— Er...como posso explicar — Falava Drake pensativo — Eu era indeciso com a minha opção entre homem e mulher, então depois de namorar ela, eu decidi trocar a opção...entendeu?

— Sim...você quer dizer que você é gay — disse surpreso.

— Isso ae! Mas nunca namorei nenhum cara, não achei ninguém que me interessasse... Mas isso mudou atualmente.

— Mudou é? — perguntei curioso.

— Chegamos! — ele disse animado — bem vindo à minha casa.

Era um lugar absurdamente grande, o portão da garagem abriu e ele entrou com o carro, eu pude ouvir a musica em espanhol tocando alta.

— Drake, querido! Venha estamos começando a roda de dança! — falou uma mulher morena que usava um vestido vermelho muito elegante e bonito.

— Já vou mãe, ah esse aqui é o Kuroko — ele me apresentou.

— É um prazer conhecer a senhora — disse me curvando.

— Drake onde você arranjou esse rapaz? — ela me olhou séria — Ele é muito educado e estiloso! Gostei dele!

— É...obrigado — agradeci sem jeito.

— Querido! Venha ver este rapaz aqui! — ela gritou.

Logo um homem alto, forte, moreno e musculoso apareceu em minha frente. Ele me encarou. Suas roupas eram sociais como as de Drake, a única diferença é que ele estava todo de branco.

— Este é Kuroko, convidado de Drake! — a mulher falou.

— Você...— ele me olhou nos olhos e se aproximou, sua voz era grossa e forte.

— Eu? — disse meio assustado.

— É O KUROKO DE SEIRIN!! MEU DEUS!! VEM CÁ! — Ele me abraçou forte quase me partindo ao meio — SEJA BEM VINDO À NOSSA CASA! É UMA HONRA TER VOCÊ AQUI CONOSCO!

— Pai, não quebre o Kuroko ao meio! — disse Drake rindo.

O homem me soltou e começamos a rir.

— Venham, vamos todos dançar! — ela disse puxando eu e Drake pela mão.

— D-dançar? Eu não sei dançar! — disse nervoso.

— Meu rapaz acalme-se! — falou o homem — Dance com o Drake, é fácil siga os passos dele e vocês farão um ótimo show.

  Logo eu estava  no meio de um círculo de pessoas, uma música em espanhol tocava alta, a mãe de Drake ficou ao lado do marido e eu...bem eu acabei ficando ao lado de Drake.
  Eles começaram a dançar, parecia fácil de acompanhar, as pessoas ao redor batiam palmas enquanto nós batiamos os pés e mexiamos a cintura e os braços. Eu estava me divertindo.

— Bravo!! — gritou alguém da platéia.
— Está gostando Kuroko? — perguntou Drake rindo.
— Sim, isso é divertido! — falei imitando os passos dele.
— Esse é o espírito! Vem, vamos finalizar com estilo! — ele disse enquanto acompanhava o ritmo da música.

Ele me pegou pela mão e começamos a dançar mais próximos, em um momento ele se distanciou e girou, depois voltou para perto de mim e me levantou no ar. Eu não entendi nada daquilo mas a platéia gostou,  quando olhei para o lado o pai de Drake havia feito o mesmo com sua esposa.
Isso me deixou meio constrangido...era pra ser uma dança de casais???
A platéia nos elogiou e recebemos uma salva de palmas.

— Olha só, você tem talento para dança também! — disse o pai de Drake — sente-se conosco na mesa.

Andamos os quatro até uma mesa circular, onde nos sentamos e Drake puxou sua cadeira para perto de mim.

— Então, vocês se conheceram onde? — a mulher perguntou.

— Na escola, Sr....me desculpe eu não o seu nome...— disse tímido.

— Rose e meu marido se chama Jack, não se preocupe tanto com a educação Kuroko, nós gostamos disso mas por favor sinta-se à vontade — ela disse tentando me deixar confortável.

— Sim, nós gostamos basquete, ter você por aqui é algo muito especial! inclusive o Drake é um grande fã seu, assim como Rose e eu.
— Falou Jack.

— Sério? — perguntei olhando surpreso para Drake.

— Sério... — ele disse meio sem graça.

— Bem fico feliz por saber isso — disse sorrindo.

Eles sorriram e trocaram um olhar.

— De onde vocês são? Digo...não é comum ver pessoas como vocês aqui no Japão — perguntei.

— Nós viajamos muito, mais por causa do meu trabalho. Nascemos e crescemos nos EUA, depois fomos para a Espanha onde Drake passou a infância e adolescência, agora estamos aqui — Disse Jack.

— Isso é incrível. Sempre pensei em viajar assim mas nunca saí do Japão, admiro muito quem faz isso — falei animado.

— Vou aceitar isso como um elogio, mas Kuroko — disse Rose — Você namora?

   Nesse momento Drake me olhou nos olhos...eu pensei em minha resposta, pensei nas pessoas que conheci, em como eu estava sendo bem tratado...e respondi.

— No momento estou solteiro — falei rindo.

— Entendo...querida vamos pegar um drink? — disse Jack.

— Vamos meu bem, até depois Kuroko e Drake  — respondeu Rose.

Drake e eu ficamos a sós na mesa, um ao lado do outro.

— Por que você disso aquilo? E o Kagami? — ele me perguntou.

— Eu decidi...que eu devo mudar. Quero aproveitar mais a minha vida sem depender dele. — falei firme.

— Kuroko...olha eu sei que parece cedo demais, que parece ridículo mas eu preciso te dizer algo...— falou Drake.

— Diga — falei olhando ele nos olhos.

— Eu gosto de você...eu sei que parece bobagem...

— Você quer dizer que...— eu falei tentando entender.

Eu pude ver ele tentando tomar fôlego, respirar fundo e então voltar a  falar

— Quero dizer que eu estou afim de você Kuroko. Que eu...eu...gosto mesmo de você — ele falou com a voz grossa, firme, mesmo estando meio nervoso ele se esforçou para dizer isso claramente.

— Drake...— disse surpreso.

— Mas...eu sei que você arrecem brigou com o Kagami, não quero te forçar a responder algo e muito menos magoar você...— ele disse com cautela.

— Me magoar? — perguntei curioso.

Ele respirou fundo mais uma vez

— No meu passado...eu não mantive relacionamentos longos, eu sempre era feito de trouxa até mesmo pelos amigos...então eu me tornei um pouco fechado...é algo que nem eu entendo, embora eu pareça ser forte e bruto...eu sou um grande bobão por dentro...sabe? Eu tenho medo de magoar aqueles por perto de mim então sempre falei pouco e obedeci mais...— ele desabafou

Ele parou por um momento e então voltou a falar.

— Muitos me diziam que eu devia me aproveitar dos fracos apenas por eu ser forte, mas eu não me sentia assim, eu nunca disse que eu era assim..mas as pessoas sempre me julgaram pela aparência...você foi o único que me disse algo legal quando me viu a primeira vez...você falou que eu parecia um jogador de futebol americano...enquanto os outros perguntavam se eu era de alguma gangue, ou se eu era procurado pela polícia... Você me disse algo bom...

— Então...— falei tentando entender tudo aquilo.

— Não é atoa que eu gosto de você com esse algo a mais, você é confiante, sincero, educado, inteligente, esforçado, gentil e ...bonito — ele disse envergonhado — é fácil perceber isso em você.

— Não é pra tanto! — disse brincando.

— Na verdade é sim! Você é a primeira pessoa que eu conheci assim, que me tratou bem sem ficar me julgando — ele disse me olhando nos olhos.

— Mas nós nos conhecemos hoje....não entendo como você pode gostar tanto assim de mim...— eu disse confuso.

— Kuroko...nos outros lugares do mundo... as pessoas não são boas como você. Para todas as escolas que eu ia, sempre os garotos "encrenqueiros" me chamavam para gangues logo no meu primeiro dia, os professores me pediam para eu não matar alguém mesmo sem eu ter feito ou falado alguma coisa.— explicou Drake.

Eu estava em choque...como o cara que aparentava ser tão forte e confiante pode ter vivido assim? Sendo sempre julgado pela aparência e tendo que aguentar esse preconceito absurdo...se eu fui o primeiro a tratar ele bem...não em surpreende ele gostar tanto de mim...mesmo sendo algo repentino...
Pensei um pouco e comecei a falar:

— Drake...você é um cara muito legal, eu te conheci hoje, e mesmo assim você me convidou e me trouxe até aqui, escutou meu desabafo quando eu precisei e me defendeu quando discutiu de frente com o Kagami...essas atitudes...chamaram a minha atenção, você me ajudou sem nem me conhecer direito e nada podia garantir que eu seria legal com você...

— Kuroko...eu fiz isso tudo porque eu senti que era o certo...eu não esperava nada em troca de você...— ele falou.

— Viu? Você é incrível, não entendo como as pessoas eram tão estúpidas com você... — disse sincero.

Ele começou a rir.

— Cara, eu precisava botar essa história pra fora com alguém, você me deixa confortável para conversar — ele disse com um sorriso lindo.

— E por quê eu? — perguntei.

— Porque eu me encantei por você...simples assim...é o que chamam de amor à primeira vista? — ele disse mais tranquilo.

Parece que essa história do passado dele, era algo que ele não falava a muito tempo, senti como se ele houvesse tirado um peso das costas.

— Bem...eu te contei meu passado inteiro praticamente. Nossa essa história tava entalada na minha garganta a muito tempo, me sinto bem melhor agora...gosto de ser sincero você — ele disse me olhando nos olhos.

— Né, é divertido conversar falando tudo o que queremos! — brinquei.

Rimos muito e ele voltou a falar.

— Então...eu tenho chance com você?

— Hum...deixa eu pensar....claro! por que não? Vamos tentar! — disse sorrindo.

— É sério? — ele me olhou surpreso.

— Sim, vamos tentar. Tenho certeza que fará bem para nós dois. — disse pensando no assunto.

— Então...eu posso? —  Drake me olhou nos olhos.

Ele levou sua mão ao meu rosto acariciando-o com cuidado e carinho.

— Pode...—respondi.

Ele se aproximou de mim e trocamos um beijo longo e carinhoso, seus labios tocavam os meus com cuidado e delicadeza...foi um beijo muito bom.
Senti seus fortes braços me abraçarem e me puxarem para perto dele depois que terminamos o beijo.

— Mas me promete uma coisa? — perguntei.

— Depende, se eu puder cumprir sim — ele falou com sua voz firme e atraente.

— Promete que se algo nos incomodar, qualquer coisa, vamos poder conversar e resolver isso? Promete ser sincero comigo ? — pedi.

— Prometo, não vou esconder nada de você — ele sussurou ao meu ouvido.

Sua voz me encantava a cada segundo...olhando para ele  dessa forma...ele era realmente atraente.

— Está tarde...você quer dormir aqui hoje? — perguntou Drake.

— Tem certeza disso? — respondi.

— Tenho, mas se você não quiser eu te levo  em casa — ele disse acariciando meu cabelo.

— Por mim não tem problema, só vou avisar meus pais que vou dormir aqui. — expliquei.

— OK...— ele respondeu — Mas Kuroko...e quanto ao Kagami? Você tem certeza mesmo disso tudo? Eu não quero estragar sua vida....

Eu entendi o que ele quis dizer...ele não queria me forçar a fazer isso, não queria estragar minha relação com o ruivo...Drake me deu a opção de escolher, e minha resposta é...

— Tenho certeza, não se preocupe. Depois resolvo essas coisas com ele, mas duvido que ele vai entender ou prestar atenção. — falei firme e decidido.

— Certo! — ele respondeu sorrindo.

Avisei meus pais que dormiria aqui essa noite, a festa está ótima e eu me sinto muito feliz...como a muito tempo não me sentia.

Minha decisão com Drake foi tomada, ele me tratou bem, me ouviu quando eu precisei assim como eu fiz por ele, eu ouvi seu passado e senti que ele me lembrava o antigo eu...rodeado de pessoas( time do Teiko) porém se sentia triste e oprimido... conhecendo Drake melhor...ele é incrível! Nosso primeiro beijo não foi forçado, foi carinhoso....Ele fez por mim em um dia o que o Kagami-kun não fez em um mês inteiro: Me ouviu e foi sincero comigo.
Era isso que eu sentia falta no Kagami, ele nunca prestava atenção nos meus sentimentos...era sempre os dele em primeiro lugar! E o Drake...ele  me pergunta se eu estou de acordo com as decisões ou se algo me incomoda...sinto que ele pode me fazer muito feliz.
   


Notas Finais


E então oq acharam?

O Kuroko esta se apegando ao Drake e está prestes a terminar de vez o relacionamento com o Kagami...será que o ruivo vai aceitar assim tão fácil?

E o oq estão achando do Drake? Será que ele vai provar ser um bom namorado?

Me digam suas opiniões e expectativas!

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo.

~ Tio Kuroko.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...