História Forever Together - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 30
Palavras 3.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AEEEEEEEE CHEIRADA


PC ARRUMADOOOOOOOOOOOOOOO


115 FAVORITOOOOOOOOOOOOOOSSSSSSSSSSSSSS VALEU MEUS CHEIROS FODA <3

Eu narro a história no começo ok? choremos e gritemos de alegria!!!!!! MINHA FIC TEM 115 CARALEOOOO e já esta no final T-T PORRA. favoritem e comentem meus cheiros cheirosos <3

VOU PROPOR UMA APOSTA Á VOCÊS, SE CHEGAR Á 130 FAVORITOS FAÇO HOT DO SHIPP TAENNY PRA VOCÊS <3 Ok ? Amo vocês <3.

COME BACK HOOOOOME adoro.

Desculpem os erros!

I love my readers!

Boa leitura!

Capítulo 20 - Interessante


EscritoraJung~~

Lenny logo notou que aquilo não passava de uma simples ilusão, tratou de virar-se e contemplou o sorriso tímido exibido nos lábios de seu amado, a cada dia ela o amava mais, assim como sua filha, ah... O primeiro ultrassom, algo que ela nunca mais ira esquecer é o som do coração de sua filha batendo.

Yoongi á cada dia andava mais carinhoso e atencioso, já comprara o berço e terminavam de comprar o enxoval, enfeitaram todo o quarto, só não pintaram as paredes por objeção de Lenny que dissera que quando sua filha crescer, não vai querer um quarto assim, ele concordou.

Os olhares dos dois foram destinados ao padre que começava a iniciar a cerimônia, ambos não podiam decifrar o tamanho da felicidade que sentiam, estavam felizes e realizados. 

E ficariam ainda mais quando essa criança nascesse. Assim pensavam.

Enquanto isso, numa cidade distante daquela Taehyung esperava apreensivo sua noiva, da qual o único interesse que lhe chamava era o carnal, esperava ansioso, queria ele que, toda aquela babaquice acabasse. Ele agora, se observava, sempre quisera um casamento com uma pessoa amada e sonhava com esse dia, seus sonhos eram tão vívidos, tão alegres, -muitos deles feitos a partir do relacionamento com Lenny- tão... Distantes, não pareciam ser seus, como se fosse  de outra pessoa.E ele havia o matado.

Ele, cansado de ficar parado a frente da porta e incomodado com os sussurros, saiu dali e foi até Kim Jong, que mantinha seu rosto sereno.

-Por que ela ainda não chegou?-Disse ele impaciente com o rosto calmo de Jong.

-As noivas costumam atrasar, se você não sabia.

-Obvio que eu sabia! Mas você é cego pra não ver que isso passou do normal?

Sorrindo Jong se virou para Taehyung e ajeitando o terno do mesmo disse:

-Você me respeite garoto, se não eu faço você sujar esse terno preto te esfregando no chão.

Ele apenas suspirou, e assim que voltou a sua pose, a porta foi aberta e a música cerimonial foi iniciada, nesse momento ao ver sua noiva, teve que admitir, ela era realmente uma bela mulher.

Em alguns segundos ela já estava no altar e ele lhe estendeu o braço ouvindo seu pai falar:

-Cuide bem de minha filha Kim.

Ele acenou positivamente com a cabeça e assim já posicionados ele perguntou num sussurro:

-Esse sorriso e por me ver?

-Não seja metido garoto. É meu casamento e eu tenho que estar linda, não acha?-Até que para uma japonesa ela fala muito bem coreano.

-Sim, claro, mas é 'nosso' casamento, não só seu.

-Fazer o que não é mesmo.

Ele sorriu 'como essa garota é petulante' pensou olhando o padre que acabara de achar seu texto.

E assim se iniciou a cerimônia.

Com cada palavra proferida, a cada segundo, a cada piscar de olhos que Lenny tinha, se sentia mais e mais perto da felicidade de estar casada com Yoongi, seus pensamentos iam desde o metrô, passando pelo casamento de sua amiga e toda a confusão seguinte, até o altar. Não podia deixar de pensar em Taehyung, o guardaria com muito carinho em seus pensamentos.

-Aceito.

Teu coração bateu mais forte e sentiu um friozinho na barriga, sorriu inconscientemente e logo depois de ouvir a interrogação disse com alegria e firmeza:

-Aceito.

Mais algumas palavras e se beijaram avidamente, como se fosse a primeira vez que o faziam, e de certe forma era, desde casados óbvio.

Longe dali, outro casal também se beijavam, mas sem um pingo de sentimento, e assim que olharam todos ali que aplaudiam a cena, saíram em direção a festa, ela estava feliz mas não por estar casando-se ou por que tinham sentimentos por seu marido e sim por estar sendo o centro, por chamar olhares em si. Gostava disso. Gostava de estar na frente.

Jong fez o possível para que não fossem fotógrafos ou reportares, não queria que vissem ou fotografassem Taehyung, aliás, ele é um homem 'morto' detalhe que sua esposa não sabia.

Mesmo com o esforço foram fotógrafos e alguns repórteres para darem a notícia do casamento da filha de uma das maiores e mais ricas famílias tradicionais do Japão com... Eles queriam saber também já que o nome dele não foi dito por ninguém ali entrevistado.

Com tudo fotografavam mesmo assim, afinal, não podiam deixar essa notícia passar.

Taehyung e sua esposa eram levados até o carro por seguranças que eram verdadeiros, armários, ele não sabia o que sentia, pensava que poderia interromper o casamento, que ela fosse fazer um escândalo com seu pai e que ele desistiria mas agora via que a única coisa que conseguiu foi despertar o interesse da moça.

Entraram na limousine e finalmente saiam dali, indo em direção á festa de casamento.

Ele suspirou e bagunçou os cabelos, cansado.

-O que houve?

-Hum?

-O que foi oras? Esta com essa cara de fome, não percebe com quem acaba de casar?-Apontou pra si mesma sorrindo.

-Estou pensando quando eu for ter que te aturar todo dia.

-Não diga isso que eu magoo.

-Fazer o que não é mesmo.-Olhou para ela que tinha seus olhos franzidos e estava totalmente corada.

-Não me diga que te deixei chateado.

-Tenha certeza que não.

-Por que? Hum? Gritaria? Ou apenas faria um biquinho?

-Como você é ousada menina! 

-Claro, pensava o que? Que eu fosse uma virgem tímida e boba? Faça-me rir.-Ele arqueou a sobrancelha e na hora lembrou-se de Lenny. "A descrevera tão bem." Pensava ele com os olhos distantes.

-Não é o seu tipo.

-A é? E qual é o meu tipo Kim? 

-Uma virgem ousada e prepotente?

Ela riu um pouco alto o fazendo sorrir.

-Seu sorriso é lindo, mas tira a parte do 'virgem'.-Ele a olhou um pouco surpreso.-O que? Eu não iria esperar o casamento.-Disse simplista, Taehyung deu de ombros.-Só não conta pro meu pai... Ele infarta. Pensa que sou a menininha doce, pura e inocente.

-Nossa já estou ligando pra ele! Preciso notificar ele dessa grande desastre.-Brincou ele e ela fez uma careta e rindo em seguida perguntou.

-Vai ser igual as velhinhas fofoqueiras?

-Longe de mim.-Riu ele.

-É parece que chegamos...-Ela disse sentindo o carro começando a parar.

-Vou dançar igual um bêbado.

-Nem ouse! Faça bonito, ou sentira na pele as dolorosas consequências...-Disse tentando fazem um tom sombrio mas só o fez rir.

-Você é maluca.-Saiu do carro e logo o motorista abriu a porta para a noiva sair também, ela logo o alcançou e disse lhe batendo nas costas e ele reclamou.

-Não me chame mais assim.

-Ta. Credo.

O lugar estava bonito, enfeitado com flores vermelhas e algumas amarelas, dali não se via o bolo e petiscos da festa, o lugar era espaçoso e tinha nele uma área verde não coberta.

Eles entraram e os dois sem saber bem o que fazer apenas cumprimentavam os convidados que muitas vezes nenhum deles conhecia e foram assim fazendo durante alguns minutos.

Havia, ali perto um lugar onde estava claramente cheio de presentes dados aos recém-casados, ele muitas vezes se assustava ao ver sua mulher falando na sua língua nativa, ele a olhou e pensou "Dá pra conviver." Já ela, via aquilo tudo como uma diversão, um desafio feito por seu pai, e sim, ela sabia muito bem o que rolava por debaixo dos panos nos negócios do pai, aliás, ele mesmo a falara.

-Vamos dançar?

-Vai ser o que? Música clássica?.-Perguntou ele sorrindo.

-Óbvio...-Puxou ele até a pista onde já haviam algumas pessoas dançando aquela mistura de hip-hop com rock as pessoas dançavam animadas, ela sorriu animada e o olhou.-Que não.

-Você sabe como dançar isso?

-É só se mexer!-Gritou pelo som alto e levou as mãos para o alto pulando já que tinha tirado os saltos no carro e colocado sapatilhas brancas brilhantes.

Ele começou pular ali como as outras pessoas que já eram um monte dançando. Minutos depois a música acabou e ambos estavam ofegantes e sorridentes, ele a agarrou e a puxou para um beijo, que ela tratou de responder, logo começaram os aplausos e eles se separaram, mas não do abraço.

Uma lenta música começou e ele a olhou e ela e sussurrou "Essa eu não sei." disse e ela riu sussurrando de volta "Me segue." ele juntou suas mãos as colocando no ar e a outra na cintura de sua mulher, ela sorriu e começou a se movimentar e ele a seguiu nos passos.

Não teria festa após o casamento de Lenny e Yoongi, eles preferiram ir para casa e descansar, após a cerimônia, eles se despediram dos convidados e agradeceram além dos presentes, a presença deles.

Ao chegarem em  casa Lenny foi tomar um banho enquanto Yoongi tirava o terno e pegava uma besteira na geladeira, viu a garrafa de champanhe e a pegou, colocou um pouco em uma taça e bebericou aquilo.

Ele estava tão feliz, nunca sentira-se tão realizado quanto estava agora, faltava pouco para sua filha nascer e isso o deixava ainda mais animado. Ele amava Lenny e a julga a mulher de sua vida, e quando recebera a notícia de que seria pai pela segunda vez depois da frustração ficara mais que feliz e trataria aquela pequena menininha como seu segundo diamante precioso.

-Não Yoongi! Sem bebida alcoólica.-Parou a sua frente e fez um bico que Yoongi julgou ser fofo.

-A grávida é você meu bem.

-Nossa, então é assim que você me trata.-Disse ela tentando fazer um tom melancólico, ele apenas sorriu.-Carregando nossa filha durante 6 meses! E nem esse favor você me faz? Oh, quero o divórcio.

-Pare de ser dramática enny, não estou me embebedando, estou tomando só um pouco.

-Estou brincado bobo.-Disse com uma vasilha de sorvete nas mãos.-Vou pra sala e depois vou sair com minha amiga ok?

-Não.

-Oi?

-Vai não, vai ficar comigo, tem que sair no dia do seu casamento?

-Quem sera que fica emotivo na gravidez mesmo?

-O que você queria me contar ontem? Disse que era algo sério e que era pra mim manter a calma...

-Ah. Nada!

Sim Lenny tentou, e mais uma vez fraquejou em contar sobre a gravidez de risco, agora não era mais pelos antigos motivos, e sim por ela não ter contado antes, não ter confiado antes, agora ela tinha medo de sua reação e ele sentia que havia algo estranho acontecendo desde que houvera a consulta, mas ele não tocara no assunto, confiava nela e na sinceridade da sua relação com Lenny.

Pobre Yoongi.

-Não quer falar o por que me pede para comprar absorventes e por fica escrevendo tanto naquelas folhas?

-Não.-Lenny ficou pálida não era comum se sentir sem saídas e uma conversa e também não queria comentar sobre as cartas que escrevia, no dia em que ele a viu as escrevendo e quis ler, ela faltou ajoelhar para ele não ler ele ficou um pouco desconfiado do que ela andava fazendo.

-Sabe que não precisa esconder nada de mim não é? Estou aqui exatamente para isso, para te dar apoio, mas, se não acha que pode confiar em mim ou...

-Pode parar!-Ela interrompeu, colocando o dedo indicador em sua boca, chegou perto dele e o abraçou ele retribuiu e afagou-lhe os cabelos. 

Ela começou a se sentir boba, não havia motivo algum para que ela escondesse, começou a pensar como era tola e se julgara por não confiar em Yoongi antes, decidiu falar de uma vez.

-Podemos conversar? Prometo que serei sincera.-Com essas palavras ambos seguiram para a sala e ao chegaram o noticiário anunciava.

-Ola, trazemos a notícia que a filha de um dos homens mais poderosos do Japão se casou mas, a dúvida de muitas pessoas é, com quem? Isso mesmo, ninguém tem informação sobre o nome do homem sortudo, algumas pessoas o estão comparando até mesmo com uma pessoa morta. Bem sabemos que os mortos estão mortos então quem será esse sortudo?.-Imediatamente apareceu uma filmagem que mostrava bem o rosto do rapaz, Lenny sentiu o corpo gelar dos pés a cabeça, "Era o irmão gêmeo de Taehyung" pensara assustada. O repórter tinha conseguido gravar apenas o rosto do esposo, a mulher que era quem realmente chamava a atenção ali elesnão conseguiram gravar. Ela estava tão entretida com o rosto familiar passando no aparelho que quase não notou sua filha lhe chutando a barriga. Ela sorriu e passou a mão pela barriga já um pouco grande.

Já Yoongi deu de ombros e voltou a atenção a sua esposa, queria logo saber o que acontecia que a deixava tão inquieta, as vezes chorava, as vezes ria demais, as vezes faltava mata-lo com a gravata, e as vezes ficava carente e carinhosa.

-Amor, tenho que atender, um minuto mas eu já volto.-Disse ele caminhando até o quarto aonde ficara o celular que tocava, ela quis que aquela conversa demorasse muito, queria que ele esquecesse e fossem arrumar suas coisas para a viagem que fariam.

Perdera, mais uma vez a coragem para contar.

EscritoraJung~~

                                                                                                   [Jeon Jungkook on]

-Não há ninguém para assinar sua alta?-Perguntou a médica preocupada.

-Não. Pode me liberar mesmo assim?

-Bem, acho que sim, vou dar uma olhadinha e já volto e se for o caso, com a alta.-Vejo a moça sair do quarto e suspiro cansado, queria sair logo daquele hospital, ir diretamente ao meu chefe e pedir o meu dinheiro, disseram-me que seria o ultimo trabalho que eu faria e depois me deixariam ir com uma boa grana.

Só quero ser livre desses caras e principalmente do patrão.

-Senhor, esse homem assinou sua alta, disse ser seu tio.

Vejo o comparsa de Taehyung a porta sorrindo simpaticamente e tenho vontade de fulmina-lo bem ali.

-Meu sobrinho! Não acredita a saudade que senti de você! Como esta?

Mesmo que eu não acreditasse a moça se conformou com aquele teatrinho e disse.

-Vou pegar suas roupas.

-Não se preocupe! Pode doa-las, eu trouxe novas roupas para ele, pode nos deixar a sós por enquanto?-Disse simpático, até parece uma boa pessoa.

Ela assentiu e dando alguns passos saiu do quarto fechando a porta em seguida.

-Me deixe em paz!

-Calma garoto, eu te salvei lembra?

-A é? Como?

-Taehyung te mataria colocando tantos furos em você que ficaria parecendo um queijo, e olha! Só levou dois tiros!

-Pois agora ele que tente! 

-Por favor... Eu não gostaria de vê-los trocando balas.

-Você fala como se importasse a você a minha vida. 

-Eu não te salvei para nada garoto.

-Como é?

-Isso mesmo, você me deve uma.

-Eu?! Você quase me matou e eu te devo uma?

-É. Veja, eu nem estou te torturando para saber que matou a garota que estava na casa no dia.

-Você diz aquela garota dos cabelos pretos?-Sorri abertamente e ele me olhou com os olhos franzidos.-Muito gos...

-Cuidado com suas palavras garoto, era minha filha, e pra mim matar você é um segundo.

-Consegui irritar o velhote?

-E eu também adoro respeito, não quero precisar fazer com que você obedeça.

-Diga logo, o que veio fazer aqui?

-Vim buscar você, você vai comigo para a nova casa. 

-E a outra?

-Vendi. Aquela casa estava começando a chamar atenção demais.

-Que seja, eu não vou contigo.

-Mesmo você me devendo uma, vou ser legal, se eu te der a liberdade você vem ficar conosco?

-O que vocês querem comigo?

-Olha, eu estou começando a querer me aposentar, sabe, as pessoas envelhecem.

-I daí?

-O que você tem com essa fala? Não sabem falar outra coisa?... Bem, "i daí"  que eu gostaria que você fosse o braço direito de Taehyung.-Eu não segurei a risada que soltei assim que ele acabou de falar, ele tá doido? Óbvio que não! 

-Desculpa cara... Mas isso é um absurdo, não vou, não quero, nem planejo trabalhar e muito menos ser o "braço direito" de Taehyung.

Houveram algumas batidas na porta e ele falou algo como "Poderia esperar mais alguns minutos? Obrigado." 

-Olha aqui suas roupas, e sobre a proposta, pense, o que tem a perder? Só tem a ganhar, e outra, se vera livre de Shin.

-Como você...?!?!

-Acha que eu não descobriria? Até mais Jeon, o endereço está na sacola.-Se virou e foi saindo mas logo depois entrou e parou de costas na porta.

-O que foi?

-Os homens de Shin estão aí. Se vista logo! Parece que me viram chegar ou descobriram você aqui.

Sem pensar duas vezes comecei a me vestir calça preta jeans e blusa branca com tênis e meias pretas, como ele sabia meu número? Assim que acabei o olhei e ele me jogou uma pistola e logo depois um silenciador, encaixei a arma ao silenciador e perguntei sussurrando.

-Como sabe que são homens de Shin?

-Eu e Taehyung estudamos sobre vocês e pelas informações de outros mafiosos conseguimos um arquivo com o perfil de todos ali.

-Como conseguiram isso tudo em tão pouco tempo? E como lembra-se dos rostos?

-Eu tenho uma memória fotógrafa. Vamos sair normalmente, pegue a sacola pra mim.

Logo lhe dei a sacola e ele la colocou a gravata e o terno, bagunçou um pouco seus cabelos para o lado e parecia um pouco mais jovial.

Ele colocou a arma na sacola escura e eu guardei a minha na cintura a cobrindo com a blusa. Ele logo abriu a porta e parecendo outra pessoa sorrindo apertou o passo e eu fiz o mesmo.

Saímos do hospital e caminhando até o carro de Jong sinto que estávamos sendo seguidos.

-Jong...-O chamei tentando fazer minha voz mais tranquila possível ele olhou para trás e  sorriu, chegamos até seu carro.

A cada segundo e como se eu fosse levar outro tiro, Jong guardou a sacola no carro preto e grande e fechou a porta guardando a chave no bolso.

-Em outro lugar cavalheiros.

-Cala a boca velhote!-Um deles gritou e o outro riu.

-Acha mesmo que vai nos vencer sem arma e ainda mais com um idoso do lado? Por favor né Jeon, era um dos melhores.

-Cala a boca!-Gritei eufórico.

-Por favor queiram nós seguir.-Disse Jong calmo, notei apenas agora que sua arma estava em sua mão.

Ele me puxou pelo antebraço e eu o segui, fomos até um beco aonde haviam várias caixas de lixo muito provavelmente do hospital.

-Não queremos machucar o velho nem você.

-Mas Shin mandou que te achássemos e que o levasse vivo se não nos mataria, sabe como ele é com você.

-O preferidinho tem que voltar, não vou morrer por sua culpa.

Jong riu, na verdade gargalhou.

-Vocês são patéticos, eu precisava me divertir, mas vou matar vocês tão rápido que chega a ser sem graça.

Comecei a gostar desse cara, estava começando a considerar sua proposta, colocar uma bala na cabeça de Shin é bastante interessante.

                                                                                            [Jeon Jungkook off] 


Notas Finais


ADORRRRROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUHHHHHHHHHHHHHHHHHHH


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO CHEIROS!! <3

DEEM UMA OLHADINHA NA FIC DELÍCIA COM O HOBI:https://spiritfanfics.com/historia/big-desire-9599524
E NAS OUTRAS TAMBÉM!! <3 ^^

prometo não demorar pra atualizar <3

COMENTEM FAVORITEM COMPARTILHEM E MUITO IMPORTANTE PRA TIA AQUI <3

NÃO SE ESQUEÇAM, 130 FAVORITOS E ROLA HOT DO TAE E LENNY SÓ PRA LEMBRAR OS VELHOS TEMPOSDE TAENNY (<3 adoro esse shipp)

Ate o próximo capítulo! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...