História Forever Together - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Fifth Harmony, Jonas Brothers, Miley Cyrus
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dallas Lovato, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Joe Jonas, Lauren Jauregui, Miley Cyrus, Nick Jonas, Normani Hamilton
Tags Camren, Diley, Dilmer, Jemi, Lesbian, Lesbian For Demi, Memi
Visualizações 142
Palavras 1.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


LEIA
AS
NOTAS
FINAIS!!!

Capítulo 7 - Eu curo um porre com outro porre.



Demi

 Não aguento mais esse tédio.

Dallas reclamou ao meu lado, atirando seu corpo ao lado do meu no sofá. Soltei um grande suspiro, até porque era isso que eu também estava sentindo.

— Estou um pouco arrependida.

Bufei, revirando os olhos.

— Você não queria descansar? Pronto.

— Não pensei que pra isso teria que ficar longe da internet. Quando eles me convidaram achei que era pra ficar na cidade.

— Sabe como mamãe e papai são.

Dallas falou e eles não demoraram a entrar na sala, sorrindo. Nos entreolhamos e ficamos em silêncio, os dois sentaram em um sofá a nossa frente. Eu estou no sul do Texas, em uma fazenda com meus pais, estou sem internet e sem sinal celular. Foi tudo tão rápido, que só me lembro de sair da casa da Miley e vir encontrar meus pais, claro que já tínhamos combinado que quando acabasse o programa passaríamos alguns dias juntos, mas eu nem consegui avisar ninguém que eu viria.

— Demi quer ir na cidade.

Arregalei os olhos para Dallas, estava tão avoada que nem percebi que eles conversavam. Meus pais me encararam e eu neguei freneticamente, sempre que a gente diz que quer ir na cidade eles ficam chateados achando que não queremos ficar com eles.

— É mentira! Ela que quer ir.

Semicerrei os olhos para Dallas.

— Ok, meninas. Deixamos vocês irem na cidade.

Mamãe se pronunciou, eu e Dallas nos entreolhamos estranhando a atitude da loira a nossa frente.

— É serio?

Minha irmã franziu a testa.

— Sim, mas não voltem tarde.

Assenti e levantei do sofá. As pressas eu subi as escadas junto de Dallas, o perigo deles mudarem de ideia era grande. Antes de sairmos ainda perguntamos se Madison queria ir junto, mas ela estava tão sonolenta que nem sei se nos ouviu, apenas disse que iria dormir novamente.

— Nem acredito que foi tão fácil.

Dallas comentou ao entrarmos no carro.

— Muito menos eu, estou louca pelas minhas redes sociais.

— Temos um caminho até chegar na cidade, me conte como anda sua vida maninha.

O carro já se movimentava, Dallas sempre dirigiu muito melhor que eu então, nem discutimos quando o assunto é quem irá dirigir. Fora que minha irmã fica mais nervosa que eu, fazendo com que eu me atrapalhe ainda mais na direção.

— Já contei tudo, Dallas.

— Não com detalhes, você sabe que não toco no assunto Wilmer perto dos nossos pais.

Revirei os olhos, o sonho dos meus pais é que eu case com Wilmer.

— E você sabe que eu não tenho mais clima com ele. A última vez que saímos pra jantar... Nós transamos. – Dallas tirou a atenção do caminho e me encarou incrédula. — Presta atenção na rua! – ela o fez. — Mas eu deixei claro que não sinto mais nada e que se aparecer alguém na vida dele que não deixe escapar.

— Ai, maninha. Você é tão complicada quando o assunto é amor. – negou. — Quem não iria querer um boy daqueles?

— Ok, Dallas. Já entendi.

Suspirei, me praguejando mentalmente por ser tão difícil de me apaixonar realmente pelas pessoas. Queria que tu fosse mais fácil para mim, que eu já estivesse até mesmo noiva. Estou com vinte e um anos, tem muitas que até casadas estão. Meu sonho é ter uma família e não quero demorar a construi-la, até porque quero que seja grande.

Dallas começou a tagarelar ao meu lado sobre sua vida agitada. Apenas ouvia minha irmã mais velha que ama falar, chegou a me deixar tonta de várias coisas que a mesma havia para contar.

— Estamos chegando, Demi. – Dallas chamou minha atenção. — Está quase dormindo ai.

— Meus fãs devem estar desesperados por noticias minhas.

Peguei meu celular em mãos que já havia um vestígio de sinal. A quatro dias sumida da internet, eles só podem estar enlouquecendo, ainda bem que consegui avisar Nikki antes de ir.

Só consegui realmente mexer em meu celular quando cheguei na casa dos meus pais em Dallas. Quando joguei meu corpo no sofá da sala, o mesmo começou a tocar freneticamente indicando varias mensagens e até chamadas perdidas. Várias de amigos me convidando pra sair ou querendo saber de mim, mas as que mais me chamaram atenção foi as da Miley. Tinham chamadas e mensagens dela.

“Bom dia, minha Demi. Não lembro muita coisa de ontem, será que podíamos nos encontrar para me contar? Beijo.”

Sorri largo com o jeito que ela me chamou.

“Eu fiz alguma coisa? Você está sem celular ou me ignorando mesmo?”

“Acho que ficarei sem respostas.”

Me senti mal por não avisar que ficaria esses dias foras, é claro que eu não estava a ignorando.

“Nem no twitter você me responde, realmente não sei o que fiz.”

Suspirei ao ler aquilo e fui nas minhas dm's antes de ler sua última mensagem, na dm só havia um “cadê você”. Confesso que estava gostando dela sentir minha falta, mas ao mesmo tempo ela deve estar achando que fez algo no dia da festa, talvez eu esteja um pouco brava, porém não foi tão grave assim.

— Então, como estão seus fãs?

Dallas perguntou sem tirar os olhos do seu celular, ela também estava atirada em um sofá concentrada em responder mensagens.

— Bem.

Respondi simplesmente voltando as minhas mensagens para ler a última que Miley me enviou, essa mesma foi enviada ontem a noite.

“Seria loucura eu sentir sua falta? Sinto tanto que recusei uma festa para beber sozinha em casa, mas você não sai da minha cabeça. O que está fazendo comigo, Demi? E por quê não fala mais comigo? Estou realmente sentindo sua falta. Me desculpe por qualquer coisa que eu tenha feito, não foi minha intenção. Beijo, não me ignore por favor.”

— Sorrindo pro celular, Demi?

Minha irmã fez eu encara-la e só então, perceber o sorriso gigante que eu estava nos lábios. Fechei a cara imediatamente e botei a língua pra ela, voltei minha atenção ao celular sem querer dar atenção para Dallas. Com certeza a mesma irá me encher o saco quando possível.

Eu estava realmente feliz com o que Miley havia escrito, tudo bem que a parte da bebida não foi legal, mas só dela preferir beber em casa do que ir a uma festa já é um avanço e eu quero muito que ela pare com esse vicio. Farei o possível para ajuda-la. Ainda lembro muito bem de como ela ficou na noite da festa...

Flashback on

— Miley, chegamos!

Falei de forma rude com ela, a mesma não me respondeu então a encarei vendo a mesma apagada no banco do carona. Revirei os olhos, estávamos paradas na frente do seu condomínio ainda teríamos que passar pelos seguranças para chegar até sua casa. Por um momento pensei em acorda-la, mas logo desisti. Segui o caminho e parei na entrada onde havia as cabines dos seguranças.

— Boa noite.

Abri o vidro do carro para poder escutar melhor o homem. O mesmo tinha a testa franzida provavelmente estranhando eu estar com Miley apagada ao meu lado.

— Boa noite, vim trazer Miley, mas nem sei onde é a casa dela e bom, ela dormiu.

— Eu nunca vi a senhorita por aqui.

Ele ainda estava desconfiado.

— Nunca vim aqui, só vim trazer ela mesmo. Mas se quiser eu desço do carro e você mesmo faz isso.

Dei de ombros.

— Não, tudo bem. A casa da senhorita Cyrus é a ultima dessa rua que você irá entrar depois que passar.

— Está bem, obrigada.

Agradeci com um sorriso contido, o mesmo balançou a cabeça e liberou para que eu passasse. Fiz como ele falou fui reto depois que passei e encontrei a ultima casa, havia até uma placa na frente com o sobrenome “Cyrus”.

— Miley.

Toquei nela e a mesma nem se mexeu. Soltei um grande suspiro e tirei meu cinto, desci do carro com a chave do mesmo em mãos e fiz a volta abrindo a porta do lado em que ela estava. A chamei mais duas vezes e a mesma resmungou algumas vezes. Percebi que seria sem sucesso acorda-la então, tirei seu cinto. A puxei para fora do carro, a mesma jogou todo seu peso em cima de mim e não tenho ideia como não caímos.

— Dems.

Ela sussurrou.

— Estamos na frente da sua casa, Miley. Será que pode me ajudar a te colocar lá dentro?

A loira não respondeu apenas colocou seu braço por cima dos meus ombros, a abracei pela cintura e caminhamos até a porta. Já havia percebido que no chaveiro da chave do carro havia outra chave e quando a testei na porta que para minha sorte abriu. Guiei Miley até o sofá mais perto e ela sentou ainda sonolenta, mal conseguia abrir os olhos.

— Quer deitar?

Perguntei depois de fechar e trancar sua porta.

— Não. – levantou seu corpo ainda cambaleando um pouco. — Já volto.

Avisou saindo em direção a outro cômodo da casa, joguei meu corpo no sofá e encarei o teto. Graças a Deus eu não bebo mais, agora eu posso ver o quanto isso faz mal e prejudica uma pessoa. Ninguém deveria depender dessas coisas, é só para se estragar, estragar a própria saúde.

Eu estava tão cansada que acabei fechando os olhos e cochilando naquele sofá. Acordei um pouco assustada e peguei meu celular vendo que não havia se passado mais do que vinte minutos. Miley não havia aparecido novamente, levantei daquele sofá coçando meu olho e fui até onde ela entrou.

— Deus, Miley!

Arregalei os olhos para a loira que estava debruçada em um balcão, estávamos na cozinha. Ao seu lado tinha uma garrafa de whisky e provavelmente Miley estava bebendo direto do bico.

— Não acredito, você já está péssima e bebe ainda mais.

— Eu curo um porre com outro porre.

Ela riu, totalmente abobada. Revirei os olhos a ajudando a levantar, seu braço passou por meu ombro novamente e ela ficou me encarando.

— Você é linda, minha Demi.

— E você está bêbada.

Caminhei com ela para fora dali.

— Onde é seu quarto?

— Lá em cima, penúltima porta do corredor.

Sua fala toda enrolada me irritava, não acredito que ela bebeu ainda mais do que bebeu na festa. Se eu já estava brava com a loira agora eu estou ainda mais. Carreguei Miley até seu quarto, a mesma não me ajudava muito, mas consegui deita-la na cama.

— Vou procurar um remédio para você, fazer um café forte.

Ela assentiu virando para o lado e fechando os olhos, sabia que quase de certeza a mesma estaria dormindo quando eu voltasse. A deixei naquele quarto e fui até lá embaixo, nem demorei a achar um remédio eles estavam por toda parte. Em vez de um café resolvi fazer um chá que ficaria pronto mais rápido, logo que pronto subi aquelas escadas e voltei para o quarto. Como eu já imaginava Miley estava totalmente apagada naquela cama.

— Tomara que você não acorde muito mal amanhã.

Falei comigo mesma, deixei o remédio no seu criado mudo e eu mesma tomei o chá que havia feito. Por um longe tempo ainda fiquei velando seu sono, estava com medo de deixa-la sozinha e a mesma começar a passar mal. Terminei meu chá e conferi o horário, já passava das três da manhã. Me aproximei um pouco de Miley e deixei um beijo em sua testa, ela nem se mexeu.

— Boa noite, babe.

Sussurrei, saindo do local em seguida. Não me atrevi a abrir portas da casa dela para saber se havia um quarto para dormir, apenas me aconcheguei no sofá da sala e peguei em um sono profundo, deixando o cansaço tomar conta do meu corpo.

Flashback of 


Notas Finais


Como prometido estou aqui, se vocês continuarem assim os capítulos sairam muito mais rápidos! Bom, gente, eu tenho um grupo no twitter e outro no wpp só com dileyzinhos, se alguém quiser entrar é só deixar o @ ou o número nos comentários. A meta vai continuar de 5 comentários ou mais e eu posto!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...