História Forever Young & Jae - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Mark, Youngjae
Tags 2jae, Got7, Jaebum, Youngjae
Exibições 74
Palavras 3.962
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me desculpem se tiver algum erro
Não foi revisado

Capítulo 1 - Do not touch what is mine.


O corredor branco em sua frente o intimidava. Jaebum, apesar de se mostrar ser durão com os outros, detestava a ideia de ter que ir para hospitais. Ele achava aquele lugar frio e sombrio. Lembrava de quando era pequeno, sua mãe acabou tendo uma hemorragia interna e teve que ir urgentemente para o hospital. Jaebum ainda era novo, tinha 7 anos. Seu pai estava trabalhando e os médicos não estavam conseguindo contatá-lo.

Naquela noite, ele havia ficado sentado nas cadeiras próximas a sala que sua mãe estava sendo atendida. Balançava suas pequenas pernas enquanto encarava o chão. Não conseguia sentir nada no momento, apenas rezava para que sua mãe saísse bem de lá.

— Ei! Jaebum! — Acabou sendo interrompido de seus flashbacks.

Olhou para o corredor onde havia aquele recipiente que podia comprar alguns salgados e refrigerantes.

— Eu já disse para não me chamar assim. — Emburrou-se.

— Vamos, eu já acabei. — O mais novo o puxou pelo braço para fora.

Não escondeu seu alívio de ter saído daquele lugar.

— E então, Youngjae? — Perguntou o maior, olhando em volta, procurando o caminho mais rápido para voltarem para casa.

— O médico disse que estou bem, mas preciso consumir mais vitaminas, se não, eu definitivamente irei ficar com anemia.

Já que o médico disse aquilo, Jaebum devia se sentir mais relaxado, mas não ocorreu. Ele queria que seu dongsaeng estivesse 100% saudável. Agradeceu mentalmente a mãe do mais novo, que havia dado a ideia de morarem juntos, assim ele poderia cuidar dele.

Assim que chegaram em casa, Youngjae pegou seu celular e acomodou-se no sofá. Era visível o incômodo que Jaebum sentia. Ele sabia que o mais novo estava falando com Mark, o melhor amigo de Jaebum. Ultimamente, percebeu que eles andavam se falando muito. Em todo momento, Youngjae estava com seu celular, falando com ele. Ah, Jaebum odiava aquilo, perdeu a conta de quantas vezes já teve vontade de ir ao mais novo e pegar o celular das mãos dele e jogá-lo contra o chão.

— Young, vem comer, lembre-se do que o médico lhe disse. — Jaebum falava de forma carinhosa, pois sabia que o mais novo não conseguia recusar nada dele quando o mais velho falava assim.

— Eu já estou indo, hyung, espera só um instante. — Youngjae sorria encarando a tela do celular. — Mark irá comprar roupinhas para Coco.

— Youngjae, eu quero agora. — Jaebum falou, agora mostrava-se sério, o que deixou o outro intimidado.

Após o clima meio tenso que havia acabado de acontecer, o mais novo deixou seu celular de lado e o obedeceu. Os dois comeram sem ao menos falar uma palavra. Era raro ver o mais velho usar esse tom com Youngjae.

— Desculpe. — Youngjae quebrou o silêncio.

Jaebum apenas deu de ombros, demonstrava que não se importava, mas internamente, ele sabia o verdadeiro sentimento que ele sentia.

— Bummie... — Youngjae o chamou, manhoso.

— Termine de comer para ir descansar. — Bum tentava mostrar seu lado durão.

— Por que está chateado? Você nunca gosta quando eu falo do Mark. — O mais novo se levantou e sentou ao lado do maior.

Jaebum mantinha seu olhar na refeição, até que sentiu os dedos meio gélidos do mais novo em sua bochecha.

Virou seu rosto para encará-lo. Levantou-se empurrando um pouco a mesa e pegou no pulso magrinho de Youngjae, o puxou para o quarto que ambos compartilhavam.

— Hyung?! O que está fazendo? — Youngjae perguntara assustado.

Jaebum não respondeu, deixou o menor em pé enquanto caminhava para o banheiro. Começava a preparar a banheira com água quente.

— Jae... Bum? — Youngjae ainda estava receoso.

— Tire suas roupas. — O mais velho havia terminado de preparar a água.

Procurou uma esponja e um pano, enquanto o mais novo se despia no quarto.

— Hyung, por que isso? — Youngjae estava com a toalha enrolada em sua cintura e seus braços cobrindo seu peitoral.

— Sua temperatura está baixa, estou evitando que fique doente. — Jaebum fazia gestos para que o menor entrasse na banheira.

— Está sendo cuidadoso de mais... — Youngjae tirou sua toalha e entrou.

— Não lembra que sua mãe me pediu para cuidar de você? — O menor assentiu, enquanto o mais velho começava a esfregar suas costas.

Jaebum sempre falava que cuidava do menor por conta da mãe dele. Ela realmente havia pedido, mas não era só por isso que o mais velho o fazia. O maior esfregava as costas do outro, enquanto ele olhava para a borda da banheira, confuso.

O maior terminou e se levantou, pegou a toalha e esperou Youngjae se levantar. Assim que o outro o fez, Jaebum enrolou a toalha em sua cintura e foi para o quarto.

— Vista-se e vá descansar. — Jaebum ajeitava a cama para ele.

Youngjae fez exatamente o que o outro mandara. Jaebum saiu do quarto e foi para a cozinha, lavando a louça que tinham sujado. Logo escutou seu celular tocar na sala, enxugou suas mãos e foi atendê-lo.

— Alô? — Esfregava suas mãos meio molhadas em sua calça.

— E aí, Jae? Vamos sair hoje? — Mark falava do outro lado.

— Ah, não. Eu não estou muito afim e ...

— Qual é? O Jinyoung e o Jackson vão também. Vamos, hein? — Mark interrompeu Jaebum.

— Ah... — Jaebum pensava em uma desculpa. — Eu tenho que cuidar do Youngjae.

Jaebum havia falado rápido, pois sabia que Mark iria começar a zoar com a sua cara.

— Por que não trás ele também? — Mark insistia.

— Ele está meio doente. — Bum começara a se sentir desconfortável. — Mark, hoje não dá, ok? Quem sabe outra hora.

Jaebum tentou falar normalmente, mas foi falho. Não conseguiu esconder sua raiva e desligou sem ao menos deixar o outro falar.

Abandonou seu celular em cima da mesa e voltou para a cozinha. Preparando algo para o mais novo comer assim que acordasse. Começou a fazer um Jeon, é algo semelhante á uma panqueca, podendo ter vários sabores.

Já havia passado vinte e três minutos desde que começou, faltava apenas tirá-la do fogo e assim o fez. Passou o braço na testa para limpar a cobertura de suor que lhe incomodava e que já haviam pregado em alguns fios de seus cabelos.

Fez a mesa e deixou-a pronta, esperando apenas por Youngjae.

Saiu da cozinha e caminhou para o quarto, encontrando o menor dormindo profundamente. Ele parecia estar cansado, talvez por conta das horas que perdeu falando com o melhor amigo do outro.

Jaebum tirou algumas vestimentas, ficando apenas com sua jeans. Assim que começou a desabotoá-la para tomar banho, percebia que a luz de notificação do celular de Youngjae piscava desesperadamente. Lutou contra a curiosidade, mas logo foi vencido.

Tentou algumas senhas para desbloquear o celular, mas foi falho. Lembrou que há uns dias, o menor havia feito uma aposta com Bambam, na qual ele pedia para que, caso Youngjae perdesse, ele botasse um nome em sua senha relacionado a Jaebum. Bam sabia do que Jaebum sentia por Youngjae, então usou sua vitória para conseguir algo do mais velho no futuro.

"Def Soul" pensou Jaebum. No mesmo dia que fizeram a aposta e Bambam ganhou, os dois mais novos passaram o dia chamando o mais velho por esse apelido.

Digitou e logo conseguiu entrar. Bum suspirou aliviado e sentindo-se mal por estar invadindo a privacidade do menor. Sua sensação ruim foi logo substituída por uma de raiva. Mark estava mandando várias mensagens para Youngjae.

Mensagens de Mark >3>, hoje.

Mark >3>: Por que não veio me ver hoje?

Mark >3>: Eu ainda não senti seu perfume....

Mark >3>: Coco está com saudade, por que não nos responde, hein, baby?

Mark >3>: Meu celular já está cansado de me ver mandando mensagens para você...

Mark >3>: Jae mal deixou eu te chamar para uma sessão

— Que saco hein, Mark? — Jaebum resmungava para si.

Bloqueou novamente a tela do celular e foi tomar banho. Várias perguntas rodeavam a mente dele enquanto tomava banho. Era desesperador pensar em Mark fazendo suas brincadeiras costumeiras com o seu dongsaeng, pois Bum conhecia muito bem seu melhor amigo.

Saiu do banho e vestiu algo confortável, sentia-se sonolento. Deitou na cama que ficava localizada ao lado da do outro e logo dormiu.

Jaebum acordou ao sentir certa movimentação no quarto. Abriu os olhos e virou para o lado do mais novo, que já estava entretido em seu celular.

— Você não cansa, não? — Bufou o mais velho.

— Hyung, eu estou com fome. — Young falava sem tirar a atenção do celular.

— Eu fiz Jeon para você, não foi na cozinha? — Bum levantava-se.

— Ainda não, eu estava esperando por você. — Bloqueou o celular e esperou o maior.

Saíram do quarto e foram para a cozinha, comeram novamente em silêncio, até que a campainha tocou.

— Argh, mas quem será agora? — O mais velho estava impaciente.

Caminhou a passos lentos até a porta e a abriu. Sua fome rapidamente foi embora.

— E aí, JB? — Mark dizia adentrando a casa sem permissão.

— O que você quer, hein? — Jaebum coçava a sua nuca com força.

— Eu só vim ver o meu Sunshine. — O loirinho sorria provocante.

Os dois se encararam fatalmente, até que Jaebum começou a caminhar na direção dele, provavelmente ia socá-lo quando Youngjae interrompeu.

— Markie! — O mais novo ia saltitando na direção do loiro.

— Baby, por que demorou a me responder hoje? — Os dois se abraçaram.

— O hyung me chamou para comer. — O menor esfregava seu rosto no casaco de Mark.

Jaebum estava se corroendo por estar vendo aquela cena. Seus punhos estavam cerrados e ele pressionava seus lábios com força.

— Você poderia ter ido comer depois, não? — Mark acariciava os cabelos de Young.

— Não! Ele não podia! — Jaebum falou alto.

Im foi em direção aos dois e os separaram. Puxou Mark pelo braço até a saída.

— Ow, qual foi? — Mark tentava se soltar.

— Nós vamos dormir, volte depois.

Jaebum o empurrou para fora e logo fechou a porta e trancou. Youngjae o encarava confuso e sua expressão estava triste.

— Por que fez isso?! — O menor gritava com ele.

— Você fica falando o tempo todo com esse cara, dá um tempo! — JB rebateu no mesmo tom.

— Eu fico com ele porque pelo menos ele gosta de mim! — Choi fechou a cara e correu para o quarto.

— Y-Youngjae! Volte aqui! — Jaebum tentava de alguma forma reagir.

As palavras que saíram da boca do menor atingiram Jaebum em cheio. A culpa é dele por não demonstrar o que sente, mas é algo extremamente difícil para o mais velho. Ele sabe que se abrir a boca em relação sobre isso agora, o menor irá se afastar e correr para outros braços, os braços do maldito loiro que ele estava começando a odiar. Talvez a partir agora, não devesse mais chamá-lo de melhor amigo.

— Youngjae, eu estou pedindo! — Bum falava em frente a porta de seu quarto, onde esta estava trancada. — Abre essa droga!

— Vai embora! — Youngjae ainda gritava. — Eu só vou abrir quando você, ao menos um dia, demonstrar algo por mim!

Depois disso, ouve silêncio total. Jaebum estava com a testa colada a porta de madeira, sorria irônico e continha um riso sarcástico.

— Você não sabe mesmo, não é? — Agora encarava a porta. — Se eu realmente não gostasse de você, acha que eu teria aceitado morar aqui com você?

Gostar não era bem o verbo que Jaebum queria usar, mas teria que começar com calma. Ouviu a porta ser destrancada lentamente. O rosto do mais novo estava molhado, ele tinha um certo dom de chorar silenciosamente sem ninguém desconfiar, a menos que olhassem para o rosto dele.

— Por que fez aquilo com Mark? — Young o encarava com os olhos meio marejados.

— Youngie... — Jaebum se aproximou e começou a passar as mãos no cabelo do outro. — Isso foi para o seu bem, por favor, acredite. Eu gosto de você, está bem?

Jaebum novamente sentiu uma pontada no peito por ter usado o verbo errado de novo.

Abraçou o mais novo até ele ficar mais calmo e sonolento. Jaebum o deitou na cama, mas quando lembrou da discussão ocorrida há pouco, decidiu deitar junto com ele. Já fazia um tempo que ele não fazia isso com o mais novo, estava realmente sentindo muita falta de fazê-lo.

Im acordou com o som perturbante de seu celular vibrando, alarme. Era 07:05 da manhã, tinha que ir fazer o seu trabalho voluntário. Ele trabalhava ajudando a conseguir alimentos, armazená-los e distribuí-los para crianças órfãs e pobres. Acordou sentindo um calor em seus braços, quando se deu conta, era Youngjae o abraçando. A testa do menor estava quase colada no queixo do mais velho. Os braços de ambos estavam praticamente enroscados em seus corpos. Jaebum sorria felizmente e seu coração palpitava fora do ritmo. Deixou alguns minutos se passarem, iria se atrasar para o trabalho. No instante, ele decidiu pensar um pouco em si e então aproveitou aquele momento que tanto queria.

07:45 e seu alarme tocou novamente. Agora, Jaebum teria que levantar. Tentou desenroscar o braço de Youngjae de si sem acordá-lo, estava quase conseguindo se levantar, mas o menor acordou.

— Bom dia, hyung. — Ele agora olhava para o teto e coçava seus olhos.

— Bom dia. — Sorriu sem graça. — Desculpe por acordá-lo.

— Vai trabalhar hoje? — O maior assentiu.

Estranhamente os dois conversaram normalmente como se nada tivesse acontecido no dia anterior. Fizeram suas higienes individualmente e arrumaram-se.

— Vai ao clube? — Jaebum pegava as chaves da porta.

— Sim.

— Que horas vai fechar? Eu vou te buscar.

Os dois saíram da casa e o maior fechou e trancou a porta. Youngjae costumava trabalhar no pequeno clube, cantando. Ele ganhava pouco, mas era o suficiente para se manter. Sua mãe todo mês depositava uma quantia alta em sua conta no banco para os dois. Esse era um dos motivos para os dois não se preocuparem tanto em trabalhar feito doidos para conseguir dinheiro.

— Eu ligo, hyung. — Youngjae sorriu e em seguida saiu.

Choi, desde que amanheceu, havia acordado com um sorriso cativante no rosto. Até mesmo o celular ele deixou de lado e deu mais atenção a Jaebum, que percebeu e tentava ao máximo retribuir.

Á tarde, por conta do seu atraso, Bum teve que dar duro para conseguir o tempo que havia perdido. Felizmente, seus colegas de trabalho eram muito preocupados uns com os outros e então o ajudaram.

Ao anoitecer, Jaebum estava terminando seu trabalho. Empilhava as últimas caixas de alimento junto á Hyunwoo, o colega mais musculoso entre os outros.

— Hoje terminamos meio tarde, não? — O mais forte passava a mão na testa.

— Sim, mas conseguimos recuperar aquele tempo. — Jae recuperava o fôlego. — Valeu pela ajuda, cara.

Os dois se davam super bem, tanto que, quando Jae conflitava com Mark, ele vinha se distrair com Hyun, já que seus outros amigos, como Jackson e Jinyoung, estariam babando Mark.

— Quer que eu te acompanhe até sua casa? — O moreno pegava suas coisas.

— Não precisa, obrigado. — Bum hesitava, estava sentindo um pressentimento ruim.

— Ah... — Hyunwoo o encarou por um tempo. — Então eu vou!

Hyunwoo sorriu, o que fez o outro também dar o seu eye smile.

Fecharam o local, já que eram os últimos e seguiram para a casa de Jaebum.

— Hyung, eu preciso ir no clube. — Jae havia se esquecido.

— Por mim tudo bem. — Sorriu. — Vamos?

Os dois mudaram o caminho, agora indo para o clube que Youngjae trabalhava.

Quando chegaram, havia algumas pessoas conversando no lado de fora. Bum não conseguia identificá-los, já que estava de noite.

Mas viu que foi uma péssima escolha ter ido naquele local.

Ao se aproximar da entrada, deparou-se com Youngjae sendo imprensado na parede por Mark. O loiro sorria maliciosamente para o mais novo, que mostrava-se corado.

Jaebum estava trêmulo, isso por conta da força que fazia para controlar sua raiva, mas esta logo se acabou quando viu Mark alisando as coxas de Youngjae e começando um beijo.

Hyunwoo, ao perceber o que estava acontecendo, ia segurar o braço do amigo, mas ele não estava mas ali. Jaebum havia partido na direção dos dois.

Empurrou fortemente Mark, que caiu com a bunda no chão e usou as mãos para se apoiar nesta.

— O que você pensa que está fazendo?! — Mark gritou e tentava se levantar.

A tentativa foi falha, pois Bum o chutou, fazendo-o cair novamente.

— Hyung, para! — Youngjae agarrou Jaebum por trás, tentando puxá-lo.

Aquela foi mais uma tentativa falha naquele dia, pois facilmente JB saiu de seus braços.

Quando Mark se levantou, atacou Jaebum e tentou derrubá-lo com um soco. O castanho desvio de alguns do soco e conseguiu dar um gancho no loiro, que este caiu no chão por completo.

— Eu vou acabar com essa tua cara! — Jaebum ia na direção de Mark.

Assim que o castanho ia para o chão, Hyunwoo o segurou fortemente por trás, o prendendo com força com seus braços contra seu corpo.

— Me solta! Eu vou acabar com ele! — Bum se esperneava ao ver o loiro se levantar do chão.

Mark cuspiu o sangue de sua boca, havia mordido forte a parte interior de seus lábios e bochechas.

— Hyung! Para! — Youngjae se colocou na frente de Jaebum, com os olhos cheios de lágrimas.

Ao ver o mais novo daquela forma, sentiu uma grande dor em seu peito e parou de se debater contra o peito de Hyunwoo, mas este não o largou.

— Você por acaso é idiota? — Mark olhava sarcástico para JB. — Se você gosta do Sunshine, deixe-o em paz!

Mark gritava, enquanto limpava o sangue que escorria de sua boca e se aproximava de Youngjae.

— Você que tem que deixá-lo! — Im retrucou. — Ele não quer você...

— Vamos embora... — Youngjae o interrompeu em um tom baixo.

— C-Como é que é? — Jaebum o encarava, incrédulo.

Mark sorriu vitorioso, segurou as mãos do mais novo e se direcionaram até a saída.

— Jae! Choi Youngjae! Não faça isso! — Im começava a se debater nos braços do amigo novamente.

O mais novo andava na frente, cabisbaixo. Estava fazendo uma enorme força para não chorar ali.

Assim que Jaebum se acalmou, Hyunwoo o soltou lentamente.

— Cara... — O moreno mostrava uma expressão sem graça.

— Eu vou pra casa... — Bum olhava para o chão. — Leve-me para casa!

Jaebum mostrava-se ansioso com algo. Dificilmente ele chorava, mas naquele momento, ele queria.

Hyunwoo o acompanhou até a porta de casa e o esperou entrar. Durante o caminho, o musculoso dizia algumas palavras para distraí-lo e descontrair o clima.

— Vai ficar bem? — O mais velho falou antes de se retirar.

— Vou, obrigado por hoje, eu estou te devendo. — Jaebum forçava um sorriso.

— Sem problemas, qualquer coisa, não hesite em ligar. — Hyunwoo deu um sorriso simpático.

Logo o moreno se despediu e o outro entrou em casa. Sentia seu coração apertado. A casa estava em completo silêncio.

Subiu rapidamente para o quarto, o que fez seu coração disparar ao ver que o mais novo não estava.

Saiu do quarto e vasculhou toda a casa. Não achava Choi Youngjae em nenhum lugar. Já era 21:07 e nada do mais novo.

Jaebum começou a tomar alguns calmantes, pois se não o fizesse, começaria a surtar ali mesmo.

23:03, a porta da casa abria-se lentamente, logo foi fechada e trancada.

Youngjae ligou a luz da sala e assutou-se ao ver Im Jaebum sentado no chão, com suas costas escoradas na parede. O rosto estava inchado e suas roupas molhadas. O mais velho havia chorado pela primeira vez depois de muitos anos.

— Hyung... — O menor se aproximou.

Jaebum inesperadamente se levantou, colocou a mão na frente, um gesto para que o menor não se aproximasse.

Olhou com os olhos mortos, mas fixamente nos do menor, em seguida foi para o quarto. Youngjae o seguiu, encarava-o confuso por vê-lo pegando uma muda de roupas do guarda-roupa e saindo do quarto.

— A-Aonde você vai?

Jaebum apenas passou por ele, tentando manter a maior distância possível. Caminho até o quarto de hóspedes que ficava no mesmo corredor do seu quarto. Entrou lá e trancou-se.

11:15 do outro dia.

A casa estava novamente silenciosa.

A porta no final do corredor foi destrancada. Jaebum saíra do quarto, coçava a cabeça e caminhava folgado até a cozinha.

Estava com fome.

Vestia uma calça longa e frouxa junto com uma blusa com mangas curtas, ambas azuis.

Começou a preparar um café da manhã tradicionalmente americano.

Em seu prato havia ovos, bacon e torradas.

Por conta do cheiro da cozinha, Youngjae sentiu vontade de levantar.

Saiu do quarto e caminhava esbarrando-se nos móveis.

— Jaebum... — Choi sorriu largo ao vez o mais velho ali.

O mais novo logo correu para abraçá-lo, onde este se encontrava em frente ao fogão, preparando o café da manhã de quem o estava abraçando. Youngjae o abraçava fortemente, agora esfregava seu rosto contra as costas meio largas do outro.

— Pronto. — Jaebum terminou o café do outro e o colocou na mesa.

Youngjae estava feliz, pelo menos o mais velho deixou ele tocá-lo.

— Hyung... Eu não estou com tanta fome... — Youngjae ainda o agarrava.

— Mas eu estou.

Jaebum rapidamente se virou de frente para o mais novo, passou as mãos nas laterais no corpo dele e desceu até as coxas, onde as ergueu e colocou o mais novo sentado em cima do balcão.

— B-Bummie? — Young o olhava inocente.

Jaebum se aproximou mais ainda do corpo do mais novo, fazendo-o abrir mais as pernas, encaixando o corpo do mais velho.

— Eu há muito tempo guardei isso para mim... — Jaebum olhava fixamente e segurava na cintura de Youngjae, enquanto esse segurava o rosto do maior e o encarava de volta. — ... Eu não me permitia dizer que te amava, pois meus pensamentos me diziam que eu iria me arrepender. Nesse momento, eu não me importo de dizer que te amo. Vou apenas aproveitar o agora e fazer um momento feliz, pois brevemente, isso será uma lembrança boa, na qual eu não estarei arrependido de tê-lo feita. Irei apenas me castigar por não ter feito isso antes, mas talvez eu não devesse... Tudo tem seu tempo.

O coração de Youngjae pulsava descontroladamente, ele sorria e controlava suas lágrimas que estavam insistindo em sair.

Jaebum sentiu um grande alívio por finalmente falar o que sentia. Sua felicidade era visível. Ia beijar os pequenos lábios do menor, mas este colocou o indicador em sua boca. O mais velho retribuiu o encarando confuso.

— Antes de mais nada... — Agora era o coração de JB que estava descontrolado. — ... Eu te amo e fui tolo de descobrir isso apenas ontem.

Jaebum sorria largo, fazendo seus olhinhos se fecharem. Youngjae tirou seu indicador da boca do outro e puxou o rosto dele. Beijaram-se calmamente, de início. Trocavam não apenas salivas, mas sentimentos ali.

Ao invés de pararem, por conta da falta de ar, Jaebum apertou as coxas do menor e envolveu as pernas dele em sua cintura. O levantou e o levou até o quarto, deitando-o com cuidado na cama e ficando por cima.

Jaebum distribuía todo seu amor pelo corpo de Youngjae através de beijos, até que subiu novamente para o rosto do mais novo.

— Sunshine... O que aconteceu ontem? — Bum perguntara receoso.

— Ontem? Eu apenas conheci o verdadeiro Mark. — Youngjae sorria. — Ele apenas me usava e fazia isso com outros garotos e garotas, mas diferente deles... Eu não sabia...

Ambos trocaram olhares sem graça.

— Mas agora, eu tenho você, certo? — Youngjae fazia o maior encará-lo.

— Sim, você sempre teve... — Jaebum desviava o olhar.

— E agora sempre vou ter.

Youngjae retornara ao beijo, puxando o corpo de Jaebum para mais perto.

Estavam apaixonados por completo. Queriam usar todas as formas de demonstrar o amor ao outro. Não bastava começar apenas por beijos.

Jaebum tirou suas roupas, ficando apenas de boxer. Tirou vagarosamente a calça do menor e o virou de costas para si. Subiu a blusa de Youngjae até tirá-la. Distribuiu beijos por toda a parte exposta das costas do menor. Desceu a mão até a bunda dele e a massageou, descendo aos poucos a boxer deste.

— Bummie... — Young gemeu baixinho. — Seja cuidadoso...

— Não se preocupe, Sunshine... Eu sempre fui...


Notas Finais


O conteúdo ficou sem graça ;-;
Eu meio que tentei terminar as pressas
Desculpe ;-;
Obs:o Hyunwoo aí é o nosso famoso Shownu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...