História Forever Yours - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Jane Foster, Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Odin, Pepper Potts, Personagens Originais, Steve Rogers, Thor, Visão
Tags Drama, Lemon, Romance, Shipper, Slash, Thorki, Yaoi
Exibições 102
Palavras 2.294
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Lemon, Magia, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Imagem diva essa viu!! Estou apaixonada por Tom e Chris como Loki's. Principalmente ver o Chris vestido de Loki. Ele é lindo de qualquer jeito, mas vestido assim e com essa cara de quem apronta fica melhor ainda. Todos os créditos da imagem a RAICHUCHU que é uma desenhista que encontrei por acaso no Deviantart. Tem cada coisa linda lá.
Agora, sobre o capítulo, não tá exatamente como eu queria. Vocês vão perceber que a luz que ilumina minha mente foi pro beleleu. Mas, enfim, eu demorei para que ele estivesse, pelo menos, apresentável e maiorzinho.
Então chega de lenga lenga...
Boa leitura e leiam as notas finais, PORFAVORZIM...
Beijinhos doces...

Capítulo 39 - Suécia


Fanfic / Fanfiction Forever Yours - Capítulo 39 - Suécia

Pov Loki On

- Madito! 

Gritei começando a correr pelo quarto pegando todas as peças de roupas que encontrava pela frente. 

- Aquele filho de uma... Mas... mas que idiota... Inconsequente... Me apagou!

- Loki, se acalme! - Natasha gritava comigo enquanto eu arrumava uma mala. 

 - Se eles não o matarem, juro que o mato! - Esbravejei.

- Loki...

- Ele pensa que é o quê? O super-homem?! - Perguntei sarcástico.

- Loki...

- Acha que vai chegar lá e lhes vão oferecer um chazinho? 

- Loki! - Natasha gritou mais alto dessa vez. - Chega! Já deu! Eu sei que você está... com raiva, mas o Thor sabe o que está fazendo...

- Ah! Ele sabe? Claro que sabe. Que vai estar morto até o final dessa viajem! - Não aguentei bei na cama cansado e sentindo meus olhos arderem. Eu tenho estado muito chorão ultimamente. - Ele me fez jurar que não ia me encontrar com ela. Eu vi nos olhos dele que ele estava com medo que ela fizesse algo. Mas então esse... idiota resolve bancar o herói e ir no meu lugar? - Natasha se aproximou e me abraçou de lado fazendo carinho nos meus cabelos. - Eu não aguento mais Nath. As vezes eu só queria sumir pra sempre. Não aguento mais toda essa angústia. Não aguento mais todo esse medo. - Abracei minha amiga e parceira e deixei que todas as lágrimas presas escapassem mais uma vez.

- Eu sei. Sei que você está esgotado. É por isso que Thor tomou a frente. Eu sinto que ele sabe o que tem que ser feito. Deixe-o agir dessa vez. Você precisa recuperar suas forças, afinal, logo terá que enfrentar seu destino.

- Infelizmente. - Suspirei. - Queria tanto ser só mais uma pessoa normal. 

- Isso vai acabar. Você vai ver. - Limpou uma lágrima que escorria por minha bochecha e deu um beijinho na minha testa. 

- Obrigado Nath. 

- Não é nada Loki. Você já fez algo semelhante por mim, lembra? - Perguntou sorrindo gentil.

- Como poderia me esquecer. - Deitei a cabeça em seu ombro e fiquei ali. Respirando e rezando.

Que ele volte vivo, meu Deus. Por favor!

Pov Loki Off

Pov Autora On

- E então? - Balder perguntou à ruiva assim que a viu sair do quarto onde Loki estava.

- Ele dormiu, mas foi difícil. Thor me deve uma. Isso se ele sobreviver à uma explosão do Loki quando voltar. Se voltar. - A ruiva disse.

- Nem pense nisso. - Clint disse. - Acredito que se ele não voltar Loki vai atrás dele e depois o mata novamente. - Sorri divertido.

- Ao menos alguém está se divertindo com essa desgraça. - Steve falou amargo, o que era uma surpresa já que não falava muito ultimamente.

- Olha, desculpa se vemos um pouquinho de humor na vida e tentamos melhorar a situação. - Natasha foi irônica.

- Você não vêem que isso não vai adiantar de nada? - o capitão se irritou.

- Então o que vai Steve? Essa sua cara de morte? - Nath brigou. - Temos que ter fé! Não era isso que você dizia quanto as coisas estavam ruins?

- Cansei de ter fé. - Falou e saiu da sala ante o olhar duro de Nath. 

- Inacreditável. - Ela disse seca.

- Nath, deixa. Ele está mexido com tudo isso. - Clint falou cruzando os braços.

- Eu entendo ele. - Balder disse. - Está se sentido culpado. Talvez usado. Eles invadiram a mente dele para pegarem Antony. Eles não eram "amigos" mas tinha alguma coisa ali.

- Você deve estar certo, mas nosso capitão está sendo um idiota. - Natasha resmungou.

Balder deu de ombros e voltou sua atenção para a lâmina de sua foice. Clint somente suspirou pesadamente ainda sentado no sofá e com os pés em cima da mesa de centro. Natasha se afastou e foi em direção à cozinha. Loki acordaria em breve, ela conhecia seu amigo e estava preocupada.

Enquanto o consolava notou que Loki nunca foi de se emocionar fácil e que ele estava sensível de mais ultimamente. Uma ideia surgiu na cabeça da ruiva, mas ela resolveu guardar para si, por hora. Era melhor assim.

Começou a preparar algo para o moreno comer e se perdeu nos seus pensamentos.

Outro que estava perdido em pensamentos naquele mesmo momento era Steve. O loiro andava desatento à tudo ao seu redor enquanto caminhava pelos corredores de Rose's Place. A preocupação, o cansaço e a culpa o martirizavam desde o momento em que viu Tony caído desacordado na sala de reuniões. 

Depois que soube que tinha sido o causador daquele incidente tudo pareceu piorar. Tinha deixado dois agentes mortos, Selvig gravemente ferido e Nick quase perdeu um braço. Mas nada era pior do que ver o corpo de Tony inerte sobre aquela cama e ligado em milhares de fios para se manter vivo.

Novamente a culpa pela imprudência e as escolhas erradas recaía sobre si. Primeiro perdeu Bucky, agora estava perdendo aquele baixinho impetuoso e mandão. Maldita hora em que se deixou levar pelo ódio e se aliou ao inimigo. Desde aquele momento na Alemanha sua vida tinha virado um inferno. 

Ainda se lembrava com exatidão do momento em que aceitou todo aquele destino deplorável. Era jovem, ingênuo, rancoroso, queria mostrar para todos os idiotas que lhe menosprezaram sua capacidade. Quando Abraham Erskine lhe apresentou aquela oportunidade não pode ignorá-la. O único porém era que juraria lealdade à H.I.D.R.A desbancando o caveira vermelha, que estava dando problemas aos líderes, e tomando seu lugar.

Steve aceitou. E até hoje se arrepende amargamente. Se tornou uma máquina de guerra tão cruel e manipulável quanto o Soldado Invernal, Bucky pelo menos não sabia o que estava fazendo, Steve sabia. Ele se mantinha entre os heróis sendo o bondoso e valoroso Capitão America, mas bastava que fosse acionado para que o Capitão H.I.D.R.A assumisse.

Suspirou fundo e olhou pela janela do quarto onde Anthony estava. Ele pareceria apenas dormir tranquilamente, se não fossem todos aqueles equipamentos grudados ao seu corpo. Resfolegou ao pensar na possibilidade do Homem de Ferro não voltar a acordar. Não sabia o motivo, mas isso o deixava com o coração doendo.

Fechou os olhos e deixou sua testa se escorar na janela. Precisava fazer alguma coisa. Precisava impedir. Mas como? Tony parecia estar tão longe de seu alcance. Nunca acreditou em coisas fantásticas de mais. Para Steve habilidades muito excepcionais sempre eram frutos de acidentes científicos ou mutações genéticas. No entanto, Thor e Loki surgiram para destruir seus conceitos retrógrados e sua confiança. 

Se Steve estava com medo? Isso era uma certeza visível em seu olhar. E de repente ter músculos e palavras bonitas sobre honra e esperança é insuficiente para salvar Tony Stark, Bruce Banner e Jane Foster.

- Eles vão ficar bem. - Ouviu a voz de Balder atrás de si.

- Como pode ter tanta certeza?

- Não tenho. - O asgardiano falou andando até estar ao lado do capitão. - Só sei. Pratico a boa e velha esperança. - Sorriu de um jeito triste. - Eu já vi e participei de muitas guerras Rogers. Antigamente bastava ter um machado, um martelo, uma espada que nos defendíamos. A guerra de hoje é diferente. É algo oculto que vai tomando forma nas sombras até que exploda em armas de fogo ou bombas nucleares. Pessoas normais não tem direito à defesa. Elas só morrem dentro de suas próprias casas enquanto estão jantando. - Olhou pelo vidro analisando o corpo de Tony. - Mas mesmo assim estamos vivos. Essa não é a hora de acabar com tudo. Temos muita coisa para viver ainda. 

Balder apertou o ombro do capitão e saiu andando pelo corredor. Steve respirou fundo e tocou a maçaneta da porta do quarto.

Pov Autora Off

Pov Thor On

- Senhores passageiros, acabamos de desembarcar no Aeroporto de Arlanda. A companhia Icelandair agradece sua preferência. - O piloto disse assim que uma luz indicou que podíamos tirar os cintos de segurança.

Sai do avião às exatas três horas da tarde do dia que Ofélia marcou para o encontro. Peguei minha mochila e rumei para onde ficavam os Táxis. O clima estava frio e não pude evitar um tremor ao passar pelas portas do aeroporto. Avistei um carro próximo e fui até ele. 

- Senhor, com sua licença. - O senhor de olhos azuis muito claros e cabelos platinados me olhou. - An... O senhor já tem passageiro esperando?

- Não, senhor. Pode entrar. - Ele disse e eu entrei na parte de trás do carro. - Para onde, senhor? 

- Lago Vänern. - Disse e o homem assentiu antes de ligar o carro e dar a partida.

- É um lugar bonito. Tem temporada de caça nessa época do ano. O senhor gosta de caçar? - O homem me perguntou enquanto dirigia.

- Sim, gosto. - Respondi olhando a paisagem lá fora. - Quando não sou eu a caça. - Completei mais baixo.

O taxista me deixou no ponto mais próximo do lago que podia chegar. O lugar estava bem vazio e a paisagem da floresta cônica e coberta por um nevoeiro típico do fim do outono deixava o lugar em um clima assombroso. Mas certamente era aquele lugar que ela disse que estaria esperando. Suspirei cansado e vi uma taberna um antes da entrada do parque florestal. Resolvi ir até lá já que aquele tempo pedia uma boa bebida quente.

Assim que entrei vi que o ambiente da taberna era simples e aconchegante. Feita de madeira e tijolos, com pequenos sofás nas laterais, mesas e cadeiras de madeira para os clientes e banquinhos de frente à um bar cheio das mais variadas bebidas. 

Me sentei em um dos banquetas e pedi uma cerveja para o garçom que logo me trouxe a garrafa. Dei um longo gole e me perdi novamente nos pensamentos.

Eu estava com saudades do meu moreno. Queria que tudo isso acabasse logo e que pudesse voltar para casa. Viver em paz com nossos filhos, mas eu não tinha escolha agora precisava fazer o que farei. Jamais me perdoaria se machucassem Loki novamente.

- Uma libra... Pelos pensamentos do deus dos trovões. - Sorri ao ouvir a voz dela.

- Não costumam aceitar libras em Asgard. - Disse tomando outro gole da minha cerveja e oferecendo à ela.

- Tinha me esquecido desse detalhe. - Bebeu um pouco do liquido dourado e fez um som de satisfação antes de puxar um maço de cigarros. - Aceita um? Oh, é mesmo. Que cabeça à minha, você não fuma. - Caçoou.

Sorri e coloquei uma nota no balcão antes de pedir outra garrafa da bebida. 

- O que minha... irmãzinha está aprontando agora? - Perguntou acendendo o cigarro e soltando a fumaça branca depois de tragar.

- O mesmo de sempre. Tornando nossas vidas um inferno. - Suspirei antes de beber.

- E depois dizem que eu sou um demônio.

- Você está quase lá Hel. 

- Pode ser asgardiano, mas fique sabendo que eu não sou uma puta barata como Ofélia. Mas vamos logo aos finalmentes. O que vossa excelentíssima pessoa quer de mim? Já que resolveu me poupar daquele inferno particular onde nos enfiaram. - Perguntou e eu pequei o maço de cigarros que ela tinha colocado sobre a mesa.

Tirei um deles de dentro da embalagem e levei a boca sob o olhar irônico da mulher ao meu lado.

- Tem fogo? - Perguntei com o cigarro entre os dentes.

Hel tirou o esqueiro em forma de caveira do bolso e acendeu a ponta do cigarro na minha boca. Dei uma tragada profunda, deixando a nicotina percorrer meu corpo e entorpecer meus nervos antes de soltar a fumaça lentamente. Hel riu voltando a fumar seu próprio calmante tóxico.

- Seu cofre... Ele não está mais com você... Está? - Perguntei olhando fundo nos olhos negros dela. 

Hel ergueu uma sobrancelha para mim antes de soltar a fumaça que tinha no corpo.

- Não. - Respondeu simplesmente. - Ofélia o roubou de mim à uns mil anos atrás. Ela adora esses pequenos trunfos. - Deu de ombros. - Por que precisa dele. Mexer com uma coisa daquelas é perigoso...

- Ela está usando aquilo para manter reféns. Pegou uns amigos e disse que só os libertaria se Loki se entregasse. 

- Minha irmã, como sempre, causando o caus. - Hel sorriu. - Mas ainda não entendi onde eu entro nisso.

- O cofre é seu, Hel. Você sabe como entrar e sair de lá. - Falei calmamente.

- Sim, obviamente que eu sei. Mas eu não estou com ele.

 - Isso não vai ser problema. Vamos pegá-lo de volta.

- Você quer roubar? Da Ofélia? - Disse desacreditada.

- Roubar não. Pegar de volta. Ela foi quem roubou de você E eu tenho um plano que fará sua irmãzinha cair de paraquedas nas minhas mãos. - Falei sorrindo e tragando o cigarro.

- Ofélia não é uma idiota qualquer, Thor. Acha mesmo que ela vai cair em qualquer truque? - Hel debochou e soltou mais um pouco de fumaça.

- Ela vai cair. - Disse confiante.

- Como pode ter tanta certeza disso?

- Ela tem apenas uma fraqueza e eu sei qual é. Sendo assim, ela vai cair. - Disse olhando nos olhos de Hel. - E então... Você topa? 

Hel olhou bem para mim como se sondasse todas as possibilidades. Deu mais um trago no cigarro e o apagou em um cinzeiro antes de estendei a mão para mim. Peguei a mão aparentemente tão delicada e frágil dela e sorrimos cúmplices.

- Topo asgardiano. Eu quero que Ofélia queime no inferno tanto quanto você.  

 


Notas Finais


Chegamos ao fim de mais um capítulo, e antes de qualquer coisa, muito obrigada! Mas é de coração mesmo gente. Eu gosto tanto de ver que alguém gosta da minha escrita que tenho vontade de abraçar cada um aqui. Muito obrigada mesmo.
Agora sim... O que acharam da volta da nossa Diva Queen/ Hel perfeita? Gente só eu amo a Hel? E essa revelação do Steve? Alguém aí curte Capitão HIDRA. Sinceramente eu adorei essa jogada. Foi foda e mostra quem ninguém é bonzinho de mais.
Quero também pedir uma última coizinha. Eu não sei se perceberam, mas essa autora que vos fala esta com um problema gigante para o fim da história. O problema é que nenhum dos finais que eu imaginei pareceram bons o bastante. Então eu peço que vocês comentem o que acham/Queriam que acontecesse. E principalmente que me digam: Final Feliz ou Final Trágico?
É isso. Obrigada de novo!!!
Beijinhos doces...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...