História Forget the past, and live! - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Jason Grace, Nico di Angelo, Percy Jackson
Tags Jasico, Jercy, Perjasico, Pernico
Visualizações 210
Palavras 1.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha quem voltou!!!
Isso mesmo, eu!
OLÁ amado leitores!
Sim eu estou feliz, por que finalmente eu consegui achar um meio e fim para essa história!
Mais pode ficar tranquilos que ainda não estamos no final não!

Muito obrigada a alguns pelo o apoio e comentários, isso me anima muito!!
Obrigado tbm aos leitores, ~zgoid1000 e ~Jujubinha_love pelos comentários no cap anterior!
Beijos e boa leitura! (*3*)/

Capítulo 28 - Se preocupando de mais


Fanfic / Fanfiction Forget the past, and live! - Capítulo 28 - Se preocupando de mais

– Mas Quiron! Eu não posso deixar o Percy sozinho!

– Não posso fazer nada, Jason. – Respondeu o centauro, suspirando e cansado com a discussão. – Se eu deixar você se mudar para o chalé dele, outros irão querer fazer igual...

– Mais o Percy...

– Não Jason! E nem mais uma palavra!

Mesmo isso tendo acontecido a algumas horas, as lembranças dessa discussão não saiam de minha mente, do mesmo jeito que a cara de pavor que Jason e Quiron fizeram quando perceberam que eu e Nico assistíamos a discussão. Isso apenas me irritou e me fez sair de lá o mais rápido possível, me trancando no chalé de Posseidon, trancando a entrada para que mais ninguém tivesse acesso.

Depois de um tempo, com vários tentando falar comigo, resolvi tomar um banho, para deixar que a água me acalmasse, mais isso não parecia estar funcionando muito bem. Mesmo depois de mais de meia hora dentro da banheira, eu ainda não havia conseguido me acalmar.

Sentia-me um inútil e doente... A necessidade do Jason em me proteger, assim como a de Quiron, estavam acabando comigo. Ok, o que eu tinha era sim perigoso, mas cara, precisa mesmo ficar me vigiando 24 horas por conta disso?

– Ahhh... Cadê o Luke quando eu preciso dele... – Murmurei, fazendo bolinhas na água.

– Quer que eu o traga aqui? – Ouvir uma voz falar atrás de mim, levando um baita susto, virando-me assustado para o garoto que se controlava para não rir, por conta do ocorrido. – Desculpa, eu estava esperando no quarto, mais não havia maneira de você ir até lá...

– Não, tudo bem... É só que... Você me assustou... – Murmurei sorrindo para o garoto que sorria divertidamente para mim.

– Mais você quer? Aposto que podemos ir a voltar sem ninguém perceber. – Comentou Nico, me fazendo sorrir.

– Não... Viajar nas sombras é perigoso e nós sabemos bem disso. – Declarei vendo Nico sorrir e se aproximar, sentando num dos degraus que ficavam ao redor da banheira. – Quer entrar?

– Já tomei banho... – Murmurou Nico ficando vermelho escondendo o seu rosto. Isso me fez passar a mão em seu rosto, chamando a sua atenção. – Teria como eu te ajudar?

– É só que... Eu odeio me sentir um inútil...

– Mais você não é... – Falou Nico brincando com a água da banheira. – Jason só está preocupado com a sua saúde.

– Eu sei... Mais...

– Eu também estou... – Murmurou o garoto, com suas bochechas ficando vermelhas. – Mais assim como Jason, eu não sei o que fazer.

– Fique aqui comigo... Quer dizer, não aqui... Lá no quarto, por que na banheira seria estranho... – Falava compulsivamente, vendo Nico me olhar surpreso. – Não que eu não fosse gostar... Por que eu quero sim te ver sem roupa, mais acho que daí eu iria querer algo a mais... E...

– Percy! Respira! – Falou Nico um tom mais alto, caindo na gargalhada quando eu finalmente parei de falar. – Eu fico com você, seja lá a onde nós vamos ficar...

– Vamos para o quarto, daí eu coloco um filme para nós... – Murmurei totalmente envergonhado, fazendo-o sorrir e concordar.

–––––––– Mah ♥ ––––––––

Mah ♥: 
Percy, tome cuidado
Tem monstros muito perigosos à solta...
E eu não estou falando dos olimpianos.
Então se possível, não saia do acampamento!

Peixinho Jackson: 
Ok, pode deixar!
Mais é mesmo assim tão ruim?

Mah ♥: 
Uhum...
Desculpa não poder deixar mais
Acho melhor q por hora só tome cuidado...

Peixinho Jackson: 
Ok!
Se cuide tbm!

Mah ♥: 
Vc tbm! 

––––––––––––––––

– Está falando com quem? – Perguntou Nico assim que sentamos na mesa do refeitório.

– Minha tutora... – Murmurei colocando minha bandeja na nossa mesa. – De acordo com ela, tem monstros mais perigosos que o normal a solta.

– O que isso quer dizer? – Perguntou Nico confuso, me fazendo sorrir de lado pela facilidade que ele tinha em me fazer perguntas.

– Não são monstros com quais estamos costumados a lutar. – Expliquei, vendo ele me olhar apreensivo. – Então ela está preocupada... Só isso.

– Quem está preocupada? – Perguntou Jason sentando-se ao lado de Nico, e sorrindo para mim. – Se importa?

– Não... – Respondi assim que entendi que ele perguntava sobre se sentar junto a nós. – Minha tutora, ela pediu para temos cuidado fora da muralha.

– E qual é a diferença? Sempre precisamos tomar cuidado.

– Não desse jeito... – Murmurei ganhando a atenção dos dois, que me olhavam preocupados e curiosos.

Olhei em volta, para ver se mais alguém prestava atenção em nossa mesa, mais por sorte, isso não ocorria. Todos os campistas estavam preocupados de mais conversando em si, e os únicos que olhavam vez ou outra para a nossa mesa, eram nossos amigos. Dado isso decidi contar aos meninos o que Mah queria dizer com isso.

Contei então a eles sobre a recente batalha com os demônios maiores, na divisa do reino de Vocalluna, assim como o rei de Whish, que tinha posse de um terço do mundo mágico, sendo a outra parte do reino de Vocalluna. Essas terras eram separadas por uma grande muralha, que envolvia todo o reino de Wish, também conhecido como o País do inverno.

Contei a eles também sobre Vocalluna mandar em mais de um mundo, e que era esse “mundo” em particular, que fornecia magia para os outros mundos. Também como era o real universo, onde haviam diversos mundos habitados e várias maneiras de viajar entre eles. Mas em compensação, havia mundo que realmente devíamos tomar muito cuidado, como o distrito dos Yokais, eles não eram maus em sua maioria, mais os que eram, são muito perigosos. Assim como o mundo Infernus, dos Duras, demônios maiores que adoram perturbar os seres humanos, e esse mundo, assim como outros iguais a ele, possuem uma barreira protetora, que impede as pessoas de entrarem e eles de saírem. Mais isso não quer dizer que não há aqueles que conseguem entrar e Duras que conseguem sair.

– São monstros desse tipo que ela diz estar à solta nesse mundo? – Perguntou Jason muito preocupado, me fazendo suspirar. – Cara, tem certeza que não devíamos avisar os outros?

– Minha tutora e o exercito dela já estão cuidando disso... – Murmurei preocupado, afinal se fosse apenas isso, ela não me mandaria ter cuidado. Não é a primeira vez que monstros e demônios escapam de seus confinamentos. – Acho que tem mais alem disso, só não sei o que...

– Então acha que não é por causa deles que é para ter cuidado? – Perguntou Nico brincando com a faca, já tendo terminado de comer. Eu apenas concordei com a cabeça, vendo-o olhar em volta e depois suspirar. – Bom, mas se ela diz que estamos seguros aqui, vamos apenas avisar Quiron e pedir para ele não deixar muitos campistas saírem...

– Realmente é o melhor, por hora. – Murmurou Jason.

– Uhum...

(***)

A imagem, antes desfocada, começou a ganhar forma e em seguida cores, logo mostrando uma cena, cena a qual eu não participava, apenas assistia sem poder me meter.

Luke estava deitado na sala, lendo um livro, quando a porta foi arrombada por alguém me chamando, pessoa a qual era uma garota, considerando a voz, e usava um sobretudo e um capus, escondendo seu rosto e corpo.

– Thalia? – Murmurou Luke surpreso, colocando o livro de lado. – O que faz aqui?

– Estou procurando o Percy, cadê ele?! – Falou irritada, tirando o capuz e olhando irritada para Luke, que apenas suspirou. – O que foi? Eu não tenho todo o tempo de mundo!

– Na verdade tem, você não envelhece. – Murmurou Luke fazendo pouco caso, o que irritou a menina, que foi com a mão prontamente até o arco que possuía. – Ele não está... Foi para o acampamento meio-sangue.

– Do que precisa?

– Você não tem como me ajudar!

– Dependendo do que... Tenho sim.

– Um ser que nunca tínhamos visto antes, raptou várias das nossas caçadoras. – Respondeu Thalia, sentando-se no sofá, e olhando para o Luke, irritada mais ao mesmo tempo triste. – Eu preciso da ajuda dele, o monstro levou-as para o mar.

– Não acho que Percy vá ajudar... – Murmurou Luke.

Uau, essa magoo Luke... Por mais que se for quem eu estou pensando, é realmente não vou ser de ajuda nem uma. Mas para quê sequestrar as caçadoras de Artemis? Isso não é algo que ele goste.

– Ao contrario de você, ele não trai seus amigos! – Retrucou Thalia irritada, fazendo Luke suspirar e balançar a cabeça em negação. – O que foi?! Por que não diz logo o que está pensando!

– Como ele era?

– Quem!?

– O monstro que atacou vocês... – Murmurou com toda a calma, sentando-se mais perto dela, mais ainda sim em outro sofá. Quando percebeu que ela não falaria nada, continuou. – Deixe-me adivinhar, usava pele de urso nas costas, tinha a pele cinza com desenhos, semelhantes a tatuagens, espalhados por todo o corpo, em um azul muito bonito. Vocês não viram o seu rosto, pois estava coberto por uma mascara, que parecia uma mascara tribal. E esse homem, possuía garras nas mãos e os braços eram cobertos por escamas.

– Como sabe?! – Perguntou Thalia surpresa, olhando para Luke como se procurasse mais respostas.

– Conheço a marca dele... A tatuagem que ele deixou em seu pescoço. – Murmurou Luke, apontando para um lugar especifico em seu próprio pescoço, fazendo Thalia colocar a mão no mesmo lugar no dela. – Ele não pulou simplesmente na água, eles abrem portais nela... Serpatis Invernais se alimentam de carne humana, e caçam pessoas por ai, mas...

– Merda! – Gritou Thalia começando a chorar, o que surpreendeu Luke, que logo acordou do transe por conta disso e se sentou ao lado dela abraçando-a, que correspondeu imediatamente, chorando ainda mais, enquanto Luke fazia carinho nela, tentando acalmar.

– Se acalme, Tha...

– Como você quer que eu me acalme! – Gritou ainda chorando, olhando tristemente para ele. – Metade das caçadoras devem estar mortas a essa hora!

– Na verdade não...

Não mesmo... Se for mesmo Serpatis Invernais, elas ainda estão vivas... Mais por quê? Isso não faz o gênero delas.

– Como não!? Você mesmo disse que eles comem carne humana!

– Sim... Realmente. – Murmurou voltando a fazer carinha nela, que agora estava mais calma. – Mais só de pessoas próximas a morrer, geralmente idosos e pessoas doentes sem muito tempo de vida...

– Então por que sequestrou as caçadoras? – Perguntou olhando para Luke, confusa.

– Isso é o que eu queria saber... Eles não sequestram pessoas. – Comentou o loiro, fazendo-a olhar mais fixamente para ela. – E a marca no seu pescoço, é a marca da caça... Ele vai voltar para buscar todos que tiverem essa marca, mais não é para matar...

– Então é para que?

– Eu não sei... Isso, acho que somente o Percy ou a Mah podem responder... – Murmurou Luke, abraçando ainda mais a Thalia.

Para prender, ou transformar em esposas para eles... Mas para ser esse ultimo, elas teriam que ter no mínimo, corporeamente falando, mais de 25 anos, pois se não o corpo delas não aquentaria... Então por que sequestraram as caçadoras?

– Luke! – Gritou Thalia, quando o mesmo caiu em seu colo desacordado, chamando minha atenção para eles de novo, vendo que Thalia olhava em minha direção assustado. – Se afaste de nós!

– Desculpe, menina... Mas você vem com a gente. – Disse com uma voz de dar arrepios, estalando os dedos, fazendo-a balançar antes de cair em sono profundo. – Se tivesse outra escolha, jamais raptaria crianças tão belas e com muito que viver ainda... Eu sinto muito. – Disse para ninguém em especifico, enquanto outros dois Serpatis pegavam Thalia e Luke, o que estava ao meu lado, se virou para mim, praticamente olhando para mim com olhos repletos de pesar. – Não vá atrás deles... Não sem informações... E protega sua rainha, ela corre perigo, assim como os irmãos dela.

Dito isso, o Serpatis tocou minha testa, mesmo comigo querendo se mover, mais simplesmente não conseguia, fazendo-me acordar todo suado e assustado.

– Merda...


Notas Finais


Então... Eu tenho uma meta nessas ferias, que é pelo menos um cap por semana!!
Eu já tenho uma base do que vai acontecer na historia, espero que gostem!
Beijinhos e bay bay! (*3*)/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...