História Fórmula - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~BlueSkylee

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Hello Venus
Personagens Jin, Lime, Rap Monster, V
Visualizações 6
Palavras 1.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo um - Se essa rua fosse minha...


Fanfic / Fanfiction Fórmula - Capítulo 1 - Capítulo um - Se essa rua fosse minha...

Sexta-feira, em uma tarde, perto do por do sol, um casal de velhos jovens vampiros com mais de cem anos de idade conversavam paralelamente entre si. Entre trocas de olhares e tocadas de mão eles observavam o sol descendo lentamente, dando espaço para seu lado escuro iluminar o caminho, à noite.

O mais alto de cabelos lilás estava olhando para o menor de cabelos loiros, o nervosismo aumentando cada vez mais em seu corpo, não conseguia mais segurar esses sentimentos pelo rapaz, tremendo e corando, falou com um tom doce e olhou confiante no olhar do mesmo:

– Há alguns anos que nós se encontramos aqui, nesta praia, desde a primeira vez que eu te vi, não pude deixar de te observar, de encarar de longe seus lindos olhos escuros, eu tentei esconder, eu juro, porém, eu não consegui... – Ele dá uma leve pausa e suspira – Me desculpe, mas, eu te amo... Mesmo que você não sinta o mesmo, eu só queria te confessar sobre meus sentimentos em relação a ti.

O loiro, surpreso com tudo aquilo que acabou acontecendo em tão pouco tempo, acabou por selar seus doces lábios aos do lilás, era rosa com roxo, duas cores se misturando e formando uma cor única, entre cada tocada que suas línguas tinham, era como se ele pudesse controlar o tempo naquele momento.

Descolaram seus rostos pouco a pouco, envergonhados olharam um para o outro, e foi nesse momento, que cada um jurou ter visto uma estrela no fundo dos olhos dos mesmos, inexplicável, porém não impossível. Para o amor, tudo se pode acontecer em um simples piscar de olhos.

Anos passaram após esse fato, depois da faculdade, flores vieram, flores murcharam, neve e grama. Nada conseguia separar esse amor que todos juravam ser indestrutível. O inverno chegou, com todo seu frio, nem mesmo ele, o fodão, conseguiu apagar essa chama.

--

– Jin você confia em mim?

– Eu estou com medo, Namjoon – disse em um tom preocupante.

– Medo de que? Eu prometo, eu vou leve, não quero te machucar – ele encarou o amado.

– Eu... – parou e começou a olhar bem fundo naqueles olhos profundos – Eu confio em você!

– Bom garoto – o garoto soltou um sorriso manhoso.

---

– Alô? Quem é?

– Eu sinto sua falta... – disse a voz do outro lado da linha

– Quem é?

– O amor da sua vida

– Namjoon, você bebeu hoje?

– Eu te amo muito – os dois riram daquele momento bobo.

--

Foi como cena de filme que passa no cinema, com momentos perfeitos planejados por um escritor, criando um drama e no final, mostrando que tudo seguia em frente. E como todo filme, os personagens também tinham defeitos. O maldito ciúme, as malditas desconfianças e as malditas razões de amar.

--

– Ele estava encarando suas pernas e você não fez nada Jin!

– Você queria que eu fizesse o que? “Oh senhor que eu não conheço dá pra parar de se masturbar mentalmente enquanto olhando pra minha coxa?” Me poupe Namjoon!

– Não precisava falar desse jeito, mas você devia... – dessa vez, o loiro rebateu a fala do namorado.

– Eu? Já que você está reclamando tanto você deveria ter feito isso por mim não acha?

--

– Eu vou embora!

– Pra onde? Você não tem onde morar

– Nem que seja embaixo da ponte, aqui mesmo eu não fico mais.

– Deixe de ser idiota Jin, volte aqui!

– Adeus Namjoon– e assim ele saiu puxando sua mala de rodinhas pela porta da frente do apartamento dos dois, descendo pelo elevador e saindo do prédio, ‘para sempre’.

--

– Alô? O que você quer?

– Volta pra casa – ele disse rouco prestes a chorar

– O que? – disse fingindo não entender

– Volta pra casa Jin – repetiu mais uma vez

– Não mesmo!

– Então... Volta pra mim... – podia se escutar seus choros baixos pelo telefone

--

O tempo traçou a história dos dois, ele desenhou perfeitamente com seus pincéis e tinta preta e também, ele multiplicou as quantidades...

--

 

– Kim HyeLim! Volte aqui pestinha! – dizia seu irmão mais velho, Kim Taehyung correndo atrás da mesma.

– Taehyung lerdo, não me pega – seu sorriso sapeca só aumentava a cada momento que acerava o passo...

– Ei vocês! O que está acontecendo aqui? – Namjoon falou adentrando no quarto

– Appa, a HyeLim roubou meu ursinho! Ela é uma chata, não a quero como irmã – disse com braços cruzados e famosa cara rabugenta de sempre.

– Quem disse que eu quero você como? Você só sabe ser chato e ser chato, não deixa fazer nem uma brincadeira – acaba se irritando e jogando o urso no chão – engole.

O clima ficou tenso, era Taehyung de um lado e HyeLim de outro, dois irmão que quase nunca se entendiam, era briga, briga e briga maior parte do tempo. Namjoon paralisado, não sabendo o que fazer...

– Namjoon? – Jin adentrou dentro do cômodo e acabou olhando todo o rastro da desgraça que ficou – O que diabos aconteceram aqui?

Todos ficaram calados, paralisados, como iriam contar algo que nem sabiam como aconteceu?

– Já está na hora das crianças irem pra cama – disse Jin fugindo do assunto

– Mas omma – Lim questiona  

– Sem mais nada nenê – pega ela no colo – O monstro vai chegar se te vê acordada e vai te pegar e te levar para longe...

– Taehyung  – Namjoon olha para o  moleque ainda com braços cruzados – Vamos?

– Eu não quero ir com você, eu quero a Omma!

– Mas eu estou com a Omma, além de burro você é cego?

– Cala a boca Lime! – Taehyung gritou furioso

Foi um dia complicado para os dois, teve as malditas briguinhas até na cama, Lime, o pequeno limão doce daquela família não parava de querer escutar música, já Taehyung apenas queria que a luz do quarto fosse apagada e pudessem deixa ele em paz. No final, eles sempre paravam um abraçado ao outro.

--

– Omma, canta pra mim – Lim encarava com olhar de criança pidona.

SeokJin preparou a voz, abriu e boca e logo começou com a linda melodia favorita de seus filhos.

“Se essa rua

Se essa rua fosse minha

Eu mandava

Eu mandava ladrilhar

Com pedrinhas

Com pedrinhas de brilhante

Para o meu

Para o meu amor passar [...]”

Olhos fechados, crianças cobertas, luzes desligadas. Era hora de dormir...

– Quando é que você vai me colocar pra dormir desse jeito também?

– Deixa de ser bobo Namjoon – os dois riram de suas próprias besteiras...

                            “Eu não sei se isso é real, ou apenas um sonho

                                Meu kafka à beira-mar

                      Não vá em direção à esse bosques, logo ali

                     Meu coração ainda está se quebrando por você" – Butterfly 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...