História Fotografia. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags 2won, Hyungwonho
Exibições 213
Palavras 1.650
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ ♥ caso obtenha diabetes após esse capitulo a culpa não é minha ♥

Olha quem voltou com o ultimo (?) cap, urul -q
Queria agradecer por todos os favoritos e comentários, todo o carinho e mensagens de aniversário, muitos me encorajando a continuar e postar com frequência... Todo a interação, mesmo que não acreditem isso significou demais pra mim! Quantas e quantas vezes eu estava triste por algo e vinha aqui ler os comentários e depois ficava "Serio que acharam isso?" haushaus eu tô sentimental sim, desculpa.
Enfim, foi muito maravilhoso! Espero encontrar vocês nos meus próximos projetos e viva 2won!!

Perdoem os erros e não desistam de mim c.c

Capítulo 14 - Fourteenth


Uma luz consideravelmente forte bate em meus olhos e acabo por despertar, percebo que estou repousando minha cabeça sobre o peito de meu hyung e inevitavelmente sorriu. Sinto seus batimentos calmos e levanto meu olhar encontrando Hoseok-hyung já acordado, seu rosto está avermelhado devido o sono e seus cabelos bagunçados, o deixando de certa forma muito sexy e fofo.

— Está confortável? – pergunta Shin enquanto posiciona o celular em minha direção – Fui eu que te acordei. Desculpe-me.

Reviro os olhos e ele sorri, retribuiu e vejo-o posicionar o celular em nossa frente de forma que nós dois aparecemos na câmera frontal. Hoseok-hyung beija a minha testa e quando volto à atenção para frente a foto está no visor.

— Ficou linda.

Concordo envergonhado e me encolho abraçando seu corpo.

— Venha, vamos tomar café – Hoseok-hyung levanta-se rapidamente e estende a mão, suspiro preguiçoso e ele sorri – Está tão manhoso! Acho que terei que leva-lo no colo.

E assim faz: me pega em seus braços fortes e acabo me entregando ao sentir sua fragrância doce, saímos do quarto e espero um alvoroço de vozes preencher meus ouvidos, no entanto há apenas silencio.

— Onde estão os meninos? – questiono.

— Devem ter saído para comprar comida – responde desinteressado – Está entregue princesa.

Hoseok-hyung me coloca no chão e bato em seu braço ao escutar o apelido que me dera, vou em direção a cozinha preparar nosso café da manhã.

 

++

 

 O restante da manhã foi calma, repleta de carinhos trocados e beijos roubados e estranhamente nada dos garotos. Ao chegar o horário do almoço decidiram pedir pizza e pouco tempo depois a companhia toca.

— Deve ser a pizza, vou atender – diz Hyungwon pegando a carteira e caminhando até a porta.

— Boa tarde. – diz o entregador.

Shin que estava sentado no sofá logo se levanta e fica encostado numa das paredes de braços fechados questionando o motivo do entregador sorri tanto para seu dongsaeng.

 Após pegar a comida Hyungwon se despede formalmente do entregador – o qual ele achou bem educado – e fecha a porta sorridente, põe as pizzas na mesa da sala e se senta no chão só então percebendo que Shin está de pé e com uma cara nada boa.

— O que foi? – pergunta o mais novo.

— O que foi? Você não viu o cara te secando? – ri irônico – Da próxima vez eu arranco aqueles dentes sujos.

Chae apenas revira os olhos e abre uma das caixas de pizza.

— Por que não esquece isso e vem aqui comer? – dá uma mordida e suspira – Isso está tão bom!

Hoseok sorri. Um sorriso diferente, entretanto seu dongsaeng não entende e o encara com uma expressão confusa.

— Posso até ir comer – ri e se aproxima – mas só se for você.

Hyungwon está estático e Hoseok vendo o constrangimento no rosto de seu amado cai na gargalhada.

— Vamos comer antes que esfrie. – diz pegando um pedaço da pizza e comendo – Está realmente bom.

 

Após o estranho acontecimento Hyungwon envergonhado decidiu ficar calado, mas não porque ficou com medo do que poderia  acontecer ou estar mais do que constrangido, mas sim porque desejou que acontecesse. Frustrado deu a desculpa de estar indisposto e foi para seu quarto, deitou em sua cama fofa, pegou seu celular e fones os pondo no ouvido e deixando uma suave música preencher seus pensamentos fazendo, pouco tempo depois, o jovem adormecer.

Quando acordou estranhou a escuridão do quarto. Hyungwon pega seu celular e conferindo as horas se assustou ao perceber que passara das 18h00min. Como pudera dormir tanto? Ainda sonolento decide tomar um banho e ir para sala para aproveitar o restante do tempo com seu hyung, pois aparentemente os meninos ainda não voltaram.

Após terminar sai em direção a sala, no entanto está tudo um breu. Será que seu Hyung ficou chateado consigo e decidiu sair? Mas ele teria avisado, não? Em passos incertos caminha até onde – acha – que deve haver um interruptor, contudo tudo o que sente é a parede fria e isso é no mínimo assustador. Chegando perto da cozinha encontra sobre a mesa uma vela vermelha acesa, sua luz cobre pouca parte da mesma mas dá visão o suficiente para Chae notar as diversas pétalas de flores espalhadas sobre ela. Assustado, porém curioso se aproxima, e ao notar que há uma carta perto da vela se questiona quem estaria fazendo isso. Mark talvez? Ou seria seu hyung? Irritadiço a pega com cuidado e se aproxima da vela, abre o envelope encardido e ao desdobrar a folha percebe que a mesma está em branco, perto do fogo revira a página e se surpreende ao notar que, ao entrar em contato com o fogo, letras vão aparecendo.

“Wow, igual aos filmes” pensa maravilhado.

Ao notar que as palavras acabam de aparecer senta-se numa cadeira e começa a ler.

 

Amor não é se envolver com a pessoa perfeita, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.”

Desconhecido

 

Hyungwon ri ao notar que apenas uma pessoa invade sua cabeça ao ler tal texto: Shin Hoseok. Aquele que trás paz e guerra, amor e raiva, qualidades e defeitos. O contraste em forma de pessoa, uma bagunça e mesmo assim é sinônimo de amor; de momentos bons, boas memórias e de amor verdadeiro.

Ficaria mais tempo pensando em seu amado se não sentisse algo fino cobrir seus olhos o deitando totalmente a mercê da situação, nervoso tenta tirar as mãos de si e escuta uma risada conhecida.

— O que você está fazendo comigo Minhyuk-hyung? – questiona enquanto sente-se sendo guiado.

— Shiu, apenas sente-se aqui – ajuda o donsaeng a se sentar no sofá e deixa um beijo em sua testa, logo se afastando.

Assustado, mas curioso o mais novo nada faz e ansioso espera por alguns minutos – que mais pareceram horas – até escutar uma melodia conhecida começar a tocar.

Sua faixa dos olhos é retirada por I.M que sorridente se junta aos meninos – com exceção de Wonho e Kihyun - num amontoado de almofadas coloridas e em formato de bolinhos. Só então Hyungwon percebe que seu dormitório já não parece um dormitório e sim uma cena retirada de livros; há luzes de natal das mais diversas cores espalhadas por toda a sala, fotos em formato de Polaroid estendidas em varais de cordas e muito brilho. Há também Hoseok sentado ao meio da sala, juntamente com Kihyun, ambos de cabelos coloridos – rosa e azul respectivamente – balançando o corpo suavemente enquanto ao fundo toca a tão conhecida música Photograph.

Novamente as luzes são apagadas, no entanto as luzes de natal são o bastante para iluminar de forma romântica o local. Hoseok toma a frente ao pegar o microfone e começa a cantar.

 

“Amar pode doer...

Amar pode doer às vezes

Mas é a única coisa que eu sei

Quando fica difícil

Você sabe que pode ficar difícil algumas vezes

É a única coisa que nos faz sentir vivos”

 

Hyungwon sente lágrimas lhe invadirem o rosto e ri ao escutar Minhyuk tendo pequenos surtos.

 

“Nós mantemos este amor numa fotografia

Nós fizemos estas memórias para nós mesmos

Onde nossos olhos nunca se fecham

Nossos corações nunca estiveram partidos

E o tempo está congelado para sempre”

 

Fascinado com a cena mal percebe quando Jooheon deixa sobre suas coxas um caderno azul de capa dura.

 

“Então você pode me guardar

No bolso do seu jeans rasgado

Me abraçando perto até nossos olhos se encontrarem

Você nunca estará sozinha

Me espere para voltar pra casa”

Hoseok entrega o microfone para Kihyun, que começa a cantar em seu lugar, e caminha em direção a seu dongsaeng, enquanto o restante dos meninos ajuda fazendo um belo coral.

 

“Amar pode curar

Amar pode remendar sua alma

E é a única coisa que eu sei

Eu juro que fica mais fácil

Se lembre disso em cada pedaço seu

E é a única coisa que levamos com a gente quando morremos”

 

— Sempre que sentir que não te dou valor, que não cultivo do teu amor ou quando mesmo não querendo te machucar quero que veja esse livro; leia cada página e veja cada foto, relembre de todos os nossos momentos e pergunte a si mesmo se, apesar do meu jeito idiota, você continua e continuará me amando. Se a resposta for sim, sempre volte pra mim, pois quero ser pra você muito mais que um companheiro, quero ser sua casa, seu porto seguro e embora não seja tão bom em demonstrar – ajoelha e tira detrás de si um caixinha preta – Eu te amo muito, e é por isso que hoje, em frente aos nossos amigos, quero saber se você aceita namorar comigo?

Hyungwon se encontra estático e com o rosto avermelhado devido ao choro e vergonha, no entanto é como se tudo tivesse ficado mais claro e suas preocupações já fossem pequenas. Sorriu abertamente e levantou-se.

— É claro que eu aceito!

E um alvoroço de gritos e palmas é feito.

Hoseok se aproxima de Chae e antes mesmo de deixar a aliança em seu dedo o beija apaixonadamente. A música aumenta consideravelmente e os membros começam a dançar – de forma desajeitada – fazendo Hyungwon ri contente, e Hoseok para por algum tempo para admirar seu amor. Sua feição tão diferente da noite anterior, tão diferente de quando tudo começou os olhos hoje tem mais brilho e Shin sabe que parte disso é sua culpa, sente-se realizado como nunca e aproveitando da distração de seu companheiro beija-lhe a nuca, sorrindo em seguida ao notar que o mesmo ficara arrepiado.

— Ainda tem mais por vir. – sussurra Shin em seu ouvido. – Agora venha cá, alguém tem que por esse lindo anel.

 

“E se você me machucar

Tudo bem, querida

Apenas as palavras sangram

Dentro destas páginas você me abraça

E eu nunca vou te deixar ir

Me espere para voltar pra casa”

 

 

 

 


Notas Finais


E então??

Vou sentir saudades c.c
BUT
Se quiserem (apenas se quiserem meeesmo) eu volto com um cap extra fazendo um lemon meio ??? (vou deixar pra vocês decidirem o quão ruim é)
OBRIGADO POR TUDO E EU AMO VOCÊS!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...