História Fotografia - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Misty
Exibições 50
Palavras 1.902
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Fotografia - Capítulo 1 - Capítulo Único

Tem horas que eu acho que odeio musica! De verdade, é incrível como sempre que você esta com algum problema começa a tocar no radio logo aquela maldita musica que diz tudo que você esta sentindo.

Aqui, dentro do carro com a cabeça escorada no volante e o cinto de segurança que parece querer me enforcar, eu começo a ter certeza de que odeio musica mesmo.

É
Essa noite eu vou tentar me transformar em vento
Para impedir que esse avião saia daqui
Levando a minha vida

Ash vai ir embora, ele vai viajar para longe de novo, 4 messes em Hoenn, longe de mim. Deixo minha mão cair até minha barriga, ainda sem forma. Ele não sabe que estou esperando um filho dele, não tive nem tempo de contar a novidade, descoberta ontem à tarde.

É
Eu sei que para você oito meses é pouco tempo
Não imagina a proporção desse meu sentimento
Não faz ideia do quanto é importante pro meu dia a dia

Eu havia preparado tudo, um jantar a luz de velas, sua comida favorita, que eu havia pedido ao Brock me ensinar a fazer especialmente para aquele momento o que ele fez com um grande sorriso no rosto e uma paciência maior ainda, exigindo apenas que pudesse ser o padrinho da criança, não que ele já não fosse ser antes.

É
Eu vivo em meio a multidões, mas me sinto tão só
E se você partir agora eu vou ficar pior
Todos os meus sorrisos vão desaparecer
Não pode acontecer

Eu deixei tudo pronto, o teste de farmácia que havia feito estava escondido até que chegasse o momento de ser mostrado.

Eu esperei uma hora. Duas horas, mas quando estava prestes a se completar a terceira hora de espera, ele já estava atrasado, a comida estava esfriando e eu já havia ligado para seu celular mais de cinco vezes, e nem sinal dele. Quando comecei a recolher os pratos e guardar a comida na geladeira ele entrou pela porta, olhei para o relógio na parede em cima da geladeira, 1:00h da manhã.

— Querida cheguei! O dia foi cheio hoj—Eu não lhe dei tempo para que terminasse de falar, meu sangue ferveu então interrompi.

—Eu te liguei cinco vezes Ash! CINCO! — a frase saiu mais alta do que eu esperava e o fez arregalar os olhos em um leve choque, fazia um bom tempo que não brigávamos, mas também, ele quase nunca estava em casa, ocupado de mais como Mestre pokemon. — Onde você estava!?

— Trabalhando. Onde mais você acha que eu estaria Misty? Dando mergulhinhos em uma piscina para me exibir na frente de um monte de marmanjos? — ele questionou, e eu não podia acreditar que ele estava jogando na minha cara uma questão como essa.

— Você sabe que meu trabalho no Gym sempre teve contratempos como esse! O que quer que eu faça? Que desista do meu Ginásio simplesmente por que meu marido não quer que eu faça as apresentações com as minhas irmãs?

— Você não precisa daquele lugar! Já tem a mim. — Pronto. Essa era a gota da água, fechei a mão em punho fazendo as unhas perfurarem a palma da mão até que doesse e então gritei.

— AQUELE É MEU LUGAR ASH! VOCÊ SABIA DISSO QUANDO SE CASOU COMIGO, NÃO ME PEÇA PRA MUDAR ISSO POR QUE VOCÊ SENTE CIÚMES!

—VOCÊ NÃO SABE CONVERSAR AO MENOS UMA VEZ SEM COMEÇAR A GRITAR! PELO AMOR DE ARCEUS PARE E AGIR COMO UMA CRIANÇA!

— PARE DE FICAR MUDANDO DE ASSUNTO! ONDE VOCÊ ESTAVA!?

—Não da pra conversar desse jeito. Eu vou sair de novo, e amanhã eu viajo pra Hoenn, vou passar uns 4 messes, a trabalho. — disse como se aquilo não significasse nada, eu fiquei parada ali vendo ele virar as costas e ir em direção a porta da casa — Vou dormir na casa do Paul hoje, vai ser mais fácil aturar ele do que você como esta agora.

Foi a ultima coisa que ele me disse, e me lembrando agora disso mais lagrimas rolam pela minha fase, de um salgado tão idêntico quanto as da noite anterior e carregando uma tristeza igualmente parecida.

Eu tô chorando
No estacionamento do aeroporto
Eu tô chorando
Porque talvez hoje seja o nosso último encontro

 O assovio do celular me chamou a atenção, o peguei esperançosa de que fosse uma mensagem de Ash, pedindo desculpas e dizendo que havia cancelado a viajem, mas não era. Era apenas a Sra. Ketchun me perguntando se já havia chegado ao aeroporto. Ela ainda não sabe da discussão pelo visto.

Limpando as lagrimas com a palma das mãos, respondo a mensagem com um rápido e simples sim. Eu havia acabado de tomar uma decisão, já que ele não quis me contar onde estava então também não merece saber do bebê.

Eu tô chorando
Se eu fosse melhor você não ia
Se eu tivesse mais coragem
Eu te abraçava e te impedia

A despedida foi tranquila, fora pelo detalhe que mal olhávamos um para o outro, Brock estava lá e estranhou a situação, apenas balancei a cabeça iria explicar mais tarde a ele. Ash conversava alegre com May e Dawn, mas sempre que desviava o olhar para me encarar ficava serio e pude ver tristeza em seus olhos. Mas eu não me importei, ele me falou coisas de mais ontem à noite.

— Não acredito nisso! — Resmungou Brock, meu irmão mais velho eu tinha certeza de que ele ia me entender e ficar tão revoltado quanto eu, bem.. Até aquele momento— Misty ele precisa saber! Você não pode esconder isso simplesmente por que vocês brigaram!

—Brock ele falou coisas terríveis pra mim! Eu me recuso a falar disso pra ele. Sem contar que ele nem me disse onde esteve! Como posso confiar nele assim?

Brock não me falou nada após isso, apenas me olhou com cara de indignado, ele sabe que não vai conseguir me fazer mudar de ideia e por isso, nos três messes seguidos ele esteve ao meu lado cuidando de mim mesmo que fosse contra a ideia, e jurou não falar nada ao Ash, isso era uma coisa que nós tínhamos que resolver e ele sabia disso, mas mesmo assim as vezes insistia para que eu atendesse as ligações do meu marido, que falasse para ele a verdade, mas sempre que eu atendia o telefone acabávamos discutindo novamente. Cheguei ao ponto de pensar que aquele era o fim do meu casamento. Foi então que aconteceu...

Eu fui ao ginásio visitar as meninas, com a barriga já mais formada, quando as três tiveram que sair de perto de mim um pouco eu resolvi subir até o terceiro andar do Gym, eu não entrava lá desde que me casei, havia tanta coisa lá dentro que eu queria rever, fotos antigas, diários, a katana que meu pai usava na sua adolescência e que eu havia apelidado de Corte dos mares antes de ele morrer, tantas memórias felizes.

Mas o pior aconteceu quando eu encontrei uma foto que havia desaparecido há muito tempo, estávamos todos nela, Eu, Daisy, Violet, Lily, Mamãe e papai, fiquei tão feliz de ter encontrado ela que resolvi descer as escadas correndo para mostrar as outras, me pergunto o que aconteceria se eu nunca tivesse achado aquela fotografia, pisei em falso enquanto descia e acabei caindo.

~*~

Quando acordei a primeira reação que tive foi me sentar na maca do hospital e por a mão sobre o ventre. Não! Eu não podia ter perdido...

— Você não o perdeu. — a voz veio do acento próximo a maca, estava rouca como se tivesse passado muito tempo sem falar, quando olhei naquela direção meus olhos se encheram de lagrimas, a explicação saiu de uma forma quase que robótica, como se ele tivesse ensaiado mentalmente ela varias e varias vezes.— Quando caiu apenas bateu a cabeça e desmaiou, os médicos disseram que da primeira vez que acordou você teve um ataque de pânico com a ideia de ter perdido nosso filho então tiveram que te dar sedativos, mas tanto ele quanto você estão bem.

— Ash... — digo e as lagrimas deixam turva minha visão, mas não as deixo cair, ainda há um pouco de orgulho restando.

— Por que não me contou? — perguntou olhando diretamente nos meus olhos, estava triste, não, desapontado seria mais coreto, eu apenas abaixei os olhos não conseguindo encara-lo por muito tempo— Misty quase perdemos um bebê e eu nem sabia que ia ser pai! Por que não me contou? Seu orgulho por conta de uma briga é tão grande assim?

— Não! — Respondo me virando pra ele, mas o olhar do meu moreno me fez admitir a verdade— Sim... Mas Ash você tem que entender, você me magoou muito falando aquilo, você... — parei de súbito ao sentir os braços dele ao redor de mim, me abraçando com maior cuidado do que era necessário.

— Eu sei, eu fui um idiota. Sei que aquele Gym é tudo pra você Myst, mas eu morro de ciúmes sempre que penso em você se apresentando na frente de uma plateia que em sua maioria é de homens.

— Nós brigamos e você me disse que iria para hoenn como se isso não fosse nada. — Digo me afastando de seu abraço, o nó na minha garganta torna a fala difícil e preciso dar uma pausa para continuar— Você nunca esta em casa, sempre viajando e viajando, não era esse tipo de futuro que nós queríamos quando fazíamos planos pra depois do casamento. Você esta parecendo até... até... — não arrisco terminar a frase, não quero brigar de novo.

— Estou parecendo meu pai, não é? — ele perguntou, sentando-se na borda da cama e pegando uma de minhas mãos entre as suas.

—Sim. — falei deixando que o calor das mãos dele passasse para as minhas me fazendo relaxar por um momento.

— Me perdoa ruivinha, eu não queria... Você sabe. Eu... Eu fiquei apavorado quando o Brock me ligou falando que você estava em um hospital, mais ainda quando descobri do bebê. Eu te prometo, vou deixar de ser tão infantil, tudo que eu não quero é me tornar como aquele maldito. Eu te amo e amo essa criança. Eu n— Não permiti que ele continuasse a falar o puxei para um abraço apertado e um beijo, ambos estávamos precisando daquilo, contato e apoio um do outro.

No final o Brock estava certo, eu devia ter contado antes, teria evitado tantos problemas... Por sorte não perdi nosso bebê aquele dia, mas depois do acidente Ash não me deixou fazer esforço nenhum, havia dias que nem mesmo queria me deixar sair da cama, ele cancelou os compromissos que tinha e aqueles que não podia cancelar fez questão de deixar para a elite dos quatro resolver.

E quando nosso bebê finalmente nasceu, eu vi Ash chorar como não via há muito tempo, nossa princesinha de cabelos rosados, uma menina que se tornou o motivo de felicidade da casa, ela sorria fácil assim como o Pai, mas tinha os meus olhos unidos com a cor de cabelo que herdou da minha mãe quando ainda era viva.

Hoje eu agradeço por ter encontrado aquela foto no Gym, mesmo que eu tenha levado o maior susto da minha vida, foi ela que uniu minha família de novo, e agora ela tem um lugar especial na estante da sala junta de tantas da nossa pequena Sakura.

Há e aquela musica, ela já não faz mais o meu estilo ksksks.

Fim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...