História Fotos de você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Photography Au, Taekook, Vkook
Exibições 63
Palavras 4.369
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Fluffy, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Presente de aniversário pra minha mulher Vivi ♡
Eu to muito atrasada com isso mas ainda tá mais ou menos em tempo então tudo bem.

Capítulo 1 - Fotos


Jungkook já havia fotografado belas imagens em toda sua curta vida como fotógrafo. Não se tratava de nada além daquilo que era esperado dele, o jovem fotógrafo prodígio ganhador de três prêmios internacionais antes mesmo de ter concluído a faculdade. Estava mais do que acostumado, e quase enjoado, das pessoas inflarem seu ego. Sentia que todo o enaltecimento não passava de uma resposta automática de todos. Afinal já era mais do que esperado que todas as suas fotos fossem boas.

– Você fez mais um ótimo trabalho, Jungkook – a professora da faculdade sorria para ele, um sorriso tão grande que quase cobria seu rosto minúsculo e deixava à mostra todas as suas rugas.

“Como esperado do garoto prodígio” ele adicionou em pensamento assim que ela deu-lhe as costas.

Ele particularmente não havia gostado daquela fotografia. Era uma simples árvore que estava em seu caminho para a faculdade todos os dias. Se alguém lhe perguntasse que mensagem quisera passar com aquela imagem, como sempre perguntavam aos fotógrafos profissionais famosos, ele diria que não havia mensagem nenhuma, apenas precisava de alguma coisa pro seu dever de casa.

E era assim que levava a sua graduação em fotografia, tirando fotos de coisas triviais do seu dia-a-dia que sempre acabavam aclamadas por todos. Estava cansado e não conseguia mais ver a mesma beleza que os outros enxergavam em suas imagens.

– Talvez você só esteja desanimado com tudo isso de fotografia. Talvez não seja realmente o seu curso – Jimin comentou durante a pausa para o almoço daquele dia. O pequeno garoto de sorriso radiante era o melhor e único amigo de Jungkook naquele pequeno inferno. A única pessoa que não o conhecia apenas como O Jovem Fotógrafo Prodígio Jeon Jungkook e o único que aguentava suas constantes reclamações sobre a fotografia.

– Você deve estar certo – Jungkook murmurou enquanto levava o canudo de seu suco até os lábios. – Eu nem sei por que escolhi fazer isso pra início de conversa. Claro que era divertido quando eu ainda era criança, mas parece que tudo perdeu o sentido quando começaram a me considerar um gênio da fotografia.

– Você só escolheu fazer isso porque as pessoas colocaram na sua cabeça que você deveria fazer por ser tão incrivelmente bom. Como se fosse um desperdício de talento fazer outra coisa.

Jungkook suspirou. Seu suco já se encontrava abaixo da metade e sua comida ainda intocada. Não sentia fome, seu estado deprimido sempre o deixava daquele jeito.

– Acho que eles estão certos afinal. Desistir agora seria jogar tudo no lixo, toda a carreira que já construí.

Jimin desceu as palmas das mãos rapidamente sobre a mesa, gerando um tremor e causando um barulho alto em todo o refeitório que assustou o menor e atraiu a atenção de algumas pessoas para a sua mesa.

– Jungkook, me escute. Você não pode continuar preso a algo que não gosta. Você quer mesmo continuar assim – ele fez um largo movimento com os braços indicando o outro garoto como um todo. Ele deveria estar parecendo deprimente naquele momento. – por todos os dias da sua vida por estar fazendo algo que não gosta? Se me disser que sim eu vou precisar acertar um belo soco nesse seu rosto bonito.

– Tudo bem, tudo bem, não precisa fazer essa cena toda na frente de todo mundo, as pessoas vão começar a fofocar. Principalmente por você dizer que eu tenho um rosto bonito.

O mais velho voltou a se sentar corretamente com os braços cruzados.

– Eu não ligo, só ligo pra seu bem-estar.

– Você é minha mãe por acaso? – Jungkook revirou os olhos.

– Ao menos leve a sério o que eu falei. Principalmente a parte do soco.

 

Apesar de superprotetor e um pouco exagerado, seu melhor amigo estava certo. Jungkook não aguentava mais carregar aquele fardo e provavelmente não aguentaria por sua vida inteira. Enquanto voltava para o dormitório no fim de tarde, pensava em como dar a notícia para seus pais de uma forma que não lhes causasse um ataque cardíaco. Talvez apenas falaria que precisava tirar uma folga e algum tempo depois – talvez muito tempo depois – daria a notícia definitiva. Ao menos poderia adiar um pouco a enxurrada de reclamações que iria ouvir.

Foi enquanto caminhava completamente distraído, arrastando os sapatos na grama semi molhada depois de uma chuva rápida de fim de tarde que algo cortou rapidamente seu caminho, fazendo-o perder o equilíbrio e quase cair sobre seus joelhos. Assim que se estabilizou, voltou-se para trás procurando o culpado daquele quase acidente.

A questão é que não era “algo”, mas sim “alguém”.  A segunda questão é que ele era um garoto bonito, talvez um modelo sem nenhum tipo de exagero, daqueles que aparecem em capas de revistas correndo em direção ao horizonte com o cabelo voando ao vento e um sorriso perfeito estampado no rosto. Porque era exatamente essa a imagem que Jungkook podia jurar estar vendo.

Estava tão perdido em seu estado de choque que nem ao menos se lembrou de chamar o garoto para requisitar um pedido de desculpas. Mas o outro se encontrava tão absorvido em sua tarefa de correr pelo campus que talvez nem escutasse a voz de Jungkook. Ele simplesmente teria que deixar aquele acontecido de lado.

Naquela noite, porém, Jungkook não conseguia deixar de pensar de como gostaria de ter capturado aquela cena com sua máquina fotográfica. Era estranho que, depois de anos sem querer fotografar nada, a primeira coisa que lhe traria de volta essa vontade seria um garoto estranho correndo pelo campus.

 

No dia seguinte Jungkook acordou mais cedo que de costume. Geralmente levantaria indisposto e praguejando sobre sua vida em situações desse tipo, mas dessa vez acordou radiante e animado, como se realmente fosse uma pessoa da manhã. Tomou um banho frio e um café da manhã reforçado antes de sair pela porta de seu quarto, certificando-se antes se sua câmera estava guardada na mochila.

O jovem fotógrafo já se encontrava no campus cerca de uma hora antes do início das aulas segurando sua câmera profissional firmemente entre as mãos. O local se encontrava praticamente deserto, sendo sua maior companhia apenas as árvores com suas folhas alaranjadas de outono e o canto dos pássaros que acabavam de acordar.

Se pudesse ver a imagem de si mesmo naquele momento provavelmente se acharia completamente estúpido. Apenas por se lembrar da ideia que o dera motivação para fazer aquilo já era o suficiente para se achar estúpido. Mas ele realmente precisava de uma foto do garoto estranho do dia anterior. Aquilo esteve na sua cabeça durante toda a noite, tinha quase certeza de que até mesmo tivera um sonho sobre isso. Agora precisava mais do que tudo saber se a sensação de fotografá-lo era tão boa quanto sua imaginação dizia.

Geralmente garotos da sua idade estariam tendo fantasias sobre sexo e afins, enquanto isso suas fantasias eram sobre malditas fotografias. Talvez ele estivesse ficando louco, seus veteranos de curso haviam avisado que aquele tipo de coisa costumava acontecer. Jungkook achou que não chegaria a ter problemas com isso já que nem ao menos gostava de fotografia. Talvez estivesse enganado.

Depois de alguns minutos dolorosos em que precisou forçar todo o potencial de suas vistas para ter certeza de que não estava deixando o garoto estranho passar sem que percebesse, conseguiu avistá-lo.

Ele usava um moletom cinza – aparentemente de um número maior que o seu, pois as mangas pareciam longas demais para os seus braços – e estava completamente absorvido na música que escutava pelos fones de ouvido. Agora que conseguia observá-lo com calma, mesmo que de uma grande distância, Jungkook conseguia prestar atenção em pequenas coisas que antes haviam passado despercebidas, como o leve tom bronzeado de sua pele e o modo como o cabelo castanho moldava seu rosto delicadamente apesar de parecer levemente bagunçado.

Estava tão perdido nos detalhes do outro que quase se esquecera da razão de estar ali. Atônito, posicionou a câmera na frente do rosto, certificando-se de estar em uma posição em que não seria percebido pelo garoto, e apertou o botão, ouvindo o som anunciando que a fotografia havia sido tirada – sem utilizar flash para não chamar a atenção de ninguém no local.

Deixou-se cair sobre a grama macia com o sentimento de missão cumprida e uma bela foto no visor de sua câmera. Sentia-se tão fascinado com a nova imagem que se sentou de pernas cruzadas ali mesmo para analisá-la, ainda incrédulo do fato de ter sido ele o responsável por tê-la capturado.

 

– Você o quê?! – Jimin gritou, assustando metade do refeitório no ato.

– Você é muito escandaloso, Jimin, pare de atrair atenção – Jungkook repreendeu. Em seguida se curvou um pouco mais sobre a mesa para falar-lhe em um tom de voz mais baixo. – Eu tirei uma foto de um garoto desconhecido sem seu consentimento, sim, foi isso que você ouviu. Mas a outra parte que eu ainda não disse é que isso conseguiu me motivar a voltar a fotografar, então acho que saí no lucro.

Jimin ainda o olhava incrédulo, como se houvesse acabado de cometer o maior absurdo que já ouvira em toda a sua vida.

– Você sabe que é crime fotografar pessoas na faculdade sem consentimento? Eu não posso pagar sua fiança se você for preso...

– Primeiramente eu não planejo usar essa imagem para nada, então ninguém vai ficar sabendo que ela existe. E você chegou a escutar a segunda parte do que eu disse?

– Você conseguiu motivação para fotografar um garoto que não conhece, mas é estranhamento atrativo para você. Eu sinceramente não sei se acho isso bom ou muito esquisito.

Talvez aquela história realmente parecesse estranha agora que Jungkook se escutava contando-a. Mas não conseguia explicar com exatidão seus sentimentos com tudo o que havia ocorrido desde que havia esbarrado com o garoto no dia anterior, então não esperava que Jimin fosse entendê-lo tão facilmente.

– O que importa é que eu preciso fotografá-lo de novo e ver se continuo sentindo o mesmo que senti hoje. Faz muito tempo que não fico tão ansioso para voltar a fotografar.

Seu amigo lhe lançava um olhar um tanto quanto relutante do outro lado da mesa, mas pelo menos não o estava repreendendo completamente. Era como se estivesse ponderando se aquela realmente era uma boa ideia.

– Eu não tenho um bom pressentimento quanto a isso. Mas fico feliz por você ter voltado a ficar tão animado. É um tanto quanto fofo. – Jungkook estalou a língua com o elogio. – Mas por que simplesmente não pede que esse garoto estranho seja seu modelo? Pedir permissão para tirar fotos, sabe.

– Eu não faço ideia de quem ele seja e, mesmo se soubesse, não teria coragem de pedir isso completamente do nada.

– Ah, esqueci que meu pequeno Jungkookie era um calouro super tímido apesar de ser o garoto prodígio da faculdade – Jimin sorriu de uma forma provocadora, ouvindo o outro resmungar um “pare com isso” em resposta. – Mas então me mostre a foto e eu posso tentar te ajudar.

Não estava dentro de seus planos mostrar a foto para Jimin e deixar que ele encontrasse o garoto misterioso, mas Jungkook sabia que ele se tornaria insuportável pelas próximas semanas se isso lhe fosse negado. Então simplesmente pegou sua câmera na mochila e a ligou, colocando a foto que havia tirado de manhã no visor.

O mais velho observou a foto por exatos cinco segundos antes de dar seu veredicto.

– Esse é Kim Taehyung, estamos no mesmo ano e ele pega algumas matérias comigo.

– Você o conhece? – Jungkook não conseguia esconder seu tom de voz tomado de surpresa.

– Nunca nos falamos na verdade. Ele é um pouco popular e está sempre rodeado de várias pessoas, não sei se nos daríamos bem. Mas por você eu posso tentar – o mais velho deu de ombros.

– Isso é muito gentil da sua parte, Jiminie. Prometo não fazer piadinhas com a sua altura por uma semana como recompensa.

Jimin levou uma garfada de comida até a boca.

– Válido.

 

Jungkook não estava preparado para Jimin ser tão rápido em sua tarefa, entretanto. Foi tomado de surpresa e um pouco de ansiedade quando avistou seu amigo se aproximar com o braço em volta dos ombros de Kim Taehyung mais tarde naquele dia. Aquele era o horário em que se encontravam depois de todas as aulas para saírem para algum lugar ou simplesmente andarem juntos para o dormitório enquanto conversavam. Não era esperado trazer uma terceira pessoa, muito menos aquela pessoa.

– Jungkookie! Esse é Kim Taehyung – disse Jimin animadamente, ignorando a expressão incrédula de seu amigo. – Começamos a conversar hoje na aula e descobrimos ter muito em comum! Então o chamei para sair com a gente. Tae, esse é Jeon Jungkook.

Taehyung o cumprimentou com um aceno de cabeça e um sorriso quadrado, Jungkook tentou ao máximo retribuir sem parecer desconfortável. Logo em seguida agarrou Jimin pelo pulso e o arrastou para longe de Taehyung para poder cochichar em seu ouvido.

– O que você pensa que está fazendo? Sem ao menos me avisar!

Jimin franziu o cenho, confuso.

– Pensei que você ficaria feliz de resolver isso o mais rápido possível.

– Eu não estava preparado! Você sabe que eu não tenho jeito para conversar com as pessoas.

– Não se preocupe, Taehyung é extrovertido e divertido, vai fazer você se sentir confortável em poucos minutos. Igual aconteceu com a gente.

Jimin sorriu e deu leves tapinhas em seu ombro antes de voltar-se para Taehyung.

– Desculpe, Tae, Jungkookie estava reclamando de dor de cabeça e não queria sair com a gente. Mas eu o convenci, ele vai tomar remédio mais tarde.

Taehyung sorriu novamente daquele modo que Jungkook achava que deveria começar a ser proibido e fez uma reverência ao falar algo sobre desejar que eles tivessem um bom tempo juntos. Ao menos ele era adorável, pensou Jungkook.

 

O encontro não foi ruim. Taehyung conseguia conversar sobre praticamente qualquer assunto e Jungkook não demorou a se sentir confortável na companhia do garoto. Jimin estava certo ao dizer que ele era fácil de se relacionar. Principalmente ao descobrir que ele também assistia animes e começar uma longa conversa sobre todos que já haviam assistido.

– Jungkookie, você faz fotografia, não é? Você não é o fotógrafo prodígio que todos comentam na faculdade?

Aquele talvez fosse o único problema para Jungkook em conhecer pessoas novas. O garoto exibiu um sorriso amarelo em resposta.

– Bem, sim...

– Isso é incrível! Eu adoro fotografias, queria ver as suas um dia. Eu deveria já ter visto considerando que você é famoso, mas agora vou ver como um amigo.

Por algum motivo, receber elogios assim de Taehyung não era ruim como costumava ser. Na verdade Jungkook sentiu-se feliz, uma felicidade estranha que lhe cresceu no peito subitamente e acelerou seus batimentos cardíacos.

– Jungkook estava procurando um modelo pra um trabalho da faculdade – comentou Jimin. –Você não estaria interessado, Tae?

Jungkook lhe lançou um olhar estupefato e repreendedor. Jimin provavelmente havia tirado o dia para envergonhá-lo. Estava prestes a negar o fato quando Taehyung respondeu.

– Eu poderia mesmo ser modelo de um fotógrafo famoso?! Eu adoraria! – a animação que exalava era tão adorável que Jungkook não se sentia no direito de destruí-la. – A verdade é que eu sempre quis ser ator, talvez isso me dê a coragem necessária.

Jimin lançou um discreto olhar divertido para o mais novo do outro lado da mesa e Jungkook sabia o que aquilo significava. Mais cedo ou mais tarde acabaria tendo que agradecê-lo.

 

Jungkook se sentia nervoso por passar a tarde inteira com Taehyung. Apesar de se sentir razoavelmente confortável na presença do outro, não tinha costume de passar muito tempo com ninguém além de Jimin. Toda a sua autoexclusão o havia deixado acomodado com aquele modo de vida.

Taehyung, porém, era extremamente divertido e sempre ria de seus próprios erros. O garoto parecia tão nervoso quanto o próprio fotógrafo.

– Taehyung, se apoie nessa cerca – Jungkook pediu ao avistar uma bela paisagem ao fundo. – Cuidado para não cair, por favor.

O mais velho recostou o corpo sobre a cerca e fingiu se desequilibrar, abrindo um de seus sorrisos quadrados em seguidas. Jungkook revirou os olhos com um pequeno sorriso nos lábios. Não conseguia acreditar que aquele garoto era mais velho que ele.

A paisagem estava perfeita, podia-se avistar várias pequenas montanhas ao horizonte, parecendo minúsculas em razão da distância. Um pouco mais próximo haviam árvores de diversos tamanhos e formas com folhas alaranjadas. A atmosfera do outono combinava perfeitamente com Taehyung.

Jungkook pediu que fizesse uma expressão distraída – que foi muito bem atendida por seu modelo – e tirou a foto. Observando no visor, a imagem parecia ainda mais bonita. O fotógrafo não se sentia orgulhoso daquela forma há muito tempo.

– Oh, ficou muito boa! – Taehyung exclamou acima de seu ombro. Jungkook estivera tão ocupado admirando sua nova foto que não percebera a aproximação do outro. – Você é realmente um ótimo fotógrafo, Jungkookie.

Jungkook queria dizer que grande parte da beleza daquela foto estava em Taehyung, mas não queria soar estranho.

 

Taehyung era um modelo perfeito. Jungkook nunca havia fotografado pessoas antes, mas pelo o que já havia estudado de fotografia sabia que aquele tipo de dom era extremamente raro. Todas as suas fotos haviam ficado incríveis. O sentimento de fotografá-lo era ainda melhor do que imaginara, era algo que lhe deixava inquieto, ansioso para ver o resultado e se maravilhar com a beleza da imagem. Jungkook realmente amava fotografá-lo.

O mais novo sugeriu que fizessem uma pausa mais tarde naquele dia, sugestão que foi muito bem recebida por Taehyung, que já ouvia seu estômago roncar.

– Você é realmente um fotógrafo prodígio – comentou Taehyung, analisando novamente com Jungkook as fotos que haviam tirado naquele dia. – Deve ser ótimo já ser considerado tão bom nessa idade.

Estavam sentados lado a lado na parte exterior de uma lanchonete que haviam encontrado pelo caminho. Jungkook sentia a brisa fresca acariciar seu rosto enquanto esperava seu lanche.

– Na verdade eu estava pensando em desistir da fotografia...

Jungkook sentiu um peso repentino sobre seus ombros, deparando-se com um alterado Taehyung segurando-lhe e lhe lançando um olhar de reprovação.

– Você não pode desistir, Jungkookie! Você é um dos melhores fotógrafos que eu já conheci e não digo isso por conhecer poucos fotógrafos, muito pelo contrário na verdade, eu conheço vários deles e você é um dos melhores de todos!

O discurso motivacional de Taehyung era tão fofo que quase o fez rir. O jeito que ele se embaralhava um pouco nas palavras e se animava a ponto de quase não conseguir parar de falar era adorável.

– Se acalme um pouco – pediu antes de tudo já que não queria que o outro tivesse um problema por não estar respirando direito. – Eu já tinha mudado de ideia, não vou mais desistir da fotografia.

Respirando normalmente agora, Taehyung voltou a se sentar no lugar de antes e dirigiu um olhar mais calmo, mas também curioso ao outro garoto.

– O que te fez mudar de ideia?

Jungkook sentiu suas bochechas ficarem rubras e virou o rosto para tentar escondê-las.

– Vamos dizer que eu encontrei algo que vale a pena fotografar.

 

Aquela era talvez a maior exposição de fotos que Jungkook já havia visto. Ou talvez não se importasse o suficiente com as anteriores para reparar em tal detalhe. Mas dessa vez lhe era muito importante, pois estava tendo a oportunidade de expor suas melhores fotos de Taehyung.

– Você realmente vai expor só fotos minhas? – perguntou o garoto transparecendo um pouco de insegurança quando ouviu a ideia ser dita por Jungkook.

– Tae, suas fotos são as melhores que eu já tirei. O mundo precisa ver como você é um ótimo modelo.

Não foi muito difícil convencê-lo, na realidade. Taehyung parecia estar feliz se Jungkook estivesse feliz e provavelmente percebeu como o jovem fotógrafo mostrava-se animado com aquela ideia. Jungkook de fato estava mais entusiasmado com a exposição do que imaginaria estar. O pensamento de expor a beleza de Taehyung e fazer com que todas as pessoas ali pudessem apreciá-la assim como ele fazia surgir um enorme sorriso em seu rosto.

– No que você está pensando? – a voz de Jimin soou em seus ouvidos no mesmo instante que o garoto surgiu ao seu lado, arrancando-lhe de seus pensamentos. – Você passou os últimos dez minutos sorrindo sozinho.

– Isso não é verdade, você nem ao menos me observou por esses dez minutos inteiros.

– Por incrível que pareça, sim, eu perdi os últimos dez minutos te observando porque você estava agindo de uma forma estranha – Jimin se aproximou um pouco mais, passando um braço pelos ombros de Jungkook e colocando os lábios perto de sua orelha para sussurrar-lhe: – Você está pensando no Taehyung? Você está apaixonado ou algo assim?

Jungkook se soltou do braço do outro sentindo o rosto esquentar.

– Não é nada disso! Eu só gostei dele como modelo.

– Eu já sabia que você estava com uma queda por ele desde que me mostrou a primeira foto – o mais velho abriu um dos seus sorrisos que transformava seus olhos em luas crescentes. – Você deveria se declarar. Tae gosta muito de você também

Jimin desapareceu no meio da multidão antes que Jungkook poder contestar ou perguntar alguma coisa a mais. Entretanto o conselho ainda martelava sua mente repetidas vezes, esforçando-se ao máximo para tentar convencê-lo.

Talvez ele estivesse com uma pequena queda por Taehyung. Talvez seu coração se acelerasse um pouco sempre que pensava em encontrá-lo e tirar mais fotos que lhe tiravam o fôlego de tão belas. Talvez passasse seus tempos livres em seu minúsculo apartamento analisando as fotos que havia tirado e observando cada pequeno detalhe de Taehyung, adorando cada um deles.

Jungkook não imaginou que aquilo seria um problema, mas sua vontade de ficar ao lado do outro garoto se tornava cada vez maior. Começava a acreditar que talvez estivesse se apaixonando, por mais vergonhosa que aquela ideia lhe parecesse.

Precisou andar sozinho com seus pensamentos por um bom tempo entre o amontoado de pessoas antes de finalmente avistar Taehyung. Olhava fixamente para uma das fotografias expostas na parede que Jungkook reconheceu como sendo a primeira que tiraram juntos. O mais velho levou alguns segundos para notar a presença do outro devido a sua concentração na imagem.

– Jungkookie! – ele o recebeu com um sorriso no rosto como sempre e Jungkook sentiu seu coração se acelerar por um segundo daquela forma irritante que já estava familiarizado. – Eu estava pensado que realmente gosto dessa foto. Eu estava um pouco nervoso na primeira vez, mas ela saiu muito boa e me deu confiança pra continuar sendo seu modelo. É claro que grande parte é por sua causa, você é um ótimo fotógrafo.

– Nada disso seria possível sem você, Tae. Eu nem ao menos estaria fotografando se não tivesse te conhecido.

Taehyung se voltou para o mais novo com uma expressão surpresa.

– Você só voltou a fotografar por minha causa?

Jungkook sentia que estava entrando em um terreno perigoso. Se começasse a se abrir sobre seus sentimentos não conseguiria mais parar. Porém sentia que estava pronto, que todas as suas dúvidas seriam respondidas se aceitasse seus sentimentos e buscasse expressá-los naquele momento.

– Desde a primeira vez eu senti vontade de te fotografar. Você não me conhecia e eu não te conhecia, você era apenas um estranho no campus. Mas foi incrível porque eu não tinha animação para fotografar nada há meses, mas você apareceu do nada e eu senti uma vontade inexplicável de não desistir – Jungkook desviou o olhar para a fotografia, sentindo-se cada vez mais envergonhado de olhar diretamente para Taehyung. Daquela forma ao menos parecia conversar com o garoto da fotografia e não com o verdadeiro parado ao seu lado. – Eu não sei explicar o que sinto, mas você me trouxe de volta a paixão pela fotografia. E talvez eu esteja gostando de você.  Gostando de verdade.

Inicialmente Taehyung não respondeu e Jungkook já contava quantos segundos seriam necessários para ele lhe dar as costas e sumir de sua vista. Porém aquele momento não aconteceu, em vez disso o mais velho segurou suas mãos e olhou-o nos olhos da forma mais animada que Jungkook já havia presenciado.

– Isso me deixa muito feliz, Jungkook! Eu espero que você nunca desista, você tem muito talento pra usar – suas bochechas ficaram rubras por um momento ao fazer uma breve pausa e seu olhar fixou-se no chão. – Eu talvez esteja gostando de você também. Gostando de verdade.

Jungkook apertou as mãos de Taehyung levemente e abriu-lhe um sorriso quando ele ergueu o olhar.

– Acho que vamos precisar acabar com esse talvez então.

Taehyung lhe retribuiu com um de seus sorrisos quadrados que exalavam mais felicidade do que Jungkook já vira em todo o tempo que se conheciam.

– Isso quer dizer que posso continuar sendo seu modelo?

– Por quanto tempo você quiser.

 

Jungkook amava fotografia e amava fotogravar. Adorava como conseguia capturar momentos únicos que nunca mais aconteceriam da mesma forma novamente. Amava as lembranças que guardava no visor de sua câmera e em fotos reveladas que estavam sempre espalhadas pelas paredes de seu quarto.

De todas as fotos que guardava, porém, as com Taehyung era as que mais gostava. Desde a primeira de todas que Jungkook tirara sem permissão – e que ainda continuava sendo um segredo para o outro – até a que haviam tirado no início daquela manhã. Guardava lembranças do primeiro encontro, do aniversário de primeiro mês de namoro e de todos os outros, de quando começaram a discutir sobre morarem juntos, quando finalmente começaram a morar juntos e de quando adotaram um filhote de cachorro. Nunca se cansava de ficar maravilhado com a beleza de Taehyung em todas elas, mesmo que pudesse vê-lo pessoalmente todos os dias.

Passara agora a amar tudo o que existia na natureza, pois ela sempre o fazia se lembrar de Taehyung. Todas as suas fotos passavam a ter um significado único para ele, queria conseguir retratar todos os sentimentos que nutria e a felicidade que sentia por ter alguém tão especial em sua vida. E queria que pudesse expor a todos aquilo. Queria que todos soubessem que era apaixonado pela fotografia e por aquele garoto.

De todas as coisas belas que Jungkook já havia fotografado com sua velha câmera profissional, Taehyung era a mais bela de todas. E ele se sentia a pessoa mais afortunada do mundo por poder fotografar seu sorriso todos os dias.


Notas Finais


Ayyy que final gayzinho
Me desculpem pela qualidade horrível disso eu tive que correr e lutar contra o meu bloqueio pra terminar a tempo (e ainda não consegui terminar bem a tempo) e eu to morrendo de sono e cansaço pra revisar mais de uma vez e só quero ir dormir
Leiam as fics da Vivi em @ amazarashi ela é uma escritora incrível bem melhor do que eu. Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...