História Foudre - Em correção - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 26
Palavras 1.035
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Ooi coisinhas,
Brotei aqui as 23 horas mesmo tipo tava sem sono ai eu escutei iKON - 지못미(APOLOGY) M/V eu tive as ideias tudo desse capitulo sério escutem muita musica recomendo kkkkk ok vamos ao capitulo.

Capítulo 22 - Promessa


Fanfic / Fanfiction Foudre - Em correção - Capítulo 22 - Promessa

Por que a gente simplesmente não vive e esquece de tudo por um momento só? - Mirtty

 

Gelei, ainda não é tudo o que Eduard é capaz de fazer? Essa história ela já mencionou antes e acho que mexe muito com ela, me desencostei do vidro e olhei em seus olhos, ela respirou fundo e olhou para o chão evitando me olhar.

- Não é a hora... Não quero te meter nisso – Leslie diz passando a destra em seus cabelos.

- Como não é a hora!? Eduard já faz parte da minha história agora, todo o mal que ele me fez eu acho que mereço saber não acha? – digo batendo o meu pé levemente no chão.

- Merece sim mas, me dói lembrar que eu permiti isso, dói saber que por minha causa eles dois nunca vão se conhecer – ela diz com um pesar visível.

- Leslie me diga porque a culpa é sua? – perguntei pegando em seu pulso com delicadeza.

- Não quero te envolver em mais problemas... Inclusive nos meus... – ela se solta e sai do local me deixando sem chão.

Ela é um dos irmãos que ela tanto fala com culpa? Por que a culpa é dela? Quem é o irmão dela? Essas perguntas vagam a minha cabeça enquanto sento-me no chão repirando pausadamente com dificuldade, resolvo ir em alguns lugar com menos movimento do que aqui já que começou a chegar damas e cavalheiros passando por aqui são poucos mas mesmo assim quero ficar só.

O único lugar que achei foi uma praça velha quase deserta, só havia uma pessoa ali, um garoto ruivo, me aproximei devagar e notei não pé qualquer garoto que se trava é o Rafael Ross olhando para o nada provavelmente pensando nos problemas que é uma coisa que temos muito em comum.

- Incomodo? – perguntei fazendo que ele notasse minha presença.

- Nunca – ele responde sorrindo ladino e dando espaço para eu poder me sentar no único balanço que ainda estava digamos ‘’inteiro’’.

- Realmente temos o mesmo gosto para quase tudo – digo solando uma risada simpática mas um tanto fraca pois não estava feliz para rir.

- Concordo – ele fica sério novamente – o que te preocupa?

- Problemas... Eles de novo... – tomo a liberdade de aconchegar minha cabeça em seu ombro coberto pelo fino tecido de sua camisa social.

- Digo o mesmo pra mim – Rafael diz fazendo carinho no meu cabelo.

- Eu não sei o que a gente tem mas os problemas surgem do nada e uma coisa que nos une para surgir uma solução uma coisa meio que só nossa – digo sorrindo e o puxando para um abraço que foi aceito e correspondido por ele.

- Não sou bom com palavras feito você me sinto humilhado aqui viu – ele diz dando uma risada no final.

- Algo me diz que sou melhor que você em uma coisa – permito-me olhar em seus olhos.

- Você é melhor eu em várias coisas – Rafael diz rindo mais ainda – menos na corrida.

- Oi? Claro que sou melhor que você nisso também – digo fingindo estar ofendida com seu comentário – isso é desnecessário você sabe que vai perder pra mim numa corrida.

- Jamais! Se eu perder você pode me pedir alguma coisa e se você perder eu posso pedir feito? – Rafael sugere e eu assinto em aprovação.

Decidimos o lugar da corrida, nos posicionamos e corremos, segurei meu vestido a corrida toda e no fim por um tris eu não ganhei, digamos que em questão de seis segundos ele chegou primeiro me vencendo.

- Tá admito não corro tão rápido quanto você – digo por fim permitindo-me sentar na grama do praça deserta.

- Mas é melhor em outras coisas.

- Tipo o que? – perguntei na cara dura mesmo ta eu mereço uns elogios.

- Tipo com palavras, você pensa antes de agir o que eu nunca faço ou quase nunca, tem um potencial grande de líder, seus olhos são lindos e não sei mais como elogiar você só vou acrescentar uma coisa – Rafael diz se sentando na minha frente – sou completamente apaixonado por você e descobri isso recentemente.

- R-rafael... Só te peço pra não me machucar de novo por favor... – digo olhando para a grama, senti minhas bochechas esquentarem.

- Ei se acalma, em sei se você gosta de mim do mesmo jeito que eu e não vou te obrigar a nada, além disso tenho que te conquistar e mostrar que estou ao seu nível – Rafael se deita na grama olhando para o céu.

- Você sabe que gosto de você do mesmo jeito larga de ser bobo! – dei um soco leve em seu braço – e me conquistar sem querer ser rude precisa porque você me machucou Rafael Ross como me machucou...

- Ei não precisa agredir – ele diz fingindo estar machucado gravemente soltando uma risada fraca e depois voltando a ficar sério novamente - desculpa eu retribui aquele beijo porque sou um bosta.  

- Não vejo nenhum bosta do meu lado.

- Ah... Desculpa mesmo Ana nem imagino como você deve ter se sentido me vendo... Ah que ódio de mim mesmo!

- Você promete não me decepcionar mais Rafa? – pergunto levantando o meu dedo mindinho, ele se levanta e sorri ladino.

- Prometo Ana... Eu te prometo... – Rafael diz entrelaçando nossos mindinhos em sinal de promessa.

Ele me abraça logo após a nossa promessa, a chuva começou a cair fina e gélida, não nos importamos com a chuva pois aquele abraço foi mágico como se pudéssemos senti um o que o outro sente, abri meus olhos permitindo-me ver a chuva que deixa a praça deserta muito mais atraente se eu tivesse achado antes ia construir uma casa aqui e ficar nesse lugar pra sempre, ele riu e sussurrou algo como ‘’Vamos pegar um resfriado’’ e eu apenas ri junto a ele enquanto a chuva engrossava caindo sobre nossos corpos, me apertei mais a ele pois eu estava com frio devido a chuva, ele afundou o rosto na curva do meu pescoço, os cabelos ruivos dele estavam se grudando no meu pescoço descoberto enquanto os meus grudavam nas minhas costas, eu só tenho uma certeza iremos ficar aqui tomando chuva por um bom tempo. 


Notas Finais


Criei uma frasinha mesmo ><
Eu crio um monte mas fica lá no papel ai com combinou com o capitulo soltei essa devo fazer isso mais vezes?
Espero que tenham gostado até por ser um pouquinho melosinho ^^
O link da musica que deu as ideias <3 https://www.youtube.com/watch?v=blSCDrx0CDA
Ela é meio badzona mas eu gosto
Beijinhos açucarados.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...