História Four Loves - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Bobby Singer, Castiel, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Lúcifer, Miguel, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Destiel, Drama, Revelaçoes, Romance, Samífer
Visualizações 310
Palavras 2.891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então sei que demorei.

Eu não desisti da fic não se preocupem.

Acontece que só tenho inspiração quando estou na escola, e essa semana ficamos três dias sem aula, e nesses três dias a inspiração não vinha.

Amanhã eu irei responder os comentários de vocês, eu não tive tempo de responder tudo.

Boa leitura espero que gostem ❤

Capítulo 4 - Apaixonado


- Lúcifer qual é o teu problema ?.- Sam o cutucou irritado.

 

- Não tenho problema algum.- Fez uma careta. - Só fiz o que você pediu...

 

- Eu só pedi para você localizalos e trazer eles até mim, e não para sequestrar e bater neles, e enfia-los em um Talking Show, Lúcifer!!

 

- Já to vendo que está irritado...

 

- E não era para eu estar ? Droga Lúcifer era para ser algo passivo e não enfiar a América inteira aqui dentro!!

 

Sam, olhou ao redor o local era imenso parecia ter um tamanho de dois campo de futebol, e em cada canto, parecia ter mais ou menos mil pessoas, sem exagero algum.

 

Ele queria cortar a cabeça de, Lúcifer, fora e dar para os cães do inferno comerem.

 

- Não se estresse, Sammy, eu estava entediado então tive essa brilhante ideia e uni o útil ao agradável, acho que devo pegar, Tom Ellis.. O que acha ?

 

- Não acho que, Tom Ellis, seja Gay.

 

- Não é nesse sentido que estou falando, a única pessoa que eu quero pegar é você, Sam.- Se aproximou do mais alto, e lambeu sua bochecha e, Sam, se tremeu dos pés a cabeça e o afastou.

 

- Lúcifer, você conhece o conceito de espaço pessoal ?.- Mirou o Arcanjo, que o olhava com desdém, e ele fez uma linha imaginária em frente aos dois. - Esse é o meu espaço pessoal, e não quero que você o invada!!

 

- Não estou vendo nada.- Se fez de confuso olhando o chão.

 

- Isso é porque ele é invisível, então fique bem longe dele, e respondendo a sua pergunta anterior você não pode pegar, Tom Ellis.

 

- Porque não ?.- O olhou com a sobrancelha arqueada.

 

- Porque ele é um, Lúcifer, muito melhor que você, e ele é Sexy.- Sam, o provocou e gargalhou ao ver os olhos azuis do Arcanjo, se tornarem vermelhos.

 

- Antes eu só iria pegar o corpo dele emprestado, agora eu vou tortura-lo como na história ninguém nunca foi torturado, com a tortura que eu vou tortura-lo.- Grunhiu estalando os dedos e com um olhar maligno em seu rosto.

 

- Essa frase é do, Crowley.- O provocou mais. - E acho que está meio errada....

 

- Não importa.- Rugiu enfurecido. - Eu vou juntar o, burguer king, na lista de tortura em grupo.- Saiu passando alto.

 

E Sam, suspirou como uma garota de onze anos, que acabou de encontrar o primeiro amor.

 

Em sua mente, Tom Ellis, foi colocado em segundo lugar em sua lista mental de homens sexy, e em primeiro lugar o nome de, Lúcifer, brilhava em vermelhos berrante, com letras garrafais.

 

- E estamos de volta com o programa mais aclamado pelo público, Meu querido cupido fudido.- O apresentador entrou gritando, fazendo a platéia ficar de per e gritar.

 

Tinha algumas pessoas com cartazes escrito, Destiel forever, e entre outros, alguns com nome tão explícitos que fez, Sam, sentir enjôo, não era pelo conteúdo exposto no cartaz, longe dele ser homofóbico, mais o que lhe dava enjôo era imaginar seu irmão e seu amigo juntos, aquilo sim era horrível.

 

- De um lado temos, Dean Winchester, filho de, John e Mary Winchester, o lindo rapaz tem vinte e nove anos loiro dos olhos verdes, um caçador que deu início ao Apocalypse, mais também o impediu ao lado de seu irmão, palmas pessoal.- Gritou o apresentador que, Sam, nem fez questão de saber o nome, e então luzes coloridas se acenderam e apagaram, e seu irmão foi tirado de trás de uma cortina por um brutamontes.

 

E então ele lembrou o porque de estar discutindo com Lúcifer, para saber onde tinham enfiado, Dean e Castiel, já que ambos sumiram diante de seus olhos.

 

Dean, novamente arregalou os olhos quando viu, Sam, parado a um metro dele e livre de qualquer machucado, isso o levol a crer que o irmão e o diabo estavam juntos nessa, e ele sentiu vontade de extripar os dois.

 

Sua cabeça doía por conta de toda a claridade naquele local, e a sua boca esta seca porncausa daquela mordaça em sua boca. Tudo de que se lembrava era de ter largado, Lúcifer, com seu irmão no posto de gasolina e depois foi para o primeiro bar de beira de estrada que achou.

 

Se sentou em um lugar afastado, e pediu uma garrafa de, Jack Daniel's, e afogou suas mágoas nela bebeu por ter brigado com, Castiel, bebeu por não ser bom o suficiente para ajudar, Sam com Amara, e voltou a beber por Castiel.

 

E a última coisa que viu foi, Lúcifer, com um pé de cabra na mão, e tudo ficou escuro.

 

E se as coisas não pudessem piorar... Ele achava que está amando o anjo, não era paixão ou um tombo era amor, que era algo impossível já que ele nunca se amou ninguém, ele nem se quer arriscava dizer que um dia amou Lisa, quem diria amar Castiel ?

 

O loiro, odiava aquele sentimento, amor, que fazia seu coração bater mais rápido, e aquelas malditas borboletas brotar em seu estomago, e a sua respiração ficar ofegante, e ter vontade de grudar a sua boca na pele do, Anjo, toda vez  que ele estava perto. 

 

Para ele o amor, é uma caseira para os fracos e ignorantes, que faz as pessoas se sentirem seguras e feliz... Mais no fundo o amor os deixa, fracos dependentes e gordos.

 

Ele em toda a sua vida amou somente, Sam, que sempre estava lá para ele, em momentos felizes e outros nem tanto.

 

Sua mãe esteve com ele por pouquíssimo tempo, e o deixou na idade que ele nem sabia o que era amor ainda.

 

E seu pai, essa era uma situação complicada, seu pai lhe arrancou a infância, e o fez parar de procurar monstros em baixo da cama e começar a olhar para dentro das pessoas, que era lá que eles se escondiam.

 

Talvez fosse por isso que ele era tão leal ao pai, ou talvez era só por medo, que criança não tem medo do pai bêbado e irritado ?

 

Então esse sentimento era estranho para ele amar, Sam, era instantâneo e um amor fraternal.

 

Já amar, Castiel, era diferente um fogo surgia em seu peito o fazendo querer agarrar o anjo, e o fazer ver estrelas.

 

Mais se alguém perguntasse de seus sentimentos pelo anjo, ele iria negar até a morte o que sentia.

 

Foi despertado de seus devaneios, pela voz estridente do apresentador.

 

- E do outro lado temos, Castiel, filho de Deus e...- Leu o papel em sua mão. - E Deus, o lindo anjo de olhos azuis e cabelos negros, que faz o coração de muitas garotas aqui presente virar mingau, em uma de suas visitas a terra o Anjo quase matou os, irmãos Winchester, mais caiu em sí rapidamente e ele ainda é irmão caçula de, Lúcifer, em carne e osso, então palmas para ele pessoal.- Gritou o apresentador, e então o mesmo brutamontes que colocou as mãos nele minutos atrás, apareceu empurrando, Castiel.

 

E o anjo estava sem dúvida, em um estado pior que o dele por sua boca amordaçada, Dean, podia ver o sangue escorrer e seu supercílio tinha um corte que fazia escorrer sangue, e uma boa parte de seu rosto estava avermelhada, e por um corte muito visível no estômago dele, dava para ver o brilho da graça roubada.

 

Dean, teve vontade de matar o filho da puta que fez aquilo com o seu anjo.

 

Quando, Castiel, o viu pela segunda vez arregalou os olhos, e fez uma careta.

 

- Agora iremos apresentar, os apresentadores do, Meu querido cupido fudido, Sam e Lúcifer.- Gritou o apresentador, e a platéia se levantou gritando e batendo palmas.

 

Dean, arqueou a sobrancelha era só aquilo ? Não iriam fazer um pequeno resumo da vida deles como fizeram a dele e a de, Cass ? Aquilo era muito injusto, o mundo também tinha que saber do passado nada bonito de, Lúcifer e Sam.

 

Lúcifer, apareceu ao lado de, Sam, mais uma vez, e o moreno fez de conta e que não se assustou estava tão distraido, que com a aparição do arcanjo, o seu esqueleto quase pulou para fora do corpo.

 

- Então vamos lá, Sammy ?.- O arcanjo deve ter esquecido a cena do, Sam, falando que, Tom Ellis era sexy, apesar dele não ter mentido o homem realmente era quente.

 

Ou ele fingiu esquecer, ou empurrou para um canto obscuro dentro dele, onde só habitava as trevas.

 

- Não quero participar disso, Lúcifer, falei e volto a repetir era para ser algo pacífico...

 

- Pacífico é o meu nome do meio.

 

- Jura ? Achei que fosse Satanás, belzebu ou tinhoso.- Sam, sorriu sarcástico.

 

- Se a sua intenção era me onfender, não deu certo... Vamos lá logo bolei uma perguntas muito interessantes seu irmão vai amar.

 

- Perguntas ? Você bolou perguntas ? Caralho Lúcifer porque me beslicou ?.- Sam grunhiu alisando a lateral de seu corpo, onde o arcanjo apertou.

 

- Eu gosto de causar dor aos meus inimigos.- Sorriu como se não tivesse feito nada.

 

- Mais precisava ser aqui ?.- Bufou, apesar de não admitir tinha doido pra porra.

 

- Meu querido, Sam.- Deu tapinhas no rosto dele. - Não tem lugar certo para torturar os inimigos, nem que seja com um beliscão, inimigos são inimigos.

 

- Um inimigo que você adoraria fuder.- Sam o empurrou para longe dele.

 

- Oh sim, eu gosto de fuder meus inimigas.- Passou o braço por cima do ombro dele e o forçou a caminhar na direção do, Dean e Castiel. - A não ser o Crowley ele eu nunca fuderia, ele é baixinho não alcançaria o...

 

- Ta bom, pode parar.- Grinhiu. - Eu nunca vou tirar essa cena da minha cabeça.- Se tremeu. - Eca!!

 

- Que cena ? A de eu fudendo com o Crowley ou com você ?

 

- Lúcifer para!!.- O empurrou novamente. - O que eu falei sobre espaço pessoal ?.

 

- Não sei, não prestei a atenção.- Bufou ao ver os olhos estreitos de, Sam, ele sorriu amarelo. - Mais ouvi algo sobre, eu não passar a linha imaginária.

 

- E você a ultrapassou, quer voltar para o seu lugar ?.- Lúcifer, se afastou dele com um paço para o lado. 

 

- Assim ta bom ?

 

- Você lá do outro lado do estádio seria melhor, mais vou ficar contente com essa distância.- Falou e ambos pararam diante a, Dean e Castiel e ficaram mudos.

 

E os dois presos, só os observavam já que não podiam falar nada.

 

- Então... Sam começa você.- Lúcifer passou a bola.

 

- Você não tinha feito perguntas ?.- Arqueou a sobrancelha.

 

- Bom sim... Mais não escrevi o diálogo antes disso.

 

- Seu doente..

 

- Todos nos somos um pouquinho doentes por dentro Sammy e...

 

- Não comesse com seus momentos filosóficos.- Bufou e se endireitou. - Vai lá e tira a mordaça deles.

 

- Eu não, e se eles me morder ? Eu ainda não tomei vacina contra raiva...

 

Sam o olhou com raiva nos olhos.

 

 

- Vai lá e tira aquela maldita mordaça deles, ou você vai ver só quem vai te passar raiva...

 

- Vai ser você ? Sammy seu cachorrão.

 

- Lúcifer!!

 

- Ta bom, já parei se eles me morderem a culpa vai ser sua.

 

- Tomarem que arranquem um pedaço seu..

 

- E isso que me deseja Sam ? Achei que me amasse.

 

- Isso nunca vai acontecer!!

 

- O que ? Eles arrancarem um pedaço meu, lógico que podem olha como eles estão nos olhando, eles querem nos matar.

 

- Eu não discordo, sobre eles quererem nos matar, mais só estamos aqui para conversar com eles, por tanto ande logo.

 

Lúcifer, fechou os olhos e se aproximou dos acorrentados, e rapidamente puxou a mordaça deles para baixo.

 

Quando, Dean, ia abrir a boca para dizer algo, Sam foi mais rápido e se aproximou dos dois.

 

- Agora que tenho a atenção de vocês, vamos falar do que sentem um pelo outro.

 

- Eu não sinto nada por ele!!.- Ambos falaram juntos, sem olhar um ao outro.

 

- Claro que sentem.- Lúcifer, falou irritado. - Eu sinto a tenção sexual que vêm de vocês dois tivessem presos, já estariam se comendo embolados no chão.

 

- Olha só quem fala, sinto o mesmo vindo de você e o, Sam.- Castiel bufou, tentando soltar seus braços.

 

- O que ? Eu não sinto nem um tipo de atração por ele, eu só quero foder ele.

 

- Lúcifer!! As pessoas estão ouvindo.

 

- E dai ? Se elas quiseram podemos fazer uma suruba, só que ninguém toca em você só eu.- Lambeu os labios, e sam girou os olhos.

 

- Desde quando a atenção virou para gente ?.- Sam arqueou a sobrancelha. 

 

- Desde que, Lúcifer, abriu a boca para dizer o que não sabe.- Falou o loiro enquanto olhava para o lado, invés de olhar para o anjo. - Podemos ir embora agora, Sam ? Ou vai continuar a insistir no que não existe ?

 

- Vou continuar a insistir, eu tenho o dia todo irmão.- Sam se sentou no chão e ficou olhando para ambos em sua frente. 

 

- Então se eu disser o que sinto por, Dean, a gente pode ir  embora ?.- Castiel, perguntou olhando os dois livres a sua frente, não seria tão difícil dizer o que sentia por, Dean.

 

- Se for verdadeiro Sim.- Sam o olhou e, Dean, olhou Castiel com o coração acelerado.

 

Castiel, fechou os olhos e respirou fundo e então virou seu rosto para olhar, Dean.

 

- Dean, isso é tudo tão novo e estranho para mim, eu não sei por onde começar eu não sei o que realmente sinto por você. Só sei que meu coração acelera e a minha boca seca quando estou perto de você e no começo isso era um tanto assustador, eu realmente achei que estivesse morrendo e que você era o causador da minha morte, já que eu sempre tinha esses sintomas perto de você, hoje depois que brigamos eu fui para um parque e me sentei em um banco, então uma senhora veio até mim, e começamos a conversar então falei desses sintomas para ela e que eu achava que estava morrendo, então ela riu e me disse que isso é paixão ou amor como eu preferir chamar, Então quero lhe falar dessa paixão... Eu já não consigo disfarçar isso aqui dentro de mim... você simplesmente é tudo desde que perdi as minhas asas... tudo que sinto, você está em todos os lugares por onde passo... Por que você simplesmente não sai meus pensamentos. Quando você sai para caçar com, Sam, eu só consigo pensar se você vai voltar com vida, então sempre que um de vocês me ligam no meio dessas caçadas, eu só penso no pior. Mas pensando bem você é tão forte e nunca mostra o que realmente sente e isso me preocupa... Você é tudo de belo que vejo na vida humana. Eu Adoro estar com você quando estou com você me sinto tão leve e como se todos os meus problemas do mundo desaparecesse... Queria poder ocupar todas as suas horas... E ter seus beijos porque, Dean, você é a minha luz no fim do túnel. 

 

Silêncio, era tudo o que restava ali depois da declaração de, Castiel.

 

O que quebrou o silêncio, foi uma fungada, e Sam, virou a cabeça em direção ao fundado horrorizado.

 

- Lúcifer, você está chorando ?.- Perguntou e o arcanjo o olhou séptico.

 

- O que ? claro que não!!.- Murmurou com a voz rouca.

 

- Então porque está com os olhos vermelhos ?.- Estreitou os olhos.

 

- Um cisco caiu nos meus olhos tá legal ?.- Grunhiu.

 

- Mais nos dois ?.- Franziu o cenho.

 

- Sam, cala a boca.- Ouviram a voz de, Dean, e viraram rapidamente para olhar ele. - Me solta!!

 

- Não!! Você não falou ainda.

 

- E nem vou!! Só me solta.

 

- Você é um idiota.- Sam, grunhiu e foi soltar ele, e de canto de olho ele viu, Lúcifer fazer o mesmo com, Castiel.

 

Depois de solto, Dean, andou rapidamente até o, Castiel, e parou a sua frente o que fez o anjo o olhar.

 

- Cass... Eu..

 

- Dean, você não precisa retribuir os sentimentos só porque e...

 

- Não, xiii só me deixe falar.. Castiel eu realmente sinto a mesma coisa por ti, você iluminou minhas noites mais escuras, como você mesmo diz me tirou da perdição.- Sorriu e pegou as mãos do anjo. - Me desculpe por não ser bom em palavras como você, mais eu quero você na minha vida para sempre, porque sem você a minha vida ira voltar a escuridão então eu posso dizer, Castiel eu estou apaixonado por você.

 

Castiel, o abraçou pelo pescoço e sorriu.

 

- Isso foi fofo até para você, Dean.

 

- Eu tenho os meus momentos.- Eles aproximaram os rostos, e então finalmente grudaram seus lábios.

 

E a platéia até então esquecida, aplaudiu de pé.

.

.

.

 

​Spoiler próximo capítulo

- A coisa deve estar boa lá no quarto do Sam

- Porque diz isso ?

- Ouvi Lúcifer, gritar "ai meu deus"

- Oh então a coisa é grave

 


Notas Finais


Então né (͡° ͜ʖ ͡°)

Mais uma vez desculpa pela demora

Bjossss até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...