História Frágil Como Uma Lâmina de Aço - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 0
Palavras 1.615
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lírica, Luta, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 53 - O momento é agora, a pessoa é você


Ela me olhava. Apenas isso. Não sei quanto tempo já passou mas essa espera está começando a me desanimar.

Será que fui precipitada?

Será que ela não sente a mesma coisa por mim?

Por que ela não fala nada?

- Kate... - me pronunciei. Engoli em seco e continuei. - Esquece isso, ok? Não precisa levar a sério, eu sei que a gente não tem nada além disso que não rotulamos. Se você quiser que fique assim, tudo bem por mim ou...

- Cala boca! - ela estava sorrindo 

Isso é bom 

Não é? 

- Eu aceito. - falou sorrindo mais ainda. Pisquei algumas vezes tentando me situar.

- Aceita? - ela assentiu. - Tipo um sim, agora você é minha namorada?

Ela riu enlaçando meu pescoço com seus braços e me puxando para perto.

- Sim, agora eu sou sua namorada e você é a minha.

- Eu te amo, obrigada! - falei eufórica me entregando aos seus lábios em um beijo afoito.

Suguei seu lábio inferior e invadi sua boca com minha língua em busca da dela. Quando elas se encontraram pude sentir meu corpo arder em desejo.

Me posicionei em cima de seu corpo me encaixando entre suas pernas. Acariciei a barriga dela enquanto mantinha o beijo sedento. Ela bagunçada, puxava e enrolava seus dedos  em meus cabelos e sua outra mão andava de cima para baixo em minha costa me fazendo gemer com suas carícias.

Com um só movimento de quadril ela inverteu nossas posições ficando sentada sobre mim. Sem deixar o beijo perder a intensidade.

Eu amo essa mulher.

Ela começou a rebolar de maneira lenta e sincronizada para minha tortura. Mordi seu lábio inferior para buscar um pouco de ar.

Ela separou nossos lábios e ficou ereta levando as mãos para suas madeixas as prendendo em um coque frouxo. Olhei no fundo daquele céu tempestuoso cheio de desejo é sorri apertando suas coxas.

- Minha namorada. - falei orgulhosa e vi ela mordendo o lábio de uma jeito criminosamente sexy. Me puxou pelos braços me fazendo ficar sentada e me abraçou pelo pescoço.

- Minha namorada louca. - disse sorrindo. Neguei com a cabeça sorrindo boba e a puxei para mais um beijo.

Logo procurei iniciar nossa dança de línguas. Delicioso, quente, ofegante, excitante, desejoso, enlouquecedor, viciante e cheio de amor e carinho. Assim são nossos beijos,  desde o selinho até o mais intenso como o que estamos dando agora.

Apertei com força sua cintura e gemi quando senti minha intimidade se contrair com a chupada que ela deu em minha língua.

Passei minha mão direita por seu abdômen subindo em direção a seus seios. Dei um aperto forte no esquecer arrancando um suspiro dela. Ladeamosem sincronia nossas cabeças mudando o beijo de posição ficando ainda mãos gostoso. Levei minha outra mão para seu seio direito e apertei os dois ao mesmo tempo sentindo ela rebolar em busca de aliviar seu centro que já estava melando meu púbis de tão encharcada que ela estava. Forcei meu quadril para cima enquanto descia minhas para sua bunda a fazendo rebolar em mim.

- Uhm... - ela gemeu na minha boca e quase gozei.

Levei minha mão direita para seu sexo passando meus dedos em suas dobras molhadas iniciando uma carícia. Pressionei dois dedos em cima de seu clitóris e ela parou o beijo para gemer. Passei a beijar seu ponto de pulso enquanto a mastubava. Ela abaixou o olhar para ver meus dedos a dando prazer. Olhei para baixo também vendo como meus dedos eram cobertos por seus lábios. Desci mais um pouco chegando a sua entrada comecei a introduzir meu dedo indicador a sentindo apertada, muito apertada.

- Amor, vai com calma. - ela disse ainda olhando para baixo. Fui introduzindo mais ainda e vi seu rosto se contorcer. Então entendi o porquê de seu sexo ser tão apertado.

Como eu não percebi isso antes?

- Kate, você é virgem? - perguntei já sabendo a resposta.

O rosto dela ficou mais vermelho do que antes. 

- Sou. - respondeu com a voz baixa. - Desculpa. Por favor não me diz que perdeu o tesão. - ela disse preocupada, acho que pela cara de idiota que devo estar fazendo.

- Não peça desculpa, me anjo. O fato de você ser virgem não me tirou o tesão. Só fiquei um pouco surpresa por você ainda ser. Não tenha vergonha de ainda ser virgem. Isso é algo muito especial. Se você não perdeu até agora, significa que você está guardando para o momento certo. Não é?! - ela assentiu devagar fazendo círculos com os dedos em minha barriga. - Se você quiser, posso deixar do jeito que tá. Sem problema nenhum.

- Não! Eu quero que seja com você. - ela disse - Se estou guardado para um momento especial e uma pessoa especial, então esse momento é agora e essa pessoa é você. - sentir meu peito se encher por completo. Não acredito que ela me escolheu.

- Tem certeza, pequena? - disse delicada.

- Você me ama? - perguntou me olhando nos olhos.

- Muito!

- Então sim! - pegou minha mão direcionando de volta para seu sexo. Nem percebi ter tirado. - Tenho certeza.

Sorri com toda alegria que senti em meu coração. Por dentro estava soltando fogos e por fora a beijei tentando a fazer sentir o que estava transbordado em mim. Voltei a estimular seu clitóris e passei a sugar seu pescoço. Quando vi que ela estava mais molhada ainda, direcionei meus dedos para sua entrada. Me concentrei em fazer tudo certo para não a machucar muito.

Quando perdi minha virgindade, não foi legal. Nem um pouco. Contando que pelo fato de ter sido o nojento do Tom quem tirou isso de mim. Me causando dor, muita dor.

Quero que com Kate seja o melhor que eu puder.

Ao alcançar sua entrada, ela parou o beijo e olhou para baixo. Com a outra mão puxei seu rosto pelo queixo para que ela olhasse para mim.

- Eu te amo. - disse introduzindo devagar o indicador. Logo vi seu rosto se contorcer. - Relaxa, amor. Sou eu. Não vou te machucar. Se quiser eu paro,  tá? - ela assentiu olhando para baixo. - Olha pra mim. - pedi e ela me olhou - Só pra mim.

Continuei o caminho de meu dedo, seu rosto se contorceu um pouco mais. Lhe dei um selinho, era difícil para mim saber que estava doendo. 

Logo senti o hímen se rompendo e meu coração disparou.

Minha garota.

Minha namorada.

Minha mulher.

Minha.

Ela soltou um gemido baixo de dor. Deixei meu dedo imóvel para que seu sexo se acostumasse com a invasão. Passei a beijar seu rosto, passando para seu pescoço e subindo para seu ouvido onde chupava seu lóbulo e falava algumas coisas carinhosas e safadas. Quando senti seu sexo se contrair contra meu dedo, soube que era o momento de me mover.

Retirei meu dedo quase todo e o coloquei de volta devagar. Fiquei fazendo esses movimentos estocando em seu sexo. Beijei seu busto e fui direto para seus seios. Levei minha boca para o direito lambendo e sugando o bico durinho. Os seios dela são tão macios. Depois fui para o esquerdo e usei minha mão esquerda para massagear o direito enquanto chupava o seio esquerdo. Senti suas mãos em meus cabelos quando seus gemidos começaram a surgir. Não demorou muito para ela começar a rebolar em meus dedos. Sorri contra o bico de seu peito sabendo que ela estava tendo prazer. É difícil ter prazer logo depois que o hímen de rompe. Mas minha garota é fantástica.

- Isso. - a voz dela saiu rouca. Aumentei a velocidade de minhas estocadas e ela puxou os cabelos de minha nuca me separando de seu seio e logo atacou meus lábios.

Ela rebolava um pouco mais rápido em busca de se satisfazer. O beijo começou a ficar desengonçado com a velocidade que ela fazia para rebolar. Eu sinceramente estava me impressionando com ela.

Decidi então adicionar mais um dedo. Ela gemeu e me xingou de alguma coisa que não entendi. Quebrou de novo o contato de nossas bocas e jogou sua cabeça para trás gemendo e começou a quicar sobre meus dedos.

Nossos corpos suados se moldando. Nossos gemidos ecoando pelo quarto, pois só de vê Kate tendo prazer me dava prazer também. E como.

Ela ia cada vez mais rápido,  seus seios se balançavam na minha frente. A cama vez ou outra soltava um ranguido.  Kate gemia arranhando meus ombros e nuca. Devo admitir que fiquei preocupada de seu Josh entrar nesse quarto com uma espingarda querendo me encher de bala.

Senti as paredes de Kate se contraírem, e seus gemidos aumentarem. Ela iria gozar.

Rapidamente nos virei a deitando e ficando por cima dela. Sem tirar meus dedos me coloquei entre suas pernas e suguei seu clitóris em seguida fazendo movimentos rápidos com a língua em  seu sexo para aumentar seu prazer

- Isso amooor... Saaaam... - ela puxou meu cabelo é forçou minha cabeça contra sua intimidade e começou a rebolar forte contra minha boca e dedos. A presão de seu seco ficou mais forte. - Porra... porra... porraaaa ahh

Logo seu líquido se derramou em meus dedos e eu diminui as estocadas até parar de vez meu dedos os retirando logo depois com cuidado.

- Você está bem, pequena? - perguntei vendo ela respirando com dificuldade. Logo vi um sorriso em seus lábios e ela abrindo os olhos

Nossa eles estavam lindos.

- Estou ótima, meu amor. - sorri contente. Puxei o cobertor do final da cama e nos cobri. A puxei para meus braços e comecei a fazer carinho em seus cabelos. Ela entrelaçou nossas pernas e deitou em meu ombro fazendo círculos em meu mamilo.

- Dorme um pouco - disse beijando sua testa.

- Você vai estar aqui, né? - perguntou me olhando. 

- Vou sim. Não se preocupe. - lhe dei um selinho. - Te amo, namorada.

- Tambem te amo, namorada.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...