História Fraternity - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fraternidade, República, Romance, Universidade, Yaoi
Exibições 26
Palavras 1.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá, é minha primeira história, estou postando ela aqui, no Nyah! e no Wattpad.
Comentem se gostarem ou se não gostarem, criticas são bem-vindas!
Boa leitura :3

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Fraternity - Capítulo 1 - Prólogo

Uma daquelas típicas melodias que vinham no celular tocava, ecoando aquele som irritante pelo quarto de paredes azul celeste, o garoto na cama estendeu a mão para desligar o alarme, ele havia feito isso umas três vezes, mas mesmo assim sentia vontade de permanecer ali, olhou a tela de seu smartphone e viu o ícone do Messenger indicando uma mensagem não lida.

“Acorda logo Jay, loiro oxigenado!” sorriu com os dentes perfeitamente retos, mostrando o piercing de argola prateada no freio superior, a mensagem era de seu melhor amigo, Jack Walker.

Jayden largou o aparelho e enterrou o rosto no travesseiro, lutando para se levantar, porém o frio da manhã não ajudava em nada, o céu estava nublado lá fora, com aquele tom de cinza que tanto amava e o ventinho gelado que passava pela janela aberta ao lado da cama era o golpe final para ele permanecer deitado.

Se cobrindo o máximo que podia ficou esperando o alarme soar novamente, ele tinha a estranha mania de programa-lo para tocar de dez em dez minutos, o que irritava bastante qualquer ser humano, mas para acorda-lo era preciso fazer isso se não Jay dormiria eternamente.

Com muito custo sentou-se e pôs os pés para fora da cama, o tapete felpudo que cobria boa parte do cômodo impediu-o de sentir o chão gelado, entretanto a pele pálida arrepiou-se ao ser descoberta. Levantou-se e procurou seus chinelos, não entendia como eles iam parar em lugares tão aleatórios todos os dias.

Cursou meio cambaleante até a janela para fecha-la, os olhos grandes e arredondados cor de mel foram em direção ao céu, sonolento, o cérebro ainda não havia despertado totalmente. Incrível como ele não conseguia acordar cedo, sua mãe dizia que Jayden tinha a doença do sono e talvez, e somente talvez, aquilo fosse verdade.

Caminhou para o banheiro, o próprio era dentro do quarto, se dirigiu apressadamente ao vaso sanitário, ele precisava urgentemente fazer xixi. Aliviado foi escovar os dentes, abriu o armário acima da pia, pegou sua escova e o creme dental, depois o fechou se olhando no espelho.

Jayden sempre foi bonito, desde criança sua beleza se destacava, onde quer que fosse chamava atenção, tudo em sua aparência era harmônico, começando por seu rosto oval e magro, com maças suavemente proeminentes, nariz pequeno e arredondado, lábios rosados e levemente cheios.

Para completar seus cílios longos e claros marcavam seu olhar brilhante, suas sobrancelhas loiras começavam retas e acabavam sutilmente curvadas, ele tinha a face lisa sem barba e nenhuma marca de espinha ou qualquer imperfeição se notava, sem sombra de duvida era um rostinho de anjo.

Ele cuspiu a espuma e lavou a boca, decidiu que iria tomar uma ducha para finalmente começar o dia, tirou a calça velha de moletom que usava como pijama e tirou também à camiseta de manga comprida e larga, revelando em suas costas uma tatuagem de um samurai, o guerreiro japonês segurava uma espada à frente de seu corpo. A tatuagem colorida e cheia de detalhes cobria praticamente as costas inteira dele.

O corpo branquelo, tinha alguns músculos notáveis no abdômen e braços, as cochas não eram grossas muito menos finas, mas combinavam com seu físico, seus glúteos firmes e arrebitados davam inveja a alguns, e ele não era tão alto, na verdade sua estatura era um pouco baixa com seus 1,70 metros.

 Jayden entrou na cabine de duche e girou o registro, a água quente molhou diretamente seu cabelo loiro escuro que antes estavam desgrenhados mesmo sendo lisos, os fios grudaram na testa e a água molhou o restante do corpo gradativamente.

Como sempre fazia, começou a refletir na vida e finalmente se deu conta que estaria indo para a universidade, e não qualquer uma, ele iria ingressar na UCLA, a Universidade da Califórnia de Los Angeles, o que seria a melhor coisa, pois ele nascera em Belvedere, uma cidade próxima com somente 7 km de distância, então poderia estar em casa sempre que quisesse.

Ele estava animado, hoje iniciaria a Rush Week, ou semana de recrutamento, onde as fraternidades e irmandades recrutariam novos membros para fazer parte da família, como eles próprios falavam.

Jayden já tinha uma fraternidade em mente, seu amigo Jack era vice-líder da Kappa Sigma Pi, bem, os nomes das fraternidade e irmandades eram estranhos assim, pois a tradição exigia o uso das letras do alfabeto grego para nomeá-las, o loiro queria muito morar com seu amigo, primeiro por que iria conhecer alguém, o que facilitaria bastante sua estadia, segundo, morar em uma fraternidade significaria ter pessoas que o ajudarão, além disso era uma moradia dentro do campus, pertinho da universidade, sem falar nas festas que rolavam.

Fechou o registro e saiu do boxe, secou-se enquanto saía do banho, andou nu até o guarda-roupa e tirou algumas roupas, vestiu uma calça jeans skinny escura, uma camiseta branca, calçou os pés com um mocassim azul marinho.

Antes de sair da suíte pegou seu Iphone que estava em cima da cama e pôs no bolso de trás da calça, desceu as escadas indo ao andar de baixo, passou pela sala e caminhou para a cozinha, lá encontrou sua mãe, Emily, comendo, ela era loira igualmente a ele, os cabelos lisos iam um pouco depois da metade do pescoço, os dois na verdade tinham fisionomias bem parecidas, o mesmo rosto oval – embora o dela contivesse algumas rugas pelos seus 45 anos de idade – a mesma pele branca e olhos grandes, a única diferença seria a cor de seus olhos que apresentavam um tom de azul céu intenso.

Emily Williams criara-o sozinha, Jayden não sabia a identidade de seu pai, mas também nunca insistiu em conhecê-lo, tudo que sabia é que sua mãe merecia a sua completa gratidão por educa-lo de forma que se tornasse uma pessoa de caráter, o orientando e o apoiando, quando ele assumiu sua homossexualidade para ela, Emily somente sorriu e disse que já sabia, ela nunca deixaria de ser uma mãe maravilhosa.

A loira estava distraída e nem percebeu o filho chegar, ele a surpreendeu com um beijo na bochecha.

– Bom dia mãe – Disse sentando-se e pegando um pedaço de bacon, seu café da manhã estava em seu prato.

– Bom dia, tá bonito em, vai abalar o coração dos meninos, ansioso? – Perguntou sorrindo enquanto mordia uma torrada.

– Por favor, em mãe, não começa. – disse colocando a mão no rosto e balançando a cabeça em um não, como se desaprovasse a fala da loira – E sim, estou um pouco, mas na verdade quero muito é rever o Jack, faz tempo que a gente não se vê. – falou comendo os ovos fritos.

– Saudades do Jack também, ele vinha aqui toda a hora, pensei que vocês eram namoradinhos.

– Aí mãe não viaja, o Jack é hetero e nós somos amigos desde que... Sei lá, nascemos! – Jay fazia uma expressão como se não tivesse acreditando no que sua mãe falava, sinceramente, aquela mulher imaginava cada coisa!

– Tá, tá, não está mais aqui quem falou, e come logo isso aí menino, que tenho que te levar pra depois eu ir trabalhar – Ela levantou-se, pegou o prato e pôs na pia, ajeitou sua roupa e foi pegar suas coisas.

Jayden ainda demorou um pouco para terminar seu café da manhã, ele estava pensativo, as fraternidades iam dar festas para atrair os calouros, e nessas festas iriam selecionar novos membros, os escolhidos provavelmente receberiam convites para se juntar a fraternidade e conhecer melhor suas tradições, seus membros e também como a fraternidade funcionava, posteriormente se os calouros ainda quisessem entrar passariam por alguns testes que mais pareciam trotes e só então se tornariam membros oficiais, ganhariam broches e a camiseta com os símbolos gregos da fraternidade.

Ele não sabia se estava preparado para os trotes, mas com certeza queria entrar na Kappa Sigma Pi, e ele ia conseguir. Levantou-se e caminhou para a sala, quando chegou seu celular vibrou no bolso, o loiro pegou-o e olhou o visor, outra mensagem, mas dessa vez não era do seu amigo e sim de uma pessoa que não estava nem um pouco a fim de conversar, portanto simplesmente ignorou a mensagem e se apressou em sair da casa, sua mãe estava o chamando e não queria deixar a fera brava.

– Estou indo! – gritou, saindo com um sorriso no rosto.

 


Notas Finais


Então é isso, por favor comentem! Até o próximo capítulo!
Beijos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...