História Freak - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Himuro Tatsuya, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Murasakibara Atsushi, Shougo Haizaki, Takao Kazunari
Tags Aberração, Akakuro, Aokise, Aomine Daiki, Fraternidade, Haizaki Shougo, Kise Ryouta, Midotaka, Murahimu, Universidade
Visualizações 171
Palavras 438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Harem, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


No capítulo anterior...
"Lábios vermelhos, olhos dourados, cabelos loiros.
Sobrancelhas arqueadas, maçãs do rosto altas, cílios longos e pele bronzeada.
Merda, que pessoa bonita.
B O N I T A.
Inferno.
Ao meu lado, Akashi recompôs seu rosto pasmo, passando a uma expressão lívida sombreada por divertimento.
- Bem, bem, que situação singular."

Capítulo 17 - Parte 1 - Capítulo 17


Fanfic / Fanfiction Freak - Capítulo 17 - Parte 1 - Capítulo 17

Kise Ryouta

         Ah, eu estava tão ferrado. Tão, tão ferrado. Eu ia morrer. Haizaki ia me matar. Iria me marcar o máximo que desse, com qualquer coisa que pudesse por as mãos, e então me mataria. Eu seria enterrado em uma cova rasa, e ninguém me encontraria durante anos. Kurokocchi ficaria desolado e entregaria sua alma ao Diabo ficando sozinho para pagar as dívidas – as suas e as minhas.

         Onde está o maldito casaco que Kuroko me emprestara? Eu jurava que estava ao meu lado!

         Maldita seja a mula que pariu Aomine Daiki e seu demônio ruivo de estimação.

         Virar de costas até seria uma opção se não fosse a assinatura de Haizaki em evidente nelas, e a tatuagem no ombro direito que me marcava como propriedade da sua família.

         - Bem, bem, que situação singular – comentou Akashi com uma espécie de brilho divertido. Será que ele achara engraçado se eu quebrasse seu nariz perfeito com um soco? Eu com certeza acharia.

         Em uma cena digna de um filme de animação, me joguei atrás de algumas caixas empilhadas por ali. Aquelas salas de estudo não eram mais usadas desde a Era Jurássica, mais ou menos, então a biblioteca a usava como depósito. Útil para momentos assim.

         Me recostei contra os caixotes com o coração martelando no peito e sentindo o frio enfiar-se nos meus ossos.

         Eu estava tão, tão ferrado. Se Haizaki descobrisse, bem... Eu ia morrer lenta e dolorosamente.

         E como a vida me odeia, o celular apitou naquele toque específico. Merda.

         “O que acha de brincarmos mais cedo hoje? Estou te esperando na casa da Alpha” – Haizaki Shougo.

         Kurokocchi havia ouvido também, tenho certeza, então eu podia confiar nele para afastar os urubus da biblioteca. Mas eu também tinha que ganhar tempo pra ele.

         “Cheguei da palestra agora. Vou tomar um banho antes” – Kise Ryouta.

         Mordi os lábios, torcendo pra ele aceitar e não me mandar ir pra lá naquele exato momento. Eu realmente esperava que a alma de quem quer que tivesse projetado o campus da faculdade, com os dormitórios muito mais perto da casa da Alpha do que a biblioteca, fosse passar umas férias no inferno.

         A resposta veio alguns momentos depois.

         “Quero-o bem cheiroso, Kise. Essa noite vai ser divertida” – Haizaki Shougo.

         Fechei os olhos e respirei fundo. Eu podia fazer aquilo por mais algum tempo. Eu podia aguentar, então as lágrimas em meus olhos deviam desaparecer, em vez de aumentarem cada vez mais como faziam agora.

         Juntei as mãos e rezei para qualquer deus que estivesse ouvindo, para que Kurokocchi conseguisse mandar aqueles caras embora logo.

         Senão...

         Bem, eu estava ferrado.

         Merda.


Notas Finais


Curtinho, lembram-se? Hehehe

Se alguém encontrar erros de digitação e perceber que eu comi alguma letra, me avisem. Meu computador tá todo travado, e eu não sei por quê. Já olhei mil vezes em torno e não tem vírus, mas não para de travar letras. É um saco, principalmente pra digitar capítulos no Word. Me avisem se acharem e eu corrijo, okay?

Muito ódio do Haizaki? Tenho que dizer, me seguro muito pra não matar ele.

Até o próximo!
Beijos, Sei-chan

Próximo capítulo: POV Akashi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...