História Freedom - ABO - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Abo Bts, Abo Universe, Alfa, Alfa Lúpus, Bangtan, Bts, Hoseok, Jhope, Jikook, Jikook Abo, Jimin, Jin, Jungkook, Mpreg, Namjin, Namjoon, Ômega, Seokjin, Suga, Taehyung, Vhope, Yoongi
Exibições 2.056
Palavras 1.669
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom, esse capitulo de introdução é mais pra vocês entenderem a história mesmo.
Espero que gostem xD

Capítulo 2 - Há anos atrás


Reino de Rawi há 20 anos atrás.. 

 
[JungKook POV] 

 
— Mãe, como é a cerimônia de sucessão?— Perguntei enquanto mamãe penteava meus cabelos, já tinha meses que eu ouvia falar dessa  cerimonia e ninguém me explicava do que se tratava.. 

 
— Oh querido.. É um ritual onde seu papai vai declarar seu sucessor... Mas ..onde está sua irmã, você sabe meu amor?— Mamãe perguntou enquanto mexia em meu cabelo. 

 
— Hm, acho que a SeoJin estava brincando no jardim mamãe. — Respondi tentando me lembrar de onde vi minha irmã pela ultima vez. 

 
— Fique aqui querido, vou busca-la, preciso falar com vocês dois.— Disse ela e saiu da sala para buscar SeoJin. 

 
Meu papai é o rei do reino de Rawi, ele disse que isso significa que quando eu crescer eu vou me tornar um guerreiro incrível, e protegerei nosso reino das pessoas más, eu quero ser como papai quando eu crescer, um rei bondoso e sábio que é respeitado por todas as pessoas do reino. 

 
— JungKook, sente-se aqui com sua irmã, preciso que me escutem. — Disse fazendo um gesto para que eu me aproximasse dela e de SeoJin. 

 
Andei até ela e me sentei no mesmo sofá que minha irmã. 

 
— Meus amores, eu preciso que vocês saibam que amo você mais do que tudo nesse mundo. — Mamãe disse parecendo estar preocupada. 

 
— A gente ama você também mãe ! — Seojin falou enquanto abraçava mamãe que estava abaixada em frente a nós. 

 
— Eu amo muito você mamãe, um tantão assim ó! — Estendi meus braços um pra cada lado tentando mostrar o tamanho do meu amor. 

 
Vi a mesma limpar as lágrimas que estavam se formando em seus olhos com a mão livre e senti meu coração apertar. 

 
— Eu preciso que vocês prestem muita atenção no que eu vou dizer — Eu e Seojin balançamos a cabeça em afirmação. — Hoje é a cerimonia de sucessão, muitas coisas podem mudar a partir de hoje queridos, principalmente pra você JungKook. Pode ser que eu não possa estar presente por um tempo, e quero que vocês prometam que vão se cuidar, prometam pra mim que irão se comportar. 

 
— Eu prometo que vou ser bonzinho mamãe. — Eu disse confiante. 

 
— Prometo mamãe — Disse SeoJin e estendeu seu dedo mindinho para mamãe, que entrelaçou com seu mindinho como resposta. 

 
— Jin, lembra daquele segredo só nosso, que eu disse pra você jamais contar pra ninguém, nem pro papai? — Ela perguntou pondo suas mãos nos ombros de Jin. 

 
— Lembro sim mamãe, por quê?  

 
— Preciso que você me prometa Jin, que nunca vai deixar ninguém descobrir isso, é muito importante, nem papai, ninguém, você deve manter segredo, isso é muito importante, me prometa isso, sim? — E assim mamãe repetiu o gesto,  estendeu seu dedinho para minha irmã que o entrelaçou sem demora. 

 
— Kook, não importa o que aconteça, ou o que os outros dizem, você merece todo amor do mundo querido, você tem que ser forte, seja um forte alfa e não se deixe abater pelas dificuldades está bem? — E assim ela nos puxou para um abraço. 

 
Eu tinha um mau pressentimento, algo estava errado, sentia meu estomago embrulhar. 

 
[Algumas horas depois, durante a cerimonia de sucessão] 

 
— É uma honra recebe-los aqui hoje, como todos sabem, meu filho, JungKook, acaba de completar 5 anos e é a tradição que o príncipe herdeiro receba formalmente a aprovação do lobo de seu antecessor com essa idade, por isso chamei todos aqui, para que presenciem esse momento magnífico! — Disse papai empolgado a todos os convidados que estavam ali presentes. 

 
Mamãe se abaixou ao meu lado e sussurrou em meu ouvido.. 

 
— Eu espero que dê tudo certo meu amor, boa sorte querido, não se esqueça que eu te amo. — E beijou o topo de minha cabeça. 

 
Papai estendeu a mão para que eu andasse até ele, me levantei andando até ele e segurei sua mão. 

 
— Filho, vou precisar fazer um corte bem pequeninho na sua mão, não precisa ter medo querido, um grande guerreiro não deve ter medo de se machucar. Tudo bem? — Assenti e vi papai levar minha mão até um pergaminho que estava aberto em uma grande bancada. 

 
Ele me olhou em busca de aprovação e eu assenti, um pequeno corte foi feito em meu palmo e senti uma leve ardência enquanto o sangue pingava no papel. Papai enrolou minha mão ferida e bagunçou meus cabelos em aprovação a minha coragem. 

 
Observei o mesmo fazer o mesmo em sua mão, pingando seu sangue no mesmo lugar em que o meu. Alguns segundos se passaram e o papel começou a queimar, até se desintegrar por completo. 

 
— Como!? Mas como isso é possível?! — Papai exclamou irritado e eu me encolhi. 

 
— Vossa majestade, isso só seria possível caso Jungkook não fosse de fato seu primogênito, a aceitação do primeiro filho é sempre certeira durante a cerimonia. — Disse o conselheiro do rei, que a principio eu não sabia o nome. 

 
— YOORA ! VENHA CÁ AGORA MESMO!! — Papai chamou mamãe aos berros, o que fez com que eu e minha irmã nos olhássemos já com medo ao nos lembrarmos da conversa de mais cedo. 

 
Mamãe se aproximou com os lábios trêmulos, e fazia gestos como quem quisesse se explicar mas nenhuma palavra era ouvida de sua boca. 

 
— Eu..Eu posso explicar, foi um acidente..Eu, Eu achei..Eu achei que não era possível, que era impossível ele não ser, não ser..seu filho..— A mesma arregalou seus olhos ao ver papai se aproximar. 

 
Um estalo foi ouvido por todo o salão e mamãe pôs suas mãos no lado esquerdo de seu rosto. 

 
— Quem..foi..o DESGRAÇADO?! — Meu pai gritava com os punhos cerrados. 

 
Mas mamãe apenas continuava em silêncio, enquanto grossas lágrimas desciam por sua bochecha avermelhada pelo tapa que recebera. 

 
— NÃO VAI ME RESPONDER?! QUEM É O PAI DESSE INFELIZ?! — Gritava enquanto apontava pra mim. 

 
Mamãe apenas continuou calada chorando, Jin aos prantos veio correndo até mim e pegou minha mão se escondendo atrás de mim. 

 
— ME RESPONDA AGORA, QUEM É O PAI DESSE MERDA ?!?! — Sua voz havia mudado, era visível que o mesmo havia usado sua voz de alfa.  

 
Jin me abraçou sem conseguir conter seus soluços. 

 
— Lee.. Lee Minwoo.. — Ela respondeu amedrontada e suas pernas fraquejaram a levando ao chão. 

 
— LEVEM ESSA TRAIDORA DAQUI! E BUSQUEM A CABEÇA DE MINWOO ! EU O QUERO MORTO! — O mesmo gritou aos guardas que o obedeceram sem pestanejar. 

 
— JungKook! SeoJin! Ela é sua filha! Eu juro pela minha vida! Por favor, não os machuque! Eu imploro, não os machuque! Tome minha vida mas não os puna pelos meus erros! — Mamãe gritava enquanto era arrastada porta a fora pelos guardas. 

 
Senti que o mundo estava desabando bem a minha frente, tudo que eu conhecia, tudo que eu achava que sabia era mentira, e agora papai me odiava, porque eu não era seu filho, o olhar que ele dirigia a mim deixavam bem claros os seus pensamentos. 

 
— Tire SeoJin de perto desse bastardo! Não quero minha filha se misturando com essa criança profana! — Disse ao serviçal que logo tratou de pegar minha irmã no colo. 

 
— Papai eu..   

 
— NÃO ME CHAME DE PAI ! VOCÊ É APENAS UM BASTARDO IMUNDO ! NUNCA IMAGINEI QUE PASSARIA POR TAMANHA HUMILHAÇÃO!! LEVEM ESSA VERGONHA DAQUI, TRANQUEM-NO NAS MASMORRAS ! É LÁ ONDE ESSE BASTARDO IMUNDO DEVE FICAR O RESTO DA VIDA ! — Eu conseguia ver a fúria em seus olhos enquanto gritava aquelas palavras. 

 
Senti meu coração apertar, e todas as palavras de mamãe passavam a fazer algum sentido, desatei a chorar enquanto era praticamente arrastado para fora por um dos guardas. 
---- 

 
[Reino de Soha há 22 anos atrás..] 

 
A rainha dava a luz ao seu filho primogênito naquela noite chuvosa.. 
— 
[POV Rei SooHo] 

 
Estava em meu escritório quando ouvi batidas a porta. 

 
— Entre ! — Disse em resposta. Logo a serviçal da rainha entrou junto a um guarda, enquanto segurava um pequeno recém nascido. 

 
— Vossa majestade, a rainha acaba de dar a luz a seu filho primogênito, vim traze-lo ao senhor. — Disse a senhora estendendo a criança para que eu a pegasse nos braços e assim o fiz. 

 
Mesmo naquele momento de felicidade eu ainda sentia a tensão que pairava no ar. 

 
— Alguma coisa errada? Por que ainda não se retiraram? — Perguntei já preocupado com a saúde de minha esposa. 

 
— É que, é um menino vossa majestade. — Disse ela querendo se explicar. 

 

 
— Que benção, logo um menino herdeiro como primogênito, eu não poderia estar mais satisfeito! Seu nome será Jimin! — Exclamei e isso não pareceu aliviar a tensão daquela senhora. 

 
— É que, é um ômega senhor.. — Ela disse um pouco incerta se deveria tocar nesse assunto. 

 
Me aproximei da criança para poder sentir seu cheiro, realmente, um ômega, toda a satisfação que eu sentia levou apenas segundos para se tornar angústia. 

 
Era absolutamente inconveniente ter um herdeiro ômega, ele nunca governaria nada, só serviria para dar poder de rei a um alfa de outra família, absolutamente inadmissível! Ficar com essa criança era o mesmo que jogar fora todo o meu reinado, era absolutamente impossível eu cometer uma tolice dessas. 

 
Olhei a criança pela última vez antes de tomar aquela decisão. 

 
— Diga a rainha que a criança morreu no parto! E  arranje o quarto mais distante desse castelo, de preferencia um onde ninguém chegue perto, acomode essa criança lá e tome conta dela, é estritamente proibido que essa criança saia do quarto! Não quero que ninguém saia espalhando rumores sobre um herdeiro ômega, isso é extremamente sigiloso! E guarda, você fique aqui ! — Ordenei. 

 
Dei a criança nos braços da serviçal, que após fazer sua reverencia saiu pela porta levando consigo a criança. 

 
— Alguma ordem para mim vossa majestade? — Perguntou o guarda. 

 
— Fora aquela serviçal e minha esposa, quero que dê um jeito em todas as outras pessoas que podem saber sobre isso. — Dei a ordem. 

 
— Investigarei a situação e garantirei a segurança dessa informação vossa majestade. — Afirmou o guarda 

 
— Já pode se retirar. — Respondi. 

 
Era uma decisão impiedosa, como ser humano eu sabia disso, mas não poderia deixar meu legado ser destruído de tal maneira. 
— 

[10 anos depois no reino de Soha]..


Notas Finais


Ficou um pouco pequeno, eu sei.. Vou melhorar isso, mas acho melhor assim do que ficar enrolando ;D
Até a próxima <3
BEJO BEJO BEJO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...