História Freedom - ABO - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bangtan, Bts, Hoseok, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Mpreg, Namjin, Namjoon, Seokjin, Suga, Taehyung, Vhope, Yoongi
Exibições 821
Palavras 2.439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom, lá vai outro capitulo pra vocês, espero que gostem !!

Capítulo 3 - Alguns anos depois


[10 anos depois no ano de Soha] 

[POV Jimin] 

— Não quero saber de você deixar comida nesses pratos, está me entendendo Jimin ? - Disse a senhora YeonHwa com uma expressão séria, assenti em concordância e a mesma saiu pela porta a trancando logo em seguida. 

E sempre foi assim desde que consigo me lembrar, eu gostaria de descobrir o que tem atrás daquela porta por onde ela sai e demora um dia inteiro pra voltar, pra então simplesmente sair de novo e o ciclo se repetir sempre.  

A senhora YeonHwa não era má, mas também não era muito amável, ela havia me ensinado a ler e escrever, me explicou algumas coisas dos livros em que eu lia, mas haviam algumas perguntas que ela simplesmente não respondia, apesar da minha curiosidade incessável, ela permanecia calada, mesmo se eu prometesse manter meu quarto limpo e comer toda a comida dos pratos ..  

Eu sempre quis saber, o que havia por trás daquela porta, se ela cuidava de outras pessoas como eu quando me deixava só, foi essa curiosidade que me fazia mover praticamente toda a mobília do quarto apenas para me pendurar na janela ao alto da parede para saciar minha curiosidade diária. 

— Vamos mesa, mova-se .. — Resmunguei enquanto arrastava a mesa até a parede. 

E assim seguiu com todos os móveis que eu pudesse empilhar, se a senhora YeonHwa sonhasse que eu fazia isso, provavelmente eu ficaria de castigo, sem meus preciosos livros, ainda bem que ela nunca descobriu sobre minhas travessuras em sua ausência.. 

Subi pela escada de móveis sem muita dificuldade, afinal já estava acostumado a fazer isso todos os dias.. Agarrei a base da janela e apoiei meus pés nas pedras um pouco salientes logo abaixo, apenas para me alavancar e segurar a grade com todas as minhas forças e finalmente contemplar a vista lá de fora. 

Havia uma árvore enorme alguns metros a frente da janela, e embora a janela não fosse muito grande, eu conseguia ver um pouco do que havia lá em baixo, e sempre me espantava em ver o quão alto eu me encontrava comparado ao chão. 

— Vamos lá, dessa vez não fique preso na árvore, por favor.. — Disse ao aviãozinho de papel que acabara de retirar do bolso, já deveria ter centenas deles presos naquela árvore enorme.. Eu só queria que alguma daquelas pessoas lá em baixo pudesse pegar algum deles, mas não importa o quanto eu tentasse gritar ou me escabelar naquela janela, ninguém ouvia. 

Joguei o aviãozinho por entre as grades e o vento traiçoeiro me boicotou novamente, e assim mais um dos meus aviõezinhos de papel ficava preso aquela grande árvore.. 

— Aish! Assim eu nunca vou conseguir falar com ninguém fora a senhora YeonHwa ! — Exclamei desapontado. 

Me soltei com uma das mãos da grade  e me balancei com intuito de cair em cima do amontoado de almofadas e travesseiros que eu havia feito em cima da cama e como sempre, a descida foi um sucesso! 

Arrumei todos os móveis em seus devidos lugares, pegando uma das maças que YeonHwa trouxera mais cedo e me deitei na cama, pegando um de meus livros.. Ás vezes eu penso no porque ter que ficar preso a esse quarto, quando outras pessoas andam livremente lá fora, assim como contam os livros. 

Queria descobrir mais sobre todas as coisas que eu já havia lido, explorar o mundo e saciar todas as minhas curiosidades que a senhora YeonHwa se recusava a falar sobre.. 

E se você se pergunta o porque de eu nunca ter tentado sair por aquela porta, bom, eu já tentei, mas a única coisa que ganhei ao invés de liberdade, foi dar de cara com uma enorme porta de ferro ao final de um pequeno corredor, que pelo que a senhora YeonHwa disse só abria por fora,  então não me restam muitas alternativas pra sair daqui não é mesmo? 

 

[ Reino de Rawi 10 anos depois da cerimonia.. ]  

[JungKook POV] 

Eram longos anos naquela prisão imunda, comendo aquilo que eles chamavam de "refeição", que pra mim parecia muito mais o vômito de alguém com gosto de merda.. Apenas agradeço aos deuses pelo bom coração de minha irmã, que hora ou outra escapa de seus afazeres para me visitar, e sempre trás alguma boa comida, roupas e até mesmo alguns livros. 

Soube por ela também que mamãe veio a falecer naquele mesmo ano em que fui preso, provavelmente uma punição por sua traição ao rei, mas Jin não quis falar muito sobre, acho que é algo que ainda a machuca bastante. 

Fiquei sabendo que o rei se casou novamente, e com essa nova mulher teve dois filhos, um alfa e um ômega, falando nisso me descobri Alfa Lúpus, minha sorte não poderia ficar pior não é mesmo? Agora além de ficar preso em uma cela, grossas correntes presas em meus membros e meu pescoço também me prendem a parede, tudo graças ao meu descontrole durante meu primeiro cio que me fizera matar sete dos guardas, embora eu realmente não me lembre de nada disso. 

— Kook? Você está acordado? — Ouvi a voz de minha irmã e levantei a cabeça, a vendo em pé em quanto segurava nas grades, tentando com alguma dificuldade me enxergar naquele ambiente escuro. 

— Estou sim maninha, mas então, o que te trás a minha humilde morada a essa hora da noite? — Perguntei a ela com algum toque de humor. 

— Vim te ver, é claro, não posso sequer ver meu precioso irmão? — Retrucou ela enquanto cruzava os braços como se estivesse brava. 

— Claro que pode, mas as vezes me pergunto se deveria perder seu tempo com um irmão fracassado como eu. — Ás vezes me sentia desmerecedor de todo carinho que minha irmã sentia por mim. 

— Não fale assim ! Mamãe ficaria desapontada por você falar essas coisas ! Você é especial Kook, não tem culpa das outras pessoas não enxergarem isso, o problema são eles e não você, você merece tudo que há de melhor nesse mundo meu irmão. — A mesma disse já secando algumas de suas lágrimas que insistiam em sair na maioria das vezes que a mesma me visitava. 

Isso apenas me trazia a culpa de ferir um coração tão puro de alguém tão gentil. 

— Vamos lá, não chore, eu estou bem, já estou acostumado a viver assim, mamãe não ia querer ver você chorando.. Desculpe Jin, não devia ter entrado nesse assunto. —   

— Eu só vim avisar, que não poderei vir lhe ver por algum tempo, papai e os meninos estarão indo ao reino vizinho, Soha, para algumas negociações e eu estarei os acompanhando durante algumas semanas. — Disse Jin parecendo um pouco cabisbaixa.  

— Não se preocupe comigo ! Eu ficarei bem ! E se algum alfa ousar chegar perto de você, pode dizer que ser irmão mais velho vai parti-los em dois ! — Eu disse tentando a deixar mais tranquila. 

— Pelos deuses Kook, que horror ! — Ouvi um riso baixo da parte dela — Vou passar a maior parte do tempo cuidando dos meninos, não se preocupe ! Eu sei me cuidar ! — Ela parecia animada enquanto falava isso. — Bom, vou para cama, me desculpe não trazer nada pra você hoje, aqueles pestinhas realmente não saíram do meu pé hoje. 

— Tudo bem Jin, a melhor coisa pra mim é poder ver que você está bem ! Vá logo, antes que percebam seu sumiço.  

— Amo você irmão! — Ao ouvir isso não pude conter meu sorriso. — Também amo você irmã !  

E assim ela me deixou só. 

 

[ Jin POV ] 

[Algumas semanas após a visita ao irmão] 

Já fazia algum tempo que estávamos em Soha, era tudo realmente lindo e as pessoas eram super gentis, embora sentisse muita falta de casa, e principalmente do meu irmão, não conseguia deixar de gostar de estar ali. 

O que eu sabia sobre o reino de Soha é que seu rei era SooHo e sua rainha era HyeRi, e ambos tinham dois filhos, da mesma idade de meus irmãos, NamJoon, um alfa  e TaeHyung, um ômega, e que era um pais extremamente rico em recursos minerais, que era o que despertava o interesse de meu pai. 

Olhei pela janela e pensei em como seria maravilhoso viver em um lugar como esse. 

Mesmo tendo apenas 14 anos, acho que tudo que eu e meu irmão passamos quando éramos menores fez com que eu me fechasse para as pessoas, embora nessa viagem eu me sinta um pouco mais feliz, acho que sair daquele lugar onde tantas coisas ruins aconteceram me fizera algum bem afinal. 

Queria que meu irmão pudesse estar comigo, depois que mamãe morreu ele é o único que me parece certo chamar de família. Mesmo que eu ame meus irmãos e que eles sejam crianças adoráveis, ainda não consigo pensar em todos nós como uma. 

— Jin? Você está ai? — Ouvi a voz se HoSeok através de minha porta.  

— Estou sim querido, pode entrar. — Logo vi a porta se abrir e entrar por ela Hoseok acompanhado de Yoongi, que praticamente se escondia atrás do irmão, coisa mais fofa do mundo. 

— Mas então, do que meus pequenos príncipes querem brincar hoje? — Perguntei aos dois que pareciam um pouco inquietos. 

— Papai disse que nós iremos pra casa amanhã — Hoseok disse parecendo estar chateado. 

— Hm.. E vocês não querem ir pra casa, querem? — Ambos balançaram a cabeça em negação. — Mas vocês não estão com saudades dos seus amiguinhos em casa? — Tentei fazer com que eles sentissem vontade de voltar pra casa, mas pelas expressões, não pareceu adiantar. 

— Eu queria poder ficar aqui maninha ! Brincar com o Namjoon e o Tae é muito mais legal, vai ser chato sem eles. — Resmungou Hoseok fazendo bico. 

— Hm.. Mas já que vocês vieram visitá-los nesse verão, será que eles não pode nos visitar no próximo? — Juro que vi seus olhos brilharem. — O que vocês acham meninos? 

— Eles podem ir? — Perguntou Hoseok animado. 

— Claro, vou falar com papai depois, está bem? Prometo. — E estendi ambos meus mindinhos, que foram entrelaçados formando assim nossa promessa. 

— Agora porque vocês não vão brincar com os meninos enquanto podem, hm? — Garanto que eles também vão sentir saudade. 

Bastou dizer isso para que ambos saíssem correndo pela minha porta a procura de seus adorados amigos. 

 

[ Reino de Soha ] 

[ 15 anos após o nascimento de Jimin ]  

 

[POV Jimin] 

Acordei com um calor arrebatador, parecia que meu corpo estava derretendo e o suor encharcava minhas roupas e cama, senti uma pontada de dor e corri para o banheiro, precisava de um banho. 

Sentir a água gelada em minha pele nunca havia sido tão reconfortante em toda a minha vida, mas o que era essa sensação de queimação? Será que eu estava doente? Me sequei, vesti minhas roupas e me deitei novamente em minha cama. 

Foi então que a dor veio com tudo, era como se todo o meu corpo implorasse por algo, algo que eu simplesmente não fazia a mínima ideia do que poderia ser. 

Meu membro latejava, jamais havia visto aquilo antes, estava tão duro, passei minha mão por sua extensão e aquela sensação parecia me fazer implorar para toca-lo, continuei os movimentos, minhas roupas já estavam encharcadas com seu líquido novamente, e eu simplesmente não conseguia parar, meu corpo implorava por mais contato, era absurdamente deliciosa aquela sensação. 

Minha entrada se contraia como se implorasse para eu toca-la, continuando os movimentos de vai e vem, levei minha mão livre até minha entrada, introduzindo um de meus dedos. 

— Aaahn.. — Simplesmente não consegui conter os gemidos que insistiam em sair da minha boca. 

Minha pele deveria estar tão quente que parecia estar pegando fogo, introduzi um segundo dedo e continuei os movimentos circulares alternando com um vai e vem, logo em alguns minutos todo aquele prazer chegou ao ápice.  

— Aaaaaahn.. — Percebi um líquido esbranquiçado e viscoso em minhas mãos, e toda a dor que eu sentia, havia diminuído um pouco, estava exausto. 

Foi então que ouvi o barulho das trancas da porta e logo em seguida vi a senhora YeonHwa passar por ela com uma sacola. 

— Oh Jimin, vejo que não cheguei a tempo, me desculpe não ter lhe visado que isso aconteceria antes, não percebi que chegaria tão cedo, seu cheiro não parecia tão forte esta manhã. — Disse ela com um semblante preocupado. 

— O que é isso YeonHwa? Eu estou doente? Eu acordei suando muito, meu corpo estava muito quente e mesmo depois de tomar um banho não adiantou nada, e uma dor horrível tomou conta do meu corpo! Eu não quero morrer YeonHwa ! — Eu disse desesperado. 

— Vamos, se acalme, você não está doente, vou explicar pra você rapidamente para poder voltar aos meus afazeres. — Eu assenti com a cabeça para que ela continuasse — No nosso mundo existem três raças, Alfas, Betas e Ômegas, você é um ômega e precisa de alguns tratamentos um pouco peculiares. 

— Como assim? — Questionei 

— A cada três meses os ômegas entram em um estado que chamamos de cio, seu corpo vai precisar se aliviar, então eu trouxe algumas coisas que podem te ajudar com isso querido. — Então ela me estendeu a sacola e eu a peguei. — Alguns são usados em seu membro e os outros na sua entrada, sei que seus instintos vão lhe guiar quando precisar usa-los. Boa noite Jimin. — E assim destrancou a porta, saindo por ela e a trancando novamente. 

— Hm, deixa eu ver.. — E abri a sacola curioso para ver o que é que a senhora YeonHwa havia trago. 

Havia vários itens com forma similar a de anéis, só que bem maiores e alguns cilíndricos, até mesmo algumas bolinhas presas umas as outras..  

— Mas o que diabos é isso? —Perguntei a mim mesmo tentando entender para que aquelas coisas serviam. 

Foi nesse momento que a mesma dor me dominou novamente, e eu já sentia meu corpo implorar pelos mesmos toques de antes. 

Agarrei meu membro e comecei com os movimentos de vai e vem, quando o vontade de introduzir os dedos em minha entrada já estava incontrolável, optei por testar aquelas coisas que YeonHwa trouxera.  

Peguei o objeto cilíndrico, que percebi parecer muito um membro e introduzi em minha entrada, a sensação era inexplicável, todo o meu corpo parecia clamar por mais, e eu não sabia o porque, mas eu simplesmente não queria parar,  e continuei tirando e colocando dentro de mim ao mesmo tempo em que bombeava meu membro com a outra mão. 

— Aaahn, isso é tão bom.. Ahh — Meu corpo parecia sensível a quaisquer toque, até mesmo o roçar da minha pele me fazia gemer ainda mais de prazer. 

E então atingi o ápice novamente, sujando todo meu abdômen com aquele liquido esbranquiçado e caindo exausto em minha cama novamente.


Notas Finais


O///O Espero ter atingido as expectativas de vocês >.<
BEJO BEJO BEJO
E até a próxima !!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...