História Freedom - ABO - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bangtan, Bts, Hoseok, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Mpreg, Namjin, Namjoon, Seokjin, Suga, Taehyung, Vhope, Yoongi
Exibições 786
Palavras 2.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIIII GENTE !!! <3 MAIS UM CAPITULO QUENTINHO DIRETO DO FORNO PRA VOCÊS.
Esse capítulo vai ser bem focado no Kook, espero que gostem <3

Capítulo 5 - A partida


Fanfic / Fanfiction Freedom - ABO - Capítulo 5 - A partida

[Reino de Rawi]

 

[SeoJin POV]

 

Desci até as masmorras pensando em como faria para convencer meu irmão a mentir por aquele que mais odeia, eu precisava faze-lo aceitar a qualquer custo, essa poderia ser a única chance dele sair desse lugar horrendo.

 

Andei até a última cela tentando enxergar o melhor que podia com aquela iluminação precária, peguei a lamparina pendurada na parede e me aproximei tentando encontrar meu irmão em meio aquela escuridão toda.

 

— Jungkook? Você está acordado? — Perguntei

— Estou, o que houve para você vir mais tarde do que de costume? — Me questionou, mas eu ainda não era capaz de enxerga-lo.

Engoli seco e juntei toda a coragem que eu tinha para começar a falar.

— Se.. Se você tivesse a oportunidade de sair dessa prisão.. Você..— Perdi a fala sem saber como por isso em palavras.

— Eu..? — Me incentivou a continuar.

— Você estaria disposto a trabalhar para o rei? — Falei tão rápido que fiquei com medo de que ele não conseguisse me compreender e eu tivesse que repetir.

— De que tipo de trabalho estamos falando Jin? — Perguntou-me e a dúvida em sua voz era evidente.

— Lembra que quando éramos pequenos ouvíamos histórias sobre o reino vizinho? Reino de Soha? — Respirei fundo — O rei quer que você finja ser um de seus filhos legítimos e se case com um dos príncipes do reino vizinho para que uma aliança seja formada. — Foi como se um nó se desfizesse de minha garganta.

— Que irônico, o rei pedir ao bastardo que finja ser seu filho legítimo. — Ouvi uma risada debochada de sua parte.

— Eu sei que você o odeia, por todas as coisas que ele lhe disse quando éramos menores, e também por ter lhe trancado aqui por todo esse tempo, mas essa pode ser sua única chance meu irmão, não posso mais lhe ver trancado dessa maneira. — Minha garganta já começava a arder por conta do choro que eu insistia em segurar.

— Você quer que eu faça isso, não é? — Questionou-me de forma calma.

— Quero, quero muito. — E não pude mais conter as lágrimas que continha com todas as minhas forças.

— Por você Jin, eu farei por você, porque sei o quanto você sofre com aquela mulher, e não quero mais lhe deixar sozinho. — Arregalei os olhos ao ouvir suas palavras.

—  SozinhO? ..Como você? — Perguntei com os lábios trêmulos.

— Eu sempre soube Jin, não se preocupe, eu nunca vou contar a ninguém. — Senti meu peito aliviar com aquelas palavras.

— Vou avisar ao rei que você aceitou, hm.. Amanhã de manhã, eu vou vir arrumar você ! Então esteja acordado, espero poder passar a maior parte do dia com você amanhã! — Eu disse animada.

 

 

[ Na manhã seguinte ]

[Jungkook POV]

— Acorde! Acorde Jungkook, vamos lá, não me faça lhe jogar um balde d’água ! — Abri os olhos ainda um pouco sonolento e dei de cara com Jin.

— Jin..? — Vi ele abrir um sorriso.

— Eu ! Acho que eu tinha dito que queria você acordado bem cedo! Parece que alguém dorme mais que a cama por aqui, hm ! — Disse enquanto mexia nos meus cabelos.

Minha primeira reação foi tentar abraça-lo, mas as correntes não permitiam que eu fechasse os braços tanto assim.

— Tudo bem, você vai ter muito tempo pra isso. — E bagunçou meu cabelo.

Eu ainda estava um pouco sonolento quando vi que ele ainda mexia em minha cabeça.

— O que você ta fazendo? — Questionei ainda um pouco confuso com tanta agitação, havia sido apenas eu naquela cela por muito tempo, era até estranho ter alguém tão próximo.

— Pare de se esquivar, eu quero pentear seu cabelo, para quieto Jungkook! — Bufei e parei quieto para que ele penteasse.

— Eu tenho que te deixar apresentável, vamos partir hoje a tarde, não tenho muito tempo pra arrumar isso que você chama de cabelo, então não complique as coisas aqui mocinho. — Rolei os olhos.

— Falando assim até parece que é mais velho. — Provoquei.

Senti Jin me dar um tapa fraco no ombro, me olhou com repreensão e fez um sinal sugestivo apontando para os guardas.

— Mais velha, parece que é mais velha. — Corrigi minha fala, recebendo um sorrisinho sapeca dele.

— Prontinho, agora é só cortar, então não ouse se mover, a não ser que queira um cabelo torto. — Bufei em resposta totalmente imóvel enquanto ele cortava meus cabelos.

— Você conhece o ômega que eu vou ter que me casar, certo? — Perguntei

— Sim, Taehyung é uma graça! Não diga que lhe contei, mas tenho certeza que Hoseok é completamente apaixonado por ele. — E soltou um risinho cumplice.

— Já vejo que ele vai me odiar. —

— Relaxa, com o tempo ele aprende a conviver com isso. — Respondeu

— Eu vou ter que viver em Soha? — Perguntei um pouco apreensivo.

— Hm..Sim, papai..Quer dizer, o rei não ia querer você perambulando aos olhos dele no mínimo. — Percebi um pouco de chateação em sua expressão ao dizer isso.

— Não tem problema Jin, ele não deixa de ser seu pai apenas porque não é o meu. — Não queria que ele precisasse cuidar suas palavras comigo, eu era seu irmão, queria que pudesse falar confortavelmente comigo.

— É que me sinto um pouco culpada, de chama-lo de pai, você sabe. —

— Não me importo, de verdade, pode falar o que quiser comigo Jin, eu sempre vou proteger você, saiba disso — Tentei conforta-lo.

— Hm.. Prontinho ! Vou pedir para eles soltarem você, precisa tomar um banho urgente. — Ele disse e se apressou a ir até um dos guardas.

— Com licença. — Chamou a atenção dos guardas parados a alguns metros em frente a cela.

— Sim, vossa alteza? —Respondeu um deles.

— Gostaria que soltasse o prisioneiro para que eu o levasse para seus compromissos. — Explicou ao guarda que fez uma cara um tanto quanto desaprovadora.

— Depois do incidente dos guardas que foram mortos o rei ficou um tanto receoso quando a isso, e disse para o levarmos em uma camisa de força temporariamente. — Explicou o guarda.

— Mas isso não é necessário, ele não vai machucar ninguém, dou minha palavra. —Jin tentou convence-lo.

— Desculpe alteza, são ordens do rei. — Insistiu o guarda.

— Tudo bem, podem prepara-lo então. — Disse com uma expressão chateada.

Assim ambos os guardas vieram até mim seguido de meu irmão.

— Desculpe — Disse em um sussurro.

Apenas assenti com a cabeça como quem dizia que estava tudo bem.

Os guardas logo removeram as correntes que prendiam meus pulsos para que pudessem por a camisa de força, como se eu não pudesse mata-los assim mesmo se quisesse, então fecharam a parte de trás, puxando meus braços para amarra-los logo após.

 

Então finalmente soltaram as correntes que prendiam meu pescoço e pernas, foi aquele momento onde me sentir mais leve pareceu estranho, quase como se aquelas correntes já fizessem parte de mim a algum tempo, e então como se não fosse o suficiente, adicionaram uma mordaça em minha boca.

 

— Tudo bem, podem deixar que eu o levo, mesmo se fugir não vai muito longe com tantos guardas e é totalmente fora de questão que consiga machucar alguém nesse estado. — Disse Jin tentando convence-los que apenas ele era o suficiente para me acompanhar.

 

Os dois se entreolharam como se conversassem entre si para decidir se era mesmo uma boa decisão.

—Tudo bem, mas tome cuidado. — O avisaram, o mesmo apenas assentiu e foi me guiando até a saída.

 

Por um momento achei que meus olhos queimariam com tanta luz, estava impossível manter os olhos abertos, apenas fui os abrindo aos poucos, tentando acostumar com toda aquela claridade.

 

—Não acredito que tiveram a audácia de colocar isso em você. — Disse Jin enquanto removia a mordaça da minha boca.

 

— Eu até entendo o medo deles, mas não é como se eu fosse morder alguém até a morte. — Ri apenas de pensar na cena.

 

— Vamos entrar, que quando chegarmos ao meu quarto eu tiro isso de você, agora vamos. — Assenti e o segui.

 

As pessoas pelas qual passávamos me olhavam torto, provavelmente devido a camisa de força nada discreta que haviam me enfiado.

 

— Chegamos, venha, pode entrar. — Disse Jin fazendo um gesto para que eu entrasse.

—Parece que algumas coisas não mudaram, seu quarto continua o mesmo. — Eu sorri ao me lembrar do quanto brincávamos naquele tapete quando éramos menores.

— Alguma coisa tinha que continuar a mesma por aqui, não é mesmo? — Disse dando uma piscadela. — Deixa eu tirar isso de você. —E se pôs nas minhas costas para desamarrar meus braços e desafivelar a camisa. — Prontinho, agora pode dizer oficialmente que está livre das amarras. —Dito apertou minhas bochechas.

— Não precisa me tratar como se eu fosse uma criança. — Rolei os olhos.

— Tudo bem, mas tem uma coisa que eu quero saber. — Disse Jin com uma expressão um pouco emburrada.

— O que? — Questionei.

— Quando vou ganhar meu abraço? — Disse abrindo os braços, como se me convidasse para abraça-lo, e assim o fiz. — Agora acho que você precisa de um banho. — Disse rindo.

— Com certeza — Concordei rindo.

— Pegue, aqui tem tudo que você precisa, seu banho já foi preparado, aproveite e não tenha pressa, vou pedir para que façam o dobro de café da manhã. — Disse me alcançando algumas mudas de roupa e se dirigindo a porta do quarto.

 

Entrei no banheiro e larguei as mudas de roupa em cima da bancada, me despindo e entrando na banheira logo após, devo ter demorado pelo menos uma hora lá dentro, não importa o quanto esfregasse ainda não conseguia me sentir limpo suficiente.

 

Terminei de me banhar, sequei-me e vesti as roupas preparadas por Jin, seguindo de volta para o quarto onde Jin já estava a comer na mesa no canto do quarto.

 

— Oh, e não é que existia mesmo outra pessoa por debaixo de toda aquela sujeira. — Jin disse enquanto colocava um pedaço de torta na boca.

— Com tanta sujeira eu não me surpreenderia se houvessem duas. — Disse rindo.

Sentei na cadeira ao lado de Jin e me pus a comer um pedaço de empada de frango enquanto Jin ainda me encarava.

— O que foi? — Perguntei.

— O que? — Pareceu um pouco confuso com minha pergunta.

— Nada, é que você tava me encarando. — Respondi enquanto levava mais um pedaço da empada a boca.

— Nada, é que você está bem diferente de como era quando pequeno, seus traços mudaram muito. —

E foi nesse momento que me dei conta de que eu sequer sabia como eu devia me parecer agora, faziam tantos anos desde que tinha visto meu reflexo no espelho pela última vez.

— Porque, meu nariz ficou maior? — Perguntei levando a mão até o nariz.

Jin desatou a rir.

— De tantas coisas pra se preocupar, foi se preocupar logo com seu nariz? — O mesmo tentava recuperar o folego das risadas. — Não se preocupe, está lindo, e seu nariz só está duas vezes maior que antes, nada demais. — Disse arteiro.

Fiz uma cara nada satisfeita, que pelo visto Jin percebeu no ato.

— Estou brincando, porque não vê você mesmo? —Disse rindo e apontou para a penteadeira.

Me levantei e andei até o móvel, um pouco receoso do que veria, respirei fundo, sentei-me a cadeira e observei meu reflexo, havia mudado tanto que se fosse outra pessoa acho que não reconheceria.

 

Jin se levantou e veio até mim, pousando suas mãos em meus ombros.

— Não tenho o irmão mais lindo do mundo? Vamos admita, você não esperava que estivesse tão bonito. — Revirei os olhos, mas não neguei, realmente gostei do que vi. — Agora vamos terminar de comer, ainda temos que ajustar os detalhes, afinal eles vão achar estranho não conhecer você.

 

Terminamos de comer e planejamos algumas coisas, como o porque de eu nunca ter ido até as visitas a Soha e o porque de meus irmãos nunca terem falado sobre mim antes.

 

— Venha, você tem que conhecer Hoseok e Yoongi. — Jin disse animado enquanto me arrastava a mesa para o café da tarde.

— Jin, que demora, achei que não ia vir comer hoje. — Disse um baixinho loiro que ao pôr seus olhos em mim simplesmente petrificou.

— Desculpem o atraso, eu estive muito ocupado hoje. — Sorriu radiante — Bom, quero que conheçam alguém, esse é Jungkook, meu irmão. — Pôs a mão em meu ombro. — Vamos se apresente, eles não mordem. — Disse dando um sorriso encorajador.

— Hm, sou Jungkook, é um prazer conhece-los, espero que possamos nos dar bem. — Sorri sem mostrar os dentes.

— Bem vindo ! Sou Yoongi, soube que vamos ser irmãos de mentirinha. —O loiro que finalmente havia voltado ao normal se pronunciou.

— Então você é o bastardo que eu tanto ouvi falar, boa sorte com seu teatrinho. — O acastanhado que até então não havia sequer me dirigido o olhar se pronunciou.

— Hoseok, não seja mal educado, cumprimente as pessoas devidamente. — Jin foi até ele e puxou sua orelha.

— Sou Hoseok, vou tentar conviver com você apropriadamente. — Jin rolou os olhos e Yoongi apenas deu de ombros.

— Acredite, não vai sair nada mais amigável da boca dele. — Disse Yoongi enquanto comia um biscoito.

— Tudo bem, sou eu que estou invadindo o lar de vocês de qualquer forma. — Eu disse tentando ser compreensivo com a reação de Hoseok.

— Bom vamos comer, com o tempo vocês se acertam, e os dois tratem de serem educados com Jungkook, ele é muito mais velho que vocês. — Jin disse enquanto se sentava.

— Mais velho quanto? — Perguntou Yoongi.

— Ele tem vinte e cinco, é um ano mais velho que eu, então o tratem da mesma maneira que me tratariam. — Disse enquanto levava um pão de queijo a boca.

— Que ideia ótima, vamos casar Taehyung com alguém quase dez anos mais velho, maravilhoso, não pode ficar melhor. — Disse Hoseok se levantando da mesa e se retirando da sala.

— Desculpe por isso, ele é realmente sensível quando se trata de Taehyung, já disse.. — Jin explicou.

— Tudo bem, mas se ele se sente assim sobre Taehyung, por que não o casaram com Taehyung? Afinal ele é um filho legitimo. — Questionei.

— Sobre isso.. — Começou Yoongi que comia uma coxinha. — Nossos pais não gostam muito dos meninos, acham eles muito excêntricos. Como somos amigos desde pequenos não nos importamos com isso, mas eles se recusaram a deixar qualquer um de nós se casar com eles. — Yoongi parecia estar chateado enquanto contava aquilo.

— Entendo.. Bem complicado, entendo porque ele não gosta de mim. — Digo terminando de comer.

— Terminou? — Assenti com a cabeça. — Então vamos, já arrumaram nossas malas e estão nos esperando para sair, Hoseok também vem? — Yoongi negou. — Certo, então vamos logo antes que fique muito tarde, vão ser alguns dias de viagem e quanto mais cedo sairmos, mais cedo estaremos lá. — Revirei os olhos como se a fala de Jin não tivesse sido obvia.

 

[ Alguns dias de viagem depois ] ..


Notas Finais


E ai?! O que estão achando?? >//< Espero que estejam gostando !!
Estou dando meu máximo para tornar a história interessante xD
BEJO BEJO BEJO
E até o próximo cap <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...