História Freedom - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Anna Milton, Castiel, Dean Winchester, Personagens Originais, Sam Winchester
Tags Bottom!castiel, Casdean, Castiel, Dean Winchester, Jensen Ackles, Mishacollins, Sam Winchester, Supernatural, Tops!dean, Yaoi, Yuri
Visualizações 475
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA QUEM ESTÁ COMEÇANDO A NOVA FANFIC?
EU IN YOUR AREA
Deem muito amor a freedom.
Sim o Castiel é um POUCO antissocial.
Comente e favorite.

Boa leitura.

Capítulo 1 - I


  Gabe lhe enviou uma mensagem •

Gabe:

Castielzinhooooo, você vai comigo hoje não é?

Eu:

É, vou...
Mas você sabe que tenho que voltar às 22hrs pra casa.

Gabe:

Aff! É sério isso?

Eu:

Você sabe que eu gostaria de ficar mais tempo...

Gabe:

É, eu sei...
Enfim, esqueça isso, as 19hrs eu vou passar aí pra irmos.
Até mais tarde ♥️

 

Respirei fundo e bloqueei o celular.

Me estiquei preguiçosamente na cama fixando meu olhar em um ponto qualquer do teto branco do meu quarto.
 

— Filho? – A voz da minha mãe ecoou pelo quarto.
 

— Oi... – Me sentei.
 

— Que horas o Gabriel vem te buscar? – Ela parou na porta.
 

— As sete... – Fiquei encarando as meias num tom azulado que estavam em meus pés.
 

A ouvi suspirar longamente e ela se aproximou de mim.
 

— Tem certeza que você quer ir Cass? Eu sei que é aniversário do primo do Gabriel... Mas pode ser perigoso! Esses jovens de hoje em dia... Só fazem besteira! – Ela segurou meu rosto.

— Sim mãe... É só um aniversário. Eu vou estar com Gabriel, não vai acontecer nada. – Tirei gentilmente suas mãos do meu rosto, fingido procurar meu celular na cama.

— Tá bom então... – Ela suspirou "derrotada". – Mas é pra você tomar cuidado, ouviu? – Concordei com a cabeça. – Vai tomar banho, já são seis e doze... – Ela fez carinho em meus cabelos pretos e saiu do quarto.

Suspirei e fui até meu armário escolher uma roupa para o aniversário do primo – desconhecido por mim – de Gabriel.

 

➷ ➸ ➹

 

— Castiel, o Gabriel já chegou! – Ouvi minha mãe gritando do andar de baixo.
 

Me olhei no espelho mais uma vez e me achei razoável.

Eu estava com uma calça jeans com lavagem clara, um all star preto já meio velho e um casaco de lã preto como blusa – ja que fazia um pouco de frio –.
Nunca iria entender o porque de ser tão complicado comprar roupas pra mim. As calças sempre ficavam mais justas em minha coxas e na minha... Bunda. E os casacos ou blusas sociais, as mangas sempre ultrapassavam minhas mãos e sempre batiam na altura das minhas coxas.
Não que eu não gostasse, até porque eu me sentia confortável... Mas era realmente complicado achar coisas que fossem "perfeitas" pra mim.

Passei um pouco de perfume e peguei minhas chaves, meu celular e o presente do primo do Gabriel.

Desci as escadas rapidamente.
 

— Calma menino! Pra que correr Castiel? Vai acabar se machucando. – Ela me seguiu com o olhar enquanto estava sentada no sofá fazendo carinho no Toby.

— Eu to bem mãe... Cadê o Gabriel? – Toby veio pulando até mim. – Ei Toby... – Fiz carinho no grande cachorro amarelado.

— Ele está lá fora, não quis entrar... – Ela se levantou. – Toma cuidado tá bom? Fica atento na rua, fica sempre perto do Gabriel, não de muita confiança pra quem você não conhece... Quando chegar lá você me avisa ok? – Ela beijou meu rosto.

— Sim senhora... – Tentei não parecer entediado. – Até mais tarde... – Fiz mais um pouco de carinho no Toby e fui andando até a porta.

Ao abri-la me deparei com Gabriel mexendo no celular distraído. Ele estava vestido com sua calça preta com pequenos rasgos pelas pernas, sua blusa branca colada no corpo, com uma jaqueta com uma estampa de camuflagem por cima e uma bota.

— Uau! Castiel Novak, você vai para uma festa ou um desfile de moda? – Gabe disse num tom brincalhão após me ver descendo a pequena escadaria da varanda.

— Para de palhaçada Gabe... – Ri sem graça. – Isso não é nada demais.

— Famoso: Ata. – Ele revirou os olhos e fomos andando em direção ao portão. – Animado?

— É, estou! – De repente uma euforia imensa invadiu meu corpo.

— Te garanto... Vai ser uma festa boa pra caralho! – Ele disse animado e passamos pelo portão.

— Espero... – Por sorte um táxi passou e nós fizemos sinal pra ele.
 

Gabriel lhe disse o endereço e começamos a seguir caminho.
 

— O que é isso na sua mão? – Ele perguntou ao ver o pequeno saquinho prateado que eu carregava.

— É o presente do seu primo... –
Disse simples olhando pela janela do taxi.

— Meu... Primo? – Ele perguntou duvidoso.

— Sim ué... Nós não vamos pro aniversário dele? Então eu tenho que levar um presente... – Falei óbvio e o encarei.

— A-Ah... Então... – Ele coçou a nuca. – Hoje não é aniversário do meu primo... – Ele fez um bico e revirou os olhos.

— O que? Como assim? – Perguntei confuso.

— Na verdade eu nem tenho primos por aqui... – Ele inflou as bochechas.

— Pelo amor de Deus Gabriel... O que você inventou? – Meus músculos se ficaram tensos.

— Olha se eu falasse para onde estamos indo... Primeiro: Sua mãe com certeza não deixaria você vir... Segundo: Eu tenho certeza que você nem se manifestaria em falar com ela. E terceiro: Você precisa viver, sair, socializar...

Eu não acredito que ele fez isso!

— Meu Deus Gabriel... Se minha mãe souber disso ela vai matar me matar... Te matar! Vai matar nós dois?! – Botei a mão na testa já pensando no pior.

— Ela só vai saber se você contar! – Ele fez uma expressão óbvia. – Qual é Castiel?! Você tem que se divertir... Já tem quase dezoito anos na cara e mal sai de casa!

— Mas Gabriel você sabe qu-...

— Que a tia Naomi é chata e pega no seu pé pra caralho! – Ele revirou os olhos. – Eu gosto muito dela Castiel, mas isso não é vida nem pro Toby!

— Mas Gabriel -...

— Shh! "Mas", nada! Nós vamos pra festa e você vai curtir!

Me calei preocupado. O nervosismo percorria pelo meu corpo como uma corrente fria, me deixando arrepiado e sentindo um frio absurdo.

Se minha mãe souber disso... Ah, estamos mortos. Completamente mortos!

— Afinal... – Falei depois de alguns minutos de silêncio. – Que festa é essa? – Perguntei receoso.

— Ah! – Ele abriu um sorriso grande. – É a fucking festa que a Emma estava planejando desde o ano passado... – Ele mordeu o lábio ansioso.

— Aquela mega festa de que toda a escola estava falando?! – Arregalei os olhos.

— Essa mesmo! E eu com certeza não deixaria você mofando em casa em pleno sábado! Ei, afinal, o que você comprou pro meu primo? – Ele riu.

Revirei os olhos.

— Um cordão... – Abri o saquinho.

— Me da aqui... – Ele estendeu a mão. – Vira. – Ouvi o barulho do plástico sendo rasgado e o metal gelado passar por minha garganta. – Eis agora, uma gargantilha... E um novo Castiel! – Me virei pra ele. – Hm. Pera aí. – Ele bagunçou o meu cabelo. – Agora sim!

— Gabe, não... – Disse em vão.

— Espera descermos do taxi e eu vou fazer uma coisinha!

— O que você vai fazer?! – Perguntei um pouco assustado.

— Para com essa cara, não vou te estuprar no meio da rua! – Ele revirou os olhos.

Alguns minutos depois havíamos chegado numa área bem rica da cidade.

Gabriel pagou o homem velho e nós descemos calmamente do táxi.

— Está ouvindo? – Gabriel estava bem animado.

— Sim... – Conseguia ouvir batidas de musicas um pouco ao longe e isso aumentou minha apreensão.

Meu celular vibrou no bolso e era uma mensagem da minha mãe, o que me fez pensar duas vezes se isso era realmente certo.

— Gabriel... Acho melhor eu ir pra casa. – Encarei o celular.

— Castiel... – Ele suspirou e ajoelhou no chão.

Senti minha calça ser puxava na altura dos joelhos, mas estava concentrado digitando no celular.

— Gabe o que vo-... Eu não acredito! – Olhei para baixo e vi alguns rasgos – grandes – em minha calça. – Por que você fez isso?! Com suas chaves?!

— Para ficar mais estiloso! Quando se tem criatividade você pode fazer mil e uma coisas... Argh, Castiel! Me dá essa merda aqui! – Ele puxou o celular da minha mão e deslizou o dedo na tela, dando um suspiro cansado. – Castiel se permita viver pelo menos uma vez... – Ele digitou algo e guardou meu celular em seu bolso. – Vamos fazer assim, se você não gostar da festa eu nunca mais te arrasto pra uma e você fica mofando em casa. Mas pelo amor do santo caralho! Tente curtir a festa e pense no agora, não no depois! – Ele segurou em meus ombros.

Respirei fundo.

— Vai me levar pra casa às dez? – Perguntei dando um sorrisinho desanimado.

E Gabriel abriu um sorriso gigante.

— Vou! Agora vamos logo pra você aproveitar o pouco tempo que tem. – Ele revirou os olhos e passou o braço por meu pescoço e seguimos caminho.


Notas Finais


Gostaram?
Foi só o primeiro capítulo então...
AGORA VOU POSTAR O DE HETEROCHROMIA.

Beijos, até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...