História Freedom Of The Streets - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Exibições 119
Palavras 2.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 4 - Provocações.


O Sasuke ficou todo animado, a Karui tá falando bastante sobre grafites com ele, elogiando os desenhos e dizendo que o Kyuubi vai ensiná-lo a grafitar. Kyuubi, nunca vou conseguir chamar o Naruto assim, nunca mesmo! O nome dele é tão bonito, não tem porque chamá-lo pelo nome de um demônio. Eu pesquisei sobre a história da onde ele tirou esse nome e a tal Kurama, ou Kyuubi, era um monstro destruidor, prefiro Naruto, me dá menos medo. Falando nele, eu quero ver ele de novo, mas tem aquela chata cor de chiclete que não sai de perto. Sera que ela é a namorada dele? Esqueci até de perguntar pra Karui. Vi que o Sasuke ficou estranho, olhando pela janela. Esse lado de Konoha é horrível, um morro cheio de pessoas viciadas em drogas perto de um casarão. Pela fumaça e pelos homens armados, isso deve ser uma boca de fumo. Ai Kami! Vão parar a gente?
— Relaxa, gente! - tem dois caras estranhos apontando fuzis pra gente e ela quer que tenhamos calma? Tio Bee parou e abriu as janelas.
— Yo, Deidara, Kakuzu, sou eu! - eles se conhecem? Espera, porque o Sasuke tá suando frio? Deve ser o susto, né?
— Bela caranga, tio Bee! - um loiro que mais parece com a Ino falou. Cara estranho, mas não mais estranho que o outro, um cara cheio de cicatrizes e parecendo um pouco mais velho que o outro. - Deixa passar que é o tio Bee e a Karuizinha! - todos eles saíram da rua, como se abrissem passagem pra um rei. Enquanto a gente passava devagar, várias pessoas saudavam o tio Bee, ele falava com todos, que pareciam ser seus amigos íntimos, e então ele parou em uma casa muito acabada, guardando o carro na garagem.
— Repara no barraco, não, a gente morava aqui antes da grana rolar! - serio? Nessa casa tão feia? Ela tem razão, isso é um barraco! - Eu mandei não reparar! - melhor não desobedecer, né?
— Onde fica o projeto? - o Sasuke finalmente abriu a boca depois de ficar mudo como se tivesse visto um fantasma. Acho que ver aqueles caras armados deve tê-lo assustado.
— É ali em baixo, mas fica complicado passar de carro. - a Karui falou pegando alguns equipamentos de som e umas latas de sprays de tinta. - Sasuke, me ajuda com isso aqui! - ela entregou a aparelhagem pro Sasuke e me olhou estranho. - Não pense que vai ir sem nada não! - ela pôs a sacola com as tintas no meu colo e pegou outra sacola, essa com microfones. Por que ela não deixa isso logo lá?
— Porque isso aqui não fica logo no projeto? - perguntei e ela me olhou reprovadora.
— Aqui é Konoha, porra! - ela me respondeu. Esqueci que aqui é um dos bairros mais violentos do país.
— Yo, vamos logo, hoje é dia de roda! - dia de roda? Como assim? Tio Bee nem esperou minha pergunta e já saiu, assim como a louca da filha dele. Eu e Sasuke nos entreolhamos e decidimos ir e é impressionante como o povo daqui parece ser receptivo. Todos sorriem, todos nos cumprimentam, mesmo sem nos conhecer, fora que eles parecem adorar o tio Bee.
— Bee, depois passa aqui pra um café! - falou uma mulher loira de olhos verdes que me olhou assustada, calma, moça, eu não mordo.
— Yo, Mebuki! - ele retribuiu o aceno e continuou descendo. Todos os moradores do morro falaram com ele e isso é tão... Acolhedor! Entendo porque eles gostam daqui, aqui eles são carinhosos, diferente daquelas pedras de gelo que só sabem torcer o nariz pra todos, principalmente praqueles que subiram com esforço como o tio Bee.
— Diferente ne? - a Karui perguntou. - Meu pai ajudou muita gente aqui sempre até quando não tinha dinheiro, e aqui a gente sabe ter gratidão! - pois é, gratidão é algo que falta e muito nos "poderosos" de Tóquio.
— É acolhedor! - Sasuke tem razão, é acolhedor. Descemos o morro e eu passei por onde aquele cara quase me estuprou, deu até arrepios em lembrar, ainda bem que o Naruto chegou bem na hora. - É ali? - os olhos dele brilhavam em ver os paineis que pareciam mais bonitos do que no outro dia. 
— Yo, chegaram cedo hoje! - ele estava, com uma máscara de proteção no rosto por causa das tintas que ele tava usando. Como ele consegue ficar gato até com esse treco tapando a cara dele? Aí, Kami, sem a máscara é ainda melhor.
— Tio Bee, eu terminei o meu grafite! - ele veio sorrindo, bem orgulhoso do painel onde tinha uma grande raposa alaranjada de olhos vermelhos. Ele é bem talentoso com isso!
— Yo, ficou foda demais! - tio Bee... - Kyuubi, esse aqui é o Sasuke, amigo da Hinata e da Karuizinha! - ele olhou desconfiado pra gente, principalmente pro Sasuke, mas foi bem educado.
— Qual é, menor? - tá, ele foi educado do jeito dele. - Veio atrás do que aqui, meu irmão? - ele é bem desconfiado.
— Kyuubi, ele desenha! - a Karui praticamente obrigou o Sasuke a dar a pasta pra ele, que olhou tudo bem surpreso.
— Pra um playboy até que tu desenha bem! - isso foi algum tipo de elogio? 
— Pode me ensinar a grafitar? - nunca vi esse emo tão acanhado na minha vida, mas também, né? O Naruto desconfiado é um pouco ameaçador.
— Vem, tem um painel em branco ali, vou te ajudar! - eles foram e a Karui me chamou pra ajudar com o som. Tem muita coisa pra ligar e é bom eu me ocupar antes que a chiclete, que não tá muito satisfeita com a minha vinda, venha me perturbar.

Autora on:
— Sasuke, né? - o loiro perguntava ao Uchiha que afirmou com a cabeça. - Vem cá, ela sabe que tu fuma? - o moreno engoliu em seco, como aquele desconhecido poderia saber daquilo? Já não bastava dar de cara com alguns dos homens que lhe vendiam o entorpecente.
— E-eu...
— Tá querendo mentir pra mentiroso, playboy? - retrucou irônico. - Teu olho é branco e tuas mãos são amareladas. Tá claro que tu igual igual a nós! - Naruto sorria receptivo, animando Sasuke. - Se preocupa não, vou deixar quieto que pelo jeito o playboy não quer envolver a boneca nisso! - o Uchiha suspirou aliviado.
— Valeu, cara! - os dois trocaram um soco nas mãos mais amigáveis. - Me ensina a passar isso pro painel aí, sou vidrado nisso, só não sei fazer! - sentia-se mais leve.
— Shukaku! - Naruto chamava Gaara que terminava seu painel grafitado, uma figura do rosto de sua mãe, a mulher que mais amava no mundo. O ruivo observou Sasuke muito bem, estranhando o que alguém como o Uchiha fazia ali. - Esse é o Sasuke, amigo da Karuizinha, veio pra pintar!
— E playboy lá sabe fazer grafite, mano? - perguntou irônico.
— Eu sei desenhar, pelo menos! - retrucou no mesmo tom. 
— Qual foi, melhor as duas maricotas pararem de ironia antes que o tio Bee comece a roda e a gente perca o número da minha mana! - separou os dois. - Olha os desenhos do cara, Shukaku, tão foda pra um grafite! - entregou um desenho de várias cobras, o mesmo que Karui havia feito Sasuke lhe mostrar. O ruivo sorriu de canto, precisava admitir.
— Foda mesmo, mas tu não faz a mínima de como grafitar, né? 
— Sei nem por onde começar! - respondeu sem jeito.
— Primeiro tu tem que arranjar uma tag decente, porque Sasuke fica ridículo! - falou Naruto fazendo Gaara gargalhar. - Olha, não leva a mal, mas tipo, me chamam de Naruto, mas eu uso Kyuubi pra grafitar, assim como o meu parceiro aí se chama Gaara, mas usa a tag de Shukaku. Tá na hora de tu pensar em uma também, menor! - explicava de sua forma enquanto testava as tintas que seriam usadas, ensinando, junto de Gaara, como Sasuke deveria maneja-las e fazer o esboço de sua pintura. 
— Acho que tu não vai querer que no centro te liguem a algum grafite, não é? - deduzia o ruivo. - Pensa logo num nome legal. - o Uchiha pensou um pouco em algumas palavras, até pensar em uma.
— Chidori, minha tag vai ser Chidori! - dizia decidido.
— Nome da hora! - concordaram os outros dois. - Tá na hora de ver a Saky, mané! - os dois puxaram Sasuke para perto da onde uma pequena multidão fazia uma roda em volta de Sakura, que sorria animada ainda na escuridão. Havia ensaiado bastante. De repente, um instrumental de piano começou a tocar e a rosada ganhou uma luz em cima de si, começando a cantar.

"Meu rapjazz... Meu rapjazz..." - balançava o corpo numa mistura de malícia e jinga, enquanto todos a olhavam admirando sua bela voz. - "Eu fico sempre namoral, mas, sabe, más notícias abalam o meu astral..." - Sakura andava andava pela roda, brincando com os amigos. - "Sempre levando uns toco, a vida da uns soco, há quem ache que é pouco, mas não é..." - Sasuke a observava encantado. Nunca havia visto uma garota tão interessante e com tanto talento, além de beleza, essa um pouco ofuscada por sua malandragem. Conforme Sakura se movimentava brincando de seduzir seus colegas, o moreno observava cada passo sem sequer piscar os olhos. De certo, a Haruno havia roubado sua atenção. - "Sem desperdiçar energia, várias patifarias querendo me arrastar..." - brincava com o namorado, com toda a química que ruivo e rosada tinham é que fora notada pelo moreno. - "Não dou ideia pra essas heresias, sou de periferia, tipo ruim de se enganar." - olhava para o público sorrindo maliciosa, brincando de empurrar Gaara como se o rejeitasse, fazendo todos entrarem na brincadeira. De fato, era uma ótima e divertida atração para todos os presentes, tanto que até Hinata sorria, sem escapar de uma provocação, com a rosada indo até si fazendo sinal de fala com as mãos. - "Mais participação e mais ação, menos falação e mais ação, faladores falam muito, eu não!" - se referia ao fato de a Hyuuga pouco interagir com os atos dos demais. Já não encarava a aproximação dos jovens ricos com bons olhos, o que piorava ao ver que a azulada estava ali ocupando lugar sem fazer praticamente nada. - "Não tenho tempo a perder... Quero vencer por mim e lutar por você!" - novamente foi até Gaara, dançando sensualmente com o namorado, logo passando a fazer o mesmo com o irmão de criação, o que incomodou Hinata. - "Deus sempre vê quem é aliado e quem tá de papo furado querendo pagar de ser!" - lançou um olhar provocativo para a azulada, claramente a provocando. - Esse não é o seu lugar, guria! - balbuciara para a Hyuuga, que lhe mostrara a dedo do meio.

— Vai se foder! - balbuciou retrucando a provocação. De resto, a apresentação de Sakura transcorreu normalmente, sob o olhar atencioso do Uchiha que não perdia um movimento sequer da namorada de Gaara, que ficará irritado ao perceber os olhares.
— Perdeu o olho na minha mina, cara? - perguntou irritado.
— Ela canta bem, só isso! - tentou parecer o menos interessado possível, o que enganou o ruivo.
— Ah, sim, minha gatinha é talentosa pra caralho, mas não mais que a minha irmã! - suspirou pesado.
— Cadê a tua irmã, cara, falando nisso? - perguntou Naruto.
— Lá no Pain, rendendo a gaiola de Sasori por uns tempos, até ele voltar. - disse com pesar. Não gostava de ver o caminho que sua irmã estava levando, caminho parecido com o de seu irmão mais velho e com o de seu pai, esse morto quando os três eram bem pequenos na mesma emboscada que vitimara o pai do chefe da Akatsuki. Aquela não era a vida que queria para si, por isso já lutava para sair de "sua quebrada", mesmo que soubesse que sua alma jamais sairia dali. - Bem, melhor a gente voltar pro painel!
Autora off

Que ódio! Ela tinha que ficar me provocando bem na frente de todo mundo? Melhor deixar quieto, pelo menos ninguém percebeu.
— Mandou bem, hein, mana! - mana? Então ela é irmã dele? Mas ele disse que não tinha família? Ah, depois eu pergunto isso direitinho pra dona Karui, que vai ter que me explicar tudo sobre esse deus! Mas agora acho que eu tenho que me preocupar com outra coisa.
— Eu vim aqui pra fazer, não pra ficar de papinho, mano! - PARA DE ME PROVOCAR PIRANHA! - E tu, Barbie? - ela me entregou o microfone e me olhou ameaçadora. - Toma essa porra e faz alguma coisa ou é melhor tu vazar de vez da minha quebrada, tá ligada? - FODEU!


Notas Finais


A música que a Sakura cantou foi Meu Rapjazz da Tassia Reis. Como alguns de vocês sabem depois de acompanhar outras fics minhas, eu tenho um certo apreço por rap nacional, então saibam que essa fic será repleta de alguns deles. Aliás, se quiserem, podem me dar sugestões de alguma música que a Hinata possa usar como "resposta" às provocações da Saky. O que acharam do capítulo? Espero comentários, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...