História Freeze You Out - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Georgi Popovich, Jean-Jacques Leroy, Lee Seung Gil, Phichit Chulanont, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Seugchuchu, Songfic, Soulmate, Victuri, Victuuri, Vikturi, Viktuuri
Exibições 186
Palavras 1.736
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores ❤ primeiramente me desculpem pela demora. Eu estava meio insegura pra postar esse capítulo, mas eu espero que vocês gostem, eu me esforcei para que ficasse o melhor possível XD e sobre o nome do capítulo... Eu vou usar trechos da música Freeze You Out (meio óbvio) como nomes dos capítulos... Sem mais delongas, boa leitura, espero que gostem *-*!

Capítulo 2 - Você quer que eu descongele


Fanfic / Fanfiction Freeze You Out - Capítulo 2 - Você quer que eu descongele

Yuri andava na rua, pensativo. Fora realmente um sonho muito estranho...

- YURI! Você sequer está ouvindo o que eu estou falando? – Phichit sempre acompanhava Yuri quando ele ia para a casa de Victor pela manhã. Yuri passava lá para irem juntos para a floricultura onde trabalhavam, e Phichit o fazia companhia por ser caminho para a faculdade – eu disse que o Lee seguiu o Georgi no Instagram. Você acredita?

- Nossa, isso é... – Yuri pensou em uma boa resposta, mas sua mente realmente não podia focar em outra coisa – desculpe, Phi, eu vou correndo na frente, eu preciso ver o Vic logo... – o outro sorriu em resposta, acenando positivamente com a cabeça.

  Chegando a casa de Victor, pegou a chave e entrou. O doce aroma da casa penetrou suas narinas, e já se sentiu melhor. O familiar cheiro do lar de Victor era confortante, talvez porque tivesse o cheiro do próprio Victor. Mas o lugar estava uma bagunça!

  Victor agora morava sozinho, desde que sua avó faleceu, 6 meses atrás. Yuri praticamente passou a morar com ele depois disso. Ele sempre cuidou de Victor, mas sem sua vó ali tinha medo de chegar qualquer dia e encontrar a casa em chamas. O platinado colocou a cabeça pra fora do corredor, o olhar inocente e infantil que sempre fazia ao ver Yuri:

- Ah, Yuri, é você! – exclamou, muito contente – você teve um sonho ruim? Eu senti algo essa noite...

- Tive... Desculpe por te fazer sentir mal, mas já passou – Yuri jogou a mochila no chão e correu para abraçar Victor, enterrando o rosto na camiseta de porquinhos que o maior adorava usar para dormir.

  Victor o abraçou de volta, enterrando a mão em seus cabelos e lhe fazendo carinho.

- Já me sinto melhor! – disse Yuri sorrindo para ele. Pegou sua mão e o conduziu para seu quarto – vem Vic, vou pentear seus cabelos - ele fazia isso quase todos os dias. Victor tinha cabelos enormes e Yuri adorava mexer em seus sedosos fios.

  Victor se sentou na cama por cima das roupas desdobradas e lençóis embolados um por cima do outro, e Yuri pegou a escova. Quando olhou para seus cabelos prateados, uma lembrança lhe veio à mente.

13 anos atrás

  O pequeno Yuri se sentiu estranho todo o final de semana. Era uma sensação diferente de tudo. Um calor, uma aflição, uma vontade de encontrar... Algo.

  Chegou na escola ainda inquieto. A sensação só ficava mais forte. Yuri sabia que isso poderia ser um sintoma de estar perto de sua alma gêmea, pelo que tanto ouvia falar do assunto, mas ele não achava que tivesse uma. De vez em quando, sentia algo diferente. Às vezes havia um sentimento que não era dele, uma presença... Mas sempre achou que fosse algo de sua cabeça, afinal, as almas gêmeas, aquela coisa rara, linda, única... Não eram assim. Você não tem dúvidas, você sabe que ela existe.

  Era outono, as folhas estavam caindo das árvores, o ar gélido, as nuvens densas, a grande Sakura que ficava atrás da escola soltando suas belas flores rosas. Era a melhor estação do ano para Yuri. Mas aquela sensação persistia.

  Ao passar por um grupo de outros alunos, escutou um burburinho:
“Vocês viram o aluno novo?”
“Aquele de cabelo grande, que parece uma garotinha?”
“Sim... Os cabelos dele são brancos.”
“Isso é horrível...”
“Pobrezinho.”
“Minha mãe já me falou uma vez, dos congelados... É assustador!”

  Yuri apenas passou por eles, e foi para sua sala. A aula se arrastou nesse dia, mas finalmente, chegou a hora do recreio. O sol brilhava lá fora, e algumas crianças brincavam de chutar folhas secas do chão.

  Mas o sentimento só ficou mais forte. Yuri sentia um calor, uma pressão... Não conseguia ficar parado, algo o chamava. A sensação era muito forte, achava que poderia desmaiar a qualquer momento. Saiu andando pelo pátio, por entre as crianças, meio zonzo, sem saber o que fazer ou para onde ia...

  Ele parou. Um menino encarava ele, com um doce sorriso no rosto. Ele usava um cachecol e uma blusa muito grandes, e o cabelo branco cobria quase todo o seu rostinho miúdo.

  - Então é você, não é? Você é minha alma gêmea! – exclamou o menino de olhos azuis, em bom som, e alegremente, fazendo todas as crianças a sua voltarem os olhares para os dois. Yuri não entendia nada, estava confuso. Como alguém poderia ser sua alma gêmea? Ele não sentia que tinha uma.

  Novamente começou um burburinho:
“O Yuri é alma gêmea desse menino?
”Mas ele é... Congelado...”
“Eu nunca ia querer conhecer uma alma gêmea que me congelou...”

  Yuri sentiu medo. Vergonha. Desespero. Então era isso... Era muito pequeno, mas já entendia o peso de ser alma gêmea de uma pessoa congelada... Isso significava que o menino a sua frente tinha cabelos brancos porque sua alma gêmea havia lhe afetado negativamente na vida passada. Um impacto muito forte, tão forte que congelou sua alma... E claro que havia um preço.

  Por isso Yuri não podia sentí-lo... Era seu castigo. Olhava para o menino, um olhar de arrependimento... Não sabia o que havia lhe feito de ruim, mas sentia muito.

  O sorriso do platinado se desfez, sentindo a vergonha e tristeza de Yuri. De repente seu olhar inocente se encheu de determinação. Andou até Yuri e o pegou pela mãozinha, puxando-o para fora da multidão, e correndo com ele para trás da escola, onde não havia quase nenhuma criança.

  Pararam debaixo da grande Sakura, ainda segurando a mão um do outro. O menino de cabelos longos, disse:

- Meu nome é Victor... E o seu?

- Y-Yuri... – disse acanhado.

- É muito bom finalmente poder ver você, Yuri – Victor podia sentir Yuri normalmente, como qualquer outra alma gêmea. Ele não sentiu nenhum sentimento maldoso em Yuri, nunca. Ele não tinha motivos para ter rancor daquela pessoa, que ele sentiu a vida toda e que conhecia tão bem. Agora finalmente podia vê-lo, estava tão feliz... – De hoje em diante eu vou proteger você. Não tenha medo. – ele abriu um sorriso imenso para Yuri, e Yuri sorriu de volta. Era incrível como já não se lembravam da vergonha... Só sentiram o tempo parar, só haviam eles, e uma estranha nostalgia... Como se finalmente estivessem em casa.

******************

    E desde então, era aquela mão que ele sempre segurava, nos momentos bons e ruins. Aquela pessoa se tornou a pessoa mais importante da sua vida. Seu melhor amigo, sua outra metade, sua casa... Queria segurar a mão de Victor para sempre.

  Ainda estava pensativo por causa do sonho. Também era seu aniversário de 19 anos lá... Seria uma coincidência? Ou a vida lhe dando uma chance de descongelar seu precioso Victor e de fazer tudo certo nessa vida?

  O aniversário! Como tinha esquecido? Era aniversário de Victor também!

- Vic – abraçou-o por trás – desculpe, esqueci que hoje é nosso aniversário.

- Eu também esqueci completamente, desculpe – respondeu Victor rindo – quer fazer algo especial pra comemorar?

- Tipo o que?

- Depois que a gente sair do trabalho, podíamos vir pra cá e fazer maratona de desenhos animados e comer besteiras o resto do dia – o maior se virou para Yuri, um sorriso excitado e infantil no rosto.

- Mas nós já fazemos isso quase todo dia, Vic...

- Hm? Pra mim é especial... – disse Victor, fazendo Yuri rir com seu beicinho.

- Eu sei, é especial pra mim também. Faremos isso então – Yuri apertou as bochechas de Victor e foi preparar algo para o outro de café da manhã.

  Depois do trabalho fizeram como o combinado; chegaram em casa e se instalaram no sofá com cobertores e muita comida.

  Yuri se lembrou do sonho em alguns momentos, mas não queria preocupar Victor com isso agora. Afinal, era uma comemoração especial! Sim, era algo simples e rotineiro, mas era especial, porque era com Victor.

******************

  O príncipe não conseguia dormir sabendo que ele estava ali tão perto. O loiro não queria ficar sozinho, sentia medo... Era compreensível, claro. Estava dormindo na cama do príncipe. Estava num sono profundo, a expressão muito serena.

  Havia passado pouco menos de um dia  desde que havia sido resgatado, mas já se sentia muito melhor. Agora estava bem alimentado, dormia em uma cama muito boa e a febre estava passando.

  O príncipe o observava, sentado na grande janela, a luz do luar iluminando ambos.

  Sentia-se incomodado com os comentários que despertavam pelo reino...

  Claro que as pessoas comentariam sobre eles, afinal, ele era o futuro rei! Mas nunca imaginou despertar olhares e comentários tão maldosos em seu tão amado povo ou os rumores que surgiram depois que viram o outro entrando em seu quarto aquela noite...

  Podia sentir os olhares cobiçosos em sua alma gêmea, podia sentir o desconforto do outro de estar entre pessoas desconhecidas que o miravam com inveja, com arrogância...

  Não era como se algo romântico fosse acontecer apenas porque aquela pessoa era sua alma gêmea. Uma alma gêmea poderia tomar qualquer papel em sua vida, poderia ser um amigo, um namorado... Mas independente do que fosse, o príncipe sabia que aquela seria a pessoa mais importante de sua vida; mas também sabia de seus deveres. Deveria se casar com uma boa moça e dar herdeiros ao reino.

  Não poderia jamais se apaixonar por aquela pessoa, seu povo jamais aceitaria, e como futuro líder, ele não tinha esse direito. Mas não podia evitar, olhar para ele e ter desejo de envolvê-lo em seus braços e beijar seus sedosos lábios... Era tão lindo, tão puro... E uma pessoa encantadora por inteiro. Como evitar a paixão avassaladora que sentia inundar seu peito?

  O moreno balançou a cabeça, tentando afastar os pensamentos que deveriam ser evitados à todo custo. Não podia deixá-lo descobrir que tinha esses sentimentos nascendo dentro de si e nem poderia lhe dar o amor que gostaria de dar... Era um amor proibido! Não podiam se relacionar de nenhuma forma que o seu povo considerasse inapropriado... E que desfecho teria essa trágica história de amor?

  "Quem sabe em uma próxima vida..." - pensou o príncipe melancolicamente.


Notas Finais


Muito obrigada quem leu até aqui *-* eu espero de verdade que tenha atendido às expectativas... E gostaria de agradecer também a todos que comentaram no capítulo anterior, vocês me motivaram demais! Espero que não tenha ficado confuso esse final; quer dizer que o Yuri dormiu nessa mesma noite do aniversário e teve outro sonho... Enfim, até o próximo capítulo ;3 ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...