História Frerard - The Movie Theater - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance, The Used
Personagens Bert McCracken, Bob Bryar, Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Ray Toro
Tags Bert Mccracken, Cinema, Frank Iero, Frerard, Gerard Way, My Chemical Romance, Otp
Exibições 40
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


hey hey
me desculpem a demora
eu meio que fiquei um tempinho fora
não foi nada grave, eu só fui diagnosticada com uma miserável anemia e fiquei um tempo com o pensamento que era anoréxica em um hospital
nada grave
mas vamos la
senti muita saudade disso aaaa

Capítulo 12 - The Lier Guy Pt2


Os passo estavam se aproximando e o sofá estava ao lado da porta que separava o saguão da escadaria. Seria então... Bert? O que Gerard? Claro que era Bert! Estávamos em três pessoas ali, não havia uma quarta!

Então lembrei-me imediatamente do que Bert tinha me dito, o que ele sentia por mim. Por mais que não fosse recíproco, eu sei que o machucaria se ele nos encontrasse assim, então decidi afastar-me de Frank.

Logo me surpreendi quando Frank agarrou-se em minha jaqueta, sua mão um tanto gordinha, porém delicada agarrou meu braço com uma certa insegurança, percebi isso assim que o garoto começou a tremer seu braço de forma desleixada.

Frank então olhou em meus olhos como se pedisse piedade, aproximou-se novamente, dessa vez o suficiente para que pudesse sussurrar algo sem deixar de encarar-me, voltou a levantar o joelhos, parecia querer me provocar.

"Ele vai entender, Gerard" -Ele disse aos sussurros mordendo seu lábio inferior e suspirando enquanto voltava a se jogar de baixo do meu corpo. -"Agora... Por favor..." -Ele disse pausando a frase novamente dessa vez com o intuito de fazer um movimento de vai e vem com seus joelhos erguidos, ele parecia realmente querer me provocar, queria que eu saísse do sério, e sinceramente, estava quase conseguindo. -"Gerard, por favor, c-continue." -Ele pediu ofegante olhando-me com o olhar mais perverso e erótico que tinha em seu arsenal, porém assim o desviando e deixando seu pescoço a mostra, como se me chamasse


Eu estava quase me jogando em cima do... Eu já estava em cima dele, mas digamos que eu realmente ia me jogar. Eu estava tão... eressivo, excitado... Ele estava me provocando, o olhar, os joelhos, o pedido, os gemidos, ele realmente queria que Bert tivesse a pior cena possível.

Porém, assim que ouvi a porta se abrindo, empurrei Frank para o limbo do sofá, logo deitando sobre o mesmo. Frank reclamou por alguns segundos, porém se acalmou assim que ouviu os passos se aproximando.

Assim que olhei para a porta, vi então um jovem homem de quase 24 anos que observava a sala. Ele parecia estar procurando algo, levou uma de suas mãos até a cabeça desconfiado, massageou então os cabelos ondulados que agora estavam molhados e se direcionou até o sofá curioso.

-Gee, viu o Frank? -Ele perguntou sentando-se aos meus pés enquanto me encarava ainda com o olhar curioso.

-Q-que Frank? -Perguntei rapidamente.

-O baixinho, o Iero. -Ele explicou em poucas palavras levando seu próprio dedo indicador até a boca e o mordendo levemente.

-Banheiro... Banheiro dos funcionários. -Digo apontando o dedo para a porta atrás do balcão. -Cuidando da higiene pessoal. -Terminei a frase sendo recebido por um sorriso do garoto de olhos azuis brilhantes.

-Me parece longe e demorado o suficiente. -Ele disse deitando-se ao meu lado. -O que acha de se divertir um pouco Gees?

-Bert, eu preciso tomar banho... Ou meu cabelo vai cair ou sei la. -Falei desleixadamente, tentando fugir da situação.

-Não quer que eu... Vá junto? Eu posso te ajudar. -Ele disse se aproximando sem tirar os olhos de minha boca, a encarando como se fosse um grande prato de fast food. Logo que fui o responder, ele me cortou e olhou finalmente em meus olhos. -Gerard, você não sabe o quanto quero dizer... Dizer que você é meu. -Ele disse levando uma de suas mãos até a lateral de meu rosto acariciando meu queixo. -Você passou do álcool a cafeína, Gerard... Mas entenda que não importa o seu sabor, ainda vou querer prova-lo.

Recebi então um beliscão forte em meu ombro, o mesmo vindo de Frank, resmunguei para corretorque ele ouvisse que aquilo não era indolor.

Então virei-me novamente para Bert, o mesmo sorria esperançoso, aqueles olhos azuis... Por que eram tão brilhantes
Eu sentia as unhas de Frank em minhas costas ao mesmo tempo que sentia os olhos de Bert percorrerem todo o meu corpo. Eu estava entre os dois, um mexia comigo de uma forma diferente do do outro.
Os rostos eram novos pra mim, mas pareciam ser conhecidos a anos.

Eu precisava ter foco! Não podia simplesmente sair dali, Bert notaria Frank. Eu devia fazer com que Bert saísse dali por livre e espontânea vontade.

-Hey Bert, pode pegar meu casaco la no vestiário? Tem algo importante la... Se é que me entende. -Improviso piscando ao jovem.

-O-o que? -Bert gaguehou estampando um enorme sorriso em seu rosto. -Não há problema, Gee... Eu devo ter uma por aqui. -Ele disse levando uma mão ao bolso de sua calça. -Que estranho... Eu juerei que tinha aqui. Mas Gerard, ninguém vai engravidar ninguém, não precisamos disso.

-Bert, você não parece o tipo de pessoa que sabe todas as doenças que tem. -Digo debochando.

-Okay... -Ele disse derrotado sentando de forma correta no sofá. -Eu vou la então... -Bert levantou-se e saiu novamente pela porta

Suspirei aliviado assim que ouvi o bater da porta. Levantei com o pensamento de que agora eu tinha de ser Gerard Depardieu Ninja dos Santos, fazer várias manobras e conseguir entrar no banheiro assim que Bert saía... E é claro, sem deixar com que ele me veja. 

Quando comecei a iniciar o passo, ouvi uma certa voz me chamar:

-Titan... Pode me ajudar aqui? Por favor? -Frank pediu deixando uma de suas mãos a vista, as mesma estava estendida para o alto enquanto a outra o segurava para que não caísse.

Rindo da situação do jovem, me aproximei do sofá e me apoiei no mesmo com o joelho, puxando então a mão do garoto para que ele saísse de la.
Assim que o fiz, fui recebido com um espirro, o garoto estava cheio de poeira, nem parecia Frank, estava mais para abominável homem do sótão, ou Gerard Way, como quiser.
Por alguns segundos, apenas observei o rostinho vermelho de Frank, ele devia ser alérgico a poeira, uma decepção, como ele ficaria no meu quarto? Que se foda a quarta parede, vocês conhecem um bom antialérgico?

-Você não ia tomar banho? -Frank pergunta notando o quanto eu não parecia estar ali.

-Oh sim. -Respondo indo na direção da porta.

-Hey! -Frank chamou minha atenção, o que me fez voltar o olhar para seu rosto. -Ahn... Não deixe o sabonete cair. -Ele disse parecendo descartar a frase que ia dizer e escolhendo outra qualquer.

-Frank, estarei sozinho. -Respondo rindo da feição preocupada e desajeitada de Frank.

-Eu sei mas... Bem... É que...-Frank não queria de desmentir, mas também não queria dizer o que realmente ia falar.

-Frank Iero. -O fiz caminhar até mim. -Esta me dizendo que... -Inicio a frase levando meu rosto para perto de seu ouvido. -Que esta querendo tomar banho comigo? -Pergunto aos sussurros.

Frank imediatamente recua quase caindo no chão.

-Eu nunca disse isso! -Frank exclamou parecendo estar furioso, mas ao mesmo tempo desconfortável. -Não diga meu nome completo! Garoto caminho!

-Ah. Claro que não. -Respondo voltando a andar na direção da porta.

Logo que desci a escadaria, a ideia de ser pego por Bert me veio a cabeça, eu não deveria ter falado aquilo, mesmo depois do banho, ele vai me procurar.
Tentei me manter concentrado em apenas entrar no banheiro e tomar o famigerado banho, então esperei Bert sair de lá atrás da primeira fileira de cadeiras.
Depois de alguns minutos, o jovem saiu de la inconformado, talvez fosse porque eu não tinha o que procurava.
Sem esperar nenhum segundo, entro no banheiro e noto que ele tinha sim luzes, estava completamente destruído, mas em um canto luzes ainda funcionavam, agora eu já via tudo com mais facilidade, tudo incluindo os armários e as cabines de banho.

Direcionei-me até o meio do banheiro, a poça d'água continuava ali, agora estava mais clara, talvez a luz ajudasse um pouco, agora eu via meu reflexo com mais clareza, o que me fez ter ainda mais vontade de tomar banho, já que meus cabelos pareciam parte de uma escultura, nem mesmo se mexiam.

Antes de ir até as cabines, arrastei um dos armários até a porta, tirando uma toalha de la e o deixando ali para impedir a porta de ser aberta.
Medo? Eu? Do Bert? Como assim ninguém falou em Bert?! Eu ouvi claramente, alguém falou Bert! ... De onde vocês tiram isso?
Não estou com medo, só... Não quero que ninguém atrapalhe meu banho.

Assim que entrei na cabine e liguei o chuveiro percebi o quanto estava com saudade da minha linda casa, o meu quarto e... O belíssimo chuveiro COM ÁGUA QUENTE! 

A água parecia me congelar a minha mão, me perguntei então como iria conseguir tomar banho ali. Pensei então em ser rápido.
Tirei então as roupas em um impulso rápido, quase caindo no chão várias vezes.

Em seguida respirei fundo e então entrei debaixo da água. Alguns segundos se passaram e eu fiquei imóvel debaixo da água, fechei os olhos e comecei a escutar gritos e ofensas vindas do lado de fora. "Aqueles dois não eram amigos?" -Me perguntei em meus pensamentos enquanto levanto minhas mãos para pegar as duas embalagens que estavam sobre a divisão das cabines.

Depois de alguns minutos no banho, vejo a espuma que no começo era de um tom avermelhado agora estava branca. A água gelada não me deixava ter pensamentos longínquos, finalmente entendi o que era uma "ducha gelada".

Depois de sentir que meu corpo estava ficando roxo por conta do frio, resolvo sair do banho, então agarro a toalha que tinha deixado na lateral da cabine e primeiramente seco meu rosto. Logo ouço algo fora do banheiro, parecia o bater da porta.

-Hey, Gerard? Você esta tomando banho? -A voz era de Bert, mas o tom não, ele parecia deprimido.

-Estou. -Respondi em um tom insolente e ingrato, é bondade do meu irmão Válter ter... Desculpe, não pude resistir.

-Hey, você achou o termostato ao lado das cabines, certo? Eu gosto de banhos gelados, mas talvez você não seja assim... -Bert disse ainsa tristonho.

-Termostato? -Pergunto levando a toalha até a cintura e a entrelaçando ali, e saindo da cabine, assim encontrando ao lado das cabines bege, uma pequenas engrenagem, com diversas cores. -Ah sim, termostato! Aham, deixei o banheiro parecendo uma sauna. -Minto.

-Hey, então terminou o banho? Pode se vestir e vir aqui... Por favor? -Bert pergunta singelamente, de forma que parecia como se ele estivesse implorando.

-Tudo bem. -Digo indo até as roupas jogadas no chão.

Depois de alguns segundos pensando no que Bert teria a dizer, começo a me vestir, peça por peça até notar que estava tentando calçar a camisa, e voltar tudo ao começo.

Um bom tempo depois, retiro o armário da frente da tal porta, e logo levo minha mão a fechadura, porém não muitos milésimos depois, a porta é aberta por Bert, o mesmo me recebe com um abraço.

-Hey, aconteceu alguma coisa? -Pergunto a ele preocupado com o ato inesperado.

-Sim. -Ele confirma se afastando e deixando claro um hematoma enorme em seu rosto, ao lado de seu nariz e assina das bochechas, no lado esquerdo de seu rosto, la estava, uma mancha marrom enorme preenchia aquele local. -Iero bateu em mim. -Ele disse com sutileza, a frase evidentemente me fez arregalar os olhos, os lábios cheios de sangue de Bert tinham mesmo falado aquilo?


Notas Finais


sempre irei me perguntar quem é o garoto mentiroso... acho que é gerard por mentir que tomou um banho quente
tenham uma ótima semana <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...