História Fresh Blood - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Alexy, Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Magia, Mistério, Nathaniel, Rosalya, Vampiro
Exibições 63
Palavras 1.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello people!!! Essa é a minha primeira fic de amor doce, então espero que gostem.
Já deixo claro que faço ela por puro divertimento, ou seja, não tenho data certa de pastagem, porém, tentarei fazê-lo o mais breve possível.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Fresh Blood - Capítulo 1 - Prólogo

 Eu observava as ruas de Paris começarem a se encher. Eu invejava tanto aquelas pessoas. Andavam por aí com problemas tão pequenos e insignificantes quanto a existência desses seres na terra. Os humanos eram tão repugnantes e asquerosos. Sempre se achando o centro do universo. Sempre pensando em si antes dos outros. E o que mais odiava era o fato de eu fazer parte desse monte de lixo. Ser obrigado a fazer parte desse cotidiano nojento. Precisando atuar, mostrando sempre meu pior lado para as pessoas. Mas não tem jeito, a imagem que criei a muito tempo já faz parte de mim, eu me tornei tão asqueroso quanto qualquer outro humano.
   Com as mãos nos bolsos e o olhar distante. Era assim que eu estava, caminhando pelas ruas de Paris, indo em direção ao inferno que insistem em chama de escola. Meus cabelos batiam em meu rosto constantemente, era uma sensação desconfortável, mas já estava acostumado.  Eu andava de forma robótica, uma perna depois da outra, deixando meu corpo me guiar.
      Sinto meu corpo se chocar contra algo, me fazendo dar alguns passos para trás. Olho para todos os lados, mas nada vejo, até que dirijo meu olhar para baixo. Bem ali, no chão, estava uma garota. Não conseguia ver seu rosto e realmente não me importei com esse fato.
- Olhe por onde anda.- Minhas palavras eram sempre grosseiras, mas não tinha porque ser de outro jeito.
    Ela levanta a cabeça e seus olhos se encontram com os meus. Eles eram azuis, de um tom que eu nunca vi. Sua expressão era dura e fria. Ela se levantou e depois de se curvar saiu, sem dizer uma palavra durante todo o processo.
    Confesso que a atitude da garota me incomodou. Não por me ignorar, e sim por fazer tudo calada e com um olhar tão frio que gelaria até mesmo o deserto mais quente.
     Tratei de tirar esses pensamentos de minha cabeça. Nada disso importa. Ela era só uma garota estranha ou talvez muda.
- Ei cara, tá tudo bem?- Saio de meus pensamentos com o toque de Lysandre. Ele estava com as mãos em meus ombros e pelo visto me chamava a algum tempo já.
- Ah, sim... Estava apenas pensando.- Falei voltando a andar, mas com Lysandre ao meu lado agora. Ele era uma das poucas pessoas com quem conseguia me dar bem.
    Em alguns poucos minutos de caminhada, já estávamos em frente à escola.
    A esse horário a escola estava com poucas pessoas. Eram 6:20, as aulas começavam apenas às 7:00. Não gosto de pessoas ao meu redor, então sempre chego mais cedo para evitar situações indesejáveis.
- Vamos ensaiar hoje?- Apenas assenti. Eu e o Lysandre temos inúmeras diferenças, mas nos concentramos apenas nas semelhanças, principalmente a música.
   Seguimos até o porão, sempre atentos. Ninguém sabia daquele lugar, consequentemente ninguém ia lá. Levando tudo isso em conta, resolvemos fazer daquele o nosso lugar de ensaio. Minha guitarra e caixa de sons estava ali, sem contar o microfone de Lysandre e um sofá que conseguimos por ali sem ninguém ver.
    Ficamos o resto do tempo livre ali, porém, tudo que é bom acaba rápido. 7 horas em pronto o sinal já estava soando.
- Essa velha não se atrasa nunca?- minha voz sai exasperada.
- Eu já vou indo, tente não se atrasar dessa vez.- Apenas sorri debochado.
- impossível.- Ele saiu da sala sala e eu fique ali, jogado naquele sofá esperando o tempo passar. Eu odiava viver nesse mundo, mas não significa que ficaria sem me divertir, e irritar as pessoas era divertido.
-Acho que já posso ir.- Falo vendo que já passaram dez minutos desde o começo das aulas.
    Andava sem animo algum pelos corredores. Passava pelas salas vendo através dos vidros os alunos dedicados aos estudos. Ri internamente.
     Bato na porta da sala A1, sem esperar o professor me liberar, apenas entro.
- Está atrasado senhor Castiel. - O professor falava. Seus olhos me fuzilavam, como sempre faziam.
- Não se preocupe professor, eu tenho relógio. - Disse debochado. Os olhos dele afogaram em raiva e com uma voz estridente gritou:
- Vá para o seu lugar!- Fui sem discutir e sem tirar o sorriso do rosto. Me sento na última cadeira da fileira da janela, como sempre. Coloco meus fones, porém, antes que eu me jogasse de cabeça no universo musical, uma voz prende minha atenção.
- Desculpe o atraso professor, tive dificuldades em me achar.- Levanto o olhar e logo me espanto. Era a mesma garota com quem eu esbarrei.
- Tudo bem. Você é a senhorita Nanami, não é mesmo?- Perguntou com uma voz calma. Quando é comigo esse desgraçado não tem toda essa tranquilidade.
- Sim.- Foi tudo o que a garota respondeu.
- Entre e se apresente a todos.- fez um gesto como quem da passagem a alguém. Ela caminha até onde o professor está e depois de uma reverência, começa:
- Meu nome é Nanami Haruka, mas acho que aqui o sobrenome vem em segundo, então seria Haruka Nanami.- Sua voz era doce e melodiosa, sem contar o tom brincalhão que usou, arrancando algumas risadas das pessoas.- Eu morava no Japão, mas tive que me mudar devido a alguns acontecimentos indesejáveis.- Colocou os dedos no lábio inferior, como se tentasse lembrar de algo. - Ah, já me desculpo antecipadamente se agir de modo estranho, a cultura japonesa é bem diferente da daqui.-  Ela tinha uma personalidade bem diferente do que pensava. Sua reação mais cedo não condiz com o que vejo agora.
- Muito bem senhorita, pode se sentar...hm vejamos... em frente ao senhor Castiel, o de cabelos vermelhos ali no fundo.- Seus olhos vieram rapidamente até mim, e logo se arregalaram. Um sorriso nervoso surgiu em seus lábios.
- Sabe professor, tenho uma estatura um pouco baixa, não sei se ficaria bem ali.- Argumentou. O professor pareceu ponderar.
- Está bem, então Sente-se em frente ao senhor Nathaniel.- apontou para o loiro extremamente irritante.- A propósito, meu nome é Faraize, sou o professor de história.- Falou sorrindo docemente. Ela apenas se curvou brevemente e foi ao seu lugar, dando uma rápida olhada para mim antes de sentar-se.
     Ela era diferente, eu sentia isso. Não sei o porque daquela sensação, mas eu precisava saber mais sobre ela.


Notas Finais


Tretas ou amores? O que será que rola?
Bem, só pra deixar claro, planejo fazer capítulos específicos pra cada povs, mas não significa que não terá mais de um povs em um cap. Os outros meninos irão aparecer durante o decorrer da história e só quem leu o mangá/gibi (chame do que quiser), irá reconhecer um personagem muito amado por mim!
Beijos no kokoro... fui!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...