História Fria Transcursão - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow, Hartley Rathaway (Flautista - Pied Piper), Iris West, Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Carla Tannhauser, Cisco Ramon, Frankie Kane, Harrison Wells, Harry Wells, Henry Allen, Iris West, Jesse Quick, Jesse Wells, Joe West, Patty Spivot, Sam Kane, Scott Evans, Wally West
Exibições 85
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, galera, como vocês estão? Espero que estejam bem e tenham uma ótima semana! Bem, vou ser muito breve. Eu terminei esse capítulo agorinha e ele está muito grande, então não revisei direito. Ele está sujeito a alguns ajustes básicos. Nada que obrigará alguém a lê-lo novamente, só que ele pode estar pouco coeso ou algo assim. Se estiver, peço desculpas. É que eu estive estudando para a prova da UERJ essa semana e a prova foi hoje de manhã. Daí estou cansada, fora que os vizinhos estão dando festa com música alta e isso atrapalha a minha concentração para corrigir o capítulo. Farei isso durante a semana, só quis postar logo porque eu ando falando a beça sobre o capítulo e quero ver como vocês reagem a esses eventos! Enfim, espero mesmo que gostem. Há algumas surpresas para vocês aqui. :) E algumas coisas que foram previstas por alguns leitores espertos hehe.
IMPORTANTE: Dividi esse capítulo em dois porque estava grande demais e podia ficar meio confuso. POR FAVOR, comentem em ambos. E, devido a essa divisão e eu ter postado dois capítulos, eu posso demorar duas semanas de novo para o próximo post. Não sei. Depende das circunstâncias, mas leitores participativos ao invés de leitores fantasmas sempre me incentivam a postar com mais frequência. Enfim é isso, espero que gostem.

Capítulo 14 - Arma


Barry

— Que surpresa te ver em casa a essa hora.

Viro a cabeça e observo meu pai sorrindo para mim sob a soleira da porta.

— É... Não estou com cabeça para ficar correndo pela cidade hoje.

Meu pai se aproxima e se junta a mim no sofá, ele segura uma garrafa de cerveja em uma das mãos e me estende uma segunda com a outra. Aceito e me reencosto no estofado.

— Isso tem a ver com o episódio de mais cedo com a Iris? — Ele pergunta com um olhar inquisidor.

Franzo o cenho e ele dá de ombros.

— Joe me disse que vocês brigaram e ela está se sentindo mal a respeito — explica.

Desvio o seu olhar e me reviro no acolchoado. Começo a dedilhar a garrafa fechada em silêncio, na esperança de que meu pai simplesmente entenda o recado. Não estou a fim de tocar no assunto, muito menos de ouvir sermões.

— Ele só não me contou o porquê. — Ele completa com um olhar insistente, na tentativa de me convencer. — Não quer falar sobre isso?

Vejo que meu pai não irá parar até que eu diga o que está acontecendo e acabo dando-me por vencido.

— Iris agiu pelas minhas costas... Ela publicou uma matéria sobre Caitlin, falando sobre o ataque do hotel e de uma morte da qual ela é suspeita.

— O quê? Como assim ela é suspeita?

— O homem foi morto com um tiro na cabeça e só foram encontradas três digitais. Duas são de crianças e a terceira é dela. Mesmo assim, há marcas de confronto e há muitos enigmas sobre o caso.

Meu pai assente com a cabeça e ficamos em silêncio por alguns instantes.

— E você acha que isso é razão o bastante para ficar brigado com ela?

— Pai...

— Barry, eu sei que Caitlin é importante para você, mas e se ela realmente fez isso tudo de propósito?

Paro por um momento. Eu não queria discutir com o meu pai, porém não podia concordar com aquilo. Respiro fundo.

— Não temos provas suficientes para acreditar nisso.

Meu pai abre a boca para me dar uma resposta, mas decido continuar falando.

— Eu posso estar errado, tudo bem? Só que eu prefiro estar errado por confiar demais em Caitlin do que pelo contrário.

Fito meu pai e vejo que ela ainda tem uma expressão preocupada no rosto. Olho para os pés e respiro fundo.

— Eu sei que eu posso me desiludir, mas eu sei como Cait deve estar se sentindo. Sem saída... Eu me senti assim quando achei que não conseguiria comprovar a sua inocência.

Reparo que a expressão do meu pai se suaviza e continuo.

— E é por isso que eu continuo insistindo, mesmo com todas as rasteiras. Ela se sente pior ainda e está doente e sozinha por aí. Eu sei como é ser o único que acredita em alguma coisa e nesse momento acho que nem Caitlin tem fé em si mesma, eu preciso fazer isso por ela. Pelo menos enquanto ainda há vestígios da Caitlin que eu conheço.

— Entendo — ele responde com a voz baixa. — Desculpe-me por não ter visto por esse lado.

Balanço a cabeça e deixo a garrafa de lado.

— Tudo bem.

Vejo que meu pai continua me olhando e tem algo a dizer. Aceno com a cabeça, indicando que continue.

— Bear, o seu ponto de vista é nobre e eu o apoio. Mesmo assim, você não acha que errou com a Iris? — ele pergunta cuidadosamente.

Prontifico-me para respondê-lo, mas ele estende a mão, pedindo-me para esperar que termine.

— Eu não estou dizendo que ela não tenha errado também, porém todo mundo nessa cidade está atingindo os seus limites. É humano que tanto você quanto ela errem às vezes.

Mordo o lábio.

— Vocês se conhecem desde crianças, Barry. Iris é mais que apenas a sua amiga, você acha que essa desavença realmente vale a pena?

Antes que possa responder, meu celular apita e vejo uma mensagem de Cisco.

 

"URGENTE!

Corra aqui. Você NÃO vai acreditar."

 

— Eu te vejo mais tarde, preciso encontrar com Cisco.

 

+++

 

— Cisco, o que foi? — Pergunto enquanto adentro o córtex.

— Ok. Patty e eu estávamos dando uns amassos quando eu toquei a arma dela e tive uma visão.

— Cisco!

— O quê? Não é novidade para ninguém que estamos namorando.

Patty cora completamente e dá um tapa de leve em seu ombro.

— Só vá direto ao ponto, ok?

Reviro os olhos e  Cisco gira sua cadeira. Há um saco com uma arma no assento.

— Tive uma visão dessa arma numa rua deserta. Patty e eu fomos lá e a encontramos. Segundo a análise do amigo de Patty, Julian, essa é a arma que matou Fitzgerald.

Arregalo os olhos.

— E você encontrou digitais nela? — Pergunto ansioso.

— Sim, as dele e as de Caitlin — Patty responde com um olhar nervoso.

Passo as mãos pela cabeça, preocupado. O círculo se fechava cada vez mais.

— Só que não é o que você está pensando, Barry. — Cisco acrescenta . — As digitais de Caitlin estavam no cabo. Só encontramos as digitais de Cowill no gatilho.

Esbugalho os olhos mais ainda e me permito a um pequeno sorriso em meio a toda aquela confusão. A situação era uma bagunça, mas Caitlin não havia matado aquele homem. Ainda havia esperança.

Passo os dedos pelo cabelo, tentando compreender o acontecido e escuto um pigarro. Olho ao redor e encontro Iris encolhida na entrada.

— Ah, nós também achamos que vocês precisam conversar um pouco — Cisco completa olhando para nós dois.

Ele me dá um tapinha nas costas e pega a mão de Patty, deixando-me sozinho e com Iris seriamente.

— Posso entrar? — Ela me pergunta com receio.

— Sim — respondo.

Ela se aproxima e respira fundo.

— Sinto muito. Eu errei ao fazer aquela matéria e não te avisado. Eu quis tomar a saída mais fácil e rápida e fui insensível com você e a Caitlin; me desculpe.

Iris fala honestamente e me lança um olhar impetrante.

— Eu só odeio ficar brigada com você, Barry. Ainda mais com todos os problemas que estamos passando. Eu espero que você consiga me perdoar — Ela completa, lacrimejando.

Iris enxuga uma lágrima e olha para baixo. Caminho em sua direção e levanto seu rosto.

— Ei, eu sempre irei te perdoar, ok? E eu me arrependo pelo que disse também.

Ela finalmente corresponde ao meu olhar.

— Nós dois cometemos erros, mas você está certa. Já é ruim o bastante o que Zoom está fazendo com a cidade, não vamos deixar que isso influencie na nossa relação..

— Obrigada.

Esboço um sorriso e ela me abraça apertado. Iris logo desfaz o abraço e se recompõe. 

— Olha, eu queria poder mudar o que eu fiz, porém acho que há uma maneira de contornar as coisas. Limpar um pouco a bagunça que eu fiz.

— Do que você está falando?

— Wally me deu a ideia. Tive que implorar ao Scott, mas ele conseguiu entrar em contato com a equipe de sua prima Ellen. Ela é apresentadora de um programa e conseguiu nos arranjar uns minutos nele.


Notas Finais


O que acharam? :) Enfim, há muito mais por vir e muitos capítulos da Caitlin também. Espero que continuem gostando!
AAAAH, por favor, voltem a fazer aquele ranking com os favoritos de vocês. Não importa se são cinco capítulos, dois, infinito, só falem quais que foram os que mais prenderam a atenção de vocês para eu continuar tendo noção do que vocês gostam na história.
Beijos e muito obrigada por tudo SZ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...