História Fria Transcursão - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow, Hartley Rathaway (Flautista - Pied Piper), Iris West, Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Carla Tannhauser, Cisco Ramon, Frankie Kane, Harrison Wells, Harry Wells, Henry Allen, Iris West, Jesse Quick, Jesse Wells, Joe West, Patty Spivot, Sam Kane, Scott Evans, Wally West
Exibições 68
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, gente, espero que gostem do capítulo. É da Iris, como já disse antes. Há duas revelações, uma é simples, a outra; importante.
A sequência dos próximos capítulos será: Iris, Wally e Caitlin. Eu sei que prometi a narrativa da Caitlin para ser desse, mas eu tive mais ideias, sinto muito pelo transtorno. Tentarei compensar o máximo na escrita e espero que vocês gostem dos novos pontos de vista. SZ E terá da Jesse também! Ela virá depois do da Caitlin, com certeza. Talvez não consecutivamente, porém não se preocupem com uma narrativa dela antes da da Cait. Não vai ocorrer.
É que está tudo acontecendo quase que simultaneamente e o capítulo da Caitlin só faz sentido para ser o vigésimo quarto. Emfim, espero que gostem desse daqui! Bjs

Capítulo 21 - Clareza


Iris

Scott e eu trocamos sorrisos por alguns segundos até a campainha tocar.

— Um segundo — peço.

Caminho até a porta e dou de cara com Barry ao abri-la. Cedo espaço para que ele adentre a sala.

— Ah, eu não sabia que você estava ocupada.

— Não, só estava lanchando com o Scott. Ele veio me dar uma força com as crianças — explico.

— Uau, bem generoso da parte dele.

Balanço a cabeça.

— Enfim, Barry, esse Scott é Evans. Scott, Barry...

— Allen, eu sei — Scott responde entusiasmado e estende a mão.

Barry me encara com um olhar confuso. Dou de ombros. Ele aceita o aperto.

— Grande fã.

Grande fã? Agora sou eu quem não está entendendo a situação.

— Quê? — Barry pergunta.

— Seus relatórios forenses. Eu já li todos. São ótimos, tão ricos em detalhes, me fazem sentir como uma testemunha de verdade.

— Ah, obrigado. Não pensei que alguém que não trabalhasse na mesma área fosse gostar deles.

— Bom, eu não os conhecia, mas meu namorado era um CSI e me apresentou a eles, daí eu comecei a acompanhar os seus textos. Você é incrível!

Barry e eu ficamos fazendo perguntas silenciosas um ao outro enquanto Scott tagarela fascinadamente sobre o seu trabalho.

— Bom, eu tenho que ir. Foi um prazer conhecê-lo, e Iris, obrigado pelo sanduíche.

Scott fala enquanto continua apertando a mão de Barry e depois se dirige a mim. Gesticulo com a cabeça para ele e caminho até a porta para me despedir.

Agradeço a Scott pela ajuda e combino de encontrá-lo novamente no trabalho. Ao fechar a porta, deparo-me com Barry, sua expressão ainda é desorientada.

— Ok, o que foi isso? Ele estava... Dando em cima de mim?

— Bem, eu não sei, mas posso colocá-lo na sua fita se quiser — ironizo.

— Não, obrigado.. Você sabia que ele era gay?

— Não. Não acho que seja muito educado sair perguntando a orientação sexual das pessoas por aí — respondo simplesmente.

— Você está bem? — Barry pergunta olhando nos meus olhos.

— Sim, — afirmo e faço uma pausa ao reparar o seu olhar insistente — por que você está fazendo esse questionário todo? — Indago.

— Nada... É que você fala tão bem do Scott que achei que talvez gostasse dele.

— Barry, gostar do meu chefe seria completamente inapropriado. Somos amigos. Isso é possível tanto para pessoas de sexos diferentes quanto para chefes e funcionários.

Barry continua me encarando como se quisesse analisar a veracidade de minhas palavras. Após alguns instantes, ele dá de ombros.

— Então, tudo bem com vocês aqui?

— Sim.

Barry balança a cabeça e me lança um olhar mais sério. Ele estufa o peito, receoso.

— Você acha que eu posso trocar uma palavra com a Frankie? — Ele pergunta.

Franzo o cenho.

— Por quê?

— Para ver se ela pode me dar alguma pista sobre a morte do Fitzgerald... Ou algo que me leve até a Cait.

Mordo o lábio e respiro fundo.

— Eu vou ver se ela concorda, ok?

Barry sorri de leve.

— Obrigado, Iris.

Assento e me dirijo até o meu quarto. Bato na porta.

— Oi, Frankie. Será que você vir comigo rapidinho?

A menina balança a cabeça e fecha a porta. Caminhamos até o sofá e vejo Frankie vacilar por um momento ao ver Barry. Ela logo se recupera, sem perceber que eu notei.

Sento do lado de Barry e gesticulo para que ela faça o mesmo. A garota morde o lábio e senta do outro lado dele.

— Oi, eu sou Barry.

Frankie me lança um olhar desorientado.

— Só escute o que ele tem para dizer, Frankie.

— Bem, eu trabalho para a polícia e estou investigando o caso do seu padrasto. — Barry explica e vejo Frankie inflar o peito. — A morte dele ainda está incerta para gente e eu estava pensando se poderia te fazer algumas perguntas.

A menina arregala os olhos.

— Eu já contei tudo o que eu sabia a polícia — ela responde nervosa.

Franzo o cenho diante da mudança de postura da garota.

— Eu sei, mas talvez você tenha esquecido de algo. Vocês ainda estavam em choque e eu sei que as salas da CCPD podem ser intimidadoras... Por favor, Frankie. Não vai demorar muito, prometo.

A menina suspira, porém permanece com um olhar preocupado.

— Tá bem.

— O que aconteceu naquele dia?

— Meu padrasto nos tratava mal. Ele batia em mim e me forçava a usar meus poderes para que ele assaltasse bancos. Eu posso me teletransportar e ele se aproveitava disso... — A garota começa. — Só assim que eu podia ir a rua. Ele nos mantinha numa cabana no meio de um bosque, porque eu só posso me teletransportar para lugares onde vejo.

Frankie enrosca os braços e olha para baixo.

— Eu nunca quis fazer isso, só que ele sempre ameaçava Sam para me forçar. Teve um dia que ele tirou uma arma do bolso e eu me desesperei. Peguei o Sam e tentei fugir, mas o lugar era cheio de árvores que bloqueavam a minha visão.

Frankie engole em seco.

— Mesmo assim, continuei em frente. E daí me encontrei com uma mulher. Ela falou para irmos embora e o matou.

— Você tem certeza disso?

— Sim.

Barry respira fundo.

— Frankie, não achamos as digitais de Caitlin no gatilho. Não foi ela quem matou Fitzgerald.

Frankie congela.

— Tem alguma possibilidade de que tenha sido outra pessoa? Você viu ou ouviu algo que fez parecer que mais alguém estivesse lá?

— Não — ela responde rapidamente. — Talvez meu padrasto tenha se matado por acidente.

— Pode ser, mas ele foi encontrado numa lixeira há quilômetros dali e sem roupa. A arma também estava em outro ponto distante da cidade. Frankie, você tem certeza que não se lembra de mais nada suspeito? — Barry insiste.

— Por que você está fazendo isso?

A garota eleva a voz e se levanta apressadamente.

— Eu já contei à polícia tudo o que eu sei, está bem?! Os últimos dias foram os piores da minha vida e mesmo assim eu passei horas na delegacia para tentar ajudar. Sam e eu estávamos aterrorizados, sujos, cansados e famintos e eu não me importei. Nós até tivemos cada pedaço dos nossos corpos examinados para cooperar com o caso. Você tem noção de como foi humilhante Sam e eu termos sido obrigados a nos expor daquele jeito?! — A menina dispara descontroladamente.

— Frankie...

Barry tenta acalmá-la, porém ela não lhe dá ouvidos.

— Só que os inquéritos já acabaram, ok?! Já fiz tudo o que pude para ajudar a descobrir o assassino, só que eu só vi os dois no bosque. 

A voz de Frankie continua aumentando e a sua respiração se torna mais rápida.

— Se não foi nenhum deles, então eu não sei. Só que não fui eu e não foi o meu irmão de dois anos. Nós fomos as verdadeiras vítimas da história, o nosso padrasto nos maltratou por meses e tentou nos matar! E eu só quero esquecer isso tudo!

Frankie diz ofegante e sua voz falha. Ela começa a soltar lágrimas pelo rosto desesperadamente. Contudo, ela as seca e tenta se recompor.

— Olha, eu agradeço por me ajudarem, mas não quero ser obrigada a falar do meu padrasto só porque consegui um teto, está bem? Apenas... me deixem em paz, por favor.

Frankie termina e caminha ligeiramente até o quatro, batendo a porta atrás de si.

Solto um suspiro frustrado e fito Barry.

— O que foi isso, Barry? — Pergunto.

— Eu estava tentando conseguir alguma pista — ele explica.

— É, mas esse não era o jeito! Scott e eu acabamos de conseguir fazer a Frankie conversar conosco e todo o esforço desceu por água abaixo agora.

— Desculpe.

Suavizo minha expressão.

— Eu não estou te condenando, ok? Só que Frankie está assustada e precisamos conquistar a confiança dela — esclareço.

— Eu sei, mas...

Barry suspira.

— Você não acha que ela está escondendo algo?

Estico as costas e respiro fundo, hesitante.

— Sim — confesso. — Só que ela não vai nos contar se não se sentir segura, Bar.

— Só que e se for tarde demais? Talvez a morte do Fitzgerald esteja ligada a Caitlin. Eu não sei, mas sinto como se tivesse uma bomba relógio e eu precisasse correr contra o tempo. E pode ser que o responsável pelo crime também seja uma ameaça aos dois.

Mordo o lábio, preocupado. As palavras de Barry só afloravam o meu mau pressentimento. Respiro fundo outra vez.

— Bom, só uma coisa que talvez responda nossas perguntas.

— Do que você está falando?

— Nós precisamos averiguar o caso nós mesmos.

Barry une as sobrancelhas.

— Como assim?

— Você pega as provas no departamento de polícia e nos leva até a cabana para vermos se encontramos alguma coisa.

Barry assente e nós caminhamos para fora da casa. Tranco a porta atrás de mim e rezo para que aquilo dê certo. Sabia que Frankie me odiaria por isso, mas era melhor do correr o risco de deixar Sam e ela ameaçados de alguma forma

 

+++

 

— Encontrou alguma coisa? — Pergunto olhando o vulto se mexendo rapidamente na minha frente.

Barry para e eu agradeço mentalmente por ele finalmente parar de usar a sua supervelocidade comigo.

— Talvez.

— O que é? — Pergunto.

Barry se aproxima me mostrando uma página de um caderno de Fitzgerald.

— Fui encurralado mais uma vez e tive que derrubar os caras. Sam ainda não tem controle de seus poderes e preciso dar um jeito nisso para que as limitações de Frankie parem de me prejudicar. — Barry lê em voz alta e me observa. — O que você acha que isso significa?

Fico olhando a página confusa e pensando nas duas crianças, tentando pensar em algo que repara neles e pudesse iluminar a minha cabeça. De repente, um pensamento me acerta em cheio e arregalo os olhos.

Barry faz o mesmo.

— O que foi Iris? — Ele pergunta.

— E se foi o Sam quem matou o Fitzgerald? — Questiono.

— Como assim? — Barry pergunta com a testa enrugada.

— Telecinese, Barry. E se Sam consegue movimentar objetos com a mente? — Sugiro. — Sam ter poderes psicocinéticos explica tudo, Bar. Porque o padrasto conseguia usá-los em seus crimes, porque ele teve uma morte tão enigmática, porque a Frankie está agindo de maneira tão estranha e não me deixa ficar perto do irmão... Até explica a xícara de café caindo na minha blusa hoje de manhã! E se Sam é quem foi responsável por tudo isso?

Barry permanece estático e nós dois trocamos olhares, assustados com tamanha possibilidade.
 


Notas Finais


O que acharam?
E o que vocês acharam desse episódio S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L de The Flash dessa semana? Estou morrendo e ressuscitando direto enquanto continuo assistindo as cenas. O MELHOR episódio até agora. Eu achei a segunda temporada uma merda e achei os 3.02 e 3.05 "bons episódios", nada de extraordinário...
Só que Killer Frost, MEU DEUS DO CÉU. Tiro para todos os lados. Até compensou todo o lixo de antes. O problema é que me deixou querendo mais e o próximo episódio é o crossover, o que significa que Team Flash quase não irá aparecer. :( Espero que eles sigam essa linha de boa escrita e parem de ignorar a Caitlin agora.
Não é coincidência que os episódios dela e que focam no trio são os melhores. Eles são o coração da série e o que levou o público a se apaixonar por ela, na minha opinião. Enfim, o que vocês acharam do show que a Caitlin deu soltando a verdade nua e crua e enfrentando o Barry? E o Cisco? Partiu meu coração! E sobre Wally e Julian. Feliz pelo meu bebê, frustrada com o que fizeram com o Julian. Não estou impressionada. Ele merecia mais. Não gostei muito da ideia de outro macho nessa sausage fest que é The Flash, mas ele é um tesouro para o seriado que está sendo desperdiçado. Enfim, espero que consertem isso nos próximos episódios. Agora vou ficar de olho nos 3x12 e 3x13 que a Dani falou, ela está animada por eles, o que me leva a crer que o Golden Trio irá se unir e entrar em ação pela primeira vez :) *cruza os dedos*
Ah, alguém pode me indicar música? dos gêneros pop rock/alternativo/indie/folk, mas do tipo de trilha sonora, sabe, aquele instrumental intenso e emocional, não música quase parando. Também não extremamente barulhenta, algo que vá crescendo e criando um clímax que soe como trilha sonora de algum drama ou algo assim, tipo as músicas de One Tree Hill (como 23 e Hear You Me do Jimmy Eat World) ou Smallville (como What You Feel do Chris Levy).
Ah, alguém vota aqui, por favor? Esse foi o primeiro episódio que realmente focou na Caitlin sozinha e deu a valorização que ela merece, e precisamos mostrar isso aos criadores. Votem na cena dela (e do Barry) como a melhor da semana, por favor! Com todos os celulares que conseguirem, computadores, tablets etc. Se alguém conseguir enganar o endereço de IP também, faça isso hehe. Sério, ela merece mais e estou me organizando para criar um grupo para reivindicar melhor tratamento a ela e para os autores darem atenção é preciso se manifestar em números. Enfim, aqui o link e obrigada!
http://t.umblr.com/redirect?z=http%3A%2F%2Fwww.spoilertv.com%2F2016%2F11%2Fscene-of-week-november-27-2016-poll.html%3Futm_source%3Ddlvr.it%26utm_medium%3Dtwitter%26m%3D1&t=ZDE1ZGM1MDRmYTViYWI5NmVkYTlhNTZiNmVjMDI3ODI1NjExODcwMixaRnJwWjNvaw%3D%3D&b=t%3A1eX4v2mcsz9WwPtoDSRUag&m=1
E alguém aí tem algum pedido ou algo assim? Uma história, um personagem, um ship? Não esperem que eu pergunte, apenas deem as sugestões e eu farei de tudo para usá-los aqui! E se ocorrer algo como você pedir um ship e depois mudar de ideia, não se preocupe também.
Enfim, muito obrigada sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...