História Friday - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Terror
Exibições 4
Palavras 1.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gentee, como foi o fim de semana? O feriado hoje?
Desculpa a demora, mas estou aqui.

Capítulo 9 - Capítulo Oito


Fanfic / Fanfiction Friday - Capítulo 9 - Capítulo Oito

— Vamos sair daqui gente. — Diz Duda. A loira está aterrorizada.

 Aflitos e confusos, os cinco ficam sem entender a ausência da roqueira. “Será que ela voltou para onde está o pessoal esperando? Por que ela iria sozinha? Por que iria deixar seu namorado? Por que ela iria sem avisar ninguém? Ou será que está perdida? E de quem é este sangue? Será que é da Luiza?”. Todas essas perguntas passam pelas suas cabeças. A preocupação começa a aparecer, principalmente seu namorado. O grupo olha para todos os lados, procurando pela roqueira, caminham um pouco, gritam pelo seu nome, para ver se respondia, para ver se a encontravam, mas nada acontecia, nem um sinal da morena, o grupo apenas ouvia o barulho dos grilos e cigarras, e viam apenas as arvores e a escuridão na floresta.

— Mas agora nós precisamos procurar minha namorada, não posso deixá-la. – Ele dizia encostando-se em uma arvore para pensar, para tentar entender o sumiço de Luiza. – Como eu vou chegar em casa sem ela? Os pais dela vão me matar.

— Talvez ela tenha ido embora! – Dizia Eduarda tentando ajudar a diminuir a preocupação.

— Ela não iria embora assim do nada. – Diz Jake.

— Não faz nenhum sentido ela me deixar né!

— Talvez ela esteja perdida, sei lá. – Dizia Izadora.

— Mas ela estava atrás de mim agora. – Dizia Caio, desesperadamente preocupado, colocando a mão em sua boca, gritando-a – LUIZAA!

— Gente, eu estou com medo, vamos voltar! – Dizia a covarde da Duda.

— Nós precisamos fazer alguma coisa. Eu não vou sair daqui até achá-la.

— Galera. Tem mais sangue aqui. – Megan vê mais sangue na mata, um pouco depois daquele que ela havia visto. Os dois meninos se aproximam para ver o sangue e estava fresco, entretanto Jake vê um brinco ao lado do liquido.

— Olha! Isto é da Luiza, Caio? – Pergunta o moreno apontando para o objeto. Caio olha o brinco e desconfia que seja dela.

— Acho que sim, não lembro.

 Logo um pouco depois desse brinco, Jake vê mais um pouco de sangue em baixo de umas folhas. Ele se aproxima, abaixa e pega essas folhas, porém o moreno vê uma orelha.

— Ai meu Deus! – Se espanta Megan.

— Caralho! – Jake xinga espantado soltando as folhas.

— AAAH! – A loira grita. - Vamos embora daqui. – A medrosa caminha, tomando iniciativa para iriem embora.

— E a Luiza? – Pergunta o roqueiro.

— Nós voltaremos para procurar por ela. – Dizia Jake colocando sua mão no ombro de seu amigo. – Eu prometo amigo. Agora vamos sair daqui.

 Os cinco iniciam a caminhada de volta para o encontro com seus amigos. Eles estão com bastante medo por terem visto aquelas coisas assustadoras na mata e também percebem que está ficando bastante escuro, já havia passado do horário de encontro, então começam a aumentar seus passos. De repente Jason aparece por trás deles na floresta e o grupo não ouve na nada. O assassino está segurando o arco e com sua outra mão, ele pega uma flecha em sua aljava, encaixa no arco e a joga, acertando a cabeça do Caio atravessando pela sua testa, fazendo o cai morto.

— NÃOO! – Desesperada ao ver a cena ao seu lado, Megan coloca as mãos em sua boca.

— AHH! – No mesmo instante Iza e Duda gritam juntas.

— CARALHO! – Grita Jake. – Vamos sair daqui agora!

— Mas Jake... O Caio... Não podemos deixa-lo! – A morena assustada, dizia pausando, pois estava chorando olhando para seu amigo morto.

— Eu sei Meg, mas nós temos que ir... – Dizia o moreno sendo interrompido ao ver Jason ao lado de uma arvore não tão longe, com seu arco na mão. – Agora!

 Jake puxa Megan e sai correndo com as meninas. Eles correm para o meio da mata, e Jason não os segue. O assassino vai andando em direção ao corpo do Caio, arranca a flecha de sua cabeça e coloca novamente em sua aljava. Jason segura no pé de Caio e o arrasta pra floresta.

**********

 Ainda lá no ferro velho, o grupo que foi procurar por Barbara ainda investigava aquele lugar estranho. Os meninos testam quase todos os carros e nenhum funciona. O lugar está deserto, não parecia ser um ferro velho qualquer, os transportes não estão muito destruídos, apenas eram pequenos defeitos que não os fazia funcionar. Os seis estão assustados com as coisas que encontraram naquele local, ficaram mais apavorados ainda quando viram sangue, entretanto eles veem o ônibus em que vieram.

— Quem o trouxe pra cá? – Juliana pergunta para os meninos que estão dentro do ônibus.

 O transporte estava apenas com a parte traseira, a frente havia se destruído com a explosão.

— Que estranho. – Rodrigo dizia descendo do ônibus.

— Deve ter algum reboque por aqui, alguma pessoa por perto. – Diz Bruna.

— É verdade, ele não veio pra cá sozinho. – Diz Juju.

— Amor, isso é sangue? – A japonesa fica assustada ao ver alguns rastros de sangue, algumas pegadas, próximo ao ônibus.

 Thiago desce do ônibus indo para o lado de sua namorando vendo os rastros.

— Ai está essa pessoa. – Dizia Rodrigo seguindo as primeiras pegadas.

— Para onde você vai mais alto? – Pergunta Thiago.

— Esta é a nossa ajuda. Ele deve ter trazido o corpo de Ricardo pra enterra-lo, sei lá.

— Acho que não mano. Por que ele faria isso? Nem nos conhece. Isso está muito estranho. – Dizia o anjinho desconfiado. - Acho melhor sairmos daqui, depois voltamos com o resto do pessoal.

 Com a decisão de Thiago, o grupo entra na mata caminhando de volta. De repente Emanuela distraída, pisa em uma corda. A morena não tinha visto, havia muitas folhas escondendo. É uma armadilha que a deixa de cabeça para baixo.

— Me ajudem!

**********

 Depois de tanto que os quatro correm, finalmente Megan, Jake, Izadora e Eduarda conseguem chegar ao local onde seus amigos estão esperando. A garotada se levanta ao ver como eles chegam desesperados, Izadora vai em direção a Letícia e a abraça.

— O que houve gente? – Vinicius pergunta sem entender o motivo daquele alvoroço.

— Cadê o Felipe e o Rafael? – Jake pergunta ofegante, olhando para todos os lados da mata para ver se o assassino está por perto.

— Foram mijar. – Pergunta John.

— O que aconteceu gente? – Pergunta Pati, sem entender o que havia ocorrido.

— O que houve Iza? E cadê o Caio e a Luiza? – Leticia não entendia o motivo da amiga estar chorando.

— Estão mortos! – Eduarda diz chorando, se sentando para descansar. – Eu quero ir embora daqui.

— Que? – Leticia coloca a mão na boca, após Iza soltá-la e começa a chorar.

— Mentira! – Dizia Patrícia fazendo o mesmo.

— Para de brincadeira cara. – Dizia John.

— Isso parece ser brincadeira. – Dizia Jake sério.

— Quem fez isso? Vocês não viram? – Pergunta Vini.

— Essa foi a pior parte, nós vimos. – Dizia Megan limpando suas lágrimas.

— Vocês não viram o rosto?

— Não dava Vinicius, ele estava com uma máscara... – Ela pausava um pouco confuso - De hóquei, sei lá.

— Hóquei? Como assim? – Vinicius não conseguia entender aquela situação.

— O Felipe e Rafael estão lá há muito tempo? – Pergunta Jake.

— Bastante. – Responde John.

— E o pessoal que foi procurar a Bárbara... – O moreno dizia fazendo uma pausa para respirar. - Já voltaram?

— Não. – Respondia Vinicius.


Notas Finais


E as coisas cada vez pioram haha, comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...