História Friday The 13th - Capítulo 1


Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Jiraiya, Juugo, Kakashi Hatake, Karin, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shizune, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Naruhina, Naruto, Sasusaku, Sexta-feira 13, Terror, Universo Alternativo
Visualizações 23
Palavras 1.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá! Cheguei com um novo projeto de fanfic inspirado em Sexta-feira 13 junto com duas amigas minhas, Camz e Mari.
Espero que gostem
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Um


Friday The 13th

Capítulo Um



   A paisagem da janela do carro era a única diversão que Sakura tinha no momento. Chegaram ao ponto em que o sinal de celular não pegava, muito menos internet. Todo que se via eram os pinheiros ao longo da subida da montanha.

   Com os fones de ouvido ligados, Sakura não escutava um ruído sequer do meio externo como forma de protesto por estar indo para o acampamento de seus avós junto de seu irmão Naruto. Tsunade e Jiraiya administravam o extenso e quase enorme acampamento de verão, que por algum motivo estaria rodando esse verão só para jovens em torno dos 16 aos 18 anos. Para os jovens problemas, ou quase isso. O que significaria que a maior parte do acampamento estaria vazio e para não morrer de tédio, Sakura contava com a presença de Hinata e Ino naquele pedaço de fim de mundo.

   Sakura desligou a música e tirou o Headphone do ouvido. Prestando atenção agora com o que acontecia à sua volta, percebeu um Naruto inquieto perguntando se já estavam chegando e uma Kushina prestes a explodir no banco do carona enquanto Minato dirigia pela estrada tranquila.

   Jogou os fones no peito de seu irmão e cruzou os braços. Os fones que na verdade pertencia a Naruto foi pego emprestado no meio da viagem por Sakura. Relutou muito no início e quase teve o fígado arrancado para fora do corpo pelas unhas não tão grandes, mas bem afiadas dela. E foi naquele momento que ela se arrependeu de ter guardado seus fones na sua bolsa de mão que estava no porta-malas e de não carregar uma mochila consigo.

   Naruto sem se importar com a brutalidade da irmã pegou o headphone e pendurou-o na nuca. Pegou o celular e olhou as horas para depois soltar:

   — Estamos chegando?

   O olho direito de Kushina entrou em um tique nervoso forte enquanto tentava controlar a raiva. A personalidade forte dela que por muitas vezes dificultava no controle de sua raiva e violência, fora uma característica que Sakura havia herdado.

   — Não importa se estamos chegando. Estamos sendo obrigados a ir — respondeu Sakura irritada.

   — Responda por si só, ‘ttebayo!

   Sakura lançou lhe um olhar cortante que fez o corpo do Uzumaki arrepiar-se e encolher-se no banco. Às vezes Sakura conseguia ser tão sombria quanto sua mãe.

   — Qual é o problema Sakura? Você adorava o acampamento quando pequena — respondeu Minato quando olhava-a pelo retrovisor. O sorriso terno nos lábios e a expressão carregada de paciência era uma de suas virtudes. Infelizmente, nenhum dos filhos havia herdado isso, com certeza se tivessem, seriam menos problemáticos.

   — Você falou certo! Quando eu era criança! — respondeu impaciente.

   — Já chega Sakura! — exclamou Kushina. — Não adianta discutir sobre isso. Já tomamos a nossa decisão, pare de fazer pirraça. Quem sabe o acampamento mude você um pouquinho.

   Sakura apertou os dedos em volta de seu braço coberto pelo seu suéter de tricô quadriculado em preto e branco. Os dentes rangiam de raiva e revirou os olhos cansada do mesmo discurso. Era sempre a mesma coisa quando aprontava uma.

   Voltou sua atenção para a janela novamente. Os raios de sol começavam a passar entre as copas das árvores e a pouco tempo o clima já estaria quente. Desperdício vir com seu suéter de tricô.

   Ela não planejava nada, uma parte havia se conformado que não dava para fugir do acampamento. Para pegar a estrada era necessário um carro, nunca chegaria em seu destino andando, mas pegar um carro no acampamento era fora de cogitação, eles não eram abastecidos e as chaves e a gasolina ficavam escondidos. Fugir pela floresta também não era uma boa opção, poderia ficar perdida e ser comida por um urso, mesmo que o irmão fale centenas de vezes que naquela região não havia ursos pardos.

   — Fique calma Sakura, o Sasuke estará lá, não precisa ficar assim achando que não irá ver ele.

   O que sentiu depois de falar aquela frase foi a cabeça sendo lançada para frente e a nuca ardendo. Havia levado um tapa daqueles, ele tinha certeza que ficaria vermelho mais tarde, talvez já estivesse. Acariciou a nuca e gemeu de dor.

   — Cala boca, idiota! — respondeu Sakura com os olhos banhados em fúria. Kushina virou-se instantaneamente para os dois filhos no banco traseiro. Minato acompanhava tudo pelo retrovisor.

   — O que o Sasuke tem haver com essa história, Naruto? — falou Kushina séria. Era a hora da sua morte, ele já via a luz chegando. Se não morresse na mão de Kushina iria morrer na mão de Sakura, não tinha saída. — Naruto, eu te fiz uma pergunta e quero que responda.

   Ele respirou fundo e se despedia de todos silenciosamente.

  — É que… Assim, sabe… — começou embolado. Kushina ergueu uma de suas sobrancelhas como forma de mandá-lo prosseguir. — Sakura tem um penhasco por Sasuke…

  Falou prolongando a frase e deixando-a morrer. O silêncio que impregnou no carro por alguns segundos durou pouco até que Kushina assimilasse o que Naruto quiz dizer com aquilo. Do outro lado Sakura estava a ponto de entrar em ebulição.

   — Ah! Eu sabia! — gritou Kushina animada. — Viu Minato! Eu e Mikoto estávamos certas! Eu avisei!

   Minato deu um sorriso calmo e acenou positivamente.

   — Sim, você estava certa — concluiu de forma divertida. Naruto estava confuso pela cena que via e só pode concluir que Kushina e Dona Mikoto já suspeitavam de Sakura e Sasuke.

   — Não se preocupe Sakura, com certeza Sasuke estará lá! — disse Kushina risonha. Ela já até imaginava o casório em sua imaginação fértil.

   Mal sabendo ela que o motivo por detrás da relutância de Sakura em ir seja ele, o dono dos seus pensamentos desde que tinha 7 anos. Sasuke e Sakura mantiam um relacionamento aberto em segredo desde o seus 16 anos, mesmo todos sabendo dos sentimentos amorosos dela pelo Uchiha que ignorava-os a todo custo. Sasuke não queria nada sério com Sakura, apesar de gostar da companhia dela, ele gostava de sua liberdade. Gostava de sair com a garota que quisesse e deixou bem claro para Sakura desde o início que o que tinham não era nada sério. A Uzumaki de qualquer forma aceitou e tentava ao máximo não ligar para as outras garotas, até que descobriu que Karin, sua prima que sabia mais do que ninguém sobre os seus sentimentos nutridos pelo Uchiha, estava tendo um caso com ele.

   No início ficou irada e se sentia traída por descobrir que sua prima tinha feito isso e não queria ver de jeito algum nenhum dos dois, não sendo à toa que ignorou as três chamadas de Sasuke ontem a noite e uma hoje de manhã. Agora estava sendo obrigada a conviver e ver os dois por quase mais de um mês e alguns dias.

   Ignorou os olhares maliciosos que sua mãe lhe lançava vez ou outra pelo retrovisor. Olhou para Naruto ao seu lado tendo vontade de pular no pescoço dele. Como se não bastasse a raiva agora por culpa dele, ela estava mais do que constrangida com os olhares de Kushina.

  Viu quando os pinheiros foram substituídos pelos portões do acampamento e quase saltou para fora do carro.

  Esperou a porta destravar e pulou para fora. Logo sentiu o vento da montanha nas pernas desnudas que eram cobertas por uma saia preta até na metade das coxas. Fechou a porta do carro sendo seguida pela sua família. Minato foi abrir o porta-malas e Naruto foi pegar sua bolsa laranja berrante que Sakura tanto odiava, um dia ela ainda queimaria-a.

   — Sakura — Minato a chamou. Sakura virou-se para trás e viu seu pai erguer sua bolsa rosa e vermelha. Pegou-a com desgosto e a pendurou no ombro direito.

   — Ainda dá tempo de me levar de volta para casa — cantarolou Sakura esperançosa. Minato sorriu e balançou a cabeça que não ouvindo um bufo em resposta.

   Olhou para Kushina que abraçava Naruto como se ele fosse um soldado pronto a ir para guerra. Deu um abraço em seu pai de despedida e se permitiu dar um meio sorriso.

   Logo sentiu as costelas sendo pressionadas com força pelo abraço super protetor de sua mãe que a alertava a fazer nada de errado e que a fazera prometer que não se machucaria.

   — Tomem cuidado vocês dois! — alertou mais uma vez Kushina depois de se soltar de Sakura e caminhar de volta para o carro.

   — Até o final das férias crianças. Divirtam-se! — desejou Minato antes de entrar no carro.

   — Amo vocês — falou Kushina dando um pequeno aceno antes do carro fazer o retorno.

   Sakura e Naruto acenaram para o carro em despedida.

   — Vamos entrar, Sakura — chamou Naruto. Ela virou-se para ele tirando os olhos do carro prateado.

   — Pode ir na frente. Encontro você daqui a pouco — falou voltando a ver o carro dos pais. Escutou os passos de Naruto se desaproximando de si e soube que ele já havia entrado acampamento adentro.

   Ficou do lado de fora até ver o carro prateado sumir de suas vistas e só assim pôde se virar para o camping. O letreiro de ferro continuava o mesmo do que se lembrava antes. As palavras Acampamento Uzumaki continuavam gravadas ali.

    


Notas Finais


Espero que gostem. Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...