História Friends - L3ddy - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti
Personagens Lucas "LubaTV", Lucas Olioti
Exibições 172
Palavras 2.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tá um título de merda porque eu não consegui pensar em nada melhor e mais criativo isjeinejd desculpa. Anyway, boa leitura 💙✨ Ps: Quem escreveu a declaração do T3ddy foi uma amiguinha, mais conhecida como praga, Bia (beatriz121lopes) :v Só isso mesmo que eu queria deixar claro kskwid

Capítulo 33 - Fui Pedir O Luba Em Namoro E Olha No Que Deu!!!


T3ddy On

Eu estou tremendo um pouco. Acho que é o medo e a preocupação em alguma coisa dar errada ou eu fazer merda.

Pra falar a verdade, eu já fiz merda. Eu errei o maravilhoso caminho até o restaurante umas duas vezes - por culpa do gps do inferno que mandava eu ir pelo caminho errado - mas fingi que nada aconteceu e fiz o retorno normalmente apenas xingando mentalmente. Acho que Luba nem percebeu o que eu fiz, já que estava distraído demais com a rua e com a música que estava tocando no rádio.

Eu queria bater a cabeça no volante do carro até entrar em coma por já ter começado a fazer merda e chegar atrasado na desgraça do restaurante.

A irritação e o nervoso eram tantos que nem ao menos entrei de mãos dadas com o Luba. Pra falar a verdade, eu mal olhei na cara dele.

Ok, ok, a culpa não era dele. Eu nem ao menos fiz isso com o intuito de fazer com que ele pensasse que fez algo de errado e tal. Só tava irritado e precisava ficar um minuto sozinho pra respirar e me controlar.

Já começo mal e pagando micão assim que entro no restaurante e quase derrubo um dos garçons que passava pelo corredor. Ainda bem que Luba ainda não tinha entrado quando isso aconteceu...

Peço desculpas para o moço meio constrangido e me sento rapidamente em uma mesa próxima à uma das grandes janelas.

Dou uma olhada no local tentando prestar atenção nos detalhes. Toalhas vermelhas cobrindo as mesas com um formato arredondado. Um enfeite com vários tipos de flores foram colocados em cada uma das mesas. E pude perceber também que não havia tanta luz no ambiente.

Não tinham muitas pessoas, mas também não haviam poucas, digamos que metade do restaurante estava cheio enquanto a outra metade, obviamente estava vazia. A maior parte das pessoas sentadas nas mesas eram casais.

Olho mais uma vez ao redor e percebo que Luba ainda não entrou.

"Será que eu estou achando que já se passaram mais de vinte minutos e Luba está enrolando por estar muito ansioso ou o tempo está passando lentamente e eu que não percebi?" Penso comigo mesmo e continuo olhando em todos os cantos do restaurante procurando pelo rosto de Luba.

"Você deveria ter entrado de mãos dadas com ele" Minha consciência me alerta.

Sei que deveria mas...

"Você magoou ele, sabe disso não é? Sabe que é por isso que ele ainda não entrou, certo? A culpa é sua. A noite de vocês mal começou e você já fez merdas demais..." minha consciência continua gritando dentro de minha cabeça.

"Ele deve ter ido embora por achar que você sente vergonha dele.... Que sente vergonha de admitir que o ama..." Consciência filha de uma puta que não cala a porra da boca!

Ele não iria embora a pé... Tá de noite... E ele não me deixaria aqui, acho...

"Ele te deixaria aqui assim como você o deixou na entrada do restaurante..."

Eu tô começando a me sentir culpado...

"Deveria se sentir mesmo"

Paro de me preocupar por um tempo, saindo de meus pensamentos e observo Luba se sentando na cadeira à minha frente. Ele está com uma expressão estranha e os ombros caídos.

"O que foi?" - Arqueio uma sobrancelha e Luba me observa.

"Nada... Por quê?" - Ele tenta sorrir, mas não consegue muito bem, pois sai um sorriso mais forçado do que verdadeiro.

Odeio não saber o que você sente... Odeio saber que tem alguma coisa errada, mas mesmo assim você continua fingindo que não é nada... Odeio que a culpa de você estar chateado ou bravo possa ser minha...

Odeio saber que faço as mesmas coisas com você... Odeio saber que escondo tudo o que ando sentindo... Odeio saber que você deve achar que eu não confio em você...

"Você tá estranho... Parece meio triste..." - Digo baixo e meio preocupado.

"Eu tô bem, relaxa." - Luba da de ombros e sorri mais uma vez, dessa vez, um sorriso mais sincero e verdadeiro.

Decido não ficar insistindo porque sei que Luba vai acabar ficando irritado e vai dar tudo errado no final.

"Luba..." - O chamo baixo e o mesmo volta o olhar para mim depois de observar o restaurante por alguns minutos. Ele continuou com um sorriso pequeno nos lábios.

"Pode falar, amor" - Ele diz calmo e eu sorrio assim que escuto ele me chamando de amor. Não que seja uma coisa fora do comum, mas não deixa de ser fofo e adorável.

"Me desculpa... Por ter te deixado do nada antes de entrarmos aqui... Por não ter nem olhado na sua cara... Eu tava tão irritado por já ter errado o caminho, mas a culpa disso não é sua então eu não deveria ter te tratado..." - Luba me corta antes que eu possa prosseguir.

"Tudo bem T3ddy. Olha, eu fiquei um pouco chateado, mas agora que entendi o motivo do que fez, fico mais... calmo. Só acho que você deveria falar comigo sobre o que acoteceu e sobre como você se sente para eu não ficar imaginando coisas e me magoar sendo que não é nada demais..." - Luba coloca a sua mão sobre a minha na mesa e eu sorrio ainda mais em sua direção e concordo com a cabeça.

Tenho medo de qual pode ser a reação do Luba.

Tenho medo da resposta que ele pode me dar

Tenho medo do que vai vir depois disso.

Pra variar eu tô com medo de praticamente tudo que pode dar errado.

Sabe, as consequências de pedir o Luba em namoro seriam muitas, se formos pensar por um lado...

Ou pode ser que absolutamente nada mude.

Se alguma coisa der errado, você vai me perdoar? Ou eu vou te perder para sempre...?

Queria pode te dizer essas coisas...

Queria poder ser sincero com você...

Queria não ser tão fechado sobre tudo o que sinto...

Queria conseguir não criar barreiras entre você e eu...

Só queria um abraço... Isso já me faria ficar mais calmo sobre toda essa confusão dentro de mim mesmo no momento...

Sempre ficamos um na casa do outro quando viajamos. Explicando melhor, quando eu venho para Tubarão - o que quase nunca acontece, mas ok - e fico na casa do Luba ou vise e versa.

Nós dormimos na mesma cama. Nós já transamos. Estamos ficando há mais de dois meses, tirando que, o nosso "ficar" parece mais um namoro.

Resumindo, só não somos realmente namorados porque até o momento ninguém fez um pedido e virou uma coisa "oficial", digamos assim.

"Então, por qual motivo exatamente estamos aqui hoje?" - Luba começa antes que eu possa dizer mais alguma coisa.

"Ah, sobre isso, acho que já posso dizer" - Sorrio fraco e empurro a minha cadeira para trás, obviamente para me levantar.

Me levanto para me aproximar de Luba e dizer o que tenho que dizer, fazer o pedido, dizer as coisas bonitinhas que eu tinha planejado e tal. Mas, acabo esbarrando a mão em um dos pratos e no copo com suco de Luba. Como a mesa era pequena, caiu tudo em cima dele que me olhou imediatamente.

"Ele vai me matar" Penso comigo mesmo.

"Ai meu Deus... L-Luba... Eu... Ahm... Me desculpa por isso... Eu não queria..." - Olho fixamente para Luba mas desvio o olhar rapidamente algumas vezes para observar a situação ao nosso redor. A maior parte das pessoas - se não todas elas - nos observam. Algumas seguram o riso, enquanto outras apenas olham com cara de quem não está entendendo nada.

Consigo ver Luba apenas segurando o riso e dizendo que está tudo bem.

"Não... Não tá tudo bem, Lucas... Olha, eu preciso te falar um negócio... " - Quando vou me aproximar mais de Luba, por algum motivo do Satanás, a toalha da mesa prendeu no meu cinto, ou seja, eu levei tudo que tinha em cima da mesa ao chão. Quase levo a mesa junto, mas consigo segurá-la no lugar.

Porra. Cu. Pinto. Buceta. Caralha. Inferno. Demônio. Porra. Puta que pariu. Cacete...

"T3ddy, acho que você derrubou alguns pratos" - Luba diz entre risos e eu olho para o chão, meio que por estar envergonhado e constrangido e para ver a desgraça que eu acabei de fazer no chão. Vejo que o enfeite com flores caiu em baixo da mesa e me agacho para pegar o mesmo.

"Ai porra!" - Remungo quando bato a cabeça na mesa. Escuto Luba rindo alto.

Isso, ri da minha desgraça mesmo...

Caralho, tá tudo dando errado...

Me levanto e observo Luba. O encaro com um olhar triste enquanto ele continua morrendo de rir do que aconteceu anteriormente, chegando ao ponto de engasgar com a própria saliva.

"Meu Deus T3ddy, tu só faz merda!" - Luba diz entre risos

É, ele está certo...

Vamos listar as merdas que aconteceram em um só dia:

1- Eu errei o caminho duas vezes

2- Derrubei suco/comida em cima do Luba

3- Eu quase derrubei a mesa

4- Deixei o Luba magoado antes mesmo de entrarmos no restaurante.

5- Derrubei tudo que tava em cima da mesa

6- Bati a cabeça na mesa na hora de pegar as coisas que eu tinha derrubado.

7- Quase derrubei um garçom na hora que cheguei

8- Tá todo mundo olhando pra nossa mesa e achando que somos retardados - não que não sejamos, mas mesmo assim tá meio constrangedor... - e daqui a pouco vamos ser expulsos se continuarmos desse jeito.

Resumindo, eu estraguei tudo que eu tinha planejado...

"Luba..." - O chamo e ele para de rir. Consigo ver que tem algumas lágrimas nos cantos de seus olhos pelo tanto que ele riu.

Pelo menos ele tá achando engraçado e não tá me odiando...

Luba... - Falo e começo me aproximar - Eu sei que posso não ter te amado desde do inicio como te amo hoje, eu sei que sinto ciúmes atoa e que passo dos limites às vezes, sei que faço brincadeiras em horas erradas e brincadeiras erradas, sei que sou todo errado e que nem merecia o seu amor, sei também que a vida sem você seria mais chata e "sem cor", seria uma monotonia sem fim... mas também sei que te amo mais do que qualquer um, sei que posso não ser o melhor para você, mas sei que você é o melhor para mim... Parece egotista, mas não é já que eu quero dividir minha felicidade contigo meu amor contigo, assim como eu quero que você divida seus medos e inseguranças comigo, quero ajudar você a superar seus medos assim como você me ajuda, quero dividir minha vida contigo assim como quero que você divida a sua comigo. - Fico na sua frente. - Eu te amo mais do que tudo e mais do que todos que ja amei, eu quero que fique feliz ao meu lado assim como eu sou ao seu, eu quero ser carinhoso com você do mesmo jeito que você é comigo, você me fez perceber o quão bom é amar e ser amado, me fez perceber que vale sim mudar pelas pessoas certas, então deixa eu te pedir um favor... Perdoa minhas mancadas e não desiste de mim...
Perdoa minhas mancadas e deixa eu consertar elas...
Perdoa minhas mancadas e deixa eu te fazer um pouquinho mais feliz? - o olho rapidamente - Lucas você aceita namorar comigo?

Luba me olha de um jeito tão intenso, que chega a me deixar sem graça. Ele analisa cada parte de meu rosto e parece tentar processar tudo que eu acabei de dizer. As suas sobrancelhas estão juntas e ele está sério.

Alguns minutos se passam e Luba continua me observando, até que ele sai de seu "transe" e finalmente abre a boca para me responder.

"E-Eu não... Eu não sei o que dizer..." - Luba diz lentamente. - "Eu... Eu só... Eu tô tão feliz em escutar você me dizendo essas coisas fofas e amáveis. Eu tô tão surpreso com esse pedido e com você se abrindo comigo e dizendo tudo o que sente... Eu só quero passar o resto dos meus dias com você, Lucas Olioti" - Luba abre um sorriso largo e visivelmente cheio de alegria. - "Sim T3ddy, eu aceito namorar com você" - Ele se levanta e me abraça, quase me derrubando no chão. O que não seria nada demais, apenas mais um micão para esse dia. Não que eu me importasse, afinal, a única coisa que me importa no momento é o Luba ter dito sim. O Luba ser finalmente o MEU namorado.

"Eu te amo tanto" - Digo próximo ao seu ouvido e sorrio largamente, assim como Luba há algum tempo atrás.

"Eu também te amo muito" - Luba responde cortando o abraço depois de um tempo e me beijando intensamente.

Após cortar o beijo, decidimos pagar a conta - que não foi nada barata, afinal, eu quebrei um monte de coisas e fiz a maior bagunça do mundo - e irmos embora. Vamos andando de mãos dadas em direção ao carro. Nós continuávamos sorrindo como dois bobos apaixonados, o que nós realmente somos.

Assim que entramos no carro, Luba vira o rosto para mim.

"Vamos precisar conversar sobre algumas coisas, ok? Vamos precisar resolver algumas coisas para não termos problemas no namoro, certo?" - Eu apenas assinto com a cabeça e ele me dá um selinho, antes que eu dê partida no carro...

Luba On

Passo o caminho todo até minha casa sorrindo largamente e radiante. Poderia ser uma coisa tão boba, tão simples, mas foi tão especial e significativo para mim!

O T3ddy fez um monte de merda, mas não deixou de ser engraçado. Não vou mentir e dizer que não imaginei que esse mistério e a surpresa eram sobre T3ddy me pedir em namoro...

Mas sabe, mesmo eu achando que poderia ser isso, eu mesmo não acreditava que T3ddy me pediria em namoro tão cedo...

Ok, ok, estamos ficando há mais de dois meses, mas mesmo assim, o T3ddy parece tão inseguro sobre o assunto de nós dois e nosso futuro, então sei lá... Digamos que eu fiquei bem surpreso e muito feliz!

Assim que saio dos meus pensamentos, percebo que o carro ja está parado na garagem e T3ddy abre a porta para mim.

Saio do carro e T3ddy logo segura minha mão, me levanto em direção à entrada do prédio.

Enquanto o elevador sobe, apenas trocamos olhares e sorrisos. Continuamos de mãos dadas o tempo todo.

Chegamos em frente ao meu apartamento depois de dois minutos, mais ou menos. Tiro as chaves do bolso e abro a porta. T3ddy fica apenas me observando.

Assim que nós dois estamos do lado de dentro do apartamento, tranco a porta. Vamos andando direto para meu quarto e assim que me viro para ir para a cama depois de fechar a porta, T3ddy me prende contra a parede e coloca os braços de cada lado do meu corpo.

"Gostou da noite?" - Ele pergunta me olhando diretamente nos olhos. Concordo com a cabeça lentamente.

"Não achei que iria mesmo me pedir em namoro. Me surpreendeu" - Sorrio bobo. T3ddy retribui o meu sorriso e se aproxima ainda mais, praticamente colando nossos corpos.

"Achei que ia odiar... Ou... Sei lá... Achei que eu ia estragar tudo" - Ele ri meio nervoso.

"Não estragou" - Sorrio. - "Foi maravilhoso. Eu amei. Eu amo você" - Te puxo pela gola da camiseta e selo nossos lábios.

Subo as mãos pelo corpo de T3ddy e paro quando chego em seu cabelo. Puxo alguns fios sem muita força. Enquanto isso, T3ddy aprofunda mais o beijo e da impulso para que eu entrelace as minhas pernas em sua cintura.

Às vezes cortamos o beijo para recuperar o fôlego pedido, mas logo voltamos a encostar nossos lábios, deixando os beijos cada vez mais intensos e cheios de paixão e desejo.

'Você disse que precisávamos conversar..." - T3ddy diz quando separa minimamente nossos lábios e me observa.

"Podemos conversar amanhã" - Digo praticamente em um sussurro e volto a colar nossos lábios.

T3ddy por fim sorri entre o beijo e aperta minha cintura com mais força.

Continuamos do mesmo jeito que estávamos quando chegamos. Eu encostado na parede com as pernas entrelaçadas no corpo de T3ddy enquanto ele me segurava. Até que em algum momento tivemos que nos separar e ir para a cama...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...