História Friends - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Carlinhos Weasley, Dorcas Meadowes, Fleur Delacour, Fred Weasley, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lílian Evans, Marlenne Mckinnon, Molly Weasley, Percy Weasley, Personagens Originais, Remo Lupin, Ronald Weasley, Sirius Black, Ted Lupin, Tiago Potter, Victoire Weasley
Tags Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, James Potter, Lily Potter, Personagem Original, Remus Lupin, Rony Weasley, Sirius Black
Exibições 51
Palavras 5.477
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey pessoas lindas do meu coração! Mil perdões pela demora, mas eu realmente tive pouco tempo para escrever e esse capítulo foi muito difícil de escrever e agora que eu terminei tô com uma dor imensa no coração por isso! O capítulo é totalmente pelo ponto de vista do James, e vai ser bem dramático...I hope you enjoy it!

Capítulo 12 - You forget about me


No último capítulo:

Segui meu caminho, pensando tudo no que tinha acontecido. Então de repente sinto algo bater em mim e caio no chão, escuto um 'crack' no impacto, e bato sem querer minha cabeça no asfalto, ao longe escuto vozes chamando meu nome, mas tudo o que eu sentia era uma dormência, antes de minha visão se escurecer por completo.

Terceira pessoa: 
Eram três e meia da manhã, quando o telefone de tocou, um ainda sonolento James Potter atendeu, e recebeu ali naquela hora, umas das piores notícias de sua vida, seu filho - por enquanto o único- fora atropelado, e foi ali que seu mundo desabou.

Pov.James:

Eu me arrependia profundamente desde o momento que meu filho saíra pela porta sem ao menos dizer aonde ia ou quando voltava, e posso afirmar que entrei em desespero junto com minha esposa quando deu meia noite e ele não tinha ao menos nos ligado para informar onde e com quem estava se ia demorar ou não ia voltar, ele simplesmente saiu, saiu depois que eu, seu próprio joguei mentiras cruéis em sua cara, e agora pensando claramente sei que o errado de toda história no final, fui eu.

Eu estava em um verdadeiro dilema, ir para o hospital onde meu filho se encontrava e deixar a minha esposa grávida dormindo tranquilamente e sem preocupações e ser morto por ela quando a mesma acordar e descobrir ou acordá-la e a levar comigo para o hospital, evitando assim minha morte, mas a deixando preocupada. Ainda indeciso decido por trocar de roupa e preparar um café ou mais uma pessoa seria hospitalizada hoje e tenho certeza que Lily não ficaria muito feliz com isso, desço o mais silenciosamente possível, mas ainda assim faço barulho e minha ruivinha se remexe na cama, faço o café com impaciência tendo a nítida impressão que estava demorando de mais para ficar pronto, quando finalmente o líquido que me manteria acordado por tempo suficiente ficou pronto, subo rapidamente as escadas e troco de roupa fazendo mais barulho que costume para a ação e no processo acordo a minha esposa.

-James o que você está fazendo? São três e meia da manhã, pelo amor de Deus, tira essa roupa e volta para cama e por favor apague a luz, não têm nenhuma emergência agora ou temos?-Pergunta acendendo a abajur que fica de seu lado da cama e me olha atentamente, após bocejar e se espreguiçar, você me olha com os olhos arregalados.-O que diabos aconteceu James? Cadê o Harry?-Pergunta se levantando da cama e vindo até a mim me acariciando a face com delicadeza e preocupação, tento sutilmente te sentar na cama, porém você percebe e faz sozinha com um sorriso aguado.

-Olha Lily, você precisa ficar calma pelo bebê, mas eu tenho que te falar isso, até porque mais cedo ou mais tarde você vai ter que saber.-Falo tudo muito rapidamente, mas mesmo assim você faz um gesto para que eu prossiga.-O Harry foi atropelado, a gente tem que ir pro Saint. Mungos.

-O que aconteceu? Por que ele está no hospital? James o que aconteceu com o meu bebê?-Pergunta se desesperando e eu a abraço tentando lhe passar uma calma que não possuía.

-Eu não sei Lily, mas nós vamos descobrir assim que chegarmos lá, vá se arrumar, eu te espero lá embaixo, só não demore muito querida. -Falo me soltando dela e dando um beijo em seu rosto e outro em sua barriga ainda plana me levanto e ela segue me ato com lágrimas nos olhos, passo as mãos no cabelo em um ato de nervosismo, um típico gesto meu, que meu filho também tinha pego com o passar dos anos.

Desço e me sento no sofá com a cabeça entre as mãos, ainda atordoado mesmo depois de ter tomado duas xícaras de café, e ter passado água no rosto infinitas vezes, ainda me sentia com se estivesse dormindo, pois era tão irreal aquilo tudo, a discussão, ele fugindo, o acidente, tudo corria em minha mente como um filme, meus anos escolares, meu namoro com a Lily, meu casamento, o nascimento dele, suas primeiras palavras, os primeiros dentinhos, os primeiros passos, sua risadinha de bebê, sua primeira tentativa de andar de bicicleta, seu medo do escuro, sua mania de correr pela casa vestido de super homem, seu jeito inocente, que mesmo com 16 anos ele ainda preservava assim como sua mãe. Me lembro de um certo dia dos pais que ele se vestiu de capitão América um dos meus personagens favoritos e ficou correndo pelo casa dizendo que era meu ajudante.
Lembro me também de uma vez que ele ficou extremamente doente, ele estava com uma febre altíssima e um enjôo horrível, e quando o levamos para o Hospital descobrimos que ele tinha uma pego uma terrível virose e que ele tinha bronquite e asma.

Ele veio inesperadamente, eu e Lily havíamos acabado a faculdade há apenas um mês quando descobrimos a gravidez, faltavam dois meses para o casamento, mas já morávamos juntos, então em um típico dia chuvoso em Londres, após um enjôo matinal, ela me deu a notícia de que estava grávida e que seria melhor acelerarmos o casamento, pois ela queria se casar antes de ter uma barriga evidente, então duas semanas depois de Lily Evans, passou a ser Lily Potter e nós éramos marido e mulher, nove meses e algumas semanas depois ele nasceu, nosso raiozinho de sol, o pequeno menino de olhos verdes e cabelos negros e rebeldes, foi difícil, muito difícil ser pai tão jovem, mas apesar das dificuldades e só comigo podendo trabalhar, sem condições para empregadas e quaisquer outros luxos, começamos de zero, literalmente, eu comecei em um dos cargos mais baixos no escritório de meu pai, e enquanto ainda não tirava a licença Lily continuava em seu emprego de professora de piano em uma escola particular.

Saio de meus devaneios quando escuto os passos de Lily descendo a escada, mesmo estando triste e com semblante fechado para mim ela ainda era a mulher mais linda do mundo, já conseguia a imaginar com uma barriga de grávida, com mais um filho meu em seu ventre, irradiando beleza por onde passa, ela chega onde eu a esperava com um sorriso triste e cansado e segue para a garagem, a ajudo a entrar no veículo e vou para o banco do motorista, partimos em silêncio e assim permanecemos até chegarmos ao hospital, após estacionar o carro, ando ao lado de minha esposa o mais rapidamente possível que ela pode andar sem se prejudicar para a recepção do hospital, quando chegamos ao hospital surpreendentemente encontramos todos os amigos mais próximos de Harry ali, Ginny, Ron, Hermione, Matt, Cath, Adhara e Teddy, mas meus amigos não estavam ali, o que era estranho, principalmente para a Hermione e os dois Weasley's presentes, Lily vai até ele em busca de informação enquanto eu vou até a enfermeira que fica atrás do balcão.

-Boa noite, meu nome é James Potter e eu gostaria de ter informações do meu filho Harry James Potter, que sofreu um acidente a aproximadamente meia hora.-Peço educadamente e mulher me olha avaliadoramente, antes de sorrir para mim.

-O seu filho está na área de cirurgia, fraturou a perna e bateu a cabeça, não temos mais informações do que isso, o Sr. terá que aguardar juntamente com aqueles jovens que chegaram junto com o Sr.Potter. -Ela responde com tom de voz entediado e aponta para os amigos de meu filho, com se sentissem minha presença Lily e Ginny se viram, ambas com os olhos vermelhos assim como os outros adolescentes.

-Oi tio James. -Fala a ruiva menor sem sorrir e me encara com um pouco de decepção e se senta em uma das cadeiras e eu percebo que ela estava de pijamas e apenas com um casaco por cima, olho para os adolescentes na sala e vejo que todos estavam de pijamas e parecendo fortemente abalados.

-Eu vou ligar pros meus pais, não quero que eles façam uma busca por minha causa, vocês vêem? Tenho certeza que a tia Molly, o tio Arthur, o padrinho e a madrinha, vão ficar preocupados. -Chama Cath se dirigindo aos outros sem me olhar, eles acenam e a seguem para uma sala que fica ao lado da recepção.

-Lily por que eu tenho a ligeira impressão de que eles estão decepcionados ou com raiva de mim?-Pergunto me sentando na cadeira de plástico desconfortável do hospital e Lily se senta ao meu lado.

-Eles estão zangados com você pelo que você com o Harry mais cedo, e confusos por tudo o que está acontecendo, precisamos conversar James, mas primeiro vamos esperar saber o que aconteceu de fato com nosso menininho.-Responde ela me dando um sorriso cansado e apertando minha mão, tentando passar forças que ela mesma não tinha.

Ficamos em silêncio passando forças um para outro, orando internamente com todo fervor para que nada de muito ruim aconteça com nosso filho, que tudo fique bem, e especialmente para que ele me perdoe por ter sido tão imaturo e insensível com ele, não sei ao certo por quanto tempo fiquei divagando com a cabeça baixa, mas logo os adolescentes voltam com os semblantes impassíveis se sentam ao nosso lado e me encaram tanto as meninas quanto os meninos com rastros de lágrimas em seus rostos o ar na recepção estava pesado e eu sentia que poderíamos o corta com uma faca cega.

-O que os pais de vocês falaram?-Pergunta Lily tentando aliviar a corrente de tensão que estava ali presente, Adhara olha para ela com um sorriso e se aproxima da mulher que sempre a considerou uma sobrinha, ou pelo mais sobrinha, do que o saco de gordura que a irmã dela chama de filho.

-Eles ficaram furiosos, mas assim que falamos o que aconteceu entraram em desespero e já estão a caminho do Hospital, e vão nos interrogar até a morte. -Brinca ela olhando para Lily divertida, mas logo seu olhar se cai em mim e ela fica séria novamente.-Tio James, eu não sei porque você o tratou daquele jeito, nós sabemos que ele não estava certo, mas o que você falou o deixou praticamente inconsolável, e ele sempre quis um irmão mais novo, ele não falava para vocês depois do que aconteceu quando vocês ainda moravam em Godric Hollows, mas as vezes ele deixava escapar que queria um irmão ou uma irmã, mas ele não queria ver a tia Lily sofrendo e agora tudo voltou para ele, as lembranças ruins e o desejo de ter um irmão, ele só não soube expressar isso.-Fala a morena mais nova quase chorando e eu sinto como se um fio invisível rompesse dentro de mim e sinto meus olhos marejarem a morena se encaminha até a mim e me abraça apertado.

-Tio James você vacilou legal, assim como o Harry porque ele contou o que fez e não foi nada legal, mas ele te perdoou, na verdade ele ia para casa amanhã, a gente ia levar ele para a Mansão Black e amanhã depois do café íamos levar ele para casa, mas aí veio aquele carro correndo mais que tudo e atropelou o Harry e saiu sem ajudar. -Fala o Matt quando Adh se separa de mim e sorri envergonhada e vai para junto do irmão.

-Teddy e Catherine Lupin!-Grita uma voz muito conhecida e logo a loira e louca da melhor amiga de Lily aparece perto de nós com um o rosto tenso, as roupas que estão sempre em seu devido lugar e impecável, estava amarrotada e torta em seu corpo, ela abraça os dois sob protesto do enteado e logo Remus chega e os libera do abraço apertado que ela os colocara, e logo atrás do Casal Lupin, vinha os Black e os Weasleys e mais atrás ainda estavam os Granger e todos pareciam meio desleixados, com suas roupas amarrotadas.

-Agora eu quero saber por que vocês chegaram aqui antes de todos e por que não estavam em casa desde 21:30, sendo que você Teddy está de castigo e eu pedi a você Catherine para não sair a noite sem nos avisar.-Pede ou melhor ordena Remus ao seus filhos com a voz gélida, recebendo um olhar de apoio dos outros pais e um de reprovação de Lily.

-Eles estavam com o meu filho Lupin!-Fala ela se levantando com a voz se alterando, Lily era assim sempre odiou injustiças, sempre teve uma pequena queda (leia-se penhasco) por ajudar os mais necessitados de dinheiro, amor e etc.-Porque o idiota insensível do seu amigo brigou com ele por um motivo mais do que idiota!

-Ow Lily! Me desculpe por te defender do meu filho!-Falo resignado e ela me lança um olhar mortífero. -Talvez eu tenha sido um pouco duro com ele, mas ele estava errado!

-Talvez? Só talvez Potter?!-Pergunta sarcástica com os olhos verdes brilhando de raiva. -Você foi um idiota imaturo com ele.

-Mas Lily... -Começo tentando me defender, mas ela me interrompe com a voz fria.

-Nada de mais James! Foda-se que ele estava sendo imprudente, ou qualquer outra merda! Ele é o seu filho caralho! E assim como ele disse ele merece a porra de respeito de nós dois!-Ela diz alterada e vejo as crianças esbugalharem os olhos com o palavreado chulo de Lily, afinal de todos, ela era a única que não falava palavrões, principalmente na frente das crianças.

-Me desculpe Lily, é que eu estava realmente bravo com ele e. -Começo com a voz baixa e insegura e paro para olhar em seus olhos que estavam sérios.-E eu prometo que vou pedir desculpas a ele, só prometa ficar calma.

-Tudo bem James eu já estou calma. -Ela fala com a voz normal, mas um pouco ofegante e seus olhos demonstravam um pouco de dor que me alarmaram.-Mas faça isso de novo Potter que eu peço o divórcio!-Ameaça ela com o dedo em riste e eu dou um sorriso para ela e a abraço, porém quando o faço sinto ela ofegar.

-Lily você está bem?-Pergunto preocupado a forçando se sentar, ignorando o restante das pessoas.

-Estou é só uma... pontada.-Fala com a voz meio esganiçada, segurando a área do ventre com uma careta de dor e solta um silvo de dor, antes de seus olhos se fecharem e ela cair molemente em meus braços

-Tia Lily!-Grita as meninas ofegando, enquanto os meninos se aproximam para ajudar a pega-la no colo, já os adultos estavam parados olhando a cena estáticos. Eu estava em desespero, beirando á um colapso nervoso, primeiro meu filho, agora a única mulher que eu amei em toda minha vida, será que eu carregava alguma maldição comigo? Deixando dor e sofrimento por onde passo?

Teddy pede uma enfermeira um quarto para Lily e um médico, logo chegam dois enfermeiros com uma maca e pedem para que eu a coloque ali, coloco minha esposa ali a contra gosto, e assisto ela ser levada para uma sala, me sento na cadeira sentindo a presença de todos os anos vividos em meus ombros. Marlene foi a primeira a sair do estupor, ela se senta ao meu lado e coloca a mão em meu ombro em sinal de conforto.

-James, o que aconteceu com a Lily?-Ela pergunta suavemente e eu olho para cima encarando, sues olhos azul claro que ainda brilhavam de malícia e amor depois de todos esses anos, mas hoje estavam tristes e preocupados.

-Eu não sei ao certo, ela ia vir amanhã para checar se estava tudo okay com ela, mas eu suponho que deve ser toda a tensão da noite, deve ter deixado ela estressada e fez mal a ela.-Falo com a voz baixa sem revelar que Lily estava grávida, afinal já que estou tendo uma noite tão ruim por que não brincar um pouco? Antes que ela pudesse falar alguma coisa, um enfermeiro me chama e eu vou até ele ciente de que os outros estavam atrás de mim em busca de uma explicação.

-Sr. Potter sua esposa apenas sofreu um desmaio pelo estresse e as pontadas também é uma das consequências do choque psicológico que ela está passando, nos vamos fazer alguns exames, mas por hora podemos dizer que ela e o bebê estão bem.

-BEBÊ? COMO ASSIM BEBÊ? JAMES POTTER!-Grita Lene e Dorcas em conjunto e meus amigos me olham embasbacados e eu me sinto em uma espécie de déjá vu . Me viro para eles com um sorriso amarelo no rosto, bem talvez eu tenha esquecido de contar a eles da novidade.

-James você vai ser pai?-Pergunta Remus com os olhos arregalados falando lentamente, com um pequeno tremor em sua voz, que soou muito como temor, vejo as "crianças" sorrirem e olho para meu amigo com falsa indignação.

-Vou! Por quê? Alguma coisa contra Moony?-Pergunto o encarando seriamente e ele nega com a cabeça, rápido de mais lobinho.

-Pobre criança, não vai saber o que a atingiu. -Fala Sirius com um sorriso de escárnio, com a voz desacreditada.

-Pobre Lily, imagina se for um outro Harry?-Pergunta Dorcas com um temor na voz, e a vejo sorrir maliciosa para mim. -Aquele menino puxo o James em tudo, desde brincadeira idiotas até nós matar de preocupação.-Fala ela sorrindo, mas logo seu rosto cai e fica muito sério e ela se vira para as crianças Lupin.-Por falar em preocupação, por que vocês dois desapareceram?

-Bem mãe, é uma história complicada e eu não sei se posso falar não sem o Harry deixar, por que tem tudo a ver com ele. -Fala Catherine em tom de desculpas me olhando rapidamente.

-Ele não se importaria. -Fala Sirius se sentando na cadeira ao lado de Marlene, as crianças se entreolham e sentam.-E eu quero também saber o que aconteceu.

-Hermione, querida nós ficamos preocupados, eu fui levar um lanche para você e não te encontrei em nenhum lugar da casa, conte nos o que aconteceu querida.-Pede Amy Granger.

-Bem, o Harry estava meio chateado pelo o que o tio James falou... -Começa Ginny e logo os adolescentes contavam o ponto de vista do Harry de nossa briga e o encontro deles, dando todos os detalhes de como o Harry se sentia, o que sentia. Meus amigos me olhavam com piedade, choque, dor e realização. -...Então quando estávamos atravessando a rua da casa dos Weasleys para ir embora o Harry foi atropelado, foi horrível uma das piores cenas da minha vida, ver meu melhor amigo, ser atropelado por um carro preto que passou correndo por cima dele, seu sangue gotejando no asfalto e seu corpo perdendo a cor.-Termina a ruiva chorando de soluçar, as outras mulheres e meninas na sala faziam o mesmo.

-Como você pode fazer isso com o meu afilhado James?-Pergunta Sirius com a voz gélida e amarga me olhando seriamente, sinto vergonha de minhas próprias ações e vejo que apesar de tudo que o Harry falou não foi um terço do que eu fiz para ele.

-Eu não sei tá legal? Eu vi ele desprezando a Lily e como isso a afetou e fiquei com raiva dele e com medo pelo bebê, você sabe como eu e Lily sempre quisermos muitos filhos, mas nunca conseguimos.-Falo em voz baixa e sinto uma nova onda de culpa jorrar sobre mim.

-James, estar confuso não é uma desculpa para ser tão rude com seu filho, principalmente se ele é como o Harry, eu realmente não sabia que chegava a esse ponto, mas sempre desconfiei de que o Harry se sentia mal pelo não-gravidez da Lily. -Repreende Remus com sua típica voz I-know-it-all que me sempre me irritou quando ele ia nos dar "the talk".

-É verdade James, ele sempre parecia tão triste quando a Lily tinha um aborto espontâneo, às vezes pior do que vocês dois, me surpreendo que vocês nunca notaram ou esperaram uma reação dessas dele.-Fala Molly com seu tom maternal e eu me sinto como uma criança de 5 anos que foi pega comendo cookies antes do jantar.

-Sinceramente depois de 16 anos sendo filho único e a Lily sempre perdendo seus supostos irmãos e vocês sempre o mimando, você realmente achou que a reação dele seria diferente?-Pergunta Marlene que nos conhecia desde sempre e sabia exatamente como cuidamos de nosso filho.

-Eu e Lily nunca mimamos o Harry!-Reclamo indignado e recebo olhares céticos de todos os adolescentes e adultos, sendo os mais fortes de Sirius e Remus.

-Realmente James? Você e Lily nunca mimam o Harry né?-Fala Dorcas sarcástica e me olha ferozmente. -Então dar todos os brinquedos que ele escolhia no dia das crianças quando ele tinha 3 anos, não é mimá-lo?

-Não foi bem assim, ele estava indeciso e no ano anterior ele estava muito doente para poder se divertir direito e então nós decidimos que ele poderia ter o que queria!-Retruco saindo em defesa de meu filho e os outros me olham descrentes. -Parem de me olhar assim!

-Tio James, o Harry é mimado sim, mesmo que você, a tia Lily, o Harry e os avós dele digam que não. -Opõe Hermione tentando falar o mais delicadamente possível.-Eu me lembro na pré escola em como ele sempre odiou ter que dividir as coisas dele ou trabalhar em grupo, também lembro que teve um dia que ele foi fantasiado do The Flash e ficou correndo pela sala e atrapalhando a aula.-Fala ela rapidamente com um brilho nostálgico no olhar e sorri um pouco encabulada quando se vira para mim.

-A Mione está certa tio James, às vezes o Harry é muito mimado, não chega a ser um Malfoy da vida, mas ele pode ser bem mesquinho quando quer. -Fala Catherine que era dois anos mais nova que o Harry e estava no mesmo ano que Ginny.-Me lembro que quando éramos mais novos ele não gostava de deixar a gente ficar mexendo nos seus brinquedos novos.

-Eu já disse meu filho não é mimado, ele pode ser um pouco egoísta às vezes e muito teimoso, mas nós nunca mimamos ele. -Reclamo com eles cruzando os braços na frente de meu peito o que os faz rir.

-Na verdade eu acho que não é só o Harry que é extremamente mimado pelos pais. -Fala Amy Granger com um sorriso no rosto e os outros riem ainda mais, me encarando fixamente.

-Eu não sou mimado!-Respondo em voz alta e saio à procura de informações sobre Harry ou minha esposa, após passar por vários lugares e não conseguir nenhuma informação consigo parar um médico Dra. Rosier que estava encarregada de cuidar da minha Lily.

-Sr. Potter é bom que nós nos encontrássemos eu ia descer agora mesmo para chamá-lo, sua esposa acordou e gostaria de ver o senhor, siga-me. -Fala ela suavemente fazendo um gesto para que eu a seguisse, andamos por alguns minutos em silêncio e então paramos no quarto de número 345.

-Ela ainda está um pouco cansada e precisa de repouso, fui informada que o filho de vocês está em uma cirurgia complicada e que isto é o que pode ter causado o quase aborto de sua esposa, ela está em uma gravidez de risco pelo seu histórico, então evite informações muito dolorosas. -Fala a médica antes de me liberar para entrar no quarto de minha esposa.

-Obrigada doutora, eu prometo que não vou deixar se esforçar muito ou passar ter alguma conversa com fortes emoções, mesmo que eu saiba que isso pode acontecer assim que Harry acordar. -Falo com pesar para médica que me lança um sorriso de compreensão e eu entro no quarto onde meu lírio repousava. Lá estava ela deitada na cama usando as roupas típicas de hospital, quase tão branca quanto às fronhas dando ainda mais destaque ao seu cabelo ruivo acaju, seu rosto já estava voltando à habitual cor rosada nas bochechas e lábios e a pele voltando à cor normal, e nos lábios meio esbranquiçado tinha um sorriso enfeitando seu rosto delicado.

-Oi James. -Fala ela com a sua voz suave, como se ela não tivesse passado por várias seções de tortura, também conhecidas como exames médicos, fora o fato de que ela quase perdeu o bebê.-Como você está meu amor?

-Lily é você quem está em uma cama de hospital, eu acho que quem deve perguntar isso sou eu, não você. -Falo olhando divertido para ela que sorri encabulado e vejo seu rosto adquirir uma coloração rosada o que me faz rir verdadeiramente e ela sorri mais alegre.

-Eu estou bem James, foi só um mal estar, não precisa se preocupar eu e nosso pequeno bebê estamos bem, o que me preocupa é o Harry, Jay. -Fala ela com a voz calma, mas eu pude notar tristeza em sua voz e olhar.

-Eu não sei ainda, nenhum médico ou enfermeiro soube me responder, eu também estou preocupado Lil’s. - Falo com um suspiro pesado e ela me olha com preocupação e carinho, entrelaça sua mão na minha e começa a fazer um carinho para me acalmar.

-Não se culpe por isso Jay, a culpa não foi sua por ele sofrer o acidente, nem dele, apenas do ser vil que o atropelou. -Fala irritada e eu me irrito, como ela poderia esquecer que eu fui o motivo pelo qual ele saiu porta a fora?

-Lily se eu não tivesse sido estúpido e colocado meu filho em uma situação em que ele não sabia o que fazer isso não teria acontecido!-Falo alto me levantando da cadeira em que eu estava e começo a andar de um lado para outro.

-Talvez fosse pior James, nunca se sabe, ele poderia ter ido aos Weasleys para simplesmente reclamar de você para a namorada, ou querer sair de casa por que não podia olhar pra você depois de uma bronca!Nunca sabemos o que pode acontecer Jay, então fique calmo meu amor. -Fala ela suavemente para mim com um sorriso triste e carinhoso no rosto, sai de sua cama e caminha até a mim e me abraça com força.

-Eu não sei o que faria sem você lírio. -Falo a olhando com amor para a ruiva que eu tinha em meus braços ela rir e se aconchega em meus braços, a aperto contra mim e dou um beijo no topo de seus cabelos de cor acaju.

-Sr. e Sra. Potter?-Chama uma enfermeira timidamente da porta, olhamos para ela e acenamos, ela suspira aliviada por nos ter encontrado e entra no quarto. -O Dr.Clarksson acabou de sair da cirurgia do filho de vocês e pediu para avisar que não vai haver nenhum dano permanente além de uma cicatriz, o Sr.Potter foi transferido para o quarto 425 é vocês já podem ir vê-lo.-Fala ela para mim, já que Lily nós pediu licença para poder se trocar, antes que a enfermeira Collins pudesse acabar de dar todas as informações.-Ele pode demorar para acordar, de horas á semanas.-Fala ela nos olhando com pena, ela nos pede para segui-la o fazemos com calmo apesar de eu sentir meu coração bater mais forte e mais rápido a medida que nos aproximávamos.

Assim que chegamos ao quarto, ela nos permite passar e fala que vai avisar os outros acompanhantes, mas só poderiam entrar três pessoas por vez. Assim que entramos vejo, meu filho em roupas de hospital e sua pele branca como papel, seu cabelo preto bagunçado estava em contraste com a pele branca dando a ele um ar fantasmagórico, e logo acima de seu olhos esquerdo eu pude ver a cicatriz, era uma cicatriz em uma forma de raio perfeita, meio avermelhada, suponho que ele não tenha se machucado na cabeça e sim em outras partes do corpo.

Me sento na cadeira ao seu lado e o observo seu respirar lento, porém estável, sua caixa torácica subindo e descendo ritmicamente, e então as lembranças da briga me atingem como um baque e sinto meus olhos marejarem, ficamos muito tempo ali apenas o observando, até que um enfermeiro nos pediu para ir para casa descansar pois minha esposa e eu passamos por um trauma muito forte e deveríamos tentar dormir, comer e tomar um banho, antes de voltar para o Hospital.

Passamos o domingo assim, e o mesmo se repetiu durante toda a semana, pois devido o acidente eu me afastei temporariamente da empresa deixando Sirius no comando por mim, mas como dono da empresa na semana seguinte fui obrigado a voltar ao trabalho, o professor Dumbledore foi pessoalmente ao hospital assim que soube do que aconteceu, foi muito compreensivo a situação e disse que assim que Harry se recuperasse poderia voltar as aulas normalmente e as matérias perdidas ele mesmo ia ensinar. Os médicos explicaram que ele está demorando acordar pelo fato de ter batido a cabeça, mesmo que não tivesse sido necessária uma cirurgia, a batida poderia ter deixado consequências por um tempo indeterminado.

Além de Harry o que muito preocupava era Lily, desde o acidente ela tem comido muito pouco e passa várias horas acordada o observando, mesmo que nós insistimos para ela comer corretamente devido a sua gravidez, ela apenas olha para a comida e depois volta para o hospital.

O motivo de a cirurgia ter demorado tanto logo foi explicado, Harry havia quebrado uma de suas costelas e com isso um de seus órgãos internos foi atingido, sua perna tinha sido quebrada e demoraria a se recuperar, seu estado era delicado, mas felizmente a cirurgia foi realizada sem consequências para meu filho, apesar de que ele precisaria de um fisioterapeuta assim que recuperasse as forças.

Saio do trabalho e vou direto á Toca, eu havia prometido a Ginny que a levaria até o St.Mungos hoje, buzino em frente a casa e logo a caçula dos Weasley's sai, ela estava usando uma calça jeans rasgada, um suéter marrom com uma coruja, uma jaqueta de couro preto por cima, usava botas de cano baixo pretas com salto e uma bolsa prata.

-Obrigada por vir me buscar tio James. -Agradece ela assim que se acomoda no banco do passageiro com um sorriso triste atípico da ruiva mais nova, mas todos andavam assim desde o acidente.

-Sempre que precisar Ginny. -Falo já seguindo para o Hospital, dirijo o mais rápido que podia dentro das condições climáticas e as normas de trânsito, chegamos no Hospital 20 minutos depois e andamos rapidamente até o quarto 425, Lily já estava lá a abraço e entrego um copo de capuchino que comprei á caminho dos Weasley's.

Escutamos um movimento na cama e olhamos para nosso filho que se mexia, Lily vai até ele e começa a fazer carinho em seus cabelos rebeldes e sussurrar para ele palavras de carinho e conforto, de repente como mágica seus olhos verde esmeralda se abrem e olha para Lily confuso, ela o abraça apertado e ele retribuiu meio sem jeito, Ginny olhava tudo maravilhada com lágrimas escorrendo pelo rosto, quando Lily finalmente o solta ele olha fixamente para ela que sorri.

-Ah meu menininho, você não sabe como eu fiquei preocupada. -Fala carinhosa passando as mãos em seus cabelos e ele olha para ela confuso.

-Mamãe por que eu estou em Hospital?-Pergunta confuso e Lily e Ginny trocam olhares preocupados, enquanto eu o olho estático, e se ele não se lembrasse de nada? Como se lesse meus pensamentos Ginny se senta na ponta de sua cama com cuidado e segura a mão dele.

-Harry você consegue se lembrar de mim?-Pergunta a ruiva mais nova com lágrimas nos olhos o olhando nos olhos, ele suspira e a olha interrogativo.

-Claro que eu me lembro de você! Você é Ginny Weasley minha melhor amiga!-Exclama ele com certa irritação, Ginny suspira e o abraça.

-Mas por que eu estou no Hospital? O que aconteceu?-Pergunta confuso encarando Lily com um olhar preocupado.

-Você foi atropelado meu amor, você está aqui á uma semana. -Fala ela com o tom calmo enquanto mexia nos cabelos dele, ele parece notar minha presença pois olha em mim direção com o olhar aguçado e depois olha para a mãe.

-Quem é você?-Ele pergunta a mim com a voz desconfiada e o olhar aguçado. - E por que parece que eu estou olhando para uma versão mais velha de olhos castanhos minha?-Ele me olha fixamente e o encaro de volta e vejo naqueles olhos verdes expressivos confusão e medo. Medo de mim, seu próprio pai o cara que criou ele, cuidou e o protegeu. Ele estava com medo de mim, ele tinha me esquecido, meu filho não sabia quem eu era.

Ele não se lembra de mim, ele não lembra que eu sou o pai dele, vejo Ginny e Lily trocarem olhares preocupados e assustados. Mas eu não conseguia me importar, tudo que eu sabia é que meu filho, meu pequeno maroto, não se lembrava de mim, sinto lágrimas descerem pelo meu rosto e saio do quarto sem olhar para trás. Por causa de um maluco irresponsável meu filho não se lembra de mim. E isso vai ter volta, eu vou me vingar.

Continua...


Notas Finais


I know it all- Sabe tudo
The talk- A conversa, bronca.

Não me matem em algum momento nos próximos capítulos o Harry e James vão se entender, okay? Eu tive a ideia genial de criar um grupo no Whatsapp para vocês poderem ficar sabendo quando eu vou postar e eu poder ter um contanto maior com vocês, quem quiser e apoiar a ideia mande o número por mensagem privada ou deixa aí em baixo. Eu vou tentar atualizar o mais rápido possível, mas a escola não tá colaborando, então assim que der eu vou postar. Agradeço a Bia por me aturar com todas as minhas ideias que partem o coração e ajudar na falta de criatividade. Deixem comentários porque eles me deixa saber se vocês estão gostando ou não, votem e adicionem na lista de leitura para não perderem o próximo capítulo.Beijos de luz e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...