História Friends By Choice - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Romance
Exibições 41
Palavras 3.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem desse capítulo. E podem matar o Arthur no pensamento, eu deixo.

Capítulo 19 - O(s) Encontro(s)


Fanfic / Fanfiction Friends By Choice - Capítulo 19 - O(s) Encontro(s)

•Malluh POV•

Medo. Medo é a palavra certa pra me descrever neste exato momento. O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo. Pavor.

Quando a porta se abriu a única coisa que eu fiz foi fechar os olhos e abraçar a Madduh, pedindo pra que nada de mal nos aconteça.

Uma mão gelada me cutucou uma, duas, três vezes, mas eu não abri os olhos. Ouvi um pigarreio, mas mesmo assim me manti forte, com os olhos fechados.

Tipo Percy Jackson e o Ladrão De Raios, quando eles encontram a Medusa, tinha medo de abrir os olhos e encontrar uma Medusa na minha frente pronta pra me transformar em pedra.

- Por favor não me mate - Sussurrei - Me desculpe pelas coisas erradas que eu fiz na vida. Eu não queria colar na prova de geografia...

- Malluh, abre os olhos - Madduh me cutucou mas eu não liguei

-...Muito menos deixar de atender uma ligação importante do meu pai.

- PARA DE FALAR BESTEIRA! - Gritou

- E eu não queria ter beijado o Lucas ano passado. Mas por favor, não me mate! - Implorei

- MAS O QUE? AH JÁ CHEGA! ABRE ESSA PORRA DE OLHO - Bateu na minha cabeça com força e eu cai no chão, sendo levantada no mesmo instante por um homem.

- Tudo bem com você senhorita? - Perguntou

Ele parecia com Poseidon, e eu meio que babei por ele alguns milésimos de minutos.

- A-a ss-ii-mm - Me levantei

- Me desculpem por isso. Teve uma falha no sistema girador de energia dessa área e por isso, o trem parou. Vi nas câmeras que tinha duas garotas aqui, e vim o mais rápido que pude. Me desculpe mesmo por esse incidente.

- Só isso? Desculpas? DESCULPAS?! EU QUASE MORRI DO CORAÇÃO AQUI! - Madduh gritou toda vermelha, com certeza isso não era pela beleza dele, mas sim, pela raiva imensa.

- Eu sei, eu sei. Pude ouvir os gritos de vocês. E eu peço milhões de desculpas, mas não soubemos o que ouve diretamente. Eu poderia fazer algo por vocês? - Sorriu

- Eu aceito comida ou dinheiro - Madduh falou com os braços cruzados - Ah, e sorvete de flocos também.

- Madduh! - Exclamei

- Tudo bem, vamos sair daqui. Eu pago um sorvete pra vocês.

Minhas pernas estavam trêmulas, por isso, tive um pouco de dificuldade para andar. Como promessa, ele pagou dois sorvetes de flocos pra nós duas. O meu com calda de chocolate e o dela com calda de morango. Ficamos caladas o tempo inteiro, eu digerindo o que acabara de acontecer, e ela, com certeza, digerindo o que eu falei sobre ter beijado o Lucas no ano passado.

- Quer que eu ligue para os pais de vocês? - Gustavo perguntou

- Não, valeu, estamos bem. Depois do sorvete vamos embora.

- Tem certeza?- Olhou pra mim e eu assenti - Bom, estou indo agora, tenho que trabalhar. Até mais meninas - Sorrimos e ele foi embora.

Gustavo se mostrou um cara super legal, nos fez rir pelo caminho até a lanchonete e ainda falou um pouco da vida dele. Gustavo tinha trinta anos - mesmo não parecendo com seus traços leves -, trabalhava no metro fazia quinze anos e tinha dois filhos, dois homens. Fico imaginando como seriam os dois. Com certeza seriam dois deus gregos, com direito de ser paixonite de todas as garotas. Gustavo era legal, ainda bem que ele nos ajudou.

- Você vai me explicar a frase: Beijei o Lucas ano passado,ou vai esperar eu perguntar? - Madduh fechou os punhos.

- Tudo bem...- Comecei mas ela não me deixou terminar

- Por que você não me contou? Por que o Lucas não me contou? Pensei que ele fosse meu amigo...

- Na verdade...

- Pensei que você fosse minha irmã! Deveria me contar quando decidi sair por aí pegando o melhor amigo dos outros

- Se você me deixar falar eu vou agradecer! - Exclamei

- Fala logo!

- Antes de tudo, eu não sabia que vocês se conheciam. Foi no começo do ano passado, em uma festa dos irmãos Albuquerque Lins. Você tinha ficado de castigo por brigar no carnaval. Eu estava dançando vendo de longe o Chris beijar um menino mais velho que ele gostava, quando o Lucas apareceu. A gente começou a conversar e do nada a gente se beijou. Ficamos sem graça no final e sorrimos que nem loucos, porque nós nunca, em plena consciência...

- Eu já entendi, não precisa falar mais nada. Agora vamos pegar o trem e voltar pra casa.

E com medo, eu a segui. Voltando pra casa  me joguei na cama, colocando o despertador duas horas antes do encontro com Arthur.

Ah Arthur, pelo menos uma coisa boa hoje!

•Narradora POV•

Do outro lado da cidade, um garoto de olhos azuis estava se perfumando com seu perfume caro chamado Clive Christian C For Men, que tinha por característica seu cheiro de laranja, limão e jasmim, entrando em uma combinação perfeita. Só ele poderia usufruir daquele maravilhoso perfume. Pois, além de ser o centro das atenções pelo seu cheiro, um frasco daquele perfume era vendido por cerca de 300 mil dólares. E isso, o pai dele, poderia ser excitar, pagar.

Ele tinha o plano perfeito para ir aos dois encontros com as gêmeas. Só tinha medo que tudo desse errado. E se isso acontecesse, seu visto e seu passaporte já estavam prontos para sair do país, ele bem sabia, que as irmãs, quando queriam, eram bem vingativas.

Pediu para o seu motorista, que ele nem sabia o nome, leva-lo até um parque especial da cidade que seu pai fez questão de alugar para que o seu filho passasse a tarde com as duas garotas sem interrupções. Ele já tinha tudo planejado em sua mente.

A menina de cabelos verdes estava vestida com uma jardineira super linda, com um cropped por baixo mostrando um pouco de sua barriga e cinturinha de pilão. Ela se olhava no espelho a cada cinco minutos enquanto terminava de pintar as unhas com um tom pastel. Fez cachinhos nas pontas do cabelo, passou uma maquiagem neutra porque não queria chegar até ele parecendo um panda, passou um batom nude e colocou seu perfume da capricho noite, apesar de estar de dia, mas o aroma noite, tinha o cheiro mais forte e ela gostava disso. Gostava de chamar atenção com o cheiro de seu perfume. Se olhou mais uma vez no espelho e se preparou para fugir de casa.

A garota de cabelos roxos estava tentando escolher entre o alargador pequeno rosa ou o preto, optou pelo rosa, que saía um pouco do seu estilo e fazia lembrar das flores que ela recebeu dele. Ela usava uma saia vermelha com preta quadriculada, tipo colegial, com uma blusa caída do lado com a foto do Thor e da viúva negra. Ah como essa garota amava superheróis. Não que ela acreditasse neles a ponto de construir um santuário para cada um, mas gostava das histórias e da beleza dos personagens. Ela não exitou em colocar tal peça, até porque o garoto já estava acostumado e sabia sobre seus principais gostos. Colocou seu alargador do tamanho de uma formiga, passou em seu pescoço um colar de ouro com o símbolo de uma espada, amarrou seu casaco de couro na cintura perfeita, passou seu perfume forte da Kriska, seu gloss com sabor de menta e se olhou no espelho. Sua mente formou um pensamento sobre ela, que ela nunca se atrevera a pensar.

Eu estou modestamente linda - pensou.

E ela realmente estava.

Saiu pela janela, que por sorte tinha uma imensa árvore do lado, e foi em direção ao endereço marcado. Nossa, como ela estava ansiosa.

A irmã dita como mais nova esperou a mais velha sair de casa, para roubar um pouco da sua sorte de ter uma árvore do lado de sua janela, para sair ao encontro de seu amado. Se sentia como Julieta, fugindo para encontrar o seu amor, só não queria que essa história acabasse com morte, como no conto maravilhoso, que foi visto como livro, filme e etc. Uma história de amor impossível. Se desequilibrou um pouco, mas conseguiu sair sem amassar sua jardineira. Chegou a frente da sua casa e encontrou um homem com terno e gravata aparentando ter cinquenta e cinco anos sem sorriso nenhum no rosto.

- Boa tarde, senhorita Maria Luísa? - Perguntou

- Sim, sou eu

- O senhor Arthur pediu para busca-la imediatamente e não aceita não como resposta - Arregalou os olhos

- Sério? - Perguntou incrédula

- Vamos? - Abriu a porta do carro de marca Gran Siena e ela entrou sendo seguida por ele, no banco do motorista. - O senhor Arthur deixou uma mensagem para a senhorita.

Derrepente a voz de Arthur se estendeu sobre o carro.

-"Olá Malluh! Como você está? Bem, tomei a iniciativa de mandar meu motorista te buscar e te levar para um passeio na cidade. Tive que resolver algumas coisas em casa e por isso, vou me atrasar um pouco. Me desculpe, aproveite o passeio. Beijos!"

A garota mais velha foi a primeira a chegar no lugar marcado, encontrou o garoto de olhos azuis vestindo roupas neutras, sem nenhuma extravagância. Recebeu dois beijinhos no rosto e eles entraram no parque. Deram um passeio rápido pelo parque, que no final havia uma barraca branca ao redor das flores rosas e vermelhas.

- Você sabia que a combinação das flores vermelhas e rosas significa amor e felicidade? - Deu a mão para ela se sentar nas almofadas ao  redor mesa improvisada. Ela negou com um sorriso no rosto - Por isso eu escolhi esse lugar. Me traz amor e felicidade.

- É lindo - Suspirou

E o lugar realmente era. A barraca - ou tenda - estava ao redor de vários ramos de flores, embaixo de uma enorme árvore que dava uma maravilhosa sombra.

Tinha tudo o que Madduh gostava. Suco de laranja, coca-cola, mini pizza, hambúrguer, carioca, chocolate branco, lasanha. Estava repleto de guloseimas como Trident, sorvete, picolés e tubes fini. O gosto dela se transformou em um emoji de coração nos olhos, quando viu seu grande amor chamado Fini. 😍

- Tudo isso é pra mim? - Sorriu. Agora sim Arthur tinha conquistado ela definitivamente. E isso não era por causa da beleza dele, mas sim pela comida. Tudo que ela gostava.

- Por que não? Você gostou? - Em vez de responder, a garota enfiou a cara em um prato de lasanha, fazendo Arthur rir.

Eles comeram e a moça não ligou parecer faminta, ela realmente estava e por isso, "caiu matando" na comida.

- Tenho outra surpresa pra você - O garoto se levantou chamando a atenção da moça que até agora só prestava atenção na comida. Ele ligou o som em seu telefone e estendeu a mão para ela - Dança comigo?

Ela engasgou um pouco com a comida, mas lhe deu a mão. Ele passou seus braços ao redor da cintura dela, chamando ela para mais perto dele, ela passou os braços ao redor do pescoço dele e afundou sua cabeça no ombro largo dele. A música tema de cinquenta tons de cinza alastrou seus ouvidos.

I look and stare so deep in your eyes

I touch on you more and more every time

When you leave I'm begging you not to go

Call your name two or three times in a row

Such a funny thing for me to try to explain

How I'm feeling and my pride is the one to blame

'Cuz I know I don't understand,

Just how your love can do what no one else can

O garoto começou a distribuir beijinhos pelo pescoço dela, apertando a cintura da mesma. Logo os beijos passaram a ser chupões de leve. E a garota já estava indo a loucura com lábios quentes em seu pescoço.

Got me looking so crazy right now, your love's

Got me looking so crazy right now.

Got me looking so crazy right now, your touch,

Got me looking so crazy right now.

Got me hoping you'll page me right now, your kiss

Got me hoping you'll save me right now
Looking so crazy in love's

Got me looking, got me looking so crazy in love

Girou o corpo dela e fez com que ela ficasse de costas para ele, rossando sua pele no peito dele.

When I talk to my friends so quietly

Who he think he is? Look at what you've done to me

Tennis shoes, don't even need to buy a new dress

If you ain't there ain't nobody else to impress

It's the way that you know what I thought I knew

It's the beat that my heart skips when I'm with you

But I still don't understand

Just how your love can do what no one else can

Got me looking so crazy right now, your love's

Got me looking so crazy right now.

Got me looking so crazy right now, your touch,

Got me looking so crazy right now.

Got me hoping you'll save me right now, your kiss

Got me hoping you'll save me right now
Looking so crazy in love's

Got me looking, got me looking so crazy in love

Com a dança foram aumentando os movimentos entre os corpos. Ele apertando a cintura dela com força e ela apertando os cabelos sedosos dele. Estavam em plena sintonia quando tocava o refrão.

Got me looking so crazy right now, your touch,

Got me looking so crazy right now.

Got me hoping you'll page me right now, your kiss

Got me hoping you'll save me right now
Looking so crazy in love's

Got me looking, got me looking so crazy in love

O garoto virou a menina, que não era considerada mais menina pelos pensamentos exóticos, e juntou seus lábios. Chupando de leve os mesmos fazendo a garota suspirar.


A garota de cabelos verdes já estava ficando impaciente pela demora ao passeio pela cidade. Ora, ela nasceu e morou a vida inteira naquele lugar, sabia de todos os pontos turísticos possíveis. Arthur disse que tinha que resolver algo em casa, mas nunca viu nada demorado. Sorte que sempre trazia um frasco de perfume com ela e poderia renovar sua fragrância. Tampouco a cara do motorista ajudava, ele estava sempre mal-humorado e isso fazia com que ela ficasse triste também.

Depois de bastante tempo, e muitas fotos tiradas, o motorista parou em um parque da cidade e lá estava ele, com roupas normais de qualquer adolescente. Antes de sair do carro, reforçou o batom e passou mais uma vez o perfume. Ela realmente levava a sério seu cheiro. Saiu do carro e o abraçou forte.

- Por que demorou tanto? Pensei que tinha desistido do encontro! - Perguntou andando do lado dele

- Me desculpa por isso. Meu pai me segurou em casa mais do que eu previa. Me desculpa mesmo. Gostou do passeio?

- Sim, mas...ele nunca sorri?

- Quem?

- Seu motorista.

- Ah, ele é assim mesmo. Não ligue. - Passou o braço esquerdo pelo ombro dela.

Andaram um pouco, conversando sobre várias coisas, quando pararam em uma tenda branca sobre uma árvore enorme no meio de várias flores.

- Uau - A boca dela se abriu instantaneamente em formato de um "o".

- Gostou? - Perguntou

- Sim, muito!

Se sentaram ao redor da mesinha improvisada em travesseiros bastante confortáveis. Tinha tudo o que Malluh gostava. Macarronada, batatinha frita, chá de pêssego, que ela gostava por causa de Helô, torta de frango, sorvete, chicletes, fini, chocolate,M&M, bombons e etc. Tudo estava lindo e as flores davam um ar bem romântico.

Comeram e conversaram sobre tudo, Arthur tinha um dom incrível de comunicação e seu belo sorriso sempre ajudava. Eles estavam sorrindo do incidente das irmãs hoje de manhã, quando o moço levantou e estendeu a mão para ela, que entendeu o recado e se preparou para dançar com ele. Ele ligou o som do celular dele e a música Photograph de Ed Sheeran tomou todo o espaço.

Loving can hurt

Loving can hurt sometimes

O garoto abraçou a cintura dela com força e foi aí que a garota se sentiu amada. Ela enterrou suas mãos nos cabelos dele fazendo com que suas unhas de tons pastéis se destacassem.

But it's the only thing that

I know

And when it gets hard

You know it can get hard sometimes

It is the only thing that makes us feel alive

We keep this love in a photograph

We made these memories for ourselves

Where our eyes are never closing

Hearts were never broken

And time's forever frozen still

Com a melodia da música romântica, ele rodopiava ela de uma forma apaixonante. E as barrigas se tocavam levemente. Ele começou a acariciar a nuca dela e  puxar o seu cabelo de leve. Ela estava de olhos fechados sentido o momento e suspirava a cada vez que ele puxava o cabelo dela e beijava o nódulo da sua orelha.

So you can keep me inside the pocket

Of your ripped jeans

Holding me close until our eyes meet

You won't ever be alone

Wait for me to come home

Loving can heal

Loving can mend your soul

And it's the only thing that

I know

I swear it will get easier

Remember that with every piece of you

And it's the only thing we take with us when we die

We keep this love in a photograph

We made these memories for ourselves

Where our eyes are never closing

Um beijo romântico rolou entre as letras e tudo o que a menina pensava, saiu pelos ares. Ela só queria curtir o momento e ele nem se fala.

Our hearts were never broken

And time's forever frozen still

So you can keep me inside the pocket

Of your ripped jeans Holding me close until our eyes meet

You won't ever be alone

And if you hurt me that's okay baby

Only words bleed

Inside these pages you just hold me

And I won't ever let you go

Wait for me to come home

Oh you can fit me

Inside the necklace you got

When you were sixteen

Next to your heartbeat where

I should be

Keep it deep within your soul

And if you hurt me

Well that's okay baby

Only words bleed

Inside these pages you just hold me

And I won't ever let you go

When I'm away

I will remember how you kissed me

Under the lamppost back on 6th street

Hearing you whisper through the phone

Wait for me to come home


Notas Finais


Beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...