História Friends Forever - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, NCT 127, NCT Dream, NCT U
Personagens Chenle, D.O, Doyoung, Haechan, Hansol, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Kris Wu, Kun, Lay, Mark, Personagens Originais, RenJun, Sehun, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags 2tae, Dojae, Jaejeji, Johnten, Krisoo, Markchan, Renle, Sexing, Winkun, Yusol
Exibições 78
Palavras 2.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ!
DESCULPA A DEMORA!
MAS TROUXE UM CAPÍTULO ENORME PARA VOCÊS!
ESPERO QUE GOSTEM

Capítulo 4 - Advertência


— Chegamos! — Jaemin disse, olhando para porta da sua casa — Je, nós vamos encontrar os outros?

— Bom, espero que sim — Jeno sorriu — Entre, seus pais vão brigar se chegar tarde

— Não quer entrar? Está tarde … — Disse sem jeito, mas Jeno negou — Por favor Jeno! — Fez manha

— Aigoo! Okey, okey! — Jaemin sorriu, abrindo o portão de sua casa e entrando com Jeno em sua casa

— Papai! Cheguei e trouxe o meu… — Encarou Jeno, ele não sabia se estava realmente namorando

— Namorado?— Jeno perguntou, com um sorriso

—Cê tá lascado, mas okey — Jaemin riu — Papais?Eu cheguei e trouxe o meu namorado!

— Namorado? — John perguntou, se aproximando de Jeno — Como se chama?

— Bom, quando eu conheci o Jaemin no orfanato, me chamava Lee Jeno, mas quando fui adotado, virou  Jung Jeno — Falou, tentando se afastar de Johanny

— Espera! Você achou os garotos? — John perguntou, olhando o filho — E já está namorando um dele?

— Pai! Calma! — Jaemin disse rindo, mas suspirou — Eu só achei o Jeno, e eu e o Je sempre nós amávamos, e quando éramos menor, tínhamos plano de família, tá bom!

— É John, você sabe que Jaemin não parava de falar sobre se casar com esse Jeno — Ten apareceu atrás de Jeno, que se assustou, fazendo o tailandês rir

— Pera… não parava de falar de mim?— Jeno falou com um sorriso, vendo Jaemin abaixar a cabeça por conta da vergonha

— Jeno… você quer ficar hoje aqui, ou quer que o John te leve?— Ten perguntou, tocando no ombro de Jeno

— Se não for incomodo, você poderia me levar? — Jeno perguntou um pouco tímido

— Você disse que ia ficar aqui! — Jaemin disse com um bico

— Desculpa Minnie, mas eu tenho que ir para casa, meus pais vão ficar preocupado, mas antes… — Foi até Johnny — Senhor, eu posso namorar o Jaemin?

— Ham…?— Johnny ficou sem reação — Vamos conversar no caminho de sua casa! Vamos! — falou guiando Jeno até a porta de casa

— Como se sente?— Ten perguntou, abraçando o filho

— Estou bem, papai, mas eu queria reencontrar o restos do garotos — Falou, escondendo o seu rosto no peitoral do pai — Vou reencontrá-los, não vou?

— Você encontrou o Jeno, não foi?— Ten falou, fazendo carinho na cabeça do filho.

Se afastou de Jaemin, passando o polegar na bochecha do garoto — Você vai reencontrar os outros. Agora vem, vamos tomar café!

~X~

— Então, como se sente… ahn… em reencontrar meu filho? — Johnny perguntou, dirigindo até a casa de Jeno

— Me sinto bem, muito feliz… Sr. John, me responde logo, eu posso ou não namorar com Jaemin? — Jeno perguntou impaciente, ouvindo uma risada do Seo

— Okey, saiba que se você magoar meu filho, eu vou te capar legal! — Johnny disse

— Não sou capaz de magoá-lo. — suspirou

— O que foi? — Youngho encarou o jovem por um tempo, e logo voltou a prestar atenção na estrada

— Fico feliz de ter encontrado Jae, mas, eu queria reencontrar os outros… Mark, RenJun, Jisung, Chenle e Heechan… só faltam cinco. —Mais um suspiro

— Você vão se reencontrar, apenas de tempo ao tempo. — Johnny parou na frente do portão da casa de Jeno — Tenham paciência, vocês ainda só tem 13 anos. — sorriu, e Jeno riu

— Eu sei, obrigado, YoungHo-ssi! — Jeno falou, correndo para sua casa

— PAPAI, PAI, EU CHEGUEI! — Jeno falou, correndo para o quarto dos pais, escutando barulhos nada agradáveis. F    ez careta, e parou bem na porta do quarto — SÓ PARA DIZER QUE EU CHEGUEI, QUE EU REENCONTREI UNS DOS GAROTOS DO ORFANATO, E QUE EU TÔ NAMORANDO, SÓ PARA DIZER MESMO, E GEMÃO BAIXO, EU TÔ CANSADO! — Jeno ouviu que os barulhos haviam acabado, e logo DoYoung e Jaehyun saíram de lá afoito

— Repete, Jung Jeno — Jaehyun falou

— Depois, vão tomar banho primeiro, esse cheiro de lubrificante não é legal… — Jeno fez careta, e os pais riram, entrando no banheiro

—Ah querido, o jantar está no forno, vá se trocar, que quando eu tomar banho, eu lhe sirvo, okey?— DoYoung falou, na porta do banheiro

— OKEY! — Jeno entrou em seu quarto e se jogou em sua cama — Jaemin já foi, faltam cinco! eu vou encontrar vocês, só esperem!

~X~

RenJun entrou em casa todo saltitante, cantando músicas chinesas, Yixing achou estranho ver o filho assim, até porque, RenJun nunca chegará da escola assim, chegava sempre cansado, pedindo para que Sehun lhe desse carinho

— Para que essa alegria, Ren? — Yixing perguntou, saindo da cozinha

— Papai! Eu encontrei o Heechan e o Mark! Ah! Só faltam quatro e nós podemos voltar a tacar o terror! — RenJun colocou sua mochila no sofá, e Yixing o encarou confuso, e o chinês mais novo riu — Papai, olha, lembra que no orfanato eu tinha uns amiguinhos, mas eles foram adotados e eu não parava de falar deles até os meus 09 anos? — Perguntou e Yixing assentiu — Então, eu encontrei 2 deles, agora faltam quatro  — Disse com um sorriso

— Ah! — Yixing abraçou o filho — Finalmente não é?

— Sim! Cadê o pai? Eu quero contar para ele! — RenJun se afastou de Yixing, que soltou um suspiro — Ele ainda não chegou, não é?— Fez bico

— Uhum… — Yixing suspirou e RenJun bufou — Bebê, entenda, Sehun está trabalhando muito, mas não significa que ele esqueceu de nós!

— Mas papai!Eu não o vejo nem de manhã e a noite, ele só chega quando estou dormindo! Eu nem lembro mais no rosto dele! — Fez bico, Lay suspirou

— Olha para aquela porta — Apontou para a porta do quarto do filho, que era totalmente branca — Lembrou?

— Papai! — RenJun riu, junto com Yixing

— Meu bem, Sehun te ama, e trabalha muito para lhe dar o melhor, mas vou conversar com ele sobre isso, okey? Vá tomar um banho e se trocar, enquanto eu termino de preparar a comida. — RenJun assentiu, pegando sua mochila e indo para seu quarto.

— Só que ele tem que lembrar que eu preciso dele perto de mim, também — RenJun murmurou colocando a mochila no quarto

~X~

Mark deixou Heechan em casa, e quase discutiram sobre Mark ficar lá, mas acabou que Mark foi embora, pois seus pais o ligaram preocupados.

— Papais! I’m back! — Gritou, e Taeil apareceu lá, sorrindo — Oi papai!

— Oi meu amor, como foi a escola? — Taeil se sentou no sofá, e Heechan se jogou em seu colo, o abraçando, parecendo voltar a criança de 6 anos.

— Ah Papai! Eu não sou mais BV, reecontrei o RenJun e o Mark, meus amigos do orfanato, e beijei o Mark e tô namorando com ele! — Disse, e Taeil o encarou incrédulo

— Bom, que bom que reecontrou seus amigos, fico feliz sobre seu namoro, mas o que seu pai vai achar ? — Perguntou, preocupado

— Papai, vamos manter segredo por um tempo, huh? — Saiu do colo de Taeil e fez seu caminho para o quarto dos pais, onde encontrava TaeYong na cama, fazendo Bin, o novo membro da família, de 2 anos, dormir, mas foi em vão quando Bin viu Donghyuck

— Oi pai — Heechan se deitou na cama, junto com o pai e o irmão — Oi Binnnie! — Pegou na mão babada do irmão, fazendo uma careta após isso, e fazendo TaeYong rir — Pai, eu reecontrei o RenJun e o Mark na escola!

— Sério? Aqueles dois garotos que estavam com você no orfanato? — TaeYong perguntou, recebendo um sinal afirmativo do filho — Que bom, mas filho, por que seus lábios estão inchados e seu queixo marcado? — O coração de Heechan parou na hora

— Talvez porque… eu e o Mark nós beijamos e estamos namorando… — TaeYong o encarou sério

— Quando Bin dormir, eu, você e seu papai vamos conversar, agora vá tirar essa farda! — Heechan assentiu saindo do quarto, vendo Taeil rindo

— Por que não me disse sobre as arcas, papai!? — Fez bico, e Taeil riu mais ainda

—  Seu pai tinha que saber uma hora, ora! — Taeil falou rindo, ouvindo DongHyuck bufar

~X~

— Soo! Cheguei! — Mark gritou assim que chegou em casa.

Mark nunca chamara Kris ou Soo de papai ou pai, ele não sabia o porquê disso, mas não achava certo chamá-los assim, mas as vezes ele os chamava assim, mas era bem raro, mas os mais velhos, mesmo triste, já estavam acostumados

— Oi Mark, como foi o seu dia? — Soo perguntou, arrumando a mesa do jantar

— Foi bem legal — Mark abraçou Soo por trás, que riu, estranhando o carinho do filho — Eu os reencontrei, papai, eu estou namorando

— Opá! Como é? — Soo virou ficando de frente para Mark, que riu e saiu correndo para seu quarto — WU MARK, VOLTE AQUI— Kyungsoo gritou — QUANDO SEU PAI CHEGAR, VAMOS CONVERSAR.

~X~

— Pai, por que coreano é tão difícil?— Chenle perguntou, saindo da mesa e se jogando no sofá

— Querido, é uma língua diferente, mas não é difícil  — Kun falou olhando o filho no sofá, que estava fungando. ChenLe se achava inútil, pois não era bom em coreano, e assim, nunca encontraria seus amigos — Chen, não chora bebê, vem cá — ChenLe se levantou do sofá, e foi andando até o pai, com o rosto todo banhado de lágrimas

— Eu sou burro, papai! Eu não sei coreano, vou me dá mal aqui. Sou fraco, nunca vou encontrar meu amigos — ChenLe deitou seu rosto no ombro de Kun

— Meu amor, eu e seu pai também não sabíamos coreano — Winwin disse, saindo do quarto do casal — Eu ainda nem sei, mas eu tô aprendendo. — Se aproximou do esposo — Eu, você e seu pai somos chineses, não temos obrigação de saber coreano, mas já que estamos aqui, temos que aprendê-lo, para nós comunicar — Chenle encarou o pai, e esticou os braços, para que o mesmo o pegasse no colo, Winwin riu, mas fez.

Mesmo ChenLe tento 12 anos, ele agia feito um bebê, talvez porque o mimaram demais, ou talvez, por medo de ficar só, ChenLe tem um monte de medo, também, depois do que aconteceu com ele na China, quem não teria?

— Olha, você não é fraco e nem burro, você é forte e muito inteligente, ChenChen — WinWin começou a acalmar o filho, o balançando para o lado e para o outro —  Eu  e o Kun estamos bem aqui, para o que você precisar, você sabe disso, não é?

— Sei — ChenLe já havia parado de chorar, e abraçou mais forte o pescoço de WinWin — Eu amo vocês

— Também amamos você — Kun abraçou WinWin e ChenLe — Agora, vá lavar esse rosto, bebê — ChenLe saiu do colo de WinWin e foi até o banheiro, vendo um olhar preocupado de SiCheng — Ele vai superar, ele vai ficar bem. — Kun abraçou o esposo —Nós dois temos que ser mais forte que nosso bebê.

— Eu sei. — WinWin falou, colocando o rosto no vão do pescoço de Kun

~X~

Jisung estava em seu quarto, arrumando a mala, colocando o ursinho que havia ganhado de Jaemin debaixo do braço. Finalmente ele voltaria para Coréia, mas seu coração estava doendo, mas ele não sabia o porquê.

Saiu do seu quarto e foi até o dos pais, vendo os mesmo arrumando as malas

— Papai… — Jisung chamou Yuta manhoso — Papai…

— Oi Ji — Yuta se virou, vendo o filho com um biquinho, fazendo não só ele, mas Hansol rir também — Está com medo de viajar?

— Também… — Andou até Yuta, e se sentou nas pernas do mesmo — Papai, eu estou com medo de não reecontrá-los, de não fazer amigos lá… Eu acabei de sair do 5º ano, vai ser difícil o 6º?

— Meu bem, sei que você quer os reecontrar, mas de tempo ao tempo. — Hansol disse, passando a mão no cabelo do filho — Você fará amigo lá, você é um bom garoto. E sim, o 6º ano é um pouco difícil, agora você terá um professor para cada matéria, mas você será um bom aluno. — Beijou a testa do filho

— E se eu não for mais o primeiro da classe? —Fez bico

— Bom, eu e seu pai continuaremos ter orgulho de você — Yuta sorriu

Jisung deitou a cabeça no ombro do pai

— E se eles não lembrarem mais de mim?

— Creio eu, que eles não esqueceram de você, por mais que tenha sido uma amizade de criança, esse colar — Pegou o colar, que estava no pescoço de Jisung — É  prova viva que é uma amizade de verdade. — Yuta sorriu e o filho assentiu — Já terminou de arrumar as malas?  — Assentiu — Então, deita ai, e tenta dormir, enquanto eu e o Hansol terminamos de arrumar nossas malas. — Não demorou muito para Jisung se jogar na cama e começar a dormir

~X~

— O que você fez para receber uma advertência, RenJun? — Sehun perguntou, recebendo um suspiro do filho

— Bem, eu conversei demais com o Heechan e fiz bagunça na classe, nada de mais — Deu de ombros

— Porra! — Sehun pegou uma caneta e assinou o papel — Eu vou amanhã para lá.

— Sehun, sem palavrão, por favor. — Yixing pediu

— Nosso filho acabou de levar advertência, como é que você quer que eu me controle? — Sehun perguntou sério

— Se controlando, RenJun é um garoto de 13 anos, não é como se ele fosse o ser mais perfeito do mundo, Sehun, você era pior que ele nessa idade. — Yixing quase gritou — Quer nosso filho seja igual a você? Okey, RenJun, vá comprar cigarro, o Sehun te ensina a fumar. — Renjun quase se assustou com aquilo

— Cale a boca, Yixing — Sehun pediu entre os dentes

— Não! Cale a boca você, Sehun— Yixing suspirou — RenJun é um ótimo aluno, essa é a primeira vez que ele chegou em casa com um sorriso, é a primeira vez que ele leva uma advertência.  Quando é que você vai entender que RenJun é um garoto e não um robo?

RenJun se levantou da mesa de jantar, e subiu para o seu quarto, nunca viu seus pais brigando assim, e agora que eles brigam, é por culpa sua? Que porra!

Yixing e Sehun se entre olharam e suspiraram

— Deixa ele, depois conversamos com ele. — Sehun disse, e Yixing assentiu.

~X~

TaeYong assinou o papel da advertência, e deu um leve tapa na cabeça do filho

— Tu tome juízo, Donghyuck — Taeyong disse, e Heechan assentiu rindo — Enfim, e o seu namorado?

— Então, ele vem pedir permissão para você amanhã… — Fez careta — Por favor, Pai! Deixa a gente namorar!!!

— Aigoo! Okey! Eu deixarei, mas só se ele for uma boa pessoa. — TaeYong disse

— Te amo — Abraçou TaeYong com força

— Tae… — Taeil chamou o esposo — Não acha que é a hora de ter aquela conversa com o Donggie?

— QUE CONVERSA? — Heechan gritou com medo

— Hoje não — TaeYong riu — Heechan não grite, não quer acordar seu irmão, não é?

— Desculpa — DongHyuck disse — Mas que conversa é essa?

— Vai dormir, Hee — Taeil beijou a testa do filho e lhe deu alguns tapa na bunda de leve.

— Eu vou baixar um vídeo. — TaeYong foi para o quarto e Taeil riu, enquanto Donghyuck continuava com medo da conversa.

~X~

— Mark, mais uma advertência, filho? — Yifan suspirou, enquanto Mark abaixava a cabeça — Meu filho, você pode ficar suspenso se levar mais uma advertência.

— Desculpa Yifan… — Mark se curvou— Pai, eu juro me comportar.

— Não é  primeira vez que juras isso, Mark.— Kyungsoo disse, e Mark abaixou a cabeça

— … Desculpa, farei o meu melhor dessa vez, mas por favor, não me tira desse colégio, Yifan — Mark implorou

— Não vou, o colégio vai te expulsar se continuar assim— Kris falou e Mark arregalou os olhos

— Eu vou me comportar! — Falou sério e Kris assentiu

— Agora vá dormir, está tarde! — Soo beijou a bochecha do filho, e este assentiu subindo as escadas.

Kyungsoo abraçou Yifan, que retribuiu

— Quando ele vai nós chamar de pai e papai? — Soo perguntou triste, e Kris riu fraco

— Ele está chamando a gente assim constantemente, não demorar para ser diariamente — Sorriu

— Assim espero… Ah! Mark está namorando.

— QUÊ?


Notas Finais


ACABOU :3
Obrigada por ler, até a próxima semana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...