História Friendship for life - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Dra. Caitlin Snow, Felicity Smoak, Iris West, John Diggle, Moira Queen, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Ray Palmer, Roy Harper (Arsenal), Sara Lance, Thea Queen, Tommy Merlyn
Exibições 111
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Cap22


Fanfic / Fanfiction Friendship for life - Capítulo 22 - Cap22

- Bebê não... - Minha mãe fala desesperada

- Mãe para, só para!

- Eu sou seu pai minha filha. - Malcom fala

Meu sangue ferve e solto uma risada sarcástica.

- Agora você é o meu pai? Então vamos lá, onde você estava PAI, quando eu mais precisei? A já sei brincando de família perfeita. Eu não consigo e nem quero acreditar que você é meu pai, um ser desprezível. - Vejo-o engolir em seco - Se eu senti falta de um pai? Senti sim, mas tive muito amor e carinho de uma pessoa que vale por duas, uma pessoa que sacrificou seus dias pra mim ser o que sou hoje, devo tudo a ela. Mas te agradeço por isso, hoje convivo muito bem com isso e não me faz falta nenhuma. Não pense que vai ter contato comigo, por que isso nunca vai acontecer não precisei de você até hoje e não vai ser agora que vou precisar. Você não passa de um covarde! Seja feliz, senhor Merlyn, passar bem.

Quando me viro para sair, dou de cara com Oliver. Passo por ele e saio em direção ao jardim, tento ficar o mais longe possível da casa. Solto um grito que estava estalado na garganta e sinto minhas lágrimas rolarem.

Sinto braços em volta da minha cintura, encosto minha cabeça em seu peito já sabendo quem é e choro como se não houvesse amanhã. Ele me vira fazendo ficar de frente pra ele e me abraça. Não sei quanto tempo ficamos ali, mas foi o suficiente para eu me acalmar. Oliver beija meus cabelos e me dá um beijo calmo, passo a mão por seus cabelos e beijo seu pescoço.

- Obrigada por ser meu porto seguro. - Falo com a testa encostada em seu peito

- Sempre amor. Quando estiver pronta pra desabafar estarei aqui.

- Obrigada amor - dou um selinho  - Vamos voltar acho que já estão sentindo nossa falta.

- Você está bem? - Passa a mão em minha barriga

- Estou, nosso bebê está calmo.

Ele sorri e voltamos para a festa, sentamos em nossa mesa e vejo Sara vindo em nossa direção.

- Procurei vocês por todo lado, onde estavam?

- Fomos dar uma volta. - Minto e ela me olha desconfiado

- Ah, Ray tava te procurando Ollie. Coisas de padrinho.

- Vou ver o que ele quer, volto já. - beija minha testa e se afasta

- Sei que está escondendo algo, mas vou esperar você falar.

- É complicado mas obrigada. - Ela assente

- Amiga não vejo a hora desses bebês nascerem. To parecendo uma porca de tão gorda.

Dou risada, conversamos sobre os bebês, nossos noivos voltaram ficaram com a gente até que a pista de dança fosse liberada. Sara ficou com Ray sentada, fui dançar um pouco com Oliver. Depois de algumas músicas Cait joga o buquê onde o mesmo acaba caindo no colo do Roy, onde foi motivo de muita risada da nossa parte. Ele entrega o buquê pra Thea onde a mesma dá um beijão nele. Curtimos mais um pouco a festa demos tchau para os noivos e fomos embora. Chegando em casa tiro meu salto e me jogo no sofá.

- Aí to cansada - Oliver sorri

- Vou preparar a banheira pra gente daqui a pouco.

Respiro fundo e fecho os olhos.

- Eu não consigo um minuto de paz, quando acho que está tudo bem aparece um monte de problemas.

- Vai manter distância do Malcom?

- Sim, não quero contato com ele. - abro os olhos - Meu Deus como o Tommy vai reagir?

- Ele vai gostar de saber que são irmãos, já se consideravam mesmo. Mas ele vai ficar irado.

- Nem falei com a minha mãe, com certeza foi embora. Nem falou comigo. - Sinto meus olhos marejados - Minha vida é uma droga! - Falo alto

Oliver me abraça por um tempo e deixo minhas lágrimas rolarem. Não consigo acreditar que o meu pai resolveu dar as caras agora, depois de tudo. Depois do que a minha mãe passou para me criar, ele simplesmente aparece falando que é meu pai. Não sei mais o que sinto é um misto de raiva, alívio e desespero.

Donna Smoak

Não sei como a minha filha irá reagir, minha atitude como mãe deve ter sido uma das piores nesse momento. Estou dentro de um avião voltando para Las Vegas sem ao menos dizer tchau a ninguém. Não consigo acreditar que aquele canalha deve a capacidade de soltar uma coisa dessas sem ao menos se importar.

Conheci Malcom em um bar que eu trabalhava em Las Vegas. Naquela noite enquanto trabalhava uma amiga minha que também trabalhava lá, chegou dizendo que um cara não tirava os olhos e disse a ela que estava interessado em mim. Ele foi até o balcão e começamos a conversar ele, começou a me elogiar. Conversamos um bom tempo, ele estava em Las Vegas a negócios ia ficar durante uma semana. Depois daquela noite começamos a sair, trocamos contatos e claro perguntei se era casado ou tinha filhos e ele negou. Uma noite antes de ele ir embora, trasamos e muito, no outro dia ele ia embora na parte da tarde, aproveitamos ao máximo e ele disse que viria o mais rápido possível. Me prometeu o mundo e o fundo, desconfiei por um momento mas comecei a sentir coisas por ele.

Passando alguns dias, comecei a passar mal vômitos, dores de cabeça. No início não liguei, até ver meus seios maiores e doloridos. Fui até a farmácia comprar um teste de gravidez, chegando em casa corri para o banheiro e fiz, quase cai dura no chão. Mas estava feliz, teria um filho com ele.
Eu quis logo avisa-lo então liguei para ele que atendeu no terceiro toque.

- Oi - falo com carinho

- Oi, o que você quer?

- Aconteceu algo? Está tudo bem?

- Só não estou em um bom dia, fala o que quer?

- Vamos ter um filho, fiz o teste hoje. - Falo contente

- O que? Você está brincando eu não... - Rebecca já estou indo aguarde um momento - eu não posso assumir esta criança e aliás quem me garante que ela é minha mesmo?

- O que? Malcom, eu não dormi com ninguém além de você.

- Eu não posso assumi-la, sou casado e tenho um filho. Ficamos em Vegas por que eu estava brigado com a minha esposa. Sinto muito.

A partir daí não tivemos mais contato, passei pelo inferno para poder criar minha filha que hoje se tornou uma grande mulher, vai se casar e vai ser mãe. E agora ele chega querendo bagunçar com tudo? Não mesmo, passo pelo inferno novamente, mas ele não vai tirar nossa paz.


Notas Finais


Não iria fazer o POV da Donna, porém achei que merecia, pelo menos um básico. Não coloquei muita coisa pra não "desfocar" muito mas coloquei alguns pontos essenciais, portanto deixo o resto pela imaginação de vocês. ((:

Comentem ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...