História From The Other Side - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Akagami no Shirayuki-hime, NU'EST, Tasogare Otome x Amnesia
Personagens Jr, Personagens Originais
Tags Colegial, Fantasma, Mistério, Romance, Shoujo, Sobrenatural
Exibições 5
Palavras 1.890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 3


-Você não fala muito, fala? - pergunto a Yusuke. Esse garoto é muito estranho! Ele deve ter deixado o Izumi e a Shirayuki muito bravos para que eles parassem de falar com ele.

-Pra ser sincero, faz um tempo que não falo com uma pessoa diferente… - disse, pensativo. Seus olhos não encontraram os meus em nenhum momento da caminhada. Só espero que não seja pelo fato de não ter reconhecido ele. Viemos praticamente todos na mesma vã, e é meio insensível da minha parte não reconhecer nem o rosto dele. -Você… Não encontrou mais ninguém aqui, encontrou? - perguntou Yusuke.

-Além de você? Não. Mas eu queria ter achado seus amigos antes para podermos dar o fora daqui mais cedo. É muito irresponsável, sabia? - disse, cruzando os braços. Ainda tinha a foto e o livro nas mãos. - Esse livro é seu?

-Esse livro é meu sim. Na verdade… Peguei aqui, mas acho que posso levar já que… Todo mundo está morto! - disse Yusuke, estendendo uma de suas mãos paparicar o livro. Lhe entrego rapidamente e percebo que ele parecia amargurado, talvez um pouco triste quando comentou sobre todos estarem mortos. Também não me sinto muito confortável em relação a isso. O clima, de repente, pareceu pesado.

-Você está tentando parecer insensível? As garotas detestam isso! - digo rindo, tentando aliviar a situação. Vejo ele dar uma sorrido de canto e continuamos andando. Logo descemos as escadas para o andar térreo, afinal, já estávamos andando havia um tempo.

Pego a foto em minhas mãos e a analiso novamente. Yusuke é parecido com o jovem mais despojado da foto. Não me surpreende nada, principalmente levando em conta todos os álbuns de família que Izumi me mostrou (ele era igualzinho ao bisavô dele!). Será que são parentes?

Provavelmente são, pela forma como Yusuke mencionou o acidente na escola. Foi realmente muito triste, e imagino que Yusuke seja descendente de algum(a) irm(ã)o do garoto da fotografia. Os “nerds” parecem ser irmãos, e não tem como eu saber se sobreviveram ou algo assim.

-Me responde uma coisa… É normal que uma garota seja tão exigente com um garoto que nem conhece? Quero dizer, nunca conheci uma menina que ousasse falar que eu era insensível ou irresponsável, exceto uma amiga especial minha - disse Yusuke, colocando as mãos nos bolsos.

-Fala sério, do jeito que Shirayuki é, ela com certeza já deve ter falado isso para você. Bem, a menos que… - começo dizendo. Shirayuki é extremamente confiante e nunca deixa que os outros a incomodem, e a única maneira de nunca ter falado isso para Yusuke seria se… Ah meu Deus! Será que é esse o amigo de Izumi? O amigo pelo qual ela está a fim? 

Começo a rir como se houvesse descoberto a coisa mais importante do mundo. Ela provavelmente deve ter mentido para mim, porque sabe que eu tiro sarro dela! Bem que eu achava o Hiro meio sonso! O Yusuke é fisicamente muito mais atraente, mas não sei dizer se é mais interessante.

Ele me olha como se eu fosse maluca, mas eu acho que finalmente vou saber como ajudar minha amiga. Ela deve ter ficado muito irritada para fingir que o crush dela não existe! Mas por enquanto, vou ficar fora desses assuntos. Se eu falar demais, posso expor ela.

Andamos mais um pouco e começo avisto Izumi andando nervoso pelo corredor. Levanto minha mão para sinalizar que estamos perto, já que eles ainda não haviam nos visto, mas Yusuke segura meu pulso e me vira de frente para ele. Pela primeira vez na noite, consigo olhar para seus olhos, que possuem um brilho prateado mesmo sendo negros como ônix.

-Olha, garota - ele parecia nervoso, e não parava de olhar para a direção de onde viemos - Não precisa se importar com a brincadeirinha besta dos dois, sério. Tudo vai se ajeitar no tempo certo, até porque eu vou dormir na casa de vocês pelos próximos dias, e… - diz Yusuke.

-Jura? Que bom! Aí vai poder tentar conversar com Shirayuki… E Izumi! - disse, me alegrando um pouco. Se Yusuke ficasse na nossa casa, Shirayuki teria uma boa vantagem!

-O que? NÃO! - ele diz, desta vez quase desesperado - Eu… Demorou muito tempo para Izumi me deixar ir lá, você sabe… - tenta disfarçar, e eu acho que sei do que ele está falando. Será que ele queria ficar sozinho com a minha amiga? Onww, ela iria adorar isso.

-Uhmm, tá bom. Só promete que não vai tentar nada muito ousado! - disse, apontando um dedo para seu rosto. Shirayuki pode gostar dele, mas ainda é minha irmãzinha.

-Nada muito ousado? Garota, acho que não estamos falando exatamente das mesmas coisas - diz, parecendo confuso. Como se fingir que não sabe de nada fosse me convencer.

-Olha só, você… - começo, pronta para lhe dar uma bronca, porém, um barulho vindo do andar de cima chama a minha atenção e eu paro.

-Droga, droga, droga! Vamos, temos que ir logo! - diz Yusuke, dando-me um leve empurrão nos cotovelos.
Ao que parece, o barulho não só chamou minha atenção e a de Yusuke, como também a atenção de Izumi. Quando me vê, vem correndo em minha direção, branco como um fantasma.

Antes que possa lhe cumprimentar, sou abraçada com força por seus braços fininhos. Sinto sua mandíbula ser apoiada no topo da minha cabeça e retribuo o abraço calmamente. É a primeira vez que algum menino me abraça por conta própria no Japão! Simplesmente não posso deixar essa chance única escapar; talvez seja até a última!

-Por Deus, Monica! Onde você esteve? Você está bem? Quando achei minha irmã, você não estava junto e ela estava desesperada! Nossa… Eu… Você não sabe o quanto eu fiquei preocupado! - disse Izumi sem me libertar de seu abraço, mas se afastando o suficiente para conseguir olhar nos meus olhos azuis. Havia esquecido que hoje Izumi decidiu testar suas lentes coloridas.

-Eu… - começo, olhando de relance para Yusuke. Seus olhos parecem me perfurar como suas estacas, e eu percebo que ele não quer falar mesmo com Izumi. Tenho a sensação de que algo está errado, mas não sou ninguém para julgar o que Yusuke quer - Estou bem. Caramba! Eu sinto muito mesmo! Não queria ter deixado a mana, mas me distrai e acabei tomando o rumo errado.

-Não se preocupe, Moni-chan. Se você estiver bem, tudo vai estar bem! - disse Izumi, finalmente me soltando.

-Você é legal até demais, Izumi. Shirayuki devia estar em prantos quando a achou, e poderia ao menos me dar uma bronca por isso! - digo, dando um leve soco em seu braço. Seu rosto assume uma expressão divertida e ele começa a andar; passo a segui-lo o mais rápido que posso - Vamos para casa agora?

-Para onde mais iríamos? Nunca mais você e a Shirayuki vão sair com a gente, entenderam? - disse Izumi, segurando meus ombros com um pouco de força, nada que pudesse me machucar, mas com certeza não poderia sair.

-Ai, você está me deixando envergonhada! - disse, sentindo meu rosto ficar vermelho. Nunca gostei de tanta proximidade e ainda tinha Yusuke olhando! - Vamos logo!

Andamos pelo corredor até encontrarmos as portas pelas quais passamos à um tempinho atrás. Shirayuki corre quando me vê e pula nas minhas costas, exagerada como sempre. Recebo alguns olhares reprovadores de alguns dos garotos, mas nada que realmente me preocupe. Só duas coisas tem a minha atenção agora: o fato de Shirayuki ainda estar chorando involuntariamente e o fato de todos os meninos estarem ignorando Yusuke, que parece mais nervoso do que nunca!

Entrelaço meu braço ao de Shirayuki e caminhamos até a porta. Demonstrar um pouco de afeto pela minha melhor amiga não custa nada, principalmente porque aposto que ela quase infartou por minha causa. Ouço os passos dos garotos atrás de nós enquanto observo Yusuke ficar ao meu lado, inquieto, como se estivesse contando os segundos para atravessar as portas da escola. Será que ele gostou de vir até esse lugar? Ou foi só para agradar Izumi?

Atravessamos a porta e ouço Yusuke suspirar alto, com os braços abertos para o céu, como se finalmente estivesse livre de algo. Deixo de lado sua esquisitice e me viro para Shirayuki, a fim de perguntar o que ela fez após o meu sumiço, mas ouço o som de algo caindo atrás de mim.

-O que…? Você ouviu isso também? - perguntei a Izumi, e pela sua cara, deve ter ouvido também. Preocupado, assente levemente e vejo-o entrar novamente na escola. Por toda as mancadas que dei hoje, sinto que devo segui-lo..

-Menina, NÃO! - gritou Yusuke atrás de mim. Me viro e vejo que ele também entrou novamente na escola, e não está com uma cara nada boa.

-Qual é o problema de…? - começo, me dirigindo a Yusuke, quando ouço um grito vindo da outra direção. O dono dela é um garoto, com a idade próxima à minha, com uma camisa suja com os primeiros botões abertos, correndo até nós com uma expressão furiosa - Quem…?

-DROGA! Vamos, menina! AGORA! - disse Yusuke, se aproximando rapidamente de mim, sinto-o pegar meu pulso e começar a me puxar em direção à porta. O engraçado é que, desta vez, sua força parece não estar fazendo efeito, o que é estranho levando em consideração o quão maior ele é em comparação à mim. Não me mexo, mas Yusuke parece estar fazendo um esforço imenso para me mover. E acabo me movendo apenas alguns centímetros!

- POR FAVOR!

-Yusuke… - não entendo o que ele quer. Ouço Izumi perguntar “Que Yusuke?”, e ignoro a brincadeira tosca. 

Antes que possa continuar, o garoto passa correndo por mim e derruba Yusuke no chão. Logo Yusuke está com a boca sangrando por todos os socos que recebeu do garoto, e percebo que tenho que fazer alguma coisa.

Seguro a gola do estranho, levanto-o e o jogo para perto da porta do corredor. Seus olhos encaram os meus com espanto, como se ninguém nunca tivesse feito isso, e estou pronta para continuar! Não tenho palavras para descrever o quanto eu odeio brigas!

E novamente sou impedida de agir quando Yusuke pula sobre o garoto, furioso. Recuso-me a gritar ou a fazer qualquer escândalo! Preciso separar esses dois novamente!

Puxo cada um deles pela gola da camisa e os empurro para fora da escola. Sempre fui decidida e não é a primeira vez que acabo com uma briga, mas se nunca consegui nem puxar um cara, como consegui fazer isso com dois? Os treinos diários e academia parecem estar fazendo efeito afinal… Não… Com certeza não foram os exercícios. Se isso fosse resultado dos exercícios na teria me deixado tão tonta de repente.

-Olha… - disse, apontando para o rosto do garoto, ou ao menos eu acho que estou apontando. Minha visão está embaçada e minhas pernas tremem por causa do esforço que não sei aonde apliquei. Meus olhos lentamente se fecham e meus joelhos finalmente cedem à fraqueza das pernas.

Ouço o barulho de meu corpo caindo no chão e sinto uma pequena dor em meu ombro esquerdo. Antes de apagar, vejo o garoto de aproximando de mim, rastejando, me olhando como se eu fosse a coisa mais preciosa do mundo.

-Como você consegue…?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...