História Fronteiras - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Descobertas, Dinheiro, Drama, Ódio, Originais, Romance
Exibições 5
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Mais um capitulo quentinho,espero que estejam gostando,estou fazendo tudo com muito amor e carinho,agradeço a atenção e boa leitura,beijocas no coração!

Capítulo 4 - Laços


Fanfic / Fanfiction Fronteiras - Capítulo 4 - Laços

-Você têm que se alimentar direito Eduardo!

-Eu estou comendo,a senhora é cismada mesmo,relaxa um pouco.

Esse era um horário sagrado naquela casa,Eduardo,Alana e mãe deles Edina sempre que tinham tempo,se reunião ao redor da pequena mesa e tinham uma refeição agradável juntos,estavam almoçando juntos com conversas descontraídas,a mesa pequena ou a refeição simples não diminuía o amor entre eles.

-E seu patrão?

Eduardo leva a colher a boca saboreando a comida que a irmã fez,arroz,feijão,carne e uma salada.

-Gente fina,a senhora sabe,ele gostou dos meus serviços,antes mesmo do tempo da experiência ele assinou minha carteira.

-Adulador!

Fala Alana tomando um pouco do suco de uva.

-Respeito filha,você sabe o quanto é difícil arrumar emprego,ainda mais gente daqui,eles pensam que todos somos ladrões ou algo assim...

-Aqueles lixos pensam que podem nos julgar por que moram em mansões e andam em carros importados.

-Essa conversa está boa demais,mas preciso concluir aquele trabalho ou danço no vestibular,zero faculdade!

-Vira essa boca pra lá Alana,você vai conseguir minha filha!

Ela beija o rosto da mãe e vai em direção o quarto estudar e terminar o bendito trabalho.

-Mais suco Edu?

Edina pega a jarra servindo o filho.

-Obrigado mãe,eu estou exausto,tenho que tomar um banho e me vestir.

-Eu lavei seu uniforme,a camisa está branquinha querido.

-Não entendo por que aquele calor infernal o senhor Henrique tinha de colocar de fardamento uma blusa social branca.

Edina sorri do mau humor do filho quanto a roupa do trabalho.

-Vão pessoas chiques pra lá meu amor,dizem que aparência é tudo pra eles!

-São uns porcos mãe,isso sim,a senhora sabe tudo que eu já passei naquela droga.

-Olha a boca Eduardo!

-Desculpa,estou bem alimentado agora,preciso tomar um banho logo,é longe eu e o João temos que pegar três buzão pra chegar lá no horário.

Eduardo levanta  abraça a mãe sorrindo.

-Se cuide meu amor e por favor,por favor não se meta com coisa errada,sabe o quanto esse emprego é importante pra você.

Eduardo aperta a mãe um pouco de forma protetora.

-Eu vou me cuidar capitã anã!

-Chato!

Fala Edina acertando o filho com o guardanapo.

-Te amo!

-Também te amo filho.

Edina vai guardar os alimentos que sobrou do almoço na geladeira,poderia ser aproveitado pela noite,estava bem apesar do cansaço,ela estava trabalhando fora como lavadeira,sua filha estudando para tentar uma bolsa e seu filho mais novo assinou a carteira recentemente e estava em um emprego fixo.

-Obrigado por tudo meu Deus...

Sussurra Edina em quanto lava a louça ouvindo o som do rádio que anima o agora ambiente silencioso.

Distante dali...

-Eu não quero comer nada!

Grita a jovem lançando um prato na parede,os estilhaços da porcelana logo se espalham por toda sala,a grande mesa farta de alimentos e bebidas parece não encantar nada em jovem que chora soluçando.

-Fique calma menina Bella...

Sussurra a governanta da casa.

-Eu não quero ficar calma,eu quero meus pais aqui,pelo menos uma vez Maria,você entende?

Maria é governanta a muitos anos da casa dos Castro abraça a jovem carinhosamente passando as mãos nas costas dela.

-Eles estão ocupados querida,fique calma,logo a noite eles chegam.

-Eu...Eu só quero eles presentes comigo...

Fala a jovem chorosa.

-Eles vão chegar logo,logo,não precisa ficar assim,que tal eu almoçar contigo Bella?Conversamos e fazemos companhia uma para a outra.

Izabella olha Maria sorrindo,desde de começou entender sentimentos,ter laços com as pessoas,Maria a governanta de confiança se tornou muito mais que uma funcionária,a senhora sempre estava ao seu lado,aconselhando e ajudando quando ela têm esses ataques de fúria,muitas vezes chamou ela de mãe em quanto a mesma enxugava suas lágrimas.

-Eu vou te servi Bella!

-Não,você é minha convidado hoje,como sempre vou te servir,esse é nosso momento!

A jovem pega um prato e sorrindo começa colocar alguns alimentos que sabe que a senhora gosta,em seguida serve um pouco do suco preferido dela.

-Está bom Maria?

Fala Bella com os olhos brilhando e ainda meio inchados do choro recente.

-Está incrível meu anjo,agora se alimente também,não quero te ver doente!

Bella pega outro prato e logo começa organizar uma porção de salada e sua carne favorita,um frango grelhado com algumas verduras picadas,seguido de um bom suco natural de laranja.

-Você é minha mãe Maria!

Fala Bella levando a taça a boca saboreando o gosto do suco.

-Sempre vou estar aqui meu anjo,desde de que te peguei a primeira vez no colo quando chegou aqui,que te considero uma filha pra mim,mas você precisa entender também as ocupações das seus pais...

Bella coloca o garfo no prato novamente.

-Eu tento...Mais é muito chato viver assim Maria,eles mal têm tempo pra mim,isso machuca!

-Isso passa,apenas uma fase,releve Bella.

Fala Maria levanto o garfo a boca com um pouco de salada.

-Eu vou,como sempre...

Sussurra a jovem triste.

-Depois vá fazer suas lições e descansar um pouco,sim?

Bella leva o guardanapo branco bordado com pequenas rosas a boca sorrindo.

-Farei isso,agora vamos aproveitar nosso tempo juntas Maria!

-Claro querida,na sobremesa mandei preparar aquela salada de frutas que você adora.

Bella bate palmas animada.

-O que seria de mim sem você?

Elas aproveitam o almoço,conversando e apreciando uma da companhia da outra,como quase sempre,um laço muito especial que crescia dia,após dia.

Distante dali...

Algumas horas depois...

-Vá com Deus e se cuide meu amor!

Eduardo abraça a mãe mais uma vez,esta com sua roupa costumeira,uma calça social preta e uma blusa branca,o sapato preto social preto fazia um belo conjunto com a roupa,chegando no local de trabalho ele teria de colocar a camisa social branca mangas longas.

-Amo a senhora e não se preocupe,eu estarei bem e qualquer coisa pode ligar para o bar,o senhor Henrique me avisa.

Ele se afasta sorrindo da mãe.

-Se cuida peste!

Alana abraça o irmão e beija rosto dele.

-Atenção lá e estuda cabeça oca.

-Tudo bem maninho!

As duas acenam se despedindo ao ver Eduardo e seu amigo João entrarem no ônibus,era todo dia assim,elas desciam e se despediam com abraços e beijos,ele estava indo bem no emprego de garçom,estava feliz,assim sua família também compartilhavam dessa felicidade.

Eduardo e João acenam e veem o ônibus partir,seria mais uma noite,mais uma madrugada de muito trabalho,veem sua primeira condução partir deixando para trás suas famílias e assim parte deles também,estão indo servir "lobos" exigentes,uma surpresa atrás da outra,umas agradáveis,outras nem tanto,assim seguiram suas 2:00 horas de viagem,trocando de condução três vezes,Eduardo mal sabe que está indo em direção a mudança mais radical de toda sua história,que venha a noite com seus sonhos e desejos,que venha o amor.

"Eu sou bipolar de mente sã..."

-3030


Notas Finais


Espero que tenham curtido a leitura,obrigado e até o próximo,abraços,fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...